Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Abr 18

À entrada dos Quartos-de-Final do OPEN da CHINA (Pequim 2/8 Abril) apenas 2 jogadores (entre 8) não integrando o TOP16, ultrapassaram a 3ª ronda da prova: (os ingleses) Jack Lisovski e Tom Ford. Sem dúvida que entre os 8 apurados a ser Tom Ford a ter o percurso mais acessível (enfrentando jogadores menos cotados e até um outro s/RM), tendo no entanto eliminado Elliott Slessor o carrasco de Ronnie O’Sullivan (eliminando The Rocket logo na 1ª ronda, despachando-o por 6-2). Tendo como melhores prestações (desde 2003) a presença na final do Paul Hunter Classic (de 2016) e a presença nas meias-finais do Players Championship (de 2012) e do Shoot-Out (de 2011).

 

Quartos-de-Final

6 Abril

01:00 e 07:30 (hora de Portugal)

 

[Contando ainda com a presença dos 2 finalistas do Open da China 2017: Mark Selby e Mark Williams (na Final com o inglês a bater o galês por 10-8) – e desde já enfrentando-se!]

 

1024px-Tom_Ford_PHC_2016-2.jpg

Tom Ford

(34 anos)

 

QF

J

N

RM

RQ

1ªR

2ªR

3ªR

1

Mark

Selby

ING

1

Wang

Yuchen

(91ºRM/CHI)

6-4

Scott

Donaldson

(60ºRM/ESC)

6-4

Ben

Woollasten

(41ºRM/ING)

6-3

Lu

Haotian

(68ºRM/CHI)

6-1

 

Mark

Williams

GAL

6

Ian

Preece

(83ºRM/GAL)

6-1

Thepchaiya

Un-Nooh

(58ºRM/TAI)

6-1

Michael

Holt

(28ºRM/ING)

6-1

Mark

Allen

(16ºRM/IRLN)

6-5

2

Jack

Lisovski

ING

30

Gerard

Greene

(90ºRM/IRLN)

6-4

Anthony

Hamilton

(29ºRM/ING)

6-1

John

Higgins

(5ºRM/ESC)

6-2

Gary

Wilson

(39ºRM/ING)

6-2

 

Kyren

Wilson

ING

10

Li

Yuan

(95ºRM/CHI)

6-0

Andrew

Higginson

(59ºRM/ING)

6-3

Mark

King

(20ºRM/ING)

6-4

Ding

Junhui

(3ºRM/CHI)

6-5

3

Neil

Robertson

AUS

11

Robin

Hull

(109ºRM/FIN)

6-4

Robbie

Williams

(48ºRM/ING)

6-3

Sam

Craigie

(75ºRM/ING)

6-5

Zhou

Yuelong

(32ºRM/CHI)

6-1

 

Stuart

Bingham

ING

12

Jimmy

White

(101ºRM/ING)

6-2

Mattew

Stevens

(52ºRM/GAL)

6-5

Ricky

Walden

(27ºRM/ING)

6-5

Graeme

Dott

(21ºRM/ESC)

6-2

4

Barry

Hawkins

ING

8

Josh

Boileau

(111ºRM/IRL)

6-4

Sam

Baird

(63ºRM/ING)

6-3

Michael

White

(31ºRM/GAL)

6-1

Cao

Yupeng

(38ºRM/CHI)

6-5

 

Tom

Ford

ING

33

Jamie Curtis-Barrett

(115ºRM/ING)

6-3

Yuan

Sijun

(100ºRM/CHI)

6-2

Elliot

Slessor

(69ºRM/ING)

6-4

Lu

Honghao

(s/RM/CHI)

6-2

(QF: Quartos-de-Final J: Jogador N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial R: Ronda Q: Qualificação)

 

Nos 8 apurados para os QF com a maior comitiva a ser a inglesa (6), seguida da galesa (1) e da australiana (1). E entre eles contando com 4 Campeões do Mundo: Mark Selby (2016 e 2017), Mark Williams (2000 e 2003), Neil Robertson (2010) e Stuart Bingham (2015). De momento com a maior tacada (centenária) atribuindo um prémio (extra) de 50.000£, a estar dividida (25.000£ para cada um) entre o inglês Stuart Bingham e o eliminado (e seu compatriota) Ronnie O’Sullivan (com 147). Podendo ainda o galês Mark Williams caso ganhe o Open da China vencer a sua 4ª prova da época (2017/18) e aproximar-se do líder o inglês Ronnie O’Sullivan (com 5 mas todas contando p/RM).

 

(imagem: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:45

Uma confirmação meteorológica da coligação América/Sauditas?

(a Rússia/China/Irão/Coreia do Norte que se cuidem, pois não será a neve que os salvará)

 

DZyjkRiXkAE_bkG.jpgDZyqukwVMAEoc3E.jpg

Nova Iorque

 

Estreitando (ainda mais) as suas excelentes e amplamente reconhecidas relações Económico-Financeiras assim como Militares (estabelecidas entre ambas),

 

Eis que duas poderosas nações como os Estados Unidos da América (a maior potência mundial) com mais de 300 milhões e a Arábia Saudita (um dos seus mais fortes clientes e aliados) com mais de 28 milhões,

 

‒ Num total de 5% da População Mundial ‒

 

Decidem agora unir os seus esforços mas a nível Climático: proporcionando simultaneamente aos seus cidadãos (de modo a fortalecer o elo de ligação entre os dois povos) e certamente para o usufruto dos mesmos (mostrando os diversos cenários de prazer possíveis de colocar à sua disposição), um espetáculo maravilhoso de neve e de pura brancura.

 

saudi-arabia-snow1-april-2018.jpg

Arábia Saudita

featured-saudi-arabia-snow-april-2018.jpg

 

Já agora e não se incomodando minimamente (por um lado) com as questões relacionadas com as Alterações Climáticas e o Aquecimento Global (por sinal bem preocupantes),

 

‒ Que no fundo só trazem chatices e despesas ‒

 

Optando em sua substituição e aproveitando as condições meteorológicas ainda disponíveis e propícias (no início de Abril acabados de sair do Inverno) por simular uma projeção idêntica no interior de cada um dos seus territórios (naturalmente delimitados) sugerindo apesar das distâncias (entre EUA e Arábia Saudita) serem potenciais irmãos:

 

No passado dia 4 de Abril de 2018 (ontem) com a neve a cobrir Nova Iorque (a maior queda de neve desde 1982) e partes da Arábia Saudita (sentindo-se logo a descida de temperatura no dia anterior na região de Asir).

 

(imagens: @ Ascension Guide/DevonESawa/spagov/bigxboy Twitter.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:00

Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
21

22
25
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO