Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Set 17

“Indigenous and environmental rights under attack in Brazil, UN rights experts warn”

(08.06.2017/un.org)

 

3500.jpg

 Manifestação do povo indígena brasileiro

Contra a violação sistemática dos seus direitos

(Brasília/Gregg Newton/Reuters)

 

Depois do processo aberto contra o ex-Presidente LULA e da perseguição eficaz levada a cabo contra o último Presidente eleito (em Eleições) DILMA, o Brasil agora nas mãos do ex-vice-de Dilma (após a declaração de impeachment) TEMER, encontra-se neste momento verdadeiramente entregue aos Bichos: com a selva da Amazónia a ser de novo uma das maiores vítimas deste abandono (deliberado e criminoso) da concretização do objetivo de preservação desta grande Reserva Ecológica e Pulmão do Mundo (devendo ser considerado Património da Humanidade), com os políticos a oferecerem-na com contrapartidas aos Bichos (pega lá/dá cá) e com estes como consequência a darem cabo da madeira (como o faz o caruncho, o gorgulho e a broca), a desflorestarem a Amazónia (fazendo desaparecer de uma forma completa e definitiva a floresta) e a substituírem a anterior Selva por terrenos agrícolas (exploração intensiva e com recurso a pesticidas) ou de prospeção mineira (ainda pior dados os produtos químicos perigosos e extremamente tóxicos envolvidos como o mercúrio).

 

1280.jpg

 Tribo de índios de uma remota região da Amazónia

Descoberta há anos e preferindo manter-se isolada

(Gleison Miranda/Funai/EPA)

 

Um processo fazendo-nos de novo recuar ao tempo antigo das ditaduras militares instaladas no Brasil (como em toda a América Latina) em que tudo era possível (para o poder) ‒ até fazer desaparecer pessoas incluindo as residindo fora das cidades, como era o caso de certos aglomerados populacionais como os das tribos da Amazónia ‒ com grandes extensões de terrenos a serem controlados por fazendeiros (os tais coronéis) reduzindo os trabalhadores agrícolas ao estatuto de escravos, ou então face à riqueza mineral do subsolo desta região do Brasil (por exemplo em ouro e estendendo-se por países limítrofes e tendo a selva em comum como o Perú) com garimpeiros e outros exploradores (acompanhados por mercenários bem armados) a lançarem-se pela selva Amazónia dentro e a destruírem (abatendo as árvores), a matarem (abatendo os residentes e indígenas) e a poluírem (todo o ecossistema suporte de vida local, regional mas também Global).

 

“The Brazilian agency charged with protecting nearly a million indigenous people and their extensive reserves is barely functioning after a debilitating assault from a powerful group of conservative politicians and a cost-cutting government.”

(10.07.2017/theguardian.com)

 

960.png.jpg

 Possíveis sinais de mais um ataque de garimpeiros contra os indígenas

Com casas destruídas e queimadas

(Funai)

 

Um sintoma significando o aprofundamento da doença que toda a sociedade brasileira atualmente atravessa, num país desgovernado (e sem Presidente eleito), com a Justiça sem poder (real) para alterar o processo (dada a generalização e banalização da corrupção bem estampada no topo da pirâmide do poder brasileiro), com um mercado sempre perto da bancarrota apesar de toda a sua formidável riqueza (até em petróleo), com os preços a subirem, o desemprego a aumentar e com muitas infraestruturas básicas (saúde, educação, transportes) cada vez mais próximas do colapso (financeiro) ‒ e com todo este conjunto a formar um determinado padrão convidando cada vez mais à prepotência e ao crime (como arma).

 

nintchdbpict000347958273.jpg

 Vale Javari onde terá ocorrido o massacre (de pelo menos 10 índios)

‒ Dos mais de 50 já mortos já registados na primeira metade de 2017

(AFP)

 

Segundo notícias recentes com os crimes a voltarem de novo e em força à região da selva Amazónica (neste caso envolvendo tribos habitando perto de regiões fronteiriças localizadas entre o Brasil e o Perú) com prospetores de ouro no seu caminho através da floresta (na procura do tão precioso metal) a depararem-se com tribos de indígenas opondo-se a esta invasão e ocupação dos seus territórios e simplesmente a matarem (como animais) e a prosseguirem no seu objetivo. Com as vítimas a serem provavelmente elementos integrando uma tribo local (aparentemente incontactável) observada por uma das primeiras vezes em 2014 por um grupo de investigadores: apenas graças à Fundação Nacional do Índio do Brasil conseguindo pôr este caso (do assassinato de membros de uma tribo do Brasil por prospetores de ouro em ação ilegal e clandestina na Amazónia) na agenda dos promotores da Justiça brasileira, dado o desinteresse das autoridades governamentais por tudo o que se passa nessa região (deixando o tempo correr, as vítimas aumentar e a floresta desaparecer). Uma tribo de índios, descoberto há poucos anos por uma equipa de investigadores/estudiosos, preferindo o isolamento, vivendo na região da Amazónia entre o Brasil e o Perú (Vale Javari) e muito provavelmente em conjunto com outros elementos/tribos (fala-se em mais de uma dúzia de tribos) dos dois lados da fronteira (até com possíveis ligações de sangue) sendo atualmente e no seu próprio território (muito dele ainda virgem) invadido, atacado e finalmente assassinado. Com todo o Mundo em silêncio.

 

(imagens: as indicadas em legenda)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:37

[Em Albufeira]

 

Com a estação do Verão a terminar dentro de uma semana (em Portugal como no Hemisfério Norte), prevê-se que de 13 a 20 (de Setembro) em Albufeira as temperaturas máximas e mínimas comecem a descer: com as temperaturas mínimas a andarem entre os 13⁰C/19⁰C e com as máximas a variarem entre os 26⁰C/30⁰C (hoje com as mesmas a registarem variações entre os 19⁰C de mínima e os 30⁰C de máxima).

 

201709131300_msg3_msg_ir_atlan.jpeg

 Satélite MSG3 - Infravermelho - Oceano Atlântico - 13.09.2017 13h

(EUMETSAT/IPMA)

 

Não se prevendo para este período final do Verão qualquer tipo de precipitação (praticamente 0% de probabilidade), com o vento a soprar moderado quase sempre de norte (exceto dia 19/20 sendo S/SE) e (para quem ainda vai para a praia) com os índices de raios ultravioleta a andarem pelos 6/8 UV. Quanto à humidade (relativa) andando aproximadamente pelos 30%/70% sendo o risco de incêndio moderado.

 

Segundo informações recentemente fornecidas pelo IPMA constatando-se relativamente a este Verão de 2017 e em Portugal Continental (abrangendo os meses de Junho, Julho e Agosto):

Ter apresentado temperaturas médias do ar superiores ao normal (para a época) ‒ tempo excecionalmente quente em Junho o mais quente desde 1931;

Ter apresentado precipitação muito inferior ao normal (para a época) ‒ seca meteorológica;

Em função dos dois primeiros itens sendo considerado um Verão quente e extremamente seco ‒ mas apesar de tudo com o território em seca severa e extrema a ter vindo a diminuir ao longo dos três meses (80% - 79% - 60%).

 

Já a nível de fenómenos de carater sismológico (já que Portugal Continental que se saiba não tem nenhum vulcão pelo menos ativo) com o único sismo digno de algum relevo (dada a baixa magnitude sendo por poucos sentido) e verificado na região nas duas últimas semanas a ser: o ocorrido na passada segunda-feira (dia 11 pelas 18:09) a NW de Portimão (a cerca de 20Km de profundidade) com M3.6 (grau 4) e que segundo testemunhos se fez sentir (entre outros locais) na Praia da Rocha.

 

E a 21 de Setembro (no Hemisfério Norte) iniciando-se a estação do Outono.

 

(imagem: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:16

Comprovando as indicações fornecidas pelos cientistas da NASA de que anteontem (segunda-feira, 11) seria contraindicado viajar de avião a altitudes elevadas ‒ dada a chama solar de 10 de Setembro (criada na área ativa 2673) de classe X8 e originando uma CME

 

southpole_strip.jpg

 Gound Level Event

Monitor de Neutrões ‒ Instituto de Pesquisa Bartol ‒ Polo Sul

(10 Setembro 2017)

 

‒ Registou-se (nesse dia 11) um Evento ao nível da superfície (terrestre) com uma nuvem de protões extremamente energéticos, transportados pela CME e dirigindo-se para a Terra, atravessando a atmosfera e atingindo a superfície: atravessando os 150 milhões de quilómetros entre o Sol e a Terra e aproveitando a ligação (electro) magnética existente entre os dois corpos, encontrando o caminho ideal (entre o escudo magnético e o escudo atmosférico) até atingir o solo ‒ localizando-se na Antártica e no Ártico esse Evento ao nível da superfície (devido às menores latitudes/proporcionando uma menor proteção) com os detetores de neutrões instalados nos dois polos a assinalarem um aumento de partículas (significativo) tocando a crosta terrestre. Pelo que nesse dia principalmente a altitudes elevadas e especialmente a baixas latitudes, ter sido desaconselhável voar para todos os grupos de humanos e ainda mais para os específicos (como será o caso das gravidas). Num Evento (GLE ‒ Ground Level Event) a nível da superfície terrestre, relativamente pequeno se comparado com o de referência (o maior Evento medido desde 1942): o extremamente intenso Evento a nível da superfície terrestre registado em 23 de Fevereiro de 1956. E no entanto alertando-nos que mesmo atravessando um período de baixa atividade (do seu ciclo) o Sol pode sempre surpreender.

 

(imagem: spaceweather.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:18
tags: , ,

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16

18



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO