Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

28
Fev 18

No sentido de comemorar o 5000º dia marciano (ou SOL) de permanência do ROVER OPPORTUNITY sobre a superfície do PLANETA VERMELHO, os técnicos da NASA oferecem-nos agora uma montagem de várias imagens (de SOL 5000 a SOL 5006) representando a 1ª SELFIE do referido veículo motorizado (um autorretrato), quando o mesmo se encontrava na região da cratera ENDEAVOUR numa zona denominada PERSEVERANCE VALLEY.

 

PIA22222.jpg

A primeira SELFIE do ROVER OPPORTUNITY

(PIA 22222 ‒ um autorretrato)

 

Um veículo motorizado (ROVER) lançado numa sonda da NASA (OPPORTUNITY) em 7 de Julho de 2003 da base espacial de Cabo Canaveral, aterrando na superfície de Marte em 25 de Janeiro de 2004 (passado cerca de meio ano) e desde aí (já lá vão uns 14 anos) tendo já percorrido aproximadamente 45Km (perto de meados de Janeiro deste ano). Circulando num planeta praticamente sem atmosfera, com vestígios de presença de água, mas sem notícias de Vida.

 

1N572065026EFFD1B3P1960L0M1.JPG1P572060868EFFD1B3P2418L2M1.JPG

Superfície do planeta MARTE

(Opportunity Rover ‒ SOL 5000)

 

[Segundo os técnicos da NASA numa imagem final e da SELFIE pouco nítida, dada a câmara do ROVER ser utilizada para alvos mas próximos/afastados não focando todos com a mesma qualidade.]

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:29

Com a BESTA de LESTE e com EMMA ainda à solta e logo em simultâneo

(mas sem grande impacto ‒  para além da chuva ainda insuficiente, caída no no Algarve)

 

Barra-Faro-Olhão_Vista-do-Farol-de-Santa-Maria-10

Barra de Faro-Olhão e a chegada da tempestade Emma (com o mau tempo a obrigar ao encerramento de 6 barras, 3 delas algarvias ‒ Alvor, Faro e Olhão); de resto com os efeitos das 2 tempestades a resumirem-se a céu encoberto e a curtos períodos de chuva

 

Com a Europa a ser simultaneamente atacada por 2 frentes transportando consigo condições meteorológicas provocando mau tempo ‒ uma vinda do Círculo Polar Ártico (do norte e do leste) denominada (pelos ingleses, só podia) BESTA DO LESTE outra oriunda do oceano Atlântico (do oeste) e denominada (por portugueses/espanhóis/franceses) EMMA ‒ o continente europeu vê-se agora submetido a uma vaga de frio extremo vindo de um dos lados e a uma outra vaga de vento e de chuva intensa vinda do outro: com Portugal Continental “estrategicamente” colocado entre as 2 e de ontem para hoje (na passagem de terça-feira/27 para quarta-feira/28) sentindo o efeito simultâneo das mesmas ‒ juntando tudo chuva e vento de norte a sul do país e descida mais acentuada da temperatura a norte com queda de neve e formação de gelo.

 

23789612.jpg

Vila Pouca de Aguiar

(distrito de Vila Real)

 

E tal como se previa desde o dia de ontem (27) com a chegada eminente da tempestade EMMA, com as condições climatéricas em Portugal a agravarem-se significativamente durante esta madrugada (de 27 para 28) provocando a comunicação de cerca de 200 ocorrências (sem vítimas ou casos graves) e afetando sobretudo distritos a norte e localizados no interior: destacando-se Bragança, Guarda, Vila Real e Viseu com queda de neve intensa (e formação de gelo nas vias de comunicação) interrompendo várias estradas, isolando várias localidades e levando ao encerramento de vários serviços (até para prevenção e segurança das populações) como terá sido o caso de muitas Escolas (protegendo assim as crianças). Logicamente com queda de neve na Serra da Estrela (que não em Monchique no Alto da Fóia) levando à interrupção do trânsito naquela região (durante a madrugada) mas por outro lado e logo ali (como em todos os 4 distritos mais afetados) provocando com o Espetáculo da Neve a alegria das crianças.

 

image.aspx.jpg

Mogadouro

(distrito de Bragança)

 

Mantendo-se de momento esta situação meteorológica em Portugal Continental pelo menos no dia de hoje (quarta-feira 28), com as condições do tempo naturalmente a condicionarem a vida e a circulação de pessoas e bens em meios urbanos, enquanto nos meios rurais ‒ sobretudo a norte com a queda de neve e a formação de gelo (com Bragança e Viseu à cabeça sofrendo mais com os efeitos causados pela passagem do mau tempo) ‒ e interrompidas as estradas, não havendo hipóteses de utilização de transportes (públicos e privados) e de circulação, deixando centenas de pessoas (muitas delas idosas e não estando preparadas para estes casos mais extremos de frio) isoladas. E podendo as condições do tempo melhorar (ou não) ao longo desta quarta-feira, com o IPMA a levantar o Alerta Laranja de ontem (para Viseu, Bragança e Vila Real por causa da neve) substituindo-o hoje pelo Alerta Amarelo (para os mesmos distritos mas agora devido à chuva e ao vento) ‒ ao mesmo tempo continuando a registar-se grande agitação marítima (com ondas podendo atingir os 9 metros) levando ao encerramento (total) de muitas barras (6 de norte a sul) incluindo as Alvor, Faro e Olhão (na Região do Algarve).

 

image_kcn1gc1lq.jpg

Com o Reino Unido (na imagem Londres) a ser apanhado pelo frio gelado e pela intensa queda de neve transportada desde a Sibéria e da responsabilidade da Besta de Leste (nome dado pelos britânicos à tempestade) e agora ainda levando com Emma (a outra tempestade originada no Atlântico)

 

E entre os Europeus com o Reino Unido a ser um dos territórios a sofrer mais com estas 2 frentes, levando primeiro em cima com a BESTA de LESTE e logo de seguida com as ações de EMMA: “Reino Unido e Irlanda ficaram cobertos de neve nesta quarta-feira, quando o frio de um sistema climático siberiano apelidado de "Besta do Leste" prejudicou os planos de viagem de milhares de pessoas. Centenas de escolas foram fechadas, e houve atrasos em estradas, ferrovias e aeroportos em um dos dias mais frios que o Reino Unido já testemunhou nesta época do ano em quase três décadas. As temperaturas chegaram a 12 graus Celsius negativos em algumas áreas rurais, e o serviço de meteorologia britânico alertou para até 40 centímetros de neve nas terras altas da Escócia. A Irlanda pode ter sua pior precipitação de neve desde 1982.” (swissinfo.ch/reuters)

 

(imagens: sulinformação.pt ‒ lusa.pt ‒ jn.pt ‒ reuters.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:42

27
Fev 18

E por volta das 23:30 (já passando um pouquito) com chuva em Albufeira e 14⁰C de temperatura.

 

Confirmando a passagem de uma onda de frio oriundo do Círculo Polar Ártico e neste preciso momento (segundo os meteorologistas) atingindo o seu pico máximo, todo o Continente Europeu em maior ou menor grau (de intensidade) tem vindo a ser afetado por temperaturas negativas, além de queda de neve e de formação de gelo: apanhando muitas pessoas de surpresa (não se prevenindo para estes casos meteorológicos extremos) e tendo até hoje provocado 11 vítimas mortais.

 

sss.jpg

Temperatura do Ar na Europa

Dos +15⁰C/+16⁰C registados na Península Ibérica, passando pelos -5⁰C no norte de Itália, até se chegar aos -18⁰C registados na Rússia

(27 Fevereiro 2018)

 

Com as únicas exceções a serem o sul de Espanha e claro está Portugal: no caso do nosso país e talvez devido à nossa proximidade ao oceano/Atlântico e ao mar/Mediterrânico, com as condições do tempo (na Europa de muito frio) a atenuarem-se, tornando o seu impacto bem mais moderado (mais a sul do que a norte, mais a baixa altitude do que a alta) ‒ podendo até nevar na Serra da Estrela, mas mantendo-se na Região do Algarve, um tempo/clima bem aceitável (perguntem aos turistas agora aqui presentes ‒ em plena estação de Inverno ‒ do norte e centro/leste da Europa).

 

sss2.jpg

Temperatura do Ar na Península Ibérica

Em Portugal com as temperaturas aumentando para sul ‒ 5⁰C/13⁰C/15⁰C

Com mais frio e chuva a norte e mais Sol com alguns chuviscos a sul

(27.02.2018)

 

No que diz respeito a Portugal Continental com a meteorologia na Torre/Serra da Estrela (1993m) e no Alto da Foia (902m) a registar esta terça-feira (dia 27), temperaturas em torno dos 0⁰C com queda de neve a norte (Torre) e a sul temperaturas baixas (mas mais elevadas) e sem queda de neve (aí com frio e aguaceiros). Neste ponto da evolução deste período de mau tempo em Portugal ‒ referindo-nos às condições meteorológicas ‒ o mesmo não se passando na Europa como já se viu anteriormente (registando-se vítimas mortais).

 

Su12-BbH-5pdP5wl.jpg

A tempestade EMMA (no centro a azul-claro) a caminho de Portugal

A travessando de seguida toda a Península Ibérica

E podendo agravar ainda mais as condições de frio extremo no Reino unido

(induzindo a formação de nevoeiros e chuva gelada)

 

E se no caso do frio gelado que tem caído sobre a Europa atingindo mesmo o Mediterrânico,

 

‒ Caso da capital italiana Roma a uns 30Km do Mar Tirreno ‒

 

“Rome woke up Monday, February 26 covered in snow for the first time in six years in what authorities described the largest snowstorm to hit the city at the end of February in decades. Temperatures in this Mediterranean city dropped to -4 °C (24 °F) and combined with rare snow to disrupt the traffic and close schools and tourist attractions.” (watchers.news)

 

As consequências variaram (nas nossas proximidades sendo mais acentuadas em registo de temperaturas negativas na região montanhosa dos Alpes), já no caso da chegada da tempestade Emma e apenas no que nos diz respeito (e a Portugal), com a mesma a transportar muita chuva e rajadas de vento (intensificando o frio), proporcionando condições para mar agitado e com ondulação elevada.

 

(imagens: gfycat.com e @metoffice)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

I

 

Enquanto a partir do interior da sua mansão de 18 milhões de dólares (preço de 2013) e com uma área de mais de 6.000m² o milionário ELON MUSK (em 2014 valendo 9 biliões de dólares),

 

545a69a069beddb4278b456f-750-563.jpg

A mansão de Elon Musk

 

- Vai pensando na Evolução das suas Empresas (PayPal, Tesla e Space X),

 

- No seu Peso Político-Económico na sociedade norte-americana (podendo-se até candidatar em 2020 a Presidente dos EUA),

 

- E na sua capacidade de captar investimentos (sobretudo vindos do Estado e assim fazendo o mesmo substituir o financiamento a agências governamentais por financiamento à iniciativa Privada),

 

como-funciona-o-paypal-portugal-fb.jpg Tesla-logo-2003-2500x2500.png spacex.jpg

As Empresas de Elon Musk

 

O mesmo milionário até para ocupar mais proveitosamente os seus preciosos tempos livres,

 

Melhorar a sua performance mental, combater a sua obsessão por Marte,

 

E ser o primeiro a de qualquer forma a faze-lo

 

‒ O primeiro Homem a atingir um planeta neste caso Marte

 

musk-mars-iac-2017.jpg

A Colónia de Elon Musk

 

Decidiu criar para si próprio uma Realidade Pessoal Alternativa (só acessível a um grupo muito restrito de pessoas),

 

- Colocando-o num carro por si fabricado (um TESLA),

 

- Lançando-o para o Espaço por um seu foguetão (um Falcon 9 da Space X),

 

- E conduzindo-o sob o nome de Homem das Estrelas (Starman):

 

a8o4bVp_700b.jpg

A Presença de Elon Musk

 

A partir de 6 de Fevereiro de 2018 (já lá vão mais de 15 dias) e com o lançamento do seu carro elétrico Tesla Roadster em direção ao Planeta Vermelho,

 

Com Elon Musk a poder usufruir de mais um Brinquedo na sua Sala de Diversões (instalada na sua mansão de Bel Air em Los Angeles) utilizando um seu clone (alguns afirmando ser o próprio) para dirigir o automóvel.

 

II

 

A caminho do fim do mês de Fevereiro (mês do lançamento da viatura) e com o seu automóvel elétrico Tesla Roadster a percorrer a parte inicial da sua longa viagem direcionada para Marte,

 

newplot.jpg

A Viagem de Elon Musk

 

‒ Não propriamente para lá aterrar, mas passando lá por perto, observando-o, registando e prosseguindo a sua Viagem Solar … girando durante milhões e milhões de Km em órbita do Sol e no seu percurso visitando a Cintura de Asteroides (talvez o seu Supremo Objetivo)

 

Com o Homem das Estrelas/The Starman confortavelmente instalado neste carro revolucionário, certamente equipado de todo o material necessário para a sua própria sobrevivência (do original/clone ou substituto) e manutenção do veículo (aqui espacial) e ainda usufruindo suplementarmente de algumas mordomias sempre necessárias sobretudo quando nos sentimos isolados (com The Starman tendo o privilégio de em plena Viagem a Marte ir escutando David Bowie),

 

‒ Para já não falarmos do que ele poderá transportar (mistério) na mala do carro ‒

 

spacex-tesla-roadster-space-position-starman-crash

Starman e o seu Tesla Roadster

(este domingo dia 25 já a mais de 5.500.000Km da Terra)

 

A prosseguir com sucesso a sua missão espacial (num automóvel ‒ razão pela qual mesmo que velhinho não vendo o meu) estando previsto para 9 de Junho a sua 1ª grande aproximação ao planeta a uma distância de 0,74UA (mais de 100 milhões de Km) e em 7 de Outubro de 2020 e muito mais perto a pouco mais de 7 milhões de Km.

 

Suspeitando-se que para além de Marte (bom de se ver para Starman no Outono de 2020) o principal objetivo será mesmo a Cintura de Asteroides:

 

Com o Tesla a intrometer-se nesta pista emaranhada de milhões e milhões de calhaus, como que se participando numa Grande Corrida Automóvel disputado numa grande mesa (de bilhar) e com buracos (de escoamento e migração): o Grande Prémio da Cintura de Asteroides com os grandes protagonistas a serem Ceres (o maior), Vesta, Palas e Hígia.

 

Roadster_2_09feb2018_dot_pearl.jpg

O Tesla Roadster viajando no Espaço

(no centro a vermelho para além da órbita da Lua e a 480.000Km da Terra)

 

Olhando para o painel de comando informando o seu piloto The Starman (o operador) sobre o comportamento geral do seu Tesla Roadster (o brinquedo),

 

‒ Com o veículo a mais de 200 milhões de Km de Marte e a mover-se relativamente à Terra a uma V = 12.000Km/h ‒

 

E conhecendo-se o objetivo da missão pretendendo a Passagem a Outro Estado (ou lado do Espelho) do seu Financiador (o multimilionário Elon Musk) e a Recolocação do Programa Espacial (talvez) nas prioridades do Mundo Alternativo do Novo Presidente (Donald Trump),

 

‒ Retratando um projeto extremamente ambicioso ao nível do Espaço e ultrapassando a Lua (direção: Marte) e ao nível do Tempo (e da sua História) equiparando Elon Musk a mais um dos ícones da Humanidade (e da sua memória)

 

57ea82c9077dcc3d018b85f6-750.jpg

Elon Musk e a sua Igreja

(construída pelo empresário que quer colonizar Marte)

 

Não nos devendo espantar muito com a Inutilidade Perfeita desta Iniciativa (neste tempo de ideias digeridas e transformadas por Fake News), no seu ponto final (de roteiro de viagem):

 

- Nem sequer atingindo Marte,

 

- Talvez ultrapassando-o rumando em direção a Ceres,

 

- E numa sucessão aparentemente infindável (de voltas em torno do Sol) fragmentando-se e desaparecendo na imensidão escura e profunda do Espaço.

 

Tesla_Roaster_open_trunk.jpg

Um carro semelhante ao Tesla Roadster de Elon Musk

(com a sua mala podendo segundo teorias conspirativas esconder um cadáver)

 

Num episódio um pouco estranho de marketing e de publicidade (financiando a Space-X e a Tesla com pagamentos PayPal) levando muitos a sugerirem,

 

‒ Postos perante mais uma possível teoria conspirativa (concretizada)

 

Não estarmos perante mais um passo na Conquista do Espaço (Com um automóvel e um manequim?) mas diante de um processo de encobrimento (com as provas a serem lançadas para o Espaço) de mais um assassinato:

 

Com um corpo a ser transportado na mala do carro e até com o Tesla Roadster a poder ser conduzido por uma infinidade de personalidades (como a namorada de Elon Musk ou então Hillary Clinton ‒ já que Donald Trump tem para si a Casa Branca).

 

(imagens: businessinsider.com ‒ economias.pt/carlogos.org/spaceq.ca ‒ fortune.com ‒ 9gag.com ‒ gettyimages.com ‒ whereisroadster.com ‒ virtualtelescope.eu ‒ businessinsider.com ‒ alienexpanse.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:57

Para os próximos 10 dias no concelho de Albufeira com a meteorologia a apontar para a manutenção dos períodos de chuva/chuviscos (pouco intensos mas transportando consigo maior % de humidade) e com a temperatura (em geral entre os 10⁰C/18⁰C) a manter-se aceitável (para a altura do ano) arrefecendo um pouco mais (como seria natural) durante o período noturno.

 

201802271100_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Imagem Satélite/Infravermelho

(EUMESAT/IPMA 27.02.2018 11:00)

 

Com a meteorologia a querer mudar as presentes condições ambientais de tempo frio para tempo de chuva, o que se observa a partir da cidade de Albufeira (e arredores) é que esse facto se parece querer confirmar, apesar da precipitação e dadas as necessidades (provocadas pela seca) ser necessariamente reduzida e da evolução das condições do tempo ainda se encontrar num momento de indecisão: por um lado com mau tempo oriundo dos lados do oceano Atlântico e consigo transportando chuva (o que se espera ser o fator de maior influência meteorológica), mas pelo outro lado com as consequências dos ventos oriundos da Sibéria e que nos últimos dias têm gelado toda a Europa a poderem também atingir Portugal e (apesar de em menor grau) o Algarve e o concelho de Albufeira (que eu saiba e até ao momento ainda não tendo nevado nas proximidades da Foia na serra de Monchique). E se a chuva é necessária até para minorar os efeitos catastróficos da seca que tem assolado (de norte a sul) todo o país especialmente zonas interiores de Trás-os-Montes, do baixo Alentejo e do Sotavento Algarvio (tinha que começar a chover bastante e confirmar-se o ditado “Em Abril Águas Mil” para se minorar o problema), teremos que ter sempre em atenção o frio intenso que poderá a continuar a chegar dos lados de NE e que se tem estendido até regiões mais a sul próximas do Mediterrânico: ontem com os italianos a verem a sua capital Roma sob um apreciável manto de neve, algo raro de ver naquelas baixas latitudes (e altitudes).

 

mrrto201801.jpg

Precipitação registada em Janeiro 2018

(IPMA)

 

E esquecida um pouco a novidade meteorológica adquirida por três países ocidentais (Portugal, Espanha e França) alfabetizando” (educando-nos e dando-lhes nomes) as suas tempestades (ainda se lembram do nome das tempestades começadas por A, B, C, etc.?) ‒ até porque muitas dessas tempestades eram detetadas/oriundas do norte, atravessando a França/talvez a Espanha mas na generalidade desviando-se e/ou dissipando-se ‒ virando-nos agora e preferencialmente (salvo um relevante Evento Meteorológico) mais para as “Nossas Tempestades e para o Nosso Estado do Tempo”: num clima (em território português) muito influenciado pela presença oceânica e pelas condições de tempo que dela advêm (ainda hoje nos lembrando da região do Anticiclone dos Açores e como a mesma muitas das vezes ditava as condições meteorológicas no Continente), equilibrando-se agradavelmente (como se usasse uma bússola e os seus pontos cardeais para se orientar) entre o frio vindo do norte (e do leste), a humidade vinda de oeste (por mar e envolvendo lateralmente Portugal) e o calor vindo do sul. No que diz respeito à previsão meteorológica para os próximos dias e particularmente no que diz respeito a Albufeira (e área envolvente) ‒ hoje com chuva fraca/chuviscos e a temperatura às 11:00 a registar 17⁰C (9⁰C/18⁰C mínima/máxima prevista) ‒ com o IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera) a projetar com dez dias de distância (27 Fevereiro/8 Março) um longo (dado o tão pouco que tem chovido) período de chuva/aguaceiros (com as previsões de chuva sempre perto dos 90/100%), ventos moderados de W ou SW e temperaturas oscilando entre os 9⁰C (mínima) e os 19⁰C (máxima) com ligeira subida de ambas.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:47

Final

G. P. Mundial

25.02.2018

Ronnie O’Sullivan ‒ 10 Ding Junhui ‒ 3

 

m_GQlWYKxpTbpvQ78oCihog.jpg

Ronnie O’Sullivan

(vencedor do World Grand Prix Ladbrokes 2018)

Já apurado para a 2ª ronda do Open do País de Gales

 

A 6 provas (4 contando para o RM e 2 não contando) de atingirmos o início do próximo Campeonato do Mundo de Snooker (Masculino/Profissional) a disputar-se entre 21 de Abril e 7 de Maio no Crucible Theatre em Sheffield (Inglaterra) ‒ e depois da 4ª prova (contando para o Ranking Mundial) conquistada pelo inglês Ronnie O’Sullivan/2ºRM (o único jogador a consegui-lo nesta época 2017/18) o Grande Prémio Mundial/Ladbrokes (batendo na final o chinês Ding Junhui/4ºRM por 10-3) ‒ decorre desde esta segunda-feira até domingo (4 de Março) o Open do País de Gales. Com o detentor do troféu a ser o inglês Stuart Bingham/14ºRM (recentemente regressado à competição após um período de suspensão) e com a prova a atribuir este ano ao vencedor um prémio de 70.000£. E contando com a presença de quase todo o Top 16 Mundial (com a exceção de Marco Fu/HK/9ºRM).

 

RM

J

N

£

(X1000)

RM

J

N

£

(x1000)

1

Mark

Selby

ING

1436

13

Kyren

Wilson

ING

314

2

Ronnie

O’Sullivan

ING

820

14

Luca Brecel

BEL

313

3

Judd

Trump

ING

704

15

Stuart

Bingham

ING

302

4

Ding

Junhui

CHI

673

16

Anthony

McGill

ESC

296

5

John

Higgins

ESC

540

17

Stephen

Maguire

ESC

277

6

Mark

Williams

GAL

435

18

Ryan

Day

GAL

276

7

Shaun

Murphy

ING

428

19

Liang

Wenbo

CHI

252

8

Barry Hawkins

ING

402

20

Mark

King

ING

243

9

Mark

Allen

NIRL

400

21

Ricky

Walden

ING

233

10

Marco

Fu

HK

371

22

Joe

Perry

ING

220

11

Neil

Robertson

AUS

327

23

Graeme

Dott

ESC

198

12

Allister

Carter

ING

324

24

Martin

Gould

ING

196

RM: Ranking Mundial J: Jogador N: Nacionalidade £: Libras

(Top 24 em 25.02.2018)

 

Stuart Bingham 2.PNG.jpg

Stuart Bingham

(vencedor do Welsh Open 2017)

Já apurado para a 2ª ronda do Open do País de Gales

 

E a 4 provas da publicação da lista de jogadores integrando o Ranking Mundial (RM) ‒ facultando a alguns deles (o TOP 16) a dispensa das rondas de Qualificação (2/3 rondas) para o Campeonato do Mundo de Snooker (de 2018) ‒ com os jogadores mais bem colocados a tentarem melhorar a sua performance, de modo a integrarem esse Top 16 facilitando o seu acesso à fase final do próximo Mundial. Com 4 provas de RM ainda por disputar (Open do País Gales/70.000£, Open de Gibraltar/25.000£, Campeonato Ladbrokes/125.000£ e Open da China/225.000£) antes do Campeonato do Mundo/425.000£, estando ainda por atribuir 445.000£ (para os Vencedores e com outras quantias menores nas MF, nos QF e por aí fora) pelo que (para além do atual Top 7) sendo vários os jogadores ainda candidatos ao tão desejado Top 16 (dispensando-os da Qualificação).

 

(imagens: ebay.co.uk/echo-news.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:11

25
Fev 18

Nos 11 encontros até agora disputados entre Ronnie O’Sullivan (ING) e Ding Junhui (CHI) ‒ de 2007 a 2017 ‒ com The Rocket a vencer 9, empatando 1 e perdendo 2: sendo 1 das vitórias de Ding Junhui (sobre The Rocket) precisamente a última (na época passada de 2016/17), vencendo-o nos QF do Campeonato do Mundo (do ano passado) por 13-10: sendo eliminado nas MF por Mark Selby (num encontro disputadíssimo e com o inglês batendo-o por 17-15) que na Final acabaria por se sagrar Campeão do Mundo.

 

FINAL

25 Fevereiro 2018

Preston/Inglaterra

(1ª sessão: 14:00 2ª sessão: 20:00)

 

Ronnie O’Sullivan ‒ Ding Junhui

 

672702544.jpg

Ding Junhui e Ronnie O’Sullivan

(finalistas do G. P. Mundial 2018)

 

Das 27 provas do Circuito de Snooker Profissional Individual Época 2017/18 (20 contando para o Ranking Mundial/RM e 7 por convite/não contando p/RM) e concluídas 19 dessas provas (não incluindo ainda o Grande Prémio Mundial/Ladbrokes prova contando para o RM e a Liga dos Campeões prova por convite) ‒ 70% (74% contando p/RM e 71% por convite) ‒ aproxima-se rapidamente a data da realização da sua última prova o Campeonato do Mundo de Snooker (21 Abril/7 Maio): com o detentor do troféu a ser o Bicampeão do Mundo (consecutivo) e Líder do RM o inglês Mark Selby (em 2016 e 2017). Tendo-se ainda realizado (adicionalmente) duas provas coletivas (por nações). Para além das provas dos Seniores.

 

Meias-Finais:

 

Fase

 

J

N

RM

F

J

N

RM

MF1

 

Ronnie

O’Sullivan

ING

2

6-4

Stephen

Maguire

ESC

17

MF2

 

Ding

Junhui

CHI

4

6-5

Mark

Selby

ING

1

(J: Jogador N: Nacionalidade F: Frame MF: Meia-Final)

 

Disputando-se ainda o G. P. Mundial/Ladbrokes (em Preston/Inglaterra) com a realização da final este domingo dia 25 de Fevereiro (distribuída por duas sessões uma às 13:00 e outra às 19:00) à melhor de 19 frames (vencendo quem ganhar 10 frames) ‒ conforme indicado no quadro seguinte.

 

Final:

 

Fase

J

N

RM

Vs.

J

N

RM

Data: 25.02

FINAL

Ronnie

O’Sullivan

ING

2

(mellhor de 19)

Ding Junhui

CHI

4

FINAL

Fase

 

J

N

RM

F

J

N

RM

F

1ª R

 

Robert

Milkins

ING

33

4-0

Mark

King

ING

20

4-1

2ª R

 

Yan

Bingtao

CHI

26

4-3

Mark

Joyce

ING

39

4-1

QF

 

Xiao

Guodong

CHI

28

5-0

Anthony

McGill

ESC

16

5-3

MF

 

Stephen

Maguire

ESC

17

6-4

Mark

Selby

ING

1

6-5

(R: Ronda MF: Meia-Final)

 

Na Final do Ladbrokes World Grand Prix a realizar hoje (domingo, 25) a partir das 14:00 (canal Eurosport) estando presente de um lado o Vice-Líder do RM, Líder do RM de 2017/18 e único jogador a ter vencido 3 provas esta época (no total estando presente em 6 finais 4 contando para o RM e 2 não contando) o Penta-Campeão do Mundo Ronnie O’Sullivan (a realizar este ano e sem dúvidas a sua melhor época dos últimos tempos) ‒ o galês Mark Williams (6ºRM) também tendo vencido 3 provas mas com 1 não contando para o RM ‒ e do outro o melhor jogador chinês da atualidade e um dos melhores do Mundo (Vice-Campeão do Mundo em 2016), tendo já ganho 1 prova de RM este ano e sendo 4ªRM e 7ªRM da época 2017/18 o chinês Ding Junhui.

 

(imagem: Getty Images)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:33

24
Fev 18

Tendo estado ainda na passada quinta-feira (dia 22) numa reunião realizada na cidade de Loulé juntando vários sectores da sociedade civil algarvia (câmaras, empresas, ambientalistas e outras figuras públicas) lutando contra a exploração de hidrocarbonetos em Portugal particularmente na Costa Vicentina e ao largo da Vila de Aljezur.

 

DSCF6813-Custom.jpg

Carlos Silva e Sousa

Numa reunião em Loulé contra a exploração de hidrocarbonetos

22.02.2018

(no retrato à esquerda)

 

‒ E onde foi um dos intervenientes e um dos signatários (como Presidente da Câmara Municipal de Albufeira) da declaração conjunta contra essa iniciativa (não desejada pela maioria da população vivendo no Algarve)

 

Pode-se afirmar neste momento (após o acontecimento e ainda mal acreditando nele) até como homenagem a um homem novo e que o povo dizia ser boa pessoa (algo que pude constatar),

 

Que o Presidente Carlos Silva e Sousa que inesperadamente nos deixou ao fim desse mesmo dia, talvez tenha concretizado o que sempre sonhara (sendo jovem/60 anos certamente não tudo o que sempre desejara) deixando-nos como um seu retrato e certamente como uma sua imagem de marca: mais um dia de trabalho sinónimo de Vida”.

 

«Qualquer decisão no sentido de manter os contratos vai contra o interesse público», algo que, avisa, terá consequências «políticas e jurídicas». «A única forma é o Governo provar que a exploração de petróleo vai dar mais dinheiro que o turismo. E isso não conseguem de forma nenhuma», defendeu o autarca.

(Carlos Silva e Sousa na sua intervenção de 22.02.2018 em Loulé contra a exploração de hidrocarbonetos/sulinformação.pt)

 

Carlos-Silva-e-Sousa.jpg

Carlos Silva e Sousa

Presidente da Câmara de Albufeira

(de 2013 a 2018)

 

Deixando certamente incrédulos aqueles que por várias vezes o viam passar de mala debaixo do braço e a caminho da Câmara parando para tomar um café ‒ sentando-se um poucochinho para falar com os senhores e com as senhoras que vendo-o até por (boa) educação (apresentando-se/cumprimentando-se) logo metiam conversa ‒ desaparecendo subitamente e (literalmente) sem aviso prévio.

 

Amanhã pela pessoa que era (conheci a mulher e um dos filhos ambas boas pessoas sempre um bom indicativo), pelo seu passado algarvio e pela cidade de Albufeira, certamente com muitas pessoas a acompanhá-lo (assim se inculcando na nossa memória a nossa cultura, tornando eternos e assim relembrando os que por cá já passaram) no seu último passeio pela cidade.

 

[Com o cortejo fúnebre a realizar-se este sábado a partir das 14:30 da Igreja Matriz de Albufeira em direção ao cemitério de Vale Pedras.]

 

(imagens: sulinformação.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:39

23
Fev 18

Tirando-lhes a temperatura em Fevereiro de 2018

 

Nestas duas imagens das luas de Marte obtidas a 15 deste mês e com uma parte das mesmas na escuridão e a outra iluminada, podendo-se observar as gamas de temperaturas observadas à superfície das mesmas (parte iluminada): no caso de Fobos com as temperaturas a variarem entre -133⁰C e -13⁰C/negativos e no caso de Deimos entre -163⁰C e -73⁰C. Como se constata sendo (numa estreita faixa da sua superfície) maior a amplitude térmica (na parte obviamente iluminada) em Fobos (120⁰C), registando simultaneamente essa lua a temperatura mais elevada (de Fobos e de Deimos): apenas 13⁰C negativos. Com Marte (o planeta à volta do qual as duas luas giram) a apresentar temperaturas variando (à sua superfície) entre os -143⁰C e os 35⁰C (mínima/máxima).

 

PIA22249.jpgPIA22250.jpg

Fobos e Deimos

Missão: 2001 Mars Odissey ‒ Instrumento: Themis ‒ Data: 15 Fevereiro 2018

(PIA 22249 e PIA 22250)

 

E aproveitando para falar um pouco das mesmas

 

As duas únicas luas conhecidas girando à volta do planeta Marte (e provavelmente oriundas da Cintura de Asteroides), a primeira ‒ a maior e mais próxima, e certamente a 1ª na sua aproximação gradual ao planeta, despenhando-se finalmente no mesmo ‒ orbitando-o (1/4 período orbital de Deimos) a uma distância de 9.377Km de Km de distância (e com um diâmetro de cerca de 22Km) e a segunda a uma distância de 23.460Km (e diâmetro de cerca de 12,5Km). Pelo contrário com Deimos (até pela sua distância e dimensão) a tender a afastar-se gradualmente de Marte. E agora que Elon Musk enviou o seu automóvel Tesla Roadster em direção ao planeta Marte, sendo talvez indicada uma passagem (obrigatória) pela sua lua Fobos, até para se ver se por lá existe algo de interessante e/ou talvez nunca visto (por exemplo e como alguns afirmam uma base de ET’S ‒ mas subterrânea para não ficarem congelados).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:34

Com a Verdade (Realidade + Imaginário) a andar por aí (The Truth Is Out There) e com o Homem (a raça dita dominante e inteligente) ‒ apesar da sua grande Proximidade (até com o planeta Marte) ‒ ainda a não a ter Compreendido.

 

Terra

 

PIA22219.jpg

1

Planeta Terra ‒ Havai ‒ registo de 1999

(PIA 22219)

 

Este cenário (1) poderia muito bem ser atribuído a um antigo leito provavelmente oceânico (ou fluvial) anteriormente encontrando-se submerso, e que nos dias de hoje passado um bom intervalo de tempo (muitos e muitos anos) por desaparecimento do material aí existente no seu estado líquido (o oceano ou o rio) e pela emersão do seu antigo leito no estado sólido, se apresenta como um terreno árido, desértico e seco (e aparentemente sem qualquer tipo visível de sinais de Vida) típico de uma superfície terrestre como por exemplo a do deserto do Sahara, de um curso de rio entretanto descontinuado, seco e abandonado ou de uma zona do nosso litoral (por exemplo sedimentar como o algarvio e com alguns vestígios antigos de material de origem metamórfica/vulcânica) entretanto e progressivamente tendo sido abandonada pelo mar. Num retrato facilmente obtido à superfície do nosso planeta mas (por acaso, por coincidência ou até como algo de muito Natural ‒ ou não fosse o Espaço uma sucessão infinita de réplicas) podendo não o ter sido: sendo registado na Terra (no Havai) como o poderia ter sido em Marte.

 

PIA16103.jpg

2

Planeta Marte ‒  Cratera Gale ‒ registo de 2012

(PIA 16103)

 

Marte

 

E sendo-o no nosso planeta como o poderia ser no outro (Marte), no caso do cenário seguinte (2) podendo representar o anterior (como fazendo parte da Terra), paralelos (em sequência) no tempo mas não noutras evoluções do Espaço, replicando situações vagueando (por aí) e por vezes sobrepondo-se (por camadas/por aqui): originando imagens de ambientes idênticos em sistemas com acelerações (e exposições) bem diferenciadas e colocando-nos perante realidades idênticas e/ou deslocadas. Num retrato obviamente podendo ser de Marte, um planeta formado na mesma altura que a Terra (e que todo o Sistema Solar), atualmente (e desde que há notícias) circulando nas nossas proximidades (sendo Marte o último Planeta Interior) não muito mais distante do Sol (a estrela de referência) e que no entanto ao contrário deste Ponto Azul e único (do Sistema Solar) suportando um complexo Ecossistema cheio de Vida e de Transformações ‒ dando prosseguimento à sua Evolução e persistência/resiliência ‒ aparentemente não o acompanhou (num trajeto cronológico paralelo e coincidente) apresentando-se no presente como um Mundo Morto (aparentemente) face ao seu simétrico a Terra vista como um Mundo Vivo (eventualmente):

 

Red_Giant_Earth_warm.jpg

3

A Terra daqui a 8 biliões de anos/carbonizada com o Sol já transformado numa Gigante Vermelha

E à medida que o Sol for envelhecendo (desde há 4/5 biliões de anos queimando hidrogénio, transformando-o em hélio e saturando o seu núcleo, encolhendo-o e acelerando as reações de fusão) e o seu brilho, calor e dimensão (exterior e como consequência) for aumentando (transformando-se numa estrela Gigante Vermelha), a tendência evolutiva (inevitável) será a de as condições (ambientais) da Terra se aproximarem das de Vénus (como já poderá ter ocorrido em Vénus relativamente a Mercúrio) e de o próximo Ecossistema (terrestre) se transferir para Marte.

 

O primeiro assente num Mundo (dito) estritamente Mineral (por interferências internas e externas relevantes só aplicados ao mesmo/Marte apesar da sua suposta proximidade/à Terra e ao seu ponto de referência e gerador/o Sol ‒ talvez devido a algum tipo de Evento marcante ocorrido ou à possibilidade de Marte ter tido origem e formação num local mais distante do atual) e onde a Vida (Mundo Orgânico) não se manifestou ou o seu Ciclo foi inesperadamente interrompido (talvez temporariamente ou definitivamente), o segundo numa etapa diferenciada da sua transformação e desenvolvimento (evolução) e apesar de ter a mesma origem e se desenvolver no mesmo meio (familiar) ‒ com organismos (organizados, inteligentes e dinâmicos) rodeando a estrutura central e mineral (ordenada a partir do caos/e vice-versa e apesar de replicativa, de base evolutiva estática) ‒ expondo um fator particular, diferenciado e único (para o Homem e na sua Zona de Proteção para já exclusivo) apresentando-se quase como um oposto do outro, utilizando (por associação) o Espelho (Mágico ‒ a Magia do Espaço/Tempo) da Bruxa Má no conto de fadas de A Bela Adormecida (“Espelho, espelho meu, Existe outra mulher mais bela do que eu?”).

 

(imagens: nasa.gov e wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:00

Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


18
20
22

26


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO