Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

18
Dez 17

“A Cegonha-branca é uma espécie caracteristicamente migradora e dispersiva. Devido ao facto de existirem dois corredores de migração e áreas de invernada completamente distintas vários especialistas distinguem dois núcleos populacionais nidificantes na Europa: NW África e Ásia Menor. Com o núcleo NW África (a população ocidental) constituída pelos efetivos nidificantes no NW África (Marrocos, Argélia e Tunísia) e no SW Europa (Portugal, Espanha e SW França); as aves desta população migram pelo Estreito de Gibraltar para o Sahel (África sub-sahariana); recentemente, largos milhares de aves desta população começaram a optar por invernar no SW da Península Ibérica e no Norte de Marrocos.” (Maria Candelária e Gonçalo Rosa em naturlink.pt)

 

cegnha2.jpg

 

Sem conhecer grandes detalhes sobre o animal envolvido, um diário publicado no sul e apenas numa das suas caixinhas (para se ver a importância que o mesmo dá, a alguns animais mais que a outros), veio-me informar enquanto tomava um café (numa pequena esplanada em Albufeira), sobre uma viagem envolvendo uma Cegonha ‒ da Europa a África atravessando o oceano Atlântico (e talvez o mar Mediterrânico).

 

Consultando a Enciclopédia dos Pobres (wikipedia.org) com as cegonhas a serem uma ave monogâmica habitando especialmente a região centro de Portugal (mas também avistadas a sul como na Lagoa dos Salgados localizada entre Albufeira e Armação de Pêra) ‒ em zonas húmidas e pantanosas, localizadas em campos abertos, em meios rurais ou urbanos ‒ tendo como uma das suas caraterísticas ser uma ave migratória.

 

No caso desta cegonha habitando em Portugal (periodicamente) e como ave migratória viajando anualmente para outras paragens (muitas vezes e dada a capacidade destes animais para voos prolongados sendo bem distantes), deslocando-se nos seus trajetos (muitas vezes sempre os mesmos) sobre vários territórios, oceanos e até continentes, neste caso de Portugal para a Guiné Conacry.

 

Uma viagem intercontinental (apesar dos seus 3Kg de peso e 1m de comprimento) levada a cabo por um animal da família das aves tendo escolhido Portugal (vemos muitas cá pelo Algarve) como um dos seus locais preferenciais de residência e que provavelmente numa das suas peregrinações para sul à procura de mais calor e de melhor alimentação (migração) escolheu uma rota que o levou do nosso país até à região oeste-litoral da África Central.

 

cegonha3.jpg

 

No seu currículo de viagens certamente admiráveis e para as mesmas inesquecíveis (fazendo-nos a todos/animais sentir vivos/em movimento e por repetição de experiências transformando-se em aprendizagem) com a nossa Cegonha na sua Saga de sobrevivência/reprodutiva a deslocar-se muito mais para sul e segundo testemunhos (presentes no local) surgindo tempos depois (de novo) a quase 3300Km de distância.

 

E sabendo-se mais ou menos a velocidade a que uma ave pode voar (numa ave em geral voando devagarinho a uns 30/50Km/h, já com os patos a 100Km/h e com os falcões ultrapassando os 300Km/h) podendo-se calcular escolhendo uma média (por exemplo 50/100Km/h) o tempo de viagem da Cegonha: lá para uns 3 dias se fosse sempre a voar (mas tendo que o fazer por etapas para se alimentar e descansar) mas fazendo uma média diária (por exemplo a de um ser humano, fazendo uns certos Km/diários, colocando-se a andar ‒ e talvez tendo um dia ou outro ainda para recuperar) lá para um mês em viagem ou talvez um pouco mais.

 

Uma prova mais (como se tal fosse necessário) de que neste Ecossistema onde vivemos (com outras espécies) e partilhamos o Espaço/Tempo (a tudo e a todos da mesma forma disponibilizado, para seu usufruto particular e eficaz funcionamento do Sistema), todos os seres vivos têm o seu papel (imprescindível) na composição deste cenário: e de que nunca iremos a nenhum lado (o Homem/a Humanidade) enquanto não abandonarmos de vez a Nova Teoria Geocêntrica (Homocêntrica) ‒ tendo agora o Homem (em substituição da Terra) como o Centro do Mundo. Sirva o exemplo da Desconhecida Cegonha.

 

(imagens: retiradas de queirosstcs.blogsopt.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:54

NEIL ROBERTSON (AUS) ‒ 9 CAO YUPENG (CHI) ‒ 8

 

2231499-46528770-2560-1440.jpg

 

Numa final emocionante (há melhor de 17 frames) decidida na negra ‒ dominada nas 12 primeiras partidas por Cao Yupeng (8-4) mas com Neil Robertson (sempre a um frame da eliminação) a ganhar os 5 frames seguintes (5-0) ‒ o resultado da partida poderá ter sido decidido por um único pormenor: a experiência do jogador australiano (neste tipo de situações de grande pressão) quando tudo apontava para a vitória do jogador chinês (na 16ªpartida estando 8-7 a seu favor e faltando a bola negra para limpar a mesa, Cao Yupeng falhou a tacada que lhe daria o 9-7 e a vitória na prova, possibilitando o 8-8 a Neil Robertson) sobrepôs-se à maior juventude do mesmo apesar da sua excelente técnica. Deixando o jogador chinês claramente destroçado (tendo estado a vencer por 8-4 perdendo no final por 8-9) e levando o seu adversário (reconhecendo a sua excelente prestação) a confortá-lo respeitosamente reconhecendo como poderia ter sido ele a perder a final ‒ com (palavras de Neil Robertson) “Cao Yupeng tendo estado a milímetros de o eliminar”. Sem dúvida um daqueles casos em que havendo um Vencedor deveriam ser os dois (com a assistência na Arena Emirates empolgada e dividida) e só assim se podendo ter feito Justiça.

 

Evolução da Final

(nas duas sessões)

 

Sessão/Parte

Neil Robertson (AUS)

Cao Yupeng (CHI)

Resultado

Parcial

Somatório

1ª/1ª

 

0-1; 1-1; 1-2; 1-3

1-3

1-3

1ª/2ª

 

2-3;2-4; 2-5; 3-5

2-2

3-5

2ª/1ª

 

3-6; 4-6; 4-7; 4-8

1-3

4-8

2ª/2ª

5-8; 6-8; 7-8; 8-8; 9-8

5-0

9-8

 

_99241869_robbo_sns.jpg

 

Concluída a 12ªprova do Circuito Mundial de Snooker época 2017/18 (8 provas contando para o RM e outras 4 realizadas por convite/não contando para o RM) apenas com 3 jogadores a poderem afirmar terem ganho mais do que uma prova (vitoriosos em 2 ou 3): o galês Mark Williams e o australiano Neil Robertson ‒ com 2 vitórias (1 vitória numa prova contando para o RM e 1 vitória numa prova por convite) ‒ e o inglês Ronnie O’Sullivan com 3 vitórias (todas em provas contando para o RM). E com a 13ªprova do circuito contando para o Ranking Mundial (RM) a ser já disputada no Ano Novo de 2018 (entre 31 de Janeiro e 4 de Fevereiro) com a realização do Masters da Alemanha ‒ e pelo meio disputando-se as Qualificações para a prova referida anteriormente (ainda em 2017) e para o Open da China (já em 2018) e duas provas por convite (no início de 2018 com a Liga dos Campeões e o Masters Europeu). E tudo se concluindo nos meses de Abril e de Maio (já com outras tantas provas disputadas) com a disputa do Campeonato do Mundo de Snooker no Crucible Theatre em Sheffield (em Inglaterra de 21 de Abril a 7 de Maio).

 

Trajeto dos dois jogadores

(até atingirem a Final)

 

Fase

J

N

RM

J

N

RM

Final

Neil Robertson

AUS

13

Cao

Yupeng

CHI

55

Fase

J

N

F

J

N

F

1ªR

R.

Lowler

ING

4-0

A.

Higgginson

ING

4-0

2ªR

L.

Highfield

ING

4-2

A.

Taylor

ING

4-3

3ªR

C.

Totten

ESC

4-0

D.

Wells

GAL

4-3

4ªR

D.

Grace

ING

4-2

T.

Ford

ING

4-0

QF

X.

Guodong

CHI

5-4

R.

Walden

ING

5-3

MF

J.

Higgins

ESC

6-3

J.

Trump

ING

6-4

(J: Jogador N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial F: Frame R: Ronda QF: Quartos-Final MF: Meia-Final)

 

emirates-banner.JPG

 

E no rescaldo do Open da Escócia para além da excelente e emocionante final e da lotação esgotada para assistir ao evento (disputado na Arena Emirates em Glasgow e com vários episódios eletrizantes) para além da vitória (à melhor de 17 frames e chegando a estar a perder por 4-8) já considerada improvável ‒ do australiano Neil Robertson no 17º e último frame/na negra (ganhando 70000£), destacando-se indubitavelmente o chinês Cao Yupeng não tendo conseguido conquistar o Troféu por alguma infelicidade e mero acaso (muitos nervos na 2ªparte da 2ªsessão quando vencendo por 8-4 perdeu consecutivamente 5 frames sendo derrotado por 8-9), mas atingindo pela 1ªvez a Tacada Máxima (147) e sendo Vice-Campeão do Open da Escócia arrecadando um prémio total de 50000£ (20000£+30000£ respetivamente). Sinceramente ficando-se à espera que futuramente (e já a curto-prazo) Cao Yupeng confirme todas as suas qualidades (que as tem e em grande quantidade) e continue a ter prestações (ou melhores) como as desta prova disputada na Escócia ‒ e assim não se deixando afetar por esta derrota dolorosa (mas aproveitar-se dela e a partir daí vencer).

 

Ranking Mundial

(e da época 2017/18)

 

RM

J

N

RM (2017/18)

1

M Selby

ING

4

2

R O’Sullivan

ING

1

3

J Trump

ING

3

4

D Junhui

CHI

8

5

J Higgins

ESC

7

6

S Murphy

ING

5

7

B Hawkins

ING

43

8

M Allen

IRLN

9

 

_99246850_cao.jpg

 

Concluído o ano civil de 2017 (e estando-se mais ou menos a meio da época 2017/18) e olhando-se para os Rankings (Geral e unicamente desta Época) constatando-se de imediato a vertiginosa chegada de O Foguete (nem sequer integrando o Top 10 no início da época e sendo já 2ºRM) sendo já no RM Top 2, relativamente à época 17/18 Top 1 e sendo para já o único jogador a ter ganho 3 provas contando para o RM. E do Outro Lado da Mesa esta época de 2017/18 e até ao momento com uma campanha desastrosa, estando o inglês Barry Hawkins unicamente 43º esta época (e sem nada de relevante a registar). E tendo-se que prestar mais atenção, às prestações do contingente chinês (consagrados e especialmente os mais novos, nesta prova uns 22 por volta de uns 17%). Com as transmissões televisivas (no canal EUROSPORT) a só serem retomadas entre 14/21 Janeiro com a disputa duma prova por convites o DAFABET MASTERS (em Londres).

 

(imagens: eurosport.com - bbc.com - emiratesarena.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:23

Comemorando a Chegada do Menino Jesus

E sabendo que inevitavelmente Outros se lhe seguirão

(caso contrário seremos únicos e Deus não existirá)

 

“Quando atravessamos o mês de Dezembro a Caminho da época Natalícia (focada a 25) regressa mais uma vez a figura do Menino Jesus (podendo ser filho de um ET), da sua mãe ainda Virgem (podendo ter sido impregnada por outro ET) e do pai que nada sabendo (seguramente o agente do ET na Terra), mesmo assim soube assumir o seu esperado papel (pai nomeado para adoção). E se acreditamos nessa história (podendo logicamente ser falsa ou verdadeira) porque não pensarmos um pouco (mais) em outros Extraterrestres”?

 

north-korea-ufo-889950.jpg

UFO ataca a Coreia do Norte

(num evento pelos vistos registado a partir da ISS)

 

Na prossecução do que muitos Teóricos da Conspiração (certa e esmagadoramente norte-americanos) vêm afirmando repetidamente desde há várias dezenas de anos (podendo-se tomar como um desses focos de referência o caso ROSWELL ocorrido nos EUA em 1947), existirá mesmo algum tipo de Elo de Ligação Privilegiado entre a Maior Potência Global (como um exemplo de Excecionalidade) ‒ os EUA representando os TERRESTRES ‒ e outras Entidades Inteligentes e Superiores (Científica, Tecnológica e Espiritualmente) oriundas do Exterior do Sistema Solar e desconhecidas para a maioria dos 7,5 biliões (de habitantes neste ponto azul e minúsculo do Universo) ‒ os EXTRATERRESTRES.

 

Uma colaboração que como se vê já poderá durar há pelo menos 70 anos (e que muitos outros conspiradores/investigadores recuam até aos tempos em que Adolfo Hitler comandava a Alemanha Nazi preparando-a para a II Guerra Mundial ‒ ou seja desde 1934 há uns 83 anos) e que pelos vistos terá dado uma contribuição preciosa para o desenvolvimento meteórico dos Estados Unidos da América (tornando este país com apenas 4% da população no mais poderoso do planeta), inicialmente um território dito abandonado e entregue aos Índios (a população original), onde posteriormente seriam descarregados criminosos e marginais muitos oriundos e expulsos da Europa (muitos deles embarcando no Reino Unido), onde entre Genocídios e Guerras Civis Índios e Negros seriam perseguidos (os primeiros quase extintos) e que mais tarde já num período de consolidação de uma NOVA ESTRUTURA DE PODER aproveitando os PERÍODOS mais prolongados de GUERRA (especialmente a II GUERRA MUNDIAL) soube (Certamente com o Conselho de Alguém sendo-lhe Exterior) escolher o Caminho Certo para o Sucesso.

 

ufo-1155660.jpg

O objeto de cor branca pretensamente observado a partir da ISS

(sobrevoando a grande altitude território da Coreia do Norte)

 

Não sendo por acaso a enorme coincidência existente entre o início da II Guerra Mundial (em 1939) e o ponto fulcral de viragem na Política Interna/Externa dos EUA (pela mesma altura), transformando um país nessa época da sua História em claro desenvolvimento Económico e nos primórdios das grandes Descobertas Científicas (quando há dinheiro e interesse existirá sempre investimento) repentinamente e como por Geração Espontânea no Mais Poderoso da Terra ‒ anos depois terminada a II Guerra Mundial e aproveitando todo o conhecimento armazenado pela Máquina de Guerra Nazi (veja-se o caso simbólico e gritante de Wernher von Braun no regime de Hitler, sendo nomeado diretor da famosa base alemã de PEENEMÜNDE e aí ajudando a criar o Míssil V-2 para bombardear/matar indiscriminadamente a população civil de Londres e no entanto mais tarde juntamente com certos elementos da elite então no poder na Alemanha e com fortíssimas ligações aos Nazis, sendo extraditado, de alguma forma protegido e até recrutado ‒ no seu caso para o Exército e até para a NASA): sendo já o 1º nos anos 70 (Ida à Lua, Alunagem e volta à Terra) e sem dúvida o maior após o fim da URSS nos anos 90 (deixando de ter oposição) ‒ ficando-se à espera da China (por deslocação do Eixo Económico-Financeiro Mundial) entre 2010/20.

 

interstellar alien craft orion nebula.jpg

Possível Nave Interestelar Alienígena

(avistada pela 2ªvez na nebulosa M42 ORION)

 

E voltando a esta possível relação TERRESTRE/EXTRATERRESTRE e da sua escolha privilegiada por interlocutores norte-americanos, falando-se aqui de 2 episódios, um exemplificando essa escolha (com os alienígenas a apoiarem no planeta Terra os EUA) o outro algo de um pouco diferente (passado muito mais longe, numa distante nebulosa e envolvendo um artefacto, ainda por esclarecer): num episódio com um objeto voador não identificado a sobrevoar a Coreia do Norte e aparentemente a atacar o seu território (sem resposta visível do seu Grande líder) ‒ tomando claramente partido pelos EUA e pelo seu atual Presidente Donald Trump ‒ e no outro episódio com o que poderá ser uma nave desconhecida de enormes proporções (fazendo-nos lembrar mas em tamanho muito maior o asteroide Oumuamua) a voltar a ser de novo avistada na nebulosa M42 ORION.

 

anigif 1.gif

Aproximação de enorme objeto cilíndrico não identificado ‒ à esquerda

(à nebulosa M42 Orion ‒ à direita)

 

No episódio reportando-nos para a Coreia do Norte e para o seu Grande Líder Kim Jung-un (não o sendo para os norte-americanos e para os seus potenciais aliados os alienígenas) e sob registo operativo (de observação e de controlo) por parte da Estação Espacial Internacional/ISS em órbita ao redor Terra (apenas a uns 400Km do solo) ‒ não deixando de ser estranho a partilha dessa informação por astronautas (de várias nacionalidades) a bordo da ISS e não sendo todos norte-americanos, adensando ainda mais o mistério ou então aumentando (exponencialmente) a dúvida ‒ com a notícia (publicada no express.co.uk) a não deixar de nos transmitir que “UFO over NORTH KOREA? Hunters in frenzy after spotting ‘ALIEN CRAFT’ over rogue state (CONSPIRACY theorists have been sent into a frenzy after what appeared to be a UFO was spotted flying over the rogue nation of North Korea) ” indicando-nos adicionalmente que o mesmo UFO (podendo ser um avião talvez num processo de testes) teria disparado sobre esse território (norte-coreano) como se colaborando com a estratégia regional (Asiática) norte-americana. Ou (num outro limite extremo) não seria (apenas) um simples reflexo do sol?

 

Já no outro caso levando-nos muito mais longe (não apenas a 400Km de distância da Terra) até à nebulosa M42 ORION (a cerca de 1500/1800 anos-luz de distância do Sistema Solar) com um objeto cilíndrico (colocado sobre um fundo escuro do Espaço, mesmo em coordenadas diferentes e comparando-o com os outros pontos luminosos presentes, sendo enorme) e de origem desconhecida a reaparecer precisamente na mesma região (relativa a essa mesma Nebulosa e depois de 12 de Dezembro surgindo de novo a 29 do mesmo mês) deixando toda a comunidade intrigada não só pela sua presença como pela sua movimentação em torno de um ponto localizado (precisamente) em M42 Orion.

 

interplanetary_spaceliner_odyssey__back_view_by_dc

Uma visão para o próximo século do que poderá ser uma Nave Interplanetária

(viajando entre planetas, utilizando energia nuclear e inspirado em 2001 Uma Odisseia no Espaço)

 

Um objeto à distância de uma viagem interestelar só sendo possível de concretização (por parte da Humanidade) integrando um aparentemente inalcançável megaprojeto de exploração espacial (para o Homem a nível Cósmico) ‒ e sendo capaz de manter durante todo esse trajeto e consecutivamente umas 50/60 gerações ‒ no mesmo sentido e limitados pela pequenez (ainda juvenil) da nossa Imaginação não sendo capaz de ser por nós visionado (apesar de nos apresentarem imagens credíveis) devido às restrições previamente a nós impostas (como pretensos limites como os orçamentais) e no entanto com esta confirmação (da sua visualização) atirando-nos como por reflexo para o nosso ASTEROIDE INTERESTELAR OUMUAMUA (agora a ser observado e sendo asteroide ou artefacto, podendo ser artificial e de origem alienígena) e pensando um pouco mais (profundamente) até ao extraordinário Arthur C. Clarke e às suas capacidades de Premonição: ainda no século passado e antecipando-se a tudo e todos, visionando a sua nave interestelar por ele denominada RAMA. Sobretudo na sua forma, fazendo lembrar Oumuamua e cilindro de M42 ORION.

 

Divagando (um pouco mais)

 

Recordando que as conversas sobre a possibilidade da existência de Vida Extraterrestre (seres vivos que nos terão já visitado por diversas vezes desde tempos muito Antigos) desde há muito que atravessam (e acompanham) o nosso Espaço /Tempo terrestre, com menções (Históricas e Registadas) ao seu aparecimento no Passado (em livros antigos de referência), com a apresentação (através de esboços, pinturas e outros desenhos) das suas Naves Espaciais (como poderá ter sido mais recentemente com o Milagre de Fátima/1917 com um OVNI a surgir/confundindo-se com o Sol e mostrando um dos seus tripulantes/referido o alienígena como a Virgem-Maria) e até com a apresentação de determinados factos que por mais estranhos que nos pareçam (envolvendo UFO, ALIENS, ABDUÇÕES, ETC.), sugerem ser uma possibilidade de explicação para a Supremacia Global exibida nas últimas décadas pelos norte-americanos (em termos de excelência pelo controlo total dos 7,5 biliões) uma Secreta Aliança com uma outra Entidade (obrigatoriamente Externa à Terra) ainda mais Poderosa que todas as nações do nosso planeta juntas (incluindo os EUA).

 

spacecraft_1100.jpg

Conceito artístico de uma Nave Alienígena

(atingindo um destes dias o planeta Terra para sua exploração/colonização)

 

Assim se entendendo minimamente a justificação (recente) de que os EUA estariam a prepara-se antecipadamente para uma Futura Guerra mas agora Espacial, afirmando estes que com o início da Exploração Espacial aos Limites do nosso Sistema (Solar) e a passagem subsequente a Viagens Interestelares (a outras Estrelas, a outras Galáxias) seria natural precaver-se (prevenir-se e assegurar-se) contra possíveis intrusões podendo por em causa o nosso planeta a Terra; no entanto realizada com afirmações não muito convincentes (invocando uma possível ameaça Extraterrestre quando os mesmos sempre a desmentiram, gozando mesmo todos os testemunhos dos que nisso acreditavam/ALIENS&UFO’S) e sobretudo sabendo-se da Natureza do Homem quando o seu maior Inimigo é na esmagadora maioria dos casos o próprio Homem. Sendo o Alvo propriamente não Extraterrestre (seres externos ao nosso Ecossistema) mas indubitavelmente Terrestres (mas de uma raça/espécie inimiga) habitando logicamente a Terra (partilhando o mesmo espaço que outros ‒ inaceitável ‒ como todos aqueles seguindo, o Amigo do Sonho Americano).

 

Na Realidade com uma Poderosa Máquina de Guerra dominando todo o Planeta (de longe e sem dúvida a Norte-Americana) e pretendendo a curto-prazo ter todas as suas Armas apontadas não para o Outro Lado (como se aconselha quem compra uma arma, nunca a apontando para as pessoas) mas para o foco de combate e dominação presente precisamente hoje em dia e como sempre a Terra: Extraterrestres até agora nem vê-los (o que não significa que não existem, pois muitos dizem vê-los) mesmo que passando por cá (e podendo fazer Alianças) e com as vítimas das armas (interiores/exteriores) a continuarem a ser os Terrestres ‒ e talvez sendo essa a razão para a distância (dos ET) sempre mantida.

 

(imagens: Getty/express.co.uk ‒ ufosightingshotspot.blogspot.pt ‒ deviantart.com ‒ peaks-about-space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:23

Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
16

23

30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO