Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Out 17

Para já e inesperadamente (vistas as causas e as consequências) sem notícias sobre uma possível intervenção do Kremlin (e de Vladimir Putin) na manipulação Independentista (Eleições e Referendo) do povo da Catalunha. Colocando-se desde logo a questão (por Segurança e Proteção): “Mas onde estão os argumentistas da Eminente Invasão Russa (de que a Europa é um exemplar Clone), nem sequer se pronunciando sobre o ocorrido na Catalunha”?

 

Da Barafunda Económico/Financeira e Ideológica, instalada nesta Região Autónoma de Espanha. De momento com Barcelona passando o testemunho a Madrid (vamos lá dialogar) e com Madrid perguntando (provocatoriamente e julgando-se por cima) se ainda sendo de Espanha ou já estando fora dela (Barcelona e a Região Autónoma) ‒ e em caso afirmativo (confirmando-se o SIM) com o Governo de Madrid passando de imediato à ação (reimpondo a legalidade e enchendo as prisões). Contando-se agora os dias para uma nova previsão, com o Governo Central tentando esmagar o Local: e com o Povo como é hábito a ser (O Suspeito do Costume) a vítima de todas as agressões.

 

img_797x530$2017_10_01_09_25_51_257007.jpg

Referendo na Catalunha

Manifestações contra a intervenção policial imposta pelo Governo central de Madrid

(com assinatura PP desde sempre um dos grandes inimigos da Independência da Catalunha)

 

Quem ainda esperava que no dia 10 de Outubro de 2017 o Presidente da Comunidade Autónoma da CATALUNHA Carles PUIGDEMONT declara-se no Parlamento da Catalunha a INDEPENDÊNCIA desta Região Autónoma de ESPANHA, certamente que se sentiu desiludido ‒ se não mesmo completamente TRAÍDO ‒ com a SUSPENÇÃO da declaração e o pedido de regresso ao diálogo solicitado pelo Presidente da Catalunha: um diálogo (até hoje) não tendo levado este conflito a lado nenhum e colocando frente-a-frente duas das mais importantes comunidades de Espanha, com uma delas centradas em MADRID (para Barcelona o símbolo do poder central em Espanha) e com a outra em BARCELONA (o símbolo de resistência a esse poder absoluto e asfixiante da capital de momento referenciado ao PP, à direita e ao Conservadorismo reminiscente herdado do período Franquista).

 

Resultados do Referendo de 1 de Outubro de 2017

 

OPÇÃO

VOTOS

%

Eleitores

5 313 564

100

Votantes

2 286 217

43

SIM

2 044 038

90

NÃO

177 547

8

Brancos/Nulos

64 632

2

Total de Catalões

7 523 000

-

Com o Referendo a ser apoiado pelo JxSI (numa mistura ideológica alargada)

E pelo CUP uma representação do Podemos (de Esquerda)

 

Curiosamente (emitidas) depois de todas as afirmações e comprometimentos do Presidente da Catalunha apontarem para cada uma vez mais EMINENTE e irreversível declaração de Independência ‒ de tal forma intensas e prometedoras que levaram à mobilização dos catalães para o REFERENDO de 1 de Outubro de 2017 apesar de todas as ameaças (confirmadas) oriundas de MADRID (e do Governo minoritário e de gestão do PP) ‒ levando a uma expressiva vitória do SIM com mais de 2.000.000 de votos (90,2%) sobre o Não nem sequer alcançando os 180.000 (7,8%) votos. Um conflito tendo como uma das origens mais recentes e conhecidas o período da GUERRA CIVIL de ESPANHA (entre 1936/39 e antecipando/preparando por parte de Hitler/Mussolini a II Guerra Mundial 1939/45), em que Madrid era retratada como a representante dos Nacionalistas de direita (integrando os Franquistas) e Barcelona como a representante das forças de Esquerda e Democráticas lutando já em Espanha contra a próxima e vitoriosa ascensão do Fascismo na Europa ‒ mas na realidade com Madrid e Barcelona a serem dos últimos redutos (ou baluartes da LIBERDADE) a caírem definitivamente nas mãos do ditador espanhol FRANCO (de Mussolini, de Hitler e também de Salazar com a sua neutralidade ativa ‒ para quem?); um conflito agora (curiosamente) extremado entre Madrid e Barcelona, por acaso ou coincidência com dois Governos de Direita atualmente no poder (na Catalunha mesmo incorporando a esquerda nitidamente Conservador ‒ como se viu no seu recuo estratégico Congelando a Independência) intervindo e digladiando-se cada um deles em nome de um Povo (Espanha ou Catalunha) ‒ na realidade sendo o mesmo (Povo) um incluindo o outro e o outro deixando-se incluir. Colocando uma Região de Espanha com cerca de 7,5 milhões de habitantes (CATALUNHA) provisoriamente no LIMBO, face à sua DEPENDÊNCIA (daí o recuo de Puigdemont face à fuga anunciada dos Bancos) e aos 46,5 milhões de espanhóis (neles incluídos os catalães uns 16%).

 

Resultado das Eleições para o Parlamento da Catalunha de 27 de Setembro de 2015

 

Listas

Partido/Coligação

Votos

Mandatos

Obs.

JxSI

 

CDC (Nacionalista/Populista)

ERC

(Esquerda Republicana)

DC

(Democrata-Cristão)

MES

(Esquerda)

1 628 71

62

Apoiantes incondicionais do SIM/e da Coligação no Governo

(Eleições e Referendo)

C’s

 

CIUDADANOS

(Centro)

736 364

 

25

-

PSC

 

Socialistas

(Centro-Esquerda)

523 283

 

16

-

CatSíqueesPot

Coligação

(Esquerda)

367 613

 

11

-

PP

 

Partido Popular

(Direita)

349 193

11

-

CUP

 

PODEMOS

(Esquerda)

337 794

10

Apoiantes do SIM/oposição no Parlamento

(Referendo)

Outros

 

-

149 388

 

0

-

Brancos/Nulos

 

-

37 847

 

-

-

Das Eleições resultando um Governo Minoritário da coligação JxSI

(com 62 em 135 mandatos/maioria a 68)

 

Pelo que perante a ação do Presidente da Catalunha (que certamente sabia e antevia o que iria suceder) maioritário no Parlamento da Catalunha e vitorioso no Referendo, a única opção que lhe restava e como respeito para com os seus votantes (muitos ficando feridos e até se registando mortes aquando de 1 de Outubro), seria o da sua DEMISSÃO e convocação imediata de ELEIÇÕES para confirmar o sentido de voto emitido (pelo POVO) no Referendo: o que tendo razão mais força lhe daria face ao poder de Madrid do PP e de Rajoy. Mas não pois os interesses são OUTRO$. Hoje Quarta-feira dia 11 de Outubro com a normalidade a regressar a BARCELONA provavelmente como se nada se passasse (nem se tivesse passado). Sendo estas e como sempre as estratégias (vulgares) dos políticos, deixando de preferência e para sua proteção tudo na mesma ‒ numa política/doutrina conservadora também muito estimada/querida pela esquerda: nos próximos dias ou meses com o diálogo Madrid/Barcelona a prosseguir (como sempre e provavelmente sem consequências) sob o olhar desiludido dos Catalães e com PUIGDEMONT (os Enganados nunca Esquecem) talvez a iniciar a sua descida aos Infernos (o Mercado Económico/Financeiro também não esquece as intromissões prejudiciais indevidas). Uma coisa sendo certa e normal (nesta) POLÍTICA (infelizmente já Global): na Catalunha com o JxSI (a coligação maioritária de Puigdemont no Parlamento da Catalunha) inacreditavelmente sem plano B (para responder ao sucesso/insucesso do seu ÚNICO plano com resposta mas sem solução), mas por outro lado com uma OPOSIÇÃO caindo para um lado ou para o outro (sendo o caso do agora ofendido PSC) ou utilizando uma linguagem inadmissível como a utilizada pelo PP (recordando-nos os piores discursos do fascismo em Espanha). Uma vergonha política só o sendo possível porque (sejamos honestos e verdadeiros) o mesmo povo Catalão os colocou no poder (colocando as forças mais progressistas em clara minoria).

 

(dados: wikipedia.org ‒ imagem: sábado.pt/EPA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:37

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

19

22
24
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO