Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

30
Jun 18

[No Céu desde já este Verão]

 

Alan-Dyer-Planet-Panorama-at-Prairie-Pond_15295237

1

Vista panorâmica com o brilho dos planetas refletido nas águas

De Marte à direita e de Júpiter à esquerda

 

Com o planeta Marte no cumprimento da sua Translação Anual,

 

‒ Com o ano marciano (associando essa translação anual ao tempo que o planeta demora a fazer o seu movimento completo em torno do Sol) a durar quase 687 dias

 

A aproximar-se cada vez mais (menor distância entre eles desde há quinze anos) do seu ponto de maior aproximação ao planeta Terra,

 

‒ Previsto para o dia 31 de Julho de 2018 com a Terra e Marte a separarem-se por apenas uns 57,6 milhões de Km (podendo esta distância variar entre um mínimo de cerca de 55 milhões de Km e um máximo andando pelos 400 milhões de Km)

 

Bastando olhar para o céu noturno mesmo que a partir de Albufeira (por exemplo hoje a partir das 23:00 e se a visibilidade do céu o permitir) para ver como o planeta brilha cada vez mais intensamente e parecendo um pouco maior (comparando-o com anos anteriores).

 

skymap.png

2

Este sábado dia 30 de unho como nos seguintes

Com Marte em Capricórnio

 

Com esta aproximação de Marte à Terra colocando-o tão perto do seu mínimo estimado (de 57,6 para 55 milhões de Km),

 

‒ Colocando Marte a rivalizar no céu com estrelas e planetas ‒

 

Projetando sobre nós alguma da luz por si refletida e oriunda do Sol (sendo a tela a água proporcionando um fenómeno comum de se observar com o Sol e com a Lua, já menos com Vénus e Júpiter e muito raro com Marte):

 

Como o demonstra o retrato do céu noturno registado de 19 para 20 de Junho (por Alan Dyer) em Alberta (Canadá), com Marte bem brilhante (e fixo) lá em cima, rodeado de estrelas (cintilantes) e abafando o Gigante (mas distante) planeta Júpiter

 

(ainda há pouco tempo ‒ meados de Maio ‒ atingindo igualmente o seu ponto de maior aproximação à Terra na ordem dos 400 milhões de Km).

 

Alan-Dyer-Martian-Glitter-Path_1529523785.jpg

3

Com o planeta Marte bem brilhante

Como demonstra o seu forte reflexo nestas águas tranquilas da Terra

 

Marte:

 

Visível a partir do anoitecer sobre a constelação Copérnicos,

 

‒ Sendo (entre outras características) um planeta com 6779Km de diâmetro (pouco mais de metade do da Terra), com massa relativa cerca de 1/10 da nossa (Terra) e um dia aproximado ao nosso (pouco mais de 24,6 horas)

 

Num fenómeno bem visível durante as próximas semanas (mesmo a olho nu e se as condições atmosféricas o proporcionarem ‒ o mais natural dado estarmos no Hemisfério Norte e no Verão) e só voltando a suceder (nestas condições e distâncias mínimas) dentro de 15/17 anos.

 

[E só para chatear estando hoje um dia de Verão mais próprio da época de Inverno ‒ tal como antecipara o IPMA prevendo chuva para este sábado ‒ com chuva e céu encoberto e não se vendo Marte nem por um canudo, mesmo sendo um telescópio.]

 

(imagens: 1/3 Alan Dyer/spaceweather.com e 2 theskylive.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:46

[E Outros como estes futuramente envolvidos em Sacos de Plástico]

 

Afinal sempre existe vida alienígena em Marte e tal como os mexicanos, os marcianos também se mostram bastante preocupados

(especialmente depois de Trump já o ter feito e de entretanto os Clinton os terem contactado).

E existirá Vida no Algarve para nos livrarmos das Plataformas?

 

Desde há vários dias estando meio adormecida aparentemente como medida de proteção contra a Grande Tempestade (de areias e poeiras) que tem atingido há cerca de um mês e a Nível Global o planeta Marte, o veículo motorizado OPPORTUNITY entre duas imagens de fundo preto polvilhado por um numeroso conjunto de pontos brancos (o Espaço negro e estrelado visto a partir da superfície de Marte), presenteou-nos hoje de uma forma surpreendente e sem que ninguém tivesse o tempo necessário para reagir (com eficácia) com uma outra imagem deveras perturbadora (entretanto e logicamente apagada):

 

mars-aliens-telling-fuck-off-go-home.jpg

 

Colocados de frente para o que parece ser um dos dois ROVERS ainda ativos oriundos do planeta Terra (o nosso) ‒ provavelmente o OPPORTUNITY (como poderia ser o seu irmão mais novo o CURIOSITY) ‒ e sabendo-se de antemão (pelos vistos cá como lá) serem ambos norte-americanos e no presente estarem sob o comando do Todo-Poderoso terrestre de nome Donald Trump, querendo crer através da análise mais direta e imparcial deste pretenso retrato (logo sendo tanto objetiva como subjetiva, podendo estar certa como errada, mas sendo necessária e obrigatória) estarmos perante mais uma iniciativa de protesto contra Invasores e Colonizadores: num mundo em muitos aspetos (e à vista desarmada) dito morto como o nosso.

 

E conhecendo-se o que eles (os colonizadores norte-americanos) fizeram com os Índios (e outros indígenas terrestres) e o que outros tentam igualmente fazer connosco (querendo esburacar Aljezur na senda dos hidrocarbonetos) não sendo tempo de desconfiar (e contemporizar/adiar) mas sim hora de lutar (com as mãos fazendo obra e com a cabeça imaginando): neste retrato certamente de família (alienígena e impensável mesmo sendo mexicanos) registado num povoado marciano (em princípio sem Água e sem Vida) deparando-nos com outros Seres (talvez aproveitando a renovação temporária e positiva da em princípio ténue atmosfera de Marte) intervindo e manifestando ‒ demonstrando-nos como utilizando uma simples fuga (mesmo proporcionada pelos Média) se pode por momentos alterar a Realidade impondo-lhe a nossa Imaginação para uma inevitável (por Verdadeira e da Alma) desconstrução.

 

Desde que interiorizemos que no fundo somos nós os Descendentes da Máquina (e não como outras réplicas/como nós desse sempre nos ensinaram, ou seja precisamente o oposto, sendo o Homem o suposto seu criador) ‒ comprovando-se essa teoria na nossa obsessão pela mesma e na sua Ideia central consubstanciada na Tecla (mortal) da Perfeição: sendo material de desgaste, rápido e naturalmente sujeito a erros (todo o animal/vegetal circulando nesta Terra), nada melhor que criarmos (à nossa Imagem mas no Espelho) a dita Máquina Perfeita (no fundo um enganador Sucedâneo). Com Droga (legal/ilegal qual a diferença real?) apenas para facilitar (e até acelerar o processo). E no caso (talvez não tão extremo, talvez não tão surpreendente) de num dia alguém se decidir por rebentar (de vez) com toda a costa Algarvia, já estando em terra metade do trabalho feito (convertendo-se os apartamentos turísticos em pontos de apoio às plataformas), faltando apenas encher o mar (de barcos, tubagens e plataformas) mudando-se-lhe unicamente a cor e a sua consistência (talvez a do petróleo).

 

(imagem: cluesforum.info)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:41

Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
14

17
19
21



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO