Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

26
Jan 18

Mark Williams ‒ 3 Ricky Walden ‒ 1 (Final do Grupo 5)

Martin Gould ‒ 3 Judd Trump ‒ 0 (Final do Grupo 6)

 

Com a realização de 6 dos 7 grupos de apuramento para a disputa do grupo final da Liga dos Campeões (tendo-se concluído entre 23 e 26 deste mês os Grupos 5/6) são desde já conhecidos 6 dos seus 7 finalistas (e dos outros 7 pretendentes ao último lugar ainda vago): Zhou Yuelong, Mark Selby, Kyren Wilson, Allister Carter, Mark Williams e Martin Gould (como vencedores dos respetivos grupos) e o vencedor do Grupo 7 (a sair de um lote de 7 jogadores indicados no final).

 

Z7R9608.jpgGould-605999.jpg

Mark Williams e Martin Gould

(vencedores dos Grupos 5/6 da Liga dos Campeões)

 

Sendo estes os resultados dos Grupos 5/6 recentemente concluídos:

 

Grupo 5

 

Fase

J

N

F

J

N

MF 1

Mark

Williams

GAL

3-1

Ben

Woollaston

ING

MF 2

Ricky

Walden

ING

3-2

Judd

Trump

ING

Final

Mark

Williams

GAL

3-1

Ricky

Walden

ING

 

Grupo 6

 

Fase

J

N

F

J

N

MF 1

Judd

Trump

ING

3-0

Ricky

Walden

ING

MF 2

Martin

Gould

ING

3-2

Li

Hang

CHI

Final

Martin

Gould

ING

3-0

Judd

Trump

ING

 

Disputando-se o Grupo 7 (26/27 Março) logo seguido da fase final (28/29 Março) ‒ da Liga dos Campeões ‒ aí se concluindo esta 6ª prova (realizada esta época e por convite) não contando para o RM. E com o último grupo de apuramento para a fase final da Liga dos Campeões (grupo 7) a integrar os seguintes 7 jogadores (pretendentes): John Higgins, Luca Brecel e Robert Molkins aos quais se juntarão Graeme Dot, Li Hang, Ricky Walden e Judd Trump (oriundos do Grupo 6).

 

[Legenda: J/Jogador N/Nacionalidade F/Frame MF/Meia-Final RM/Ranking Mundial]

 

(imagens: WORLD SNOOKER e GETTY)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:20

Poderíamos usar a Lua para Mineração – criando aí um entreposto (comercial) – e Marte para Colonização – utilizando-o para o lançamento de naves interplanetárias (e a partir daí chegando um dia às intergalácticas): desde que se resolvam os problemas do tempo (de viagem), da proteção (contra os raios solares e cósmicos) e da atmosfera (rarefeita e sem grandes vestígios de oxigénio e de água/visível mesmo à superfície).

 

Objetivo/Marte e Missão/MRO:

 

F

I

PIA

Registo

1

MCS

22080

Observação realizada entre Jan2006/Fev2008 durante o seu período de translação (680 dias+30⁰ adicionais) e com a origem (dos eixos) a ser referida ao início do Outono (no hemisfério norte). Indicando no eixo vertical a altitude do registo (Km) e no horizontal os 360⁰ de translação em torno do Sol; e sobressaindo o período referente à tempestade de poeiras ocorrida no ano de 2007 (entre as duas barras pretas verticais). Com a barra inferior a indicar a quantidade de vapor de água presente (por milhão) – roxo mais baixo (seguido de verde e amarelo) e laranja mais elevado.

2

HiRISE

22180

Terreno recoberto por uma camada gelada localizada a altas latitudes, como que formado por um conjunto de polígonos semelhantes (neste caso hexágonos) num cenário muito comum de se ver em terrenos com gelo: com este conjunto de hexágonos a serem o resultado do arrefecimento, contração e quebra desse terreno congelado.

3

HiRISE

22182

Camadas de origem sedimentar, como resultado de um longuíssimo período de erosão (localizadas no Vale Shalbatana um canal atravessando a região de Terra Shante). Originando material mais brilhante e de composição diferente ao encontrado em seu redor.

Tabela

Fonte : NASA

(F: Figura I: Instrumento)

 

Marte é hoje conhecido como sendo um planeta seco e desértico (sem Água visível à sua superfície) e claramente sem qualquer tipo conhecido de vestígios (possíveis de detetar) relacionando-o com a existência de Vida (sem se terem detetados para além de elementos do mundo mineral, elementos do mundo orgânico − tendo mesmo que de uma forma primitiva algo de comum connosco): o que não significa que o planeta nunca tenha possuído Água (no Passado) ou que mesmo hoje (no Presente) não se detetem sinais da sua existência – no passado com Marte a poder estar parcialmente coberto por um grande oceano (há já uns biliões de anos tendo o planeta uns 4,6 biliões), no presente com as sondas automáticas (enviadas do seu planeta vizinho a Terra) a detetarem a presença da mesma à superfície e mesmo a altitudes elevadas.

 

PIA22080.jpg

Figura 1

Registo da presença de vapor de água na atmosfera marciana

(PIA 22080)

 

E se durante o processo Evolutivo aplicado ao Sistema Solar e iniciado há uns 4,6 biliões de anos a transformação se deu num mesmo conjunto tendo o seu centro virtual (foco) numa estrela o Sol (por sua vez integrado num conjunto mais vasto a galáxia da Via Láctea), sendo a partir daí natural que muitos dos mecanismos aplicados ao longo do tempo (biliões de anos) tivessem métodos de intervenção muito semelhantes (por basicamente idênticos) podendo originar percursos paralelos e em certos casos coincidentes (não no Tempo mas no Espaço). Pelo que se cronologicamente e apesar da sua grande proximidade a História da Terra e de Marte não coincidem (tal como a de Vénus o outro vizinho ou mesmo a de Mercúrio o mais próximo do Sol), poderão ter existido no passado etapas da evolução marcianas que mesmo não coincidindo (ou encaixando) com as etapas por nós conhecidas (terrestres), fora do Tempo e do Espaço pelo Homem aplicado à Terra (e ao seu mundo Homocêntrico) outros como o planeta Marte a terão tido (a sua História) mas noutras circunstâncias.

 

PIA22180.jpg

Figura 2

Superfície marciana sob uma cobertura/em pequenos hexágonos gelada

(PIA 22180)

 

Observando imagens de Marte registadas nestes últimos anos por sondas automáticas oriundas de diferentes localidades na Terra – como por exemplo da América do Norte (EUA), Europa (Rússia) e Ásia (China) – se atento e interessado e conhecedor de um mínimo de geologia costeira (mesmo sendo um leigo mas experimentado) sendo fácil de constatar que face aos materiais em presença, à sua distribuição e à composição final do cenário, muitas das regiões observadas por essas sondas automáticas (em órbita ou à superfície) nos lembrariam a Terra e as suas regiões litorais: como se estivéssemos junto a uma praia nas proximidades da linha de separação entre o domínio do Mar e o domínio da Terra, para lá dessa linha virtual mas bem vincada no terreno apenas faltando o mar daí até ao horizonte – vendo-se apenas o leito de um possível e antigo oceano (com ondas mais suaves e menores profundidades) agora seco, esquecido e inexistente (mas deixando a sua marca inegável, significando algo no estado líquido, material mineral e talvez orgânico).

 

PIA22182.jpg

Figura 3

Estratos erodidos pelo vento/ou pela água na superfície marciana

(PIA 22182)

 

Neste ano de 2018 – e só para falar da maior potência tecnológico-militar global (os EUA) – com a Agência Espacial Norte-Americana NASA (governamental) e com a SPACE-X, a BLUE ORIGIN e a VIRGIN GALATIC (privados) a partilharem entre elas as suas diversas missões (e testes): do lado da NASA (e entre várias missões) com o lançamento de um novo módulo de aterragem (e respetivo veículo motorizado) em direção ao planeta Marte, com o envio em direção ao Sol de uma sonda automática batendo (largamente) o record de aproximação à estrela, assim como o envio de duas outras sondas uma em direção a um asteroide e a outra em direção a outro corpo celeste localizado a biliões de Km de distância (da Terra). Já do lado dos privados continuando com os seus testes (e o lançamento de um novo foguetão) de momento dirigidos ao desenvolvimento da Indústria Comercial Espacial, no caso da Virgin Galatic e da Blue Origin (até para se financiarem) optando inicialmente pelo Turismo Espacial e já no caso da Space-X (pelos vistos menos necessitada) com a empresa de Elon Musk a lançar o seu novo foguetão Falcon Heavy (no início de 2018). Fazendo-o de novo pensar estar mais perto do seu sonho: atingir o Planeta Vermelho (tal como o estarão certamente os seus rivais os chineses – o Novo Império em ascensão).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:31

Numa atitude exclusiva da ELITE MILIONÁRIA MUNDIAL

 

A luta pelo poder não se limita apenas a uma luta (no fundo artificial) entre dois grupos pretensamente desejando o mesmo (o que há de mais natural para a sua sobrevivência) ‒ ainda-por-cima delegando noutro grupo ainda mais restrito a sua própria representação (aqui terceiro interessado):

 

Segundo a Lei do Mecanismo que ainda faz funcionar esta Máquina, sendo apenas necessário pôr as peças a rodar (toda a base e camadas intermédias da Pirâmide Social) e ter a formação comprovada (meios financeiros) para carregar no botão ‒ num futuro (cada vez mais próximo) com os políticos a saltarem progressiva e sem remédio para fora da equação.

 

fhdahadhdf.jpg

A Antiga Pirâmide social Egípcia (ou Pirâmide da Morte) com o Faraó no Vértice a Controlar

(para nos recolocarmos na nova e como seus descendentes bastando adaptá-la à realidade atual)

 

Apenas interessada em defender as suas Ideias e Produtos (e manutenção e crescimento das suas Corporações/Conglomerados) e pelos vistos estando (no Presente) claramente disposta a ouvir as ideias do novo Presidente dos EUA sobre Burocracia e Impostos (falando-se aqui dos Donos do Mundo e do seu encontro anual nos Alpes suíços e na localidade de Davos, tendo como denominação pomposa ‒ dada pelos seus empregados ‒ de Fórum Económico Mundial),

 

Um destacado Milionário atualmente colocado no vértice da Pirâmide Social (obviamente considerando-a um poliedro irregular e certamente desejando o ajustamento das diversas camadas sobrepostas e dando forma a cada uma das faces dessa Pirâmide) aproveitando o seu Cartão de Livre Acesso (como Milionário e não como Político) e certamente recebido de braços abertos pelos seus colegas deste Clube de Milionários (não tanto pelos seus organizadores, os servidores legais e políticos),

 

Nunca se devendo esquecer que os ditadores não se autocriam, sendo erguidos por muitos sabendo estarem a montar um determinado cenário (tal-e-qual como num puzzle)

 

Vem pôr em causa toda uma das suas Hierarquias (e logo a superior, das mais fieis, mas também das mais corruptas) assim como as suas diretivas (e subsequentemente prorrogativas), querendo renegar duas das (maiores) criações de que inicialmente beneficiou (no início desta Aventura envolvendo Capitalismo e Sociedade) a Burocracia/criando empregos para os amigos e os Impostos/criando o seu saco azul: e a ser bem recebido (por Milionários e colaterais) sob o silêncio estrondoso dos outros (os Políticos vendo o Perigo e não tendo o ópio do povo/moderno por trás ‒ os Média).

 

Para quem ainda tem todos os seus órgãos em razoável estado de funcionamento (incluindo os dos sentidos e da razão) e escutou as palavras de Donald Tump (hoje) no WEF de Davos, sendo fácil de concluir a sua atual estratégia e de como o mesmo vê (nas entrelinhas) o futuro dos políticos (no seu país Democratas e até Republicanos):

 

Depois de incessantemente atacado no interior do seu país por políticos e delegados (vendo em causa os seus empregos/benesses inesperadamente perdidos e secundarizando as dos norte-americanos seus representados e pagadores), entregando-se aos militares e ao poder das Corporações. Criando as bases necessárias para a sua manutenção (poder, armas e dinheiro) e avisando os Políticas da sua próxima (e inevitável) prescrição.

 

(imagem: in5d.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:52

Janeiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

17
18

21
25
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO