Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Mai 18

Planeta Terra & satélite Terra

 

Numa ação da NASA (responsável pela missão no Espaço) e da Lockheed Martin (o construtor do Veículo Espacial), a contribuição de mais uns quantos instrumentos (um deles sendo o MISR) para um estudo mais exaustivo e rigoroso do planeta Terra ‒ neste caso equipando o planeta Terra. Aqui focando-se no vulcão (norte-americano) Kilauea.

 

PIA22450.jpgPIA22451.jpg

1/2

Erupção do vulcão Kilauea

(Havaí/EUA ‒ 2018)

Satélite Terra ‒ Instrumento MISR ‒ Projeto EOS

 

Dois registos fotográficos referidos a 6 de Maio de 2018 (passado domingo) e capturados pelo instrumento MISR (Multi-angle Imaging SpectroRadiometer) equipando o satélite TERRA (lançado em Dezembro de 1999 e inserido em órbita da Terra a 705Km de altitude): com o instrumento MISR a integrar um total de 9 câmaras (apontando todas para diferentes direções), permitindo com esse processo (de registo múltiplo) analisar uma determinada zona do globo terrestre de 9 ângulos diferentes, certamente permitindo a recolha de dados mais extensos e rigorosos. Tendo a missão Terra (satélite com um período orbital de quase 99 minutos) como objetivo o estudo do clima e da sua relação com a evolução da Vida na Terra, proporcionando-lhe condições ambientais (ideais ou pelo menos as mais indispensáveis) para tornar o planeta habitável e o seu Ecossistema compatível com a sua Fauna, com a sua Flora e com a sus espécie dominante o Homem: focando-se no estudo da ação dos Aerossóis, das Nuvens e da Superfície do nosso planeta (e dos fenómenos que aí se passam). Num projeto (MISR) integrando o EOS (Earth Observing System) ‒ um conjunto de satélites colocados em órbita da Terra e tendo como função “observar a Superfície da Terra, a sua biosfera, a sua geologia, a sua atmosfera e os seus oceanos” tentando compreender melhor (evitando-as/solucionando-as) as causas para as (visíveis e preocupantes) Alterações Climáticas.

 

“The goal of NASA's Earth Observing System (EOS) is to increase our understanding of the climate changes that are occurring on our planet, and the reasons for these changes, so we are better equipped to anticipate and prepare for the future. The MISR instrument is a part of EOS.”

(misr.jpl.nasa.gov)

 

Planeta Terra & vulcão Kilauea

 

“Hawaii's Kilauea volcano has already shocked the world by sending massive walls of lava into houses and eating up cars and spreading acid rain across the island. But that might just be the beginning. Experts fear that the complex system underneath the volcano could be about to reach a new stage, which could see a blanket of ash and boulders the size of fridges thrown out of the volcano.”

(Andrew Griffin/independent.co.uk/11.05.2018)

 

Hawaii-volcano-eruption-Kilauea-957372 A.jpgHawaii-volcano-eruption-Kilauea-957372 B.jpg

3/4

Erupção do Kilauea (fase iniciada a 3 de Maio) situado no Parque Nacional de Vulcões

Obrigando ao seu encerramento devido à emissão de cinzas, de lava e de gases (tóxicos)

Com o nível da lava a descer acumulando-se, aumentando a pressão e podendo explodir

 

“On May 3, 2018, a new eruption began at a fissure of the Kilauea volcano on the Island of Hawaii. Kilauea is the most active volcano in the world, having erupted almost continuously since 1983. Advancing lava and dangerous sulfur dioxide gas have forced thousands of residents in the neighborhood of Leilani Estates to evacuate. A number of homes have been destroyed, and no one can say how soon the eruption will abate and evacuees can return home.”

(nasa.gov/09.05.2018)

 

105189176-GettyImages-955550858.1910x1000.jpg

5

Após a erupção registada no vulcão havaiano de Kilauea

No início do mês de Maio em Pahoa/Havaí/EUA

Com a cinza vulcânica lançada para a atmosfera a estender-se agora para regiões vizinhas

 

Com a NASA a mostrar-se particularmente interessada pela atividade registada neste vulcão localizado no estado norte-americano do Havaí (na maior ilha do arquipélago, vulcânica e situada na região de Pahoa), tomando em consideração o complexo sistema existente debaixo do mesmo, os sinais sísmicos a ele associados, a evolução (visível) exterior e a forte possibilidade desta fase eruptiva evoluir para uma outra muito mais violenta, lançando um aviso passando a alerta emitido pelas autoridades responsáveis pelo seu acompanhamento (a United States Geological Survey ou USGS), dada a grande probabilidade do vulcão Kilauea para além de continuar a emitir mais cinzas para a atmosfera e a lançar rios de lava sobre campos e casas destruindo e soterrando estradas e carros, evoluir para uma intensificação extrema da sua atividade (tornando-se explosiva) passando então a lançar cinzas e calhaus podendo atingir a dimensão (dramática e mortal) de um frigorífico. Segundo os especialistas desde há alguns milhares de anos com o vulcão havaiano a ter tido comportamentos semelhantes ‒ atravessando ou não uma fase mais violenta ‒ por uma meia-dúzia de vezes, tendo os dois últimos registos (relevantes) ocorrido em 1925 e 1970: podendo explodir ou não.

 

"If it goes up, it will come down". "You don't want to be underneath anything that weighs 10 tons when it's coming out at 193 km/h." The explosion will be so dramatic because of the structure of the volcano. Recent events have been changing the make-up of the volcano – and bringing about the explosive situation.

(Andrew Griffin/independent.co.uk/11.05.2018)

 

(imagens: 1/2-nasa.gov ‒ 3/4-express.co.uk ‒ 5-cnbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:34

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO