Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Abr 18

Palácio Celestial 1

02.04.2018 ‒ 01:16

Oceano Pacífico

RIP

 

E no dia 2 de Abril de 2018 (segunda-feira) pelas 01:16 da madrugada (hora de Portugal), a Estação Espacial Chinesa Palácio Celestial I ‒ colocada em órbita da Terra em 29 de Setembro de 2011 ‒ encontrou o seu fim ao reentrar na atmosfera terrestre (mais de seis anos depois).

 

snapshot T.jpg

A Queda da Estação espacial Chinesa

TIANGONG-1

Sem imagens do sucedido nem do espetáculo prometido

 

Reentrando na atmosfera numa zona do Globo Terrestre localizada no Hemisfério Sul (entre 0⁰S/30⁰S de latitude e 150⁰W/180⁰W de longitude) ‒ durante o seu período diurno ‒ felizmente (não sendo habitado) sobre o oceano (Pacífico) a oeste do litoral sul-americano.

 

(imagem: Mistérios do Espaço/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:15

A cerca de 30 minutos da reentrada da Estação Espacial chinesa TIANGONG-1 na atmosfera terrestre (sobre um determinado território marítimo ou terrestre), a última atualização da SATVIEW e da USstratcom sobre as coordenadas desse ponto de referência (de reentrada):

 

forec_37820U.jpg tip_37820U.jpg

Ilustração da reentrada prevista da Tiangong-1

(segundo a SATVIEW e a USstratcom)

 

Nesta atualização (feita às 23:11 em Portugal) e no que diz respeito à SATVIEW com a estação Tiangong-1 a reentrar na atmosfera terrestre na segunda-feira à 01:25 (de Portugal) sobre o oceano Pacífico; e quanto à USstratcom à 01:49 (de Portugal) sobre o oceano Atlântico.

 

(imagem: satview.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:57

1 - A Questão do Inferno (como algo de normal)

 

1803301627-Apparently-Pope-Francis-said-there-is-n

 

[Conclusão tirada (certamente pelos seus executantes) de uma entrevista (dita informal) levada a cabo (nesta época de Páscoa) pelo fundador do jornal italiano Repubblica ‒ Eugenio Scalfari (um reconhecido ateu) ‒ tendo como entrevistado o representante máximo desta Fé na Terra ‒ o Papa Francisco (atual líder da Igreja Católica Romana e obviamente um crente). Naturalmente com o Papa (inocente como uma criança e tendo em consideração a posição do ateu aí presente) estando mesmo a pedi-las.]

 

"THERE IS NO HELL"

 

Eugenio Scalfari:

 

Your Holiness, in our previous meeting you told me that our species will disappear in a certain moment and that God, still out of his creative force, will create new species. You have never spoken to me about the souls who died in sin and will go to hell to suffer it for eternity. You have however spoken to me of good souls, admitted to the contemplation of God. But what about bad souls? Where are they punished?

 

Pope Francis:

 

"They are not punished, those who repent obtain the forgiveness of God and enter the rank of souls who contemplate him, but those who do not repent and cannot therefore be forgiven disappear. There is no hell, there is the disappearance of sinful souls."

 

[Como se pode verificar uma afirmação atribuída ao Papa (Francisco) e certamente tendo sido rapidamente transformada num autêntico pesadelo (senão mesmo tragédia) para toda a Igreja e sua Estrutura (pondo em causa a existência do Inferno um verdadeiro escândalo) ‒ e logo nesta altura das festividades da Páscoa ‒ quando o Mundo está cada vez mais violento e se sente e se vê (cada vez mais intensamente e mais perto de nós) a presença do Inferno.]

 

2 - E a Resposta de S. Pedro (como algo de paranormal)

 

what-if-no-hell.gif

 

Segundo diversos órgãos de Comunicação Social (por essência e por mera questão de sobrevivência/como é o caso do diário sensacionalista inglês The Sun) ‒ associando as Declarações do Papa Francisco (alegadamente afirmando a não existência do Inferno) com um incidente imediatamente após ocorrido na Basílica de S. Pedro (com materiais do teto da basílica a caírem inesperadamente) ‒ com os mesmos a reclamarem a ocorrência do incidente (e a sua correlação com o anterior) como uma resposta clara e imediata das Entidades Divinas.

 

Com fragmentos oriundos do teto da Basílica de S. Pedro a caírem mesmo ao lado da Pieta (de Michel Angelo) ‒ por pouco não a atingindo (a estátua) assim como todos os crentes, fiéis e outros adoradores aí presentes ‒ e como consequência com Deus, S. Pedro, a Pieta ou outro qualquer creditado-intermediário (interagindo por reação à ação inadvertida do seu representante na Terra) respondendo com um ato espetacular e indesmentível (e como tal convincente) da mais pura Ação Direta.

 

[E tudo isto tendo ocorrido apenas porque alguém (num estilo paralelo mas coincidente com as Fake News, daí a entrevista dita informal) ‒ e sendo-lhe permitido tal encontro ‒ resolveu por palavras suas (talvez sentindo-se Iluminado) responder por escrito como se fosse o interprete/tradutor de alguém (refletindo no espelho e por escrito, uma troca de pontos de vista/orais/gestuais concretizados de um modo isolado e desligado), levando alguém a divulgar aquilo que nunca foi dito e se necessário a inverter mesmo a ordem inicial das Ideias. Ossos do ofício neste Mundo de inveja e agora de elaborada e extrema suspeição.]

 

(texto/inglês: cnsnews.com/repubblica.it/rorate-caeli.blogspot.com ‒ imagens: onenewspage.com e theosophical.wordpress.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:11

01
Abr 18

A menos de 6 horas da reentrada da estação espacial chinesa TIANGONG na atmosfera terrestre, com o ponto de impacto com a Terra a poder verificar-se (talvez e em tom de palpite) sobre o Atlântico (Centro-Sul), África (Central) ou Sudoeste Asiático: num espetáculo (seja diurno ou noturno) certamente único e raro de se ver (e de se saber a sua hora), proporcionando-nos o usufruto de um verdadeiro cenário de cores e de luzes (e de estrondos e explosões como num grande Fogo de Artifício) só equiparável às Bolas de Fogo e a outros viajantes espaciais.

 

DZr_9_WW0AI5fZM.jpg

Estação espacial Chinesa TIANGONG-1

 

Entre o final do dia 1º de Abril e o início do dia 2 de Abril, um objeto voador da dimensão de um autocarro escolar (10,4m X 3,4m) e orbitando desde 29 de Setembro de 2011 o planeta Terra – a uma distância entre 161Km/170Km e tendo-o feito mais de 37500 X – no seguimento do seu descaimento acelerado registado (de mais de 250Km para cerca de 160Km) desde o início do mês de Março (deste mesmo ano), entrará na atmosfera terrestre (atualmente a uma V = 28000Km/h), desintegrando-se na sua queda (devido à intensa energia de atrito libertada) e impactando finalmente com a superfície terrestre.

 

Um objeto com um peso inicial estimado em 8500Kg e que passada a sua fase de penetração atmosférica e desintegração progressiva (face ao atrito atmosférico brutal envolvendo-o à sua passagem), segundo os cientistas (acompanhando os momentos finais do mesmo) ainda atingirá a Terra com fragmentos podendo atingir uns 100Kg/200Kg: um impacto ainda sem o momento rigorosamente marcado (no Tempo) e ainda-por-cima sem a sua localização minimamente definida (no Espaço) – a não ser numa larga faixa terrestre compreendida entre as latitudes 43⁰N e 43⁰S.

 

alt_decay_1-1.png

Decaimento da estação Tiangong-1 ao longo do último mês de Março

 

Tratando-se esse objeto – em fim de vida ativa e indo colidir com a superfície terrestre – de uma pequena Estação Espacial de origem chinesa entrando ao serviço em 2011 e deixando de comunicar em 2016 (altura em que deixou de poder ser controlada) – a TIANGONG-1 ‒ um pequeno veículo espacial (um protótipo de estação) composto por dois únicos módulos (um deles para os tripulantes) com cerca de 15m³ (segundo os chineses o suficiente para 3 astronautas), tendo recebido nos anos de 2012/13 duas visitas de duas missões (de astronautas chineses), nelas se incluindo 4 homens e ainda 2 mulheres.

 

E com Portugal localizado no interior da área de potencial reentrada e de Impacto (situado como está entre os 37⁰/42⁰ de latitude N) do objeto denominado como Palácio Celeste I (uma réplica em miniatura da ISS, com um volume 24 X inferior e com uma massa quase 50 X inferior): num quadro de probabilidades havendo sempre a hipótese de Portugal poder vir a ser atingido (mesmo que mínima e equivalente a acertarmos num Jackpot), localizado como está na zona de sombra da estação (território sob ação de possíveis fragmentos) entre as latitudes (aproximadas) de 37⁰N/41⁰N.

 

forec_37820U.jpg

Possibilidade/previsão de reentrada da estação Tiangong-1 em 01.04.2018

 

A menos de 6 horas da reentrada da Estação Espacial chinesa Tiangong-1 na atmosfera terrestre (apontando de momento para a 00:05 da madrugada de segunda-feira/dia 2 de Abril em Portugal) com a sua próxima passagem (prevista) sobre território português a ocorrer por volta das 05:00 do dia 2 de Abril (durante quase 6 minutos) ou seja em princípio já depois da estação espacial ter entrado na atmosfera, ter-se desintegrado e ter impactado (com terra ou com água): não se correndo (em princípio) o perigo de levarmos com algo de inesperado na cabeça (como o temia Obélix), caído do céu e podendo ser mortal.

 

Na transição de domingo (1º de Abril, Dia de Páscoa e Dia das Mentiras) para a segunda-feira seguinte (2 de Abril) e confirmando-se a inviolabilidade do nosso território (não tendo sido minimamente afetado) com todas as previsões a apontarem como possíveis alvos de impacto da estação chinesa Tiangong-1 (e do que dela restar) um destes oceanos ou um destes continentes ‒ sendo naturalmente diferente o efeito do impacto (do objeto aí estimado em 100Kg/200Kg) seja no oceano ou em terra firme (podendo neste último caso ser habitada ou não): envolvendo todos os continentes e os principais oceanos.

 

(imagens: ESA/@esa/twitter.com ‒ esa.int ‒ satview.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:36

Numa ilustração de dois minissatélites MarCO previstos para orbitarem MARTE a muito curto-prazo (lançamento marcado para o início de Maio de 2018) e tendo como função principal acompanhar a missão InSight (aterrando em Marte nos finais de Novembro de 2018)

 

PIA22316.jpg

Marte – Ilustração

(PIA 22316 – Missão InSight – Instrumento MarCO)

 

– Duas missões da responsabilidade da NASA concretizadas através de um lançamento conjunto utilizando um foguetão Atlas V 401, a segunda (InSight) destinada a aterrar na superfície do planeta (estudando-o sismograficamente e a nível de transferências de calor) e a primeira (MarCO) acompanhando a missão anterior, recolhendo os dados obtidos pela mesma e posteriormente retransmitindo-os para a Terra (sobretudo em momentos críticos da entrada, descida e aterragem em Marte)

 

A visão do que poderá ser um exemplo raro de uma Visita de Estudo a um Planeta distante (a 31 de Julho de 2018 estando a menos de 58 milhões de Km) sendo acompanhada na sua viagem por duas escoltas de segurança. Algo podendo ser estendido e adaptado (utilizando estes minissatélites ou outros como os nano satélites) a projetos similares, alcançando outras distâncias mesmo que no espaço profundo.

 

No caso do ainda misterioso Planeta Vermelho com a mesma idade da Terra (e de todo o Sistema Solar uns 4,5 biliões de anos) mas sem Ar, Água e Vida (orgânica)

 

– Apenas exibindo o esqueleto (da estrutura central) o Mundo Mineral –

 

Insistindo-se na procura de algum sinal ou vestígio de algum desses elementos (ou de algum possível presságio) sugerindo um possível contrário noutro Tempo (na juventude de Marte e do próprio Sistema) e noutro Espaço (mais denso no início da expansão):

 

PIA22238_modest.jpg

Marte – Valles Marineris

(PIA 22238 – Missão MRO – Instrumento HiRISE)

 

Como o parece indicar a imagem recolhida na região do Vale MARINERIS,

 

- Na parte superior apresentando-nos camadas de material (rochoso) com texturas e coloridos diferenciados provavelmente de origem vulcânica (demonstrando-nos que o planeta já poderá ter sido outrora geologicamente ativo)

 

- E na parte inferiora (arenosa) outro tipo de material tendo sido sujeito a largo e intenso bombardeamento e a possíveis interações com água (ao longo da História Geológica de Marte).

 

Um planeta que segundo muitos cientistas poderá há biliões de anos atrás ter possuído um oceano (menor que o terrestre), possivelmente uma atmosfera (parecida com a nossa), atividade vulcânica e juntando tudo isto (porque não) até apresentando sinais de Vida orgânica (mesmo que primitiva).

 

Depois da Lua (a uns míseros 400.000Km de distância) sendo Marte o corpo celeste (o Planeta Interior) mais apetecível por colonizável

 

- Melhor só os corpos celestes (na região dos Planetas Exteriores) com água mas já muito (mais) distantes:

 

Como será o caso (tomando em consideração a distância à Terra) do planeta-anão CERES/4UA estimado em 25% de água gelada e sobretudo de Europa/5.2UA uma das luas de Júpiter com um grande oceano subterrâneo.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:50

Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
21

22
25
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO