Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

25
Set 17

Com um Míssil Interplanetário Armado de Ogivas Nucleares

(os Alienígenas que se cuidem)

 

Com alguns Conspiradores e tal como acontece todos os anos (sobretudo depois do Verão considerada a Estação Idiota) a anunciarem mais uma vez o Fim-do-Mundo ‒ agora a 23 de Setembro (e de uma forma ou de outra provocado pelo Planeta X) ‒ não se tendo verificado o mesmo (também mais uma vez) e teimosamente e mais uma vez sem pensar (só reagindo inconscientemente) não será o Planeta X (ou Nibiru) a matar mas o Grande Líder Kim a salvar-nos destruindo o Planeta Invasor (salvando-nos a todos e à Terra).

 

earth-1773943_1920-640x411.jpg

 Planeta X

 

Os teóricos da Conspiração têm como os seus três maiores problemas ‒ que sistematicamente os têm lançado para a marginalidade da sociedade e do conhecimento científico ‒ o seu constante estado de desespero e a sua necessidade em acreditar (perdida a esperança, qualquer coisa que seja), a sua ingenuidade e impreparação política levando-os a dizer coisas que mesmo podendo ser verdades nunca devem ser ditas (na realidade e na prática não interessando a Verdade mas os Direitos Adquiridos) e a sua incapacidade em reconhecer os seus erros (constatados e confirmados) repetindo os mesmos processos (como uma criança fazendo uma birra face a um adulto) irrefletida e indefinidamente ‒ e por tal motivo não lhes sendo dado grande credibilidade (na esmagadora maioria dos casos mas não em todos) mas por vezes ainda nos fazendo (valha-nos isso) sorrir.

 

Kim Jong-Un May Be Planning to Nuke Planet X

(Paul Seaburn/22.09.2017/mysteriousuniverse.org)

 

kim-640x479.jpg

Kim Jong-Un

 

No Evento aqui em exposição envolvendo diretamente o Líder KIM (da Coreia do Norte), o seu Míssil/Bomba (equipado com armas químicas ou nucleares) e o Planeta X (ou Nibiru) ‒ e envolvendo indiretamente o novo subalterno do Complexo Militar o 45º Presidente Norte-Americano ocupando no presente a Casa Branca (por ter aparentemente acesso à Mala de Cartão Atómica, se os Outros o deixarem “brincar” ás guerras) de nome Donald ‒  com uma nova fonte contrariando tudo o que se tem afirmado nos últimos tempos (dias, meses e até anos) podendo-nos deixar na dúvida (existencial) se KIM é mesmo MAU (como o afirmam até à exaustão os Democratas referindo-se ao seu 45ª Presidente) ou se não será pelo contrário mesmo BOM (tudo sendo relativo e desse modo recordando que se Donald é mesmo Mau, Hillary seria certamente Muito Pior).

 

Rocket Man might actually be preparations to execute his grand plan to save, not destroy, the world as we know it … saved from doom by the most unlikely hero … Kim Jong-Un!

(Paul Seaburn/22.09.2017/mysteriousuniverse.org)

 

Nord_korea_missil-640x480.jpg

 Mísseis

 

Segundo um artigo publicado este mês de Setembro por Paul Seaburn no Site Mysterious Universe, com as verdadeiras intenções do líder norte-coreano (Kim Jong-Un) a não serem aquelas propaladas incessantemente pelos EUA um pouco por todo o Mundo (e postas na boca de Donald por um ventríloquo habilitado certamente que não Russo mas norte-americano) ‒ e apenas utilizada retoricamente pelo líder em simples autodefesa ‒ mas apenas mais uma tentativa levada a cabo pelo Grande Líder Kim em nome de toda a Terra (e de todos os seres vivos que a habitam como por exemplo o Homem), tentando-a (nos) salvar de um futuro impacto (ou sabe-se lá se habitado de uma possível Invasão) tendo como protagonista (e abalroador/destruidor) o Planeta X.

 

(alguns dados e imagens retirados de artigo de: Paul Seaburn/mysteriousuniverse.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:02

Final ‒ Yushan ‒ China

24.09.2017

 

Ding_Junhui_Trophy.jpg

 

DING JUNHUI (CHI) ‒ 10

KYREN WILSON (ING) ‒ 3

 

Concluiu-se este domingo (dia 24) a 5ª prova do Circuito Mundial (época 2017/18) contando para o Ranking (RM): com a vitória concludente do chinês Ding Junhui sobre o inglês Kyren Wilson (10-3).

 

À 5ª prova oficial disputada este ano (contando para o RM) e graças à conquista do Yushan World Open (de 2017) com o chinês Ding Junhui a chegar à Vice-Liderança do Ranking, logo atrás do inglês Mark Selby (sempre 1º) e ultrapassando o escocês John Higgins (agora 3º).

 

5 Provas contando para o RM com 5 vencedores diferentes (Ryan Day/GAL, Luca Brecel/BEL, Michael White/GAL, John Higgins/ESC e Ding Junhui/CHI), o mesmo sucedendo com as 3 provas realizadas por convite (não contando para o RM) também com outros 3 vencedores diferentes (Neil Robertson/AUS, Kyren Wilson/GB e Mark Williams/GAL).

 

Fase

Sessão

J

Fr

J

F

Ding

Junhui

1-0; 1-1; 2-1; 3-1; 4-1; 5-1; 6-1; 6-2; 6-3

Kyren

Wilson

F

(CHI)

2ºRM

7-3;

8-3;

9-3;

10-3

 

 

(ING)

15ºRM

(J: Jogador Fr: Frame F: Final)

 

Com o maior destaque até ao momento e já com 8 provas (individuais) disputadas, a ser o desaparecimento momentâneo do inglês Judd Trump (já tendo descido de 2º para 3ºRM) da fase final das provas do circuito (por ausência ou por eliminação precoce), mas sobretudo e pelo impacto (da surpresa) o péssimo trajeto do inglês Mark Selby (1ºRM) desde o início da época: afinal de contas além de líder do Ranking sendo o atual Campeão do Mundo.

 

E no meio disto tudo ainda se podendo salientar o inglês Shaun Murphy (5ºRM), o único jogador a estar presente em 2 finais do circuito contando para o RM (num total de 5 provas e 5 finais). Para já com o belga Luca Brecel (já 12ºRM) a ser de todos (os jogadores) o mais produtivo (2 resultados relevantes) com uma final ganha e a presença noutra Meia-Final.

 

Seguindo-se agora (no decorrer do período compreendido entre os finais de Setembro e o início de Novembro) 1 prova de Qualificação, 2 provas para o RM (Masters Europeu a disputar na Bélgica e Open de Inglaterra) e terminando com 1 outra prova de novo de Qualificação. No Masters Europeu e no Open de Inglaterra com o inglês Judd Trump e o chinês Liang Wenbo (respetivamente) a tentarem defender o troféu (conquistado em 2016/17).

 

(imagem: thesportsman.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:51

24
Set 17

[No Hemisfério Norte]

 

Equinócio de Outono

(22 de Setembro de 2017)

 

“Momento exato que marca o início do Outono, em que o Sol incide com maior intensidade sobre as regiões, que estão localizadas próximo à linha do Equador.”

(significados.com.br)

 

equinocio-de-outono.jpg

 

No passado dia 22 de Setembro (sexta-feira) deu-se o Equinócio do Outono (no Hemisfério Norte) que se prolongará por cerca de três meses até ao dia 21 de Dezembro (altura em decorrerá o Solstício de Inverno) ‒ como se diz popularmente data em que “a duração do dia é igual à duração da noite”. Tudo tendo a ver no fundo (e devido ao movimento de translação da Terra em torno do Sol) com a intensidade com que os raios (solares) atingem a superfície terrestre ‒ com os dias a tornarem-se mais curtos comparativamente com as noites. Assim como com o movimento de rotação da Terra (dando origem aos dias e às noites) e com a inclinação do seu eixo (virtual), fazendo incidir os raios (do Sol) mais ou menos obliquamente.

 

Mudança da Hora

(29 de Outubro de 2017)

 

“A hora é uma unidade de medida de tempo que tem por base a velocidade de rotação e as dimensões da Terra.”

(wikipedia.org)

 

10494105554_4f6ddf1d4f.jpg

 

E como uma das consequências mais visíveis para esta sucessão infindável de Estações (Verão/Outona/Inverno/Primavera) e de Equinócios/Solstícios (2/2) temos a Mudança da Hora duas vezes por ano: em Portugal neste ano de 2017 e depois de já termos adiantado a hora no dia 26 de Março (60’) ‒ no seguimento do Equinócio da Primavera ‒ atrasando-se a hora a 29 de Outubro (60’) das 02:00 passando à 01.00. Nesse sábado para domingo do dia 29 de Outubro (de madrugada), podendo-se usufruir de mais tempo para dormir e descansar. Num ano de 2017 (em Portugal e a nível meteorológico) tendo sido caracterizado como um Verão quente e extremamente seco (o 6º mais quente e o 3º mais seco desde o início do século XXI), especialmente quente em Junho o 3º mais quente desde há 86 anos (fonte: ipma.pt). E no resto do Mundo com um mês cada vez mais quente relativamente ao seu homólogo (anterior), o mesmo acontecendo com os anos com as temperaturas sempre a crescer.

 

(imagens: calendar.com e narrativadiaria.blogs.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:58

No que poderia ser um discurso escrito por um Democrata atacando o Presidente (Donald Trump) ou então sendo redigido pelo seu grande inimigo (e republicano) o senador John McCain (herói norte-americano) ‒ na sua estratégia Anti-Trump apoiando o Obamacare (ao não deixar passar a proposta Presidencial, em princípio a do seu partido):

 

Ri-Yong-Ho.jpg

 Ri Yong Ho

Ministro dos Estrangeiros da Coreia do Norte

Durante a sua intervenção na Assembleia Geral da ONU

(23 Setembro 2017)

 

“The absurd reality that the person like Trump, a mentally deranged person full of megalomania and complacency, the person who is chastised even by American people as "Commander in Grief, "Lyin King", "President Evil"is holding the seat of the U.S. President, and the dangerous reality that the gambler who grew old using threats, frauds and all other schemes to acquire a patch of land holds the nuclear button; these are what constitute the gravest threat to the international peace and security today.”

(Ri Yong Ho ‒ Ministro dos Negócios Estrangeiros da Republica Democrática e Popular da Coreia ‒ Discurso de 23.09.2017 na Assembleia-Geral da ONU)

 

Enquanto prossegue a 1ª Temporada da série DONALD VS. KIM com o seu desenvolvimento a ser divulgado na esmagadora maioria dos Média (como se fosse uma telenovela), as ações e reações aumentam entre os dois protagonistas: chefes imprevisíveis e com o dedo fácil no botão (pelo menos pelo que dizem os seus respetivos adversários), um expondo-se na América (como maior potência Global) o outro escondendo-se na Ásia (e sendo do Terceiro-Mundo). Os dois tendo a capacidade de se assim o entenderem recorrerem à arma final (a Bomba Nuclear) enviando cada um deles mísseis em direção um ao outro (o adversário e inimigo) incluindo os seus aliados: por um lado com Donald Trump a atacar (com palavras) a Coreia do Norte ameaçando destrui-la completamente (e ao mesmo tempo alertando-a sinalizando a China) e por outro lado com Kim Jong un e os seus mísseis (com armas químicas ou nucleares) a apontarem para a Coreia do Sul, o Japão e até Guam (território norte-americano localizado no Pacífico) ‒ ameaçando-nos a todos e por contágio de ainda usufruirmos em vida de um Evento ao Nível da Extinção. Para já tudo continuando e como é habitual há muitos anos (e com muitos Presidentes norte-americanos Democratas ou Republicanos incluídos) na mesma, apenas sendo de relevar a secura dos discursos (improdutivos e extremamente perigosos) e a personalidade dos dois líderes (aparentemente explosiva).

 

trump-vs-kim-1.jpg

 

Como seria de esperar numa evolução necessariamente tranquila num cenário pré-existente (e muito pouco alterado nas suas características originais de projeção desse modo evitando surpresas), em que o centro do poder se encontra centralizado num conjunto de corporações juntando Armas (Complexo Militar), Finanças e Impressoras (as forças vivas da terra e as mentes brilhantes ou iluminadas, desde que devidamente certificadas ‒ como o caso dos políticos e dos “falsificadores”): até hoje e já no seu 45º Presidente (dos EUA) sem nenhum deles a se conseguir opor ao Omnipotente Poder Paralelo, sobretudo ao poderosíssimo Complexo Militar. E assim com muitas Armas (Quarteis e Militares) e outros tantos Canudos (Universidades e Civis) controlando-se todo o Mundo com muito medo (de uma bala perdida) e ainda com muita ignorância (transmitida pelo dito erudito).

 

(imagem: internationalpress.jp e The Daily Toon/Mark Linch/ brian.carnell.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:48

[Como visto pela NASA a 17 e a 19 de Setembro e ainda ativo a 24 ‒ de momento com ventos máximos de 185Km/h, deslocando-se a uma V = 14,5Km/h e decrescendo de intensidade passando brevemente a tempestade tropical.]

 

PIA21960_modest.jpg

 1

O furacão MARIA visto pelo satélite SMAP

PIA 21960

 

O furacão MARIA representado graficamente por técnicos da NASA responsáveis pela missão definida para o satélite SMAP (satélite de estudo do ambiente terrestre), quando da sua passagem a 19 de Setembro de 2017 (pelas 10:27 UTC) sobre território sob jurisdição norte-americana a ilha de Porto Rico (localizada no Mar das Caraíbas, oceano Atlântico).

 

Na altura da sua passagem sobre a ilha de Porto Rico e sendo considerado um furacão de Categoria 5 (a mais elevada) ‒ e apesar das condições extremamente adversas prejudicando observações e registos ‒ com o instrumento de medida instalado no satélite SMAP (um radiômetro) a registar uma velocidade máxima (estimada) superior a 200Km/h.

 

PIA21961.jpg

 2

Estrutura de nuvens do furacão MARIA

PIA 21961

 

Dias antes (17 de Setembro pelas 17:23 UTC) e com a tempestade originada no Atlântico a passar à categoria de furacão, com as previsões a apontarem desde logo para ventos intensos (acima dos 120Km/s) e uma pressão atmosférica mínima de 986 milibares. E com o furacão MARIA a revelar-nos a sua extensão (altitude) uns 18Km da base ao topo.

 

Na imagem (2) com as áreas colorida a branco/sujo (como uma espiral) a indicar a existência de nuvens a altitudes de 15Km (ou superior) carregadas de água suspensa e bem alta na atmosfera; e na imagem (1) com o centro bem perto da costa e ventos a mais de 200 (sugando a água e despejando-a depois), sugerindo destruição em torno do olho-do-furacão.

 

(dados e imagens: photojournal.jpl.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 05:22

Olhando para o que se passa no MUNDO um pouco por todo o lado, podemos facilmente constatar que uma das regiões da Terra mais citada nos Média nos últimos tempos ‒ a nível de METEOROLOGIA e de ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ‒ tem sido o continente AMERICANO: abstendo-nos de comentar os acontecimentos de carater ARTIFICIAL criados pelo Homem e podendo-nos transportar a curto-prazo para cenários catastróficos (como aquele inserindo como protagonistas KIM e DONALD e até provocando ondas sísmicas), tendo a América nestes últimos dias a maior quota-parte dos desastres NATURAIS (provavelmente por intensamente espremidos ‒ pelos média ‒ face a outras regiões do Mundo não associado aos EUA) sendo submetida a FURACÕES (EUA, México e região das Caraíbas), SISMOS, TSUNAMIS e até ERUPÇÕES (México).

 

mexico-city-12.jpg

 Cidade do México

Sismo M7.1 a 1 Km ESE de Ayutla

19 Setembro 2017

(Um desastre natural com epicentro a 50Km de profundidade, colapsando edifícios e com as vítimas mortais a poderem ultrapassar as 300)

 

Na costa oriental (oceano ATLÂNTICO) atravessando-se neste momento a ÉPOCA dos FURACÕES (de 1 de Junho a 30 de Novembro com o seu pico máximo a registar-se entre meio de Agosto e os finais de Outubro), com uns sucedendo-se aos outros nem sequer dando tempo para respirar e apontando sempre o seu rumo (e alvo) para as mesmas regiões já tão destruídas e terraplanadas (pelas rajadas de VENTO ultrapassando os 250Km/h assim como pela violenta e intensa precipitação) ‒ tendo à frente o furacão HARVEY (atingindo o TEXAS) e o furacão IRMA (atingindo a FLÓRIDA).

 

Já no caso da costa ocidental (oceano PACÍFICO) e de novo submetendo o MÉXICO, com outros Eventos tão graves como os registados a este (mais destruição do que mortes) mas agora com outros fenómenos (naturais) mas a nível geológico: com SISMOS (TSUNAMIS e outras deslocações de águas) e até com VULCÕES (e já agora recordando ainda do lado oriental o furacão atingindo o México neste caso o KATIA). Ainda hoje sábado (dia 23) com o número de vítima mortais como consequência do último sismo atingindo o México com uma intensidade de M7.1 a atingir praticamente as TRÊS CENTENAS (> 300 e podendo ainda aumentar), mas felizmente sem mais nenhum acontecimento de relevo a reportar e com o vulcão (POPOCATEPETL) para já mais sossegado.

 

Mas por outro lado, um pouco mais a leste e a Sul e de novo no Atlântico, com outras notícias interessantes a chegarem ao conhecimento público, como a da barragem de PORTO RICO (e o perigo de COLAPSAR) e da recessão de águas (oceânica e temporária) no BRASIL ‒ talvez como uma consequência de todas as TEMPESTADES (meteorológicas e geológicas e já agora solares) e do AQUECIMENTO GLOBAL (Natural e Artificial):

 

guajataca-dam-failure-puerto-rico-september-2017.j

 Porto Rico

Barragem de Guajataca

22 Setembro 2017

(com a albufeira em riscos de extravasar os seus limites físicos de armazenamento e com o volume do caudal de água erodindo violentamente as suas margens)

 

No caso de PORTO RICO (um território dos EUA) e na sequência da passagem dos 2 furacões originados no Atlântico (inicialmente o Irma e de seguida o Maria) ‒ com rajadas de vento fortíssimas e precipitação extremamente elevada ‒ com um alerta de nível máximo para uma possível catástrofe (nos municípios de ISABELA e de QUEBRADILHAS) dada a possibilidade eminente do colapso de uma barragem: provocando uma grande inundação para todos os níveis inferiores, em volta de GUAJATACA (o nome do lugar da barragem);

 

Tendo como consequência para já e devido ao extravasamento indesejado das águas sustidas na albufeira ‒ rapidamente erodindo alicerces laterais, enfraquecendo-os e podendo colapsar os terrenos em redor e em cadeia ‒ o aumento abrupto do caudal do rio (Guajataca), inundações ao longo das suas margens (até à foz) e caso se dê o COLAPSO FINAL (das infraestruturas da barragem) uma torrente incontrolada de água (de lama e de outros detritos) correndo rápido para a costa e percorrendo o trajeto em menos de 12 horas. Aconselhando-se a FUGA (de pessoas e animais) para lugares de topografia ELEVADA;

 

guaratuba-ocean-receding-event-september-21-2017-b

 Brasil

Guaratuba ‒ estado do Paranã

21 Setembro 2017

(com a recessão temporária das águas do oceano Atlântico a ser explicada

 

Já no que diz respeito ao BRASIL e à RECESSÃO das águas verificadas recentemente na sua costa (tendo o Atlântico como vizinho e como companhia) com o fenómeno a ser explicado por uma conjugação de vários fatores, entre eles incluindo (os mais importantes) VENTOS intensos (impulsionando as ondas para longe da costa), a persistente presença de um ANTICICLONE no Brasil (o ASAS) mantendo as pressões (atmosféricas) elevadas (lembram-se do anticiclone dos Açores no cálculo das previsões meteorológicas?) e as FASES da LUA influenciando as marés ‒ e denominada como a “MARÉ SECA”; no nosso país irmão localizado do outro lado do mar com a observação a ser feita e testemunhada (vendo-se os seus efeitos) em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Paranã, Santa Catarina e São Paulo. Com as águas a IREM e a REGRESSAREM.

 

Como sempre e só para alguns com estas explicações a não serem suficientes, com teorias (ALTERNATIVAS) sobre o desaparecimento das águas (do oceano) a apontarem para CONSPIRAÇÕES e eventos APOCALÍPTICOS (ou pelo menos sinais e avisos) e naturalmente causando o PÂNICO (na população local) entre tantos rumores e boatos explorados até à exaustão: chegando-se ao ponto de transformar um fenómeno natural sem qualquer tipo de consequências negativas (a recessão inicial da água do mar) num outro mas GRAVE EVENTO, causado por um TSUNAMI (na sequência de um tremor de terra) e indo atingir a costa ‒ um rumor pondo todo o mundo a FUGIR (de pânico) incluindo TURISTAS e respetivas carteiras (e lá se vai o turismo).

 

(imagens: independente.co.uk e watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:37

23
Set 17

Um retrato de Marte na estação de Inverno

 

Desde 25 de Janeiro de 2004 movimentando-se na superfície de Marte (neste momento a mais de 380 milhões de Km da Terra), o ROVER OPPORTUNITY prossegue o seu rumo tendo como objetivo a observação e o estudo do planeta: em praticamente 162 meses (13 anos e 8 meses) tendo percorrido pouco mais de 45Km (cerca de 9 metros/dia).

 

1M559369658EFFD0AKP2956M2M1.JPG

 Marte ‒ Superfície marciana

Opportunity Rover ‒ Sol 4867

 

A 23 de Setembro de 2017 e num momento em que na região (marciana) onde o ROVER OPPORTUNITY se encontra se atravessa a Estação do Inverno, com o veículo da NASA a reduzir significativamente a sua atividade (fazendo pouca ou nenhuma ciência neste período de poupança energética) dedicando-se à observação, vigilância e registo.

 

Continuando a exploração de Marte durante a estação do Inverno enquanto percorre a superfície a oeste da cratera de ENDEAVOUR (Esforçar-se), vigiando (simultaneamente) o vale de PERSEVERANCE (Perseverança): esperando a passagem da estação para recarregar baterias. Enviando-nos imagens alienígenas (amostras do solo) usando máquinas terrestres (fotográficas).

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:39

DING JUNHUI/CHI (4ºRM) ‒ KYREN WILSON/ING (13ºRM)

(dia 24 a partir das 07:00 de Lisboa com transmissão direta no Eurosport 2)

 

maxresdefault 1.jpg

 Ding Junhui e Kyren Wilson

(aqui na 1ª ronda do Masters Dafabet)

 

Disputando-se amanhã (Domingo, 24) a partir das 14:30 a 1ª sessão (a 2ª sessão iniciando-se pelas 19:30) da Final do OPEN MUNDIAL de YUSHAN (por volta das 07:30 e das 12:30 locais), foi este o trajeto percorrido pelos dois jogadores apurados para a Final desta prova (disputada na China e sendo a 5ª da época contando para o RM):

 

 Fase

DING JUNHUI

J

N

RM

KYREN WILSON

J

N

RM

Q

5-1

Hammad Miah

ING

71

5-1

Thor

Leong

MAL

88

1ª R

5-3

Zhang Anda

CHI

66

VFC

Hossein Vafaei

IRA

59

2ªR

5-0

Xiao Guodong

CHI

39

5-3

Michael Holt

ING

25

3ªR

5-1

Joe

Perry

ING

24

5-3

Thepchaiya Un-Nooh

TAI

41

QF

5-3

Li

Hang

CHI

46

5-1

Mark Williams

GAL

17

MF

1-0; 1-1

2-1; 3-1

3-2; 3-3

4-3;5-3

5-4;

6-4

Luca Brecel

BEL

15

0-1; 1-1

2-1; 2-2

2-3; 3-3

4-3; 4-4

5-4; 5-5

6-5

Mark

Allen

NIRL

11

Percurso dos 2 jogadores

(até se atingir a Final)

 

No confronto direto entre estes dois jogadores (neste momento com o chinês Ding Junhui sendo provisoriamente o 3ºRM) com as 2 últimas partidas disputadas entre ambos (todas este ano), num caso a ser ganho por Ding Junhui (na 1ª ronda do Masters Dafabet por 5-3) e no outro por Kyren Wilson (na Qualificação do Open da China por 5-1).

 

RM

J

N

£ (milhares)

RM

J

N

£ (milhares)

1

Mark

Selby

ING

1303

6

Marco

Fu

HK

406

2

John

Higgins

ESC

585

7

Barry Hawkins

ING

387

3

Ding

Junhui

CHI

580

8

Neil Robertson

AUS

375

4

Judd

Trump

ING

496

9

Mark

Allen

IRLN

328

5

Shaun Murphy

ING

433

10

Ronnie O’Sullivan

ING

316

Ranking Mundial

(provisório)

 

Na tabela do RM e tendo em consideração o prémio atribuído ao vencedor da prova (150.000£), caso o inglês Kyren Wilson vença passando a 9ºRM e (pelo contrário) caso vença o chinês Ding Junhui passando a 2ºRM. E com a maior tacada registada até ao momento e ultrapassando os 100 pontos, a pertencer ao chinês Li Hang com 143 pontos.

 

(imagem: Snooker Planet/youtube.com/bbc.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:28

22
Set 17

“New Study Indicates that Planet 9 Likely Formed in the Solar System”

(Matt Williams/universetoday.com)

 

Planet_nine_artistic_plain-700x432.jpg

 1

Ilustração do Planeta 9

Bloqueando a Via Láctea

 

Entre tantas e tantas teorias atualmente ao nosso dispor sobre as condições de formação e de constituição do Sistema Solar (pertencendo á galáxia Via Láctea), uma das mais faladas e discutidas até pela proximidade dos diferentes elementos integrantes (como planetas, luas, cometas e asteroides, entre outros), dirige-se ao número de planetas (e outros corpos celestes semelhantes) tendo o Sol como estrela de referência: desde os planetas principais (interiores e exteriores ao Cinturão de Asteroides), passando pelos objetos trans-neptunianos (como Sedna) e chegando aos planetas mais longínquos como poderá ser eventualmente o (fig. 1) Planeta 9 (no tempo de Plutão sendo o 9º e último planeta ‒ entretanto despromovido ‒ sendo então atribuído ao Planeta 9 o nome de Planeta X). Deixando-nos a forte impressão de que por mais que o limitemos (teoricamente e ao Sistema Solar) na prática nada tem fim (nem origem), com o mesmo sucedendo no Espaço quando aí se interpõe o Tempo ‒ desde o Sol (em profundidade) ao seu Sistema, passando pela galáxia e estendendo-se ao Universo.

 

Planet_Nine_animation.ogv.480p 1.jpgPlanet_Nine_animation.ogv.480p 2.jpg

 2/3

Planetas terrestres (Interiores) e planetas gigantes (Exteriores)

Formando o Sistema Solar com os seus 8 planetas (principais) atuais

 

Um planeta anteriormente já falado e sugerido como pertencendo ao Sistema Solar (ou periodicamente e vindo de lugares longínquos do Espaço, atravessando-o), repetidamente citado em fontes históricas de Sociedades (organizadas, cultas e com memória) e Civilizações (como a dos Sumérios) existentes sobre a superfície da Terra no passado (com alguns a sugerirem mesmo um possível contacto com outras Civilizações Extraterrestres) ‒ deixando-nos a pensar se existindo um Mundo de base Mineral, podendo este fator ser um indicativo da possibilidade da existência de um outro Mundo complementar o Mundo Orgânico ‒ dada a sua orbita elíptica bastante aberta, afastando-o no seu trajeto em torno do Sol (a enormes distâncias comparadas com as do planetas principais) e com um período orbital de uns 3600 anos: por muitos denominado diferentemente, por outros mais conhecido como Décimo Planeta (ou Planeta X), mas hoje em dia ainda descredibilizado (2017) mesmo que recentemente substituído pelo Planeta 9 (com algum cuidado em 2014/pelos astrónomos Trujillo e Sheppard e mais assumidamente em 2016/pelos astrónomos Brown e Batygin).

 

Agora (meados de Setembro de 2017) após a publicação de um novo estudo (5 Setembro 2017) sobre o hipotético Planeta 9 sugerido em 2016 ‒ Was Planet 9 captured in the Sun’s natal star-forming region?” (Parker-Lichtenberg-Quanz/MNRAS/arxiv.org) ‒ voltando-se de novo a falar do planeta desconhecido (seja nove ou seja dez ou outra simbologia qualquer) sobretudo pelos teóricos do outro lado da Conspiração (no fundo aqueles que não fazem a mínima ideia do que se passa, apesar de sentirem algo estar a acontecer): com o Planeta 9 (ou X) a colidir com a Terra a 23 de Setembro (no próximo sábado) acontecendo o Apocalipse e o previsível Fim-do-Mundo ‒ e como não poderia deixar de ser com as maiores consequências a ocorrerem nos EUA (no presente e ainda o centro mundial do poder) com o despertar de Yellowstone (o Supervulcão norte-americano) e a fratura do continente em dois (da América do Norte). E se um asteroide é perigoso (havendo impacto) ‒ e que o digam os Dinossauros ‒ o que não representará um planeta?

 

Planet_Nine_animation.ogv.480p 3.jpgPlanet_Nine_animation.ogv.480p 4.jpg

 4/5

Seis objetos circulando para além da órbita de Neptuno e possível Planeta 9

Tomando Sedna como comparação (a  700 UA de distância) com o Sistema Solar a ter 2.000 UA de diâmetro

 

Na ainda curta História deste Nono Planeta (tendo ainda que ultrapassar o conjunto numeroso de histórias envolvendo o Planeta X) localizado na Via Láctea, com muitas hipóteses a surgirem para a sua existência, umas mais inverosímeis outras nem tanto assim: e com as mais credíveis eventualmente aceites pelos cientistas (tendo os astrónomos como autoridades) a serem a de se ter formado perto do Sol movendo-se (posteriormente) para as extremidades do Sistema (Solar) ou então sendo um exo planeta na sua trajetória capturado pelo Sol e de seguida abandonando tal região do Espaço (dedicado ao Sistema Solar). Numa órbita em tudo idêntico aos dos seis objetos trasnsneptunianos (numa elítica bem aberta e conforme a fig. 4/5), orbitando para além de Neptuno todos na mesma direção, ao contrário da do planeta (9 ou 10 como quiserem). Um planeta a existir sendo 10X mais maciço que a Terra, com 2 a 4 vezes o tamanho desta, localizado a cerca de 700UA (1 UA = 150 milhões de Km) de nós e tendo uma órbita elítica bem aberta, demorando cerca de 10.000/20.000 a cumpri-la (como os mais longínquos objetos do Cinturão de Kuiper).

 

(imagens: 1 ESO/Tomruen/nagualdesign ‒ 2/3/4/5 wikimedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

Com 5 provas já disputadas contando para o RM (faltando concluir a última) 3 no continente asiático (China 2 e Índia 1), 2 na Europa (Letónia e Alemanha) e 0 nas Ilhas (Britânicas e incluindo ainda a Irlanda) ‒ antes de chegar às Ilhas o Circuito Mundial de Snooker (e as provas do RM), o mesmo ainda passará (o Circuito) pela Bélgica (Masters Europeu de 2/8 de Outubro) antes de chegar (finalmente) a Inglaterra (Open de Inglaterra de 16/22 de Outubro): para a disputa daquela que será a 7ª prova contando para o RM (2017/18).

 

JUNHUI.jpgALLEN.jpg

 Ding Junhui e Mark Allen

 

Chegados às MF do YUSHAN WORLD OPEN (versão 2017/18) são 4 os jogadores que irão disputar a presença na Final da prova (a 5ª a contar para o RM): KYREN WILSON (ING), MARK ALLEN (IRLN), LUCA BRECEL (BEL) e DING JUNHUI (CHI). Nos QF verificando-se os seguintes resultados:

 

Fase

J1

N/RM

J2

N/RM

R

F

QF

Kyren

Wilson

(a)

 

ING/13

Mark Williams

GAL/17

0-1; 1-1; 2-1; 3-1; 4-1;

5-1

8

QF

Mark

Allen

 

 

NIRL/11

David

Gilbert

ING/19

1-0; 2-0; 3-0; 3-1; 4-1;

5-1

9

QF

Luca

Brecel

 

BEL/15

Anthony

McGill

ESC/18

0-1; 1-1; 2-1; 3-1; 4-1; 4-2; 4-3; 4-4; 5-4

17

QF

Ding

Junhui

 

CHI/4

Li Hang

CHI/46

0-1; 1-1; 1-2; 1-3; 2-3; 3-3; 4-3;

5-3

8

(QF: Quartos-de-Final - J: Jogador - N/RM: Nacionalidade/Ranking Mundial - R: Resultado - F: Frames perdidos pelo jogador apurado - a: menos uma partida disputada)

 

maxresdefault.jpgbrecel.jpg

 Kyren Wilson e Luca Brecel

 

Com cada um dos 4 jogadores apurados para as MF a terem já acrescentado 32.000 pontos na sua contabilidade para a ordenação da tabela do RM (e claro 32.000£), chegando à F podendo esse pecúlio passar a 75.000 pontos (ou libras) e vencendo-a atingindo os 150.000 ‒ mais de 170.000€.

 

Para as Meias-Finais a decorrerem neste próximo sábado (dia 23) estando já definidas as 2 partidas que irão definir quais os 2 finalistas (envolvendo 4 jogadores de origens diferentes):

 

Fase

J

N

RM

J

N

RM

MF

LUCA

BRECEL

BEL

15

DING

JUNHUI

CHI

4

MF

KYREN

WILSON

ING

13

MARK

ALLEN

NIRL

11

(MF: Meia-Final)

 

E concluídos estes QF do Yushan World Open com os resultados até agora registados (ao fim do dia 22 e restando apenas 3 partidas para a conclusão da prova) a repercutirem-se na ordenação da tabela do RM: destacando-se entre as mudanças mais relevantes (sobretudo entre os vinte primeiros do RM) e logicamente entre os mais beneficiados (subindo no ranking), o chinês Ding Junhui (já 3º) podendo atingir o 2ºRM, o norte-irlandês Mark Allen (já 9º) podendo atingir o 5ºRM e o belga Luca Brecel (já 12ª) podendo atingir o 6ºRM.

 

Com o belga LUCA BRECEL (sejam quais forem os resultados das MF e F) a continuar nesta época de 2017/18 a ser o mais produtivo, (para já) com uma vitória (Evergrande China Championship) e outra presença numa meia-final (Yushan World Open) ‒ em duas provas do circuito (mundial) contando para o ranking.

 

(imagens: sina.com/AMMAZING SNOOKERS/youtube.com/Snooker VideoHub/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:06

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16

18



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO