Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

06
Mar 18

[Introduzindo o Belo Neymar e o Monstuoso Sistema ... talvez vice-versa, ou então visto como um todo.]

 

1ª Sessão

 

Faltam leitos na Unidade de Terapia Intensiva/UTI neonatal para responder a toda a procura.

Não raramente as pacientes ficam em macas por falta de camas na enfermaria.

(Klaus Morales ‒ médico)

 

A exatos 50 metros daqui, no Hospital Mater Dei, o craque Neymar está internado para uma cirurgia ao quinto metatarso.

Helicópteros sobrevoam o hospital e não se fala em outra coisa nos noticiários a não ser nesse caso.

(Klaus Morales ‒ médico)

 

portaldoholanda-825190-imagem-foto-amazonas.jpg

Neymar já no Rio de Janeiro com a sua namorada Bruna

(em recuperação na sua residência de Mangaratiba avaliada em mais de 8 milhões de €)

 

Fica complicado para nós.

A gente tem uma figura pública tão importante fora do país, na comunicação social, quanto a Neymar, enquanto aqui dentro, em contrapartida, a gente está a sofrer com tantas coisas.

A violência, assaltos todos os dias, o ensino é de péssima qualidade.

Então, tudo isso também precisa de ser revisto, e a corrupção.

(Aderaldo Pulquerio ‒ manutenção)

 

É uma cirurgiazinha num dedo.

Com um problema desses no dedo a gente nem se preocupa com cirurgia.

Nem os hospitais dão atenção à gente.

(Geraldo de Oliveira ‒ taxista)

 

2ª Sessão

 

[Certamente que o culpado do usufruto destas mordomias a não ser o futebolista brasileiro Neymar da Silva Santos Júnior de 26 anos, só porque em Agosto do ano passado se transferiu do Barcelona para o Paris Saint Germain por 222 milhões de € ‒ tornando-se no jogador de futebolo mais caro do Mundo numa lista onde Cristiano Ronaldo só aparece em 6º com 94 milhões ‒ ficando a partir daí com um ordenado mensal de apenas 37 milhões de € (ou seja ganhando mais de 1€/s): originário de uma família humilde e residente na região de São Paulo, com o mesmo e a sua família (demonstrando inteligência, perspicácia e fazendo-o muito naturalmente) prevendo o sucesso de Neymar investindo no jovem jogador (mal chegado ao Santos em 2002 considerado pelo mesmo um fenómeno e protegendo o seu jogador/investimento) para no ano passado se confirmar o resultado e o sucesso da operação. Talvez que para o próprio (e para muitos outros) algo de merecido (até por atingir franjas mais pobres da população) mas por outro lado para todos os outros biliões (de pobres) sendo um Escândalo e um Ultraje mas cometido e permitido pelo Sistema Global onde de momento (numa nova etapa da Evolução Humana) já sobrevivemos: algo que também não ocorra um pouco/ou muito por todas as outras áreas (e com isto não pretendendo inocentar mesmo ninguém, participando conscientemente em todo este processo) mas que sendo Global já se tornou Banal ‒ deixando para nós (sobrando-nos uns trocos) o Euro Milhões e a Raspadinha.]

 

(texto/1ª Sessão: retirado em 06.03.2018 de 24.sapo.pt ‒ imagem: portaldoholanda.com.br/instagram.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:54

Exterior (Sistema Solar) e Interior (Hemisfério Norte) ao nosso Ecossistema

 

climatechange2018-3550.jpg

 

Na Terra

 

Enquanto na Terra e no que diz respeito particularmente à Europa o tempo (generalizando-se a todo o Hemisfério Norte atualmente atravessando a estação de Inverno) se mantem por um lado com precipitação intensa, rajadas de vento e forte agitação marítima (por ação da denominada tempestade EMMA) e por outro lado com condições meteorológicas proporcionando tempo extremamente frio, com queda de neve e formação de gelo (por ação da denominada tempestade Besta de Leste) ‒ colocando uma parte da Europa enregelada (a de leste) outra com precipitação intensa (a de oeste) e ainda outra no meio levando com as duas tempestades (a central) ‒ as consequências da junção destas duas tempestades atmosféricas e simultâneas uma vinda de oeste e a outra vinda de este, são desde já bem evidentes agora que as mesmas parecem estar lentamente a perder força: com as condições meteorológicas mais extremas e provocando mais vítimas mortais (ultrapassando já as 66) a serem da responsabilidade da Besta de Leste e logicamente sentindo-se mais os seus efeitos em países como a Polónia, a Republica Checa, a Lituânia, a Roménia, a Sérvia e a Eslovénia (com umas 40 vítimas mortais ou seja 60% do total) ‒ mas com o Reino Unido (ou não fosse uma ilha) a ser sem dúvida o território onde se registaram mais vítimas mortais (10 ou seja uns 15%) e com a Espanha um pouco atrás (6 ou seja uns 9%) os dois apanhando logo e em simultâneo com as 2 tempestades. No caso de Portugal (e do Algarve) com o nosso território a levar direta e maioritariamente com o impacto da tempestade Emma (oriunda do oceano Atlântico) ‒ provocando chuva/vento/agitação marítima ‒ e ainda mas em menor grau com as franjas intrusivas da Besta de Leste (ou não fosse a mesma oriunda do Ártico/Sibéria) provocando frio intenso e (a partir de certas altitudes) queda de neve. Hoje (dia 4 de Março de 2018) em Albufeira e pelas 14:00 com o céu a apresentar-se encoberto, com períodos de chuva fraca (ou chuviscos) e a temperatura a registar 17⁰C (com a previsão a apontar 10⁰C/17⁰C como a mínima/máxima).

 

static1.squarespace.com.jpg

Com a radiação na estratosfera a subir 13% neste período de 26 meses

(período 2015/17)

 

static1.squarespace.com.gif

Coincidindo este 24º Ciclo Solar com a aproximação de mais um mínimo de atividade do Sol

(e com os ciclos solares a diminuírem de intensidade desde 1980)

 

No Espaço

 

Já se por outro lado abandonarmos a Terra e o seu Ecossistema (a nossa celebrada Zona de Conforto) e nos virarmos agora para a análise do tempo mas neste caso o que se verifica (não na Terra) no Espaço, podendo-se tirar desse estudo outros ensinamentos importantíssimos por certamente estarem interligados e correlacionados, com tudo o que aqui se passa pelo menos a nível Meteorológico (como poderia ser a nível Geológico com evidências sismológicas e vulcânicas): nesse sentido sendo fundamental analisar e estudar todas as influências externas condicionando a Evolução (ao longo do tempo) do nosso espaço ocupado pelo (também ainda nosso como sua espécie dominante e inteligente) planeta Terra, ou seja prever tal como na meteorologia o “Tempo que faz no Espaço” (Space Weather). Desde logo e abandonado o interior da nossa preciosa e inimitável redoma de proteção (pelo menos segundo o que sempre nos disseram) a Terra ‒ em que o Homem (posto de lado o Geocentrismo) é visto como o substituto da Terra e como o novo Centro deste Mundo ‒ com essa realidade definitivamente a diluir-se e a ser substituída por uma outra em que o Sol é verdadeiramente o centro (e o foco originário de todo este conjunto, igualmente virtual por inserir/estar inserido noutros, sucessivamente sobrepostos no Espaço/Tempo), aliás como o deveria ter sido sempre ou não fosse ele o Deus protetor da Terra ‒ para o bem e para o mal. Razão pela qual o seu estudo (sua Transformação e Evolução) é tão importante para a Terra como para a nossa (do Homem) sobrevivência: um dia em que a sua influência se deixasse de sentir (do Sol) ‒ sobrepondo-se a ação dos Raios Cósmicos à ação dos Raios Solares ‒ ficando toda a Terra perigosamente exposta ao mais variados e inesperados fenómenos oriundos do exterior e para além da destruição desse sistema de proteção (do ecossistema terrestre com o Sol pela sua ação afastando os muito mais penetrantes e perigosíssimos raios cósmicos) com outras consequências tão ou ainda mais nefastas (coincidindo entre outros com um enfraquecimento do campo magnético terrestre, com a verificação evidente de alterações climáticas e até com manifestações geológicas, como deslocação de placas, sismológicas e vulcânicas) a completarem a formação de um cenário certamente bem negro.

 

protecting-apricot-field-from-frost-italy-february

Protecting apricot field almost in bloom from strong frost ‒ Italy, February 2018

Extreme cold results in severe agricultural damage across Europe, food prices rising

(watchers.news)

 

Na Terra e no Espaço

 

Numa altura em que um Cenário deste tipo poderá estar a formar-se (mais ou menos negro) para se manifestar num futuro já próximo (com alguns cientistas a afirmarem estarmos perto de um ponto de viragem ou seja de um pico, segundo eles com um marco a apontar provavelmente para uma espera máxima de uns 300 anos) ‒ ou não estivesse a nossa estrela num período de baixa atividade, cada vez mais sendo evidente o número reduzido de manchas solares aparecendo à sua superfície, num claro sinal de que o Sol (neste seu Ciclo Solar) se aproxima de um pico de atividade mínima (com pouquíssimas manchas visíveis) deixando a Terra entregue a si própria mas com as suas defesas em baixo (não pressionadas pelo Sol adormecendo, deixando entrar elementos indesejados). E em que diminuindo a contribuição indireta do Sol para a nossa proteção e da Terra (o vento solar também afasta elementos/corpos celestes indesejados), não só abrimos as portas aos Raios Cósmicos (extremamente poderosos, radioativos e penetrantes) mas igualmente a muitos mais elementos vagueando pelo Sistema e podendo atingir-nos em qualquer momento e com consequências (previsíveis) bem negativas: como será por exemplo o caso (mais significativo) dos viajantes do Sistema como serão (entre outros) os nossos conhecidos asteroides. E assim sem grande esforço e consultando apenas (nem que seja só hoje) o site Space Weather (spaceweather.com), podendo-se registar vários sinais desta notória evidência (entrando pelos nossos olhos e mesmo assim parecendo não o querermos ver e aceitar) ‒ resultando desse perigoso mas inevitável e periódico desequilíbrio raios solares/cósmicoscomo (1) a Explosão de Auroras, (2) o aparecimento de Nuvens Polares Estratosféricas e (3) o aumento assinalável da Radiação (cósmica) nessa mesma Estratosfera. Para além do já antes afirmado (essencialmente a nível do tempo na Terra e no Espaço circundante) provocando com a passagem dos sucessivos anos terrestres e Ciclos Solares (de cerca de 11 anos) alterações significativas a nível geológico comprovados com o agravamento das condições (na Terra) a nível sismológico e vulcânico: com todas as regiões vizinhas de falhas tectónicas (ou associadas a outras falhas menores) a serem as mais suscetíveis, como o será a região do sul de Portugal (sobretudo o litoral de Lisboa ao Algarve) e no topo dos topos, toda a região do Círculo de Fogo do Pacífico (a região mais ativa em todo o Globo terrestre) ‒ apanhando uma vintena de países (da Ásia, da América, da Oceânia, do Alasca até à Antártida) como (entre outros) o Japão, a Indonésia, a PNG (uma das zonas ultimamente mais ativas a nível sismológico) e toda a costa do Continente Americano (de norte a sul desde o Canadá até ao Chile).

 

(imagens: conferenceseries.com ‒ climatedepot.com ‒ Andrea Goggioli/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:34

Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10



25
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO