Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Jul 18

 

Breve Nota Introdutória

(devendo ser vista, mas não desvalorizada, como uma leitura de Verão ‒ agora que o tempo por aqui parece estar mesmo a aquecer)

Screenshot_2018-07-11 Billboard of alien Trump ins

Trump o Alienígena

Entendido como o Bom

Para além da Intervenção Alienígena (BOA) e do seu declarado e óbvio apoio aos EUA (ou não se declarasse este a maior potência sobre o nosso planeta e não fosse mesmo o destino privilegiado de muitas das mais antigas e famosas visitas como terá sido o caso Roswell em 1947), nunca sendo de desprezar a intrusão de sectores marginais e minoritários derivando pela nossa Galáxia (ao qual pertence o nosso Sistema Solar a Via Láctea), à sua chegada (não declarada e inopinada) inevitavelmente e à falta de intermediários representativos (hierárquica e oficialmente), credíveis (na Política, na Religião, na Ideologia) e como tal maioritários (o cerne da questão e o alvo das democracias totalitárias, objetivamente não nos dando tempo para pensar/trabalhar/criar, mas unicamente para perpetuar/replicar/morrer), obrigatoriamente direcionando-se para o Outro Lado (o Eixo do Mal corporizado na China/hoje pelo seu Presidente Xi e na Rússia/hoje pelo seu Presidente Putin) e simultaneamente para outro tipo (necessariamente e por uma questão de exposição mediática/sobrevivência oposto) de Intervenção Alienígena (MÁ): refletida já no presente pelas contínuas tentativas Russas e sobretudo Chinesas de ultrapassarem os EUA (e os seus súbditos e Aliados Ocidentais) na prossecução do seu objetivo central (e fundamental para a conservação dos Impérios) do controlo e da manutenção da sua Supremacia Global ‒ de um lado (dos euroasiáticos) com incidentes e/ou intrusões (entre outros mais visíveis) na Ucrânia (Crimeia), na Síria (Guerra Civil), na Inglaterra (envenenamentos/assassinatos) e até na Alemanha (impondo novos pipelines e forçando os alemães a dependerem energeticamente do oriente não do ocidente); e do outro lado (aqui 100% asiáticos) com instituições financeiras poderosas e competindo com o original Banco Mundial (com os primeiros sediados nos EUA e os seguintes na China) ‒ reforçando e consolidando todo este Novo Edifício de Poder (em evidente e exponencial ascensão) e baseando-o inicialmente (o alicerce de sempre) no domínio, controlo e supremacia Económica Global. Levando desde já o representante na Terra com BIA (Boa Intervenção Alienígena) a um rápido périplo pela Europa para lhes recordar (intoxicados como estão pelo Mundial ainda por cima entronizando um país Aliado, súbdito e Europeu) quem manda e o mal que sempre advirá da Terra dos MIA (Má Intervenção Alienígena). E como se diz por aqui (na nossa terrinha) Quem Te avisa teu Amigo É”. Só não nos avisando poder ser neste caso um “Amigo da Onça”.

 

[Ou mesmo de Triplo Impacto: Extraterrestre (1 ogiva) e Terrestre (2 ogivas).]

 

UFO crashes 80 miles world cup match site (2).jpg

O objeto não identificado

E o incêndio provocado

 

No passado dia 7 de Julho (um sábado) quando em Samara (na Rússia) se disputava um dos jogos dos Quartos-de-Final do Mundial (de Futebol ‒ FIFA Rússia 2018) ‒ entre a seleção da Inglaterra e a seleção da Suécia (que os ingleses venceram por 2-0) ‒ a pouco mais de 120Km de distância perto da localidade de Bostandyk (já situada no Cazaquistão, uma ex-província da extinta URSS) um objeto voador não identificado despenhou-se no solo, explodindo e provocando (em seu redor e como consequência) um pequeno incêndio: um objeto emitindo uma luz brilhante e cintilante, em forma de uma bola (de fogo) e com um diâmetro de cerca de 3 metros, e que ao atingir o solo e ao explodir além de provocar o tal incêndio (destruindo alguma vegetação sobretudo arbustos e ervas secas rasteiras numa área de aproximadamente 100 hectares) colocou as casas nas proximidades todas a tremer, devido aos efeitos provocados pela respetiva (devido ao impacto do objeto com o solo) onda de choque.

 

maxresdefault.jpg

A verdadeira questão

Ficando por confirmar a respetiva ligação

 

E com a inserção final do Objeto na atmosfera (terrestre), a sua imediata entrada em combustão (devido ao fortíssimo atrito associado), o seu impacto e explosão (desintegrando-se) e os posteriores efeitos de tal acontecimento ‒ incêndio, onda de choque e queda das comunicações (para os locais tornando o cenário ainda mais assustador, devido a ser uma área remota/pelos vistos com o objeto caindo, muito próximo de uma autoestrada) ‒ com os locais face ao sucedido e ao incêndio então em curso, a deslocarem-se para a área e a aí encontrarem vários fragmentos desse mesmo objeto: e entre eles, um objeto colorido (prateado), parcialmente enterrado, aparentemente selado/fechado (como se fosse uma porta) e até com uma válvula exterior e no seu conjunto parecendo mesmo (de origem) terrestre. Pela descrição do referido evento (e forma do objeto) tudo podendo apontar para um objeto artificial certamente oriundo de cá (da Terra) e sendo os restos de um (qualquer) satélite, mas apesar de tudo não deixando de ser um acontecimento anormal envolvendo alienígenas (nos EUA os Mexicanos) exteriores ao Cazaquistão.

 

UFOeast2west4.jpg

Entrando na atmosfera perto de Samara

Talvez devido à FIFA WORLD CUP

 

Face a este acontecimento, ao seu local de execução e às partes eventualmente envolvidas ‒ diretamente Suécia/Inglaterra e indiretamente Rússia/Croácia ‒ e ao que se lhe sucedeu posteriormente (da conclusão das partidas), levantando-se de novo a suspeita de Doping Russo Efetivo (durante a competição) na obtenção de (bons) resultados, primeiro com o Novochic (o melhor a matar), depois com o amoníaco (o melhor a recuperar) e agora (para amedrontar) até com um UFO (integrando alta tecnologia de leste certamente com intervenção alienígena, diferenciada da norte-americana onde os alienas são mexicanos): “The UFO material does not look like metal. It is soft like fabric (uma testemunha). E como mais que óbvia consequência (ou não fosse Ocidental, pró-norte-americano e deficiente mental ‒ um cidadão de desgaste, descartável e como tal normal) da obsessão atual e respetivas coordenadas ‒ neste momento de Mundial (de Futebol), com todos focados na Rússia e no seu líder Vladimir Putin ‒ sendo esta Tríade Vermelha (Novochic/Amoníaco/Ufo) mais uma vez responsável por ato de Introdução, Manipulação, Doping e Intoxicação. Saindo-lhes mesmo ao lado a fé e a esperança de um duelo RUSSIA (Putin) Vs. ENGLAND (May). Já com outros alienas (como os portugas) em casa ou então mudando dela (como o aliena CR7).

 

“Conspiracy theorists have now started claiming that this spherical object might be an alien expedition craft from outer space. As there were no aliens in the remnants, these theorists argue that this vessel might be an exploration vehicle sent by aliens, in the same way, we sent rovers like Curiosity to Mars.” (Nirmal Narayanan/ibtimes.co.in/08.07.2018)

 

(imagens: scmp.com ‒ mirror.co.uk ‒ youtube.com ‒ unilad.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:50

09
Jul 18

[Meias-Finais]

 

Montado o Quadro de Honra da FIFA WORLD CUP RUSSIA 2018 (com Final marcada para 15 de Julho) integrando o Quarteto Fantástico formado por equipas exclusivamente oriundas da EUROPA ‒ BÉLGICA, FRANÇA, CROÁCIA e INGLATERRA ‒ poder-se-á desde já afirmar ir-se assistir a umas Final inédita, com apenas dois desses países (dos 4) a já terem sido Campeões do Mundo: a Inglaterra em 1966 (Mundial onde Portugal foi 3º) e a França em 1998 (derrotando na final o Brasil por 3-0). Com a Croácia a registar o seu melhor resultado ‒ 3º lugar ‒ igualmente em 1998 e com a Bélgica a registar um 4º lugar no Mundial de 1986. Talvez com as apostas a apontarem (e o desejo talvez de muitos) para uma Final França Vs. Inglaterra na cidade de Moscovo (capital da Rússia e residência de Vladimir Putin), contando com a presença (pelo menos como simples adeptos) de Emmanuel Macron e de Theresa May.

 

belgium-afp_625x300_1530908393503.jpg

Bélgica

(Kevin de Bruyne ‒ momento do 2º golo ao Brasil)

Seleção 100% Vitoriosa

(e o melhor ataque)

 

R

Equipa

V

E

D

Pontos

Golos

1

Bélgica

5

0

0

15

14-5

2

França

4

1

0

13

9-4

3

Croácia

3

2

0

11

10-4

4

Inglaterra

3

1

1

10

11-3

5

Uruguai

4

0

1

12

7-3

6

Brasil

3

1

1

10

8-3

7

Suécia

3

0

2

9

6-4

8

Rússia

2

2

1

8

11-7

(Países apurados a Negrito)

 

E se entre as 32 equipas presentes neste Mundial de Futebol de 2018 (em disputa na Rússia), o país obviamente designado como a maior surpresa desta competição seria a seleção do país organizador a RÚSSIA ‒ antes do início do Mundial sendo a equipa (presente) com pior Ranking Mundial (65º) e no entanto atingindo os Quartos-de-Final (os 8 melhores) e por pouco, não integrando o Quadro de Honra do Mundial (nos penaltis com a Croácia não conseguindo integrar os 4 semifinalistas) ‒ já do lado dos melhores marcadores (e arrumado CR7) com o inglês Harry Kane a manter o protagonismo nesse campo, não só como líder isolado da tabela (assim como capitão da sua equipa) como pelo seu trabalho (eficaz) realizado em favor da sua Seleção (e como consequência/prémio em benefício de si próprio). Talvez com o belga Romelu Lukalu a ser (na definição do melhor marcador) o seu grande adversário (já que o russo Denis Cheryshev também se foi).

 

5b434bdbc05c09a42f8b48a0.jpg

Harry Kane e Romelu Lukaku

(com o inglês em vantagem)

Os maiores candidatos ao prémio de melhor marcador

(líder isolado da tabela com 6 golos)

 

R

Jogador

Equipa

Golos

1

Harry Kane

ING

6

2

Denis Cheryshev

RUS

4

3

Romelu Lukaku

BEL

4

4

Cristiano Ronaldo

POR

4

5

Artem Dzyuba

RUS

3

6

A. Griezmann

FRA

3

7

Yerry Mina

COL

3

8

Diego Costa

ESP

3

9

Edison Cavani

URU

3

10

Kylian Mbappe

FRA

3

(Jogadores em prova a Negrito)

 

E chegados às Meias-Finais do Mundial da Rússia de Futebol constatando-se imediatamente a presença Absoluta Europeia (100% dos 4 sobreviventes) ‒ com os únicos a oporem-se a serem os sul-americanos Uruguai e Brasil (mas não sobrevivendo aos Quartos-de-Final) ‒ entre outros factos soltos (mas sempre interligados seja no Espaço ou no Tempo), sobressaindo uma ou outra equipa (entre elas o Japão e o Irão), sendo o descalabro dos favoritos (à cabeça com a Alemanha e a Argentina) e ainda nos deixando a pensar em 2022 no Qatar (dada a temperatura elevada com jogos obrigatoriamente noturnos/talvez ainda com Ronaldo) … e então como será 4 anos depois (em 2026) com 3 países organizadores (Canadá, EUA e México) e 48 países presentes (algo alcançado por Trump): um verdadeiro Circo (aí já sem o português Ronaldo).

 

origin_1.jpg

Inglaterra

(constituição da equipa no jogo com a Suécia)

O Único Finalista com Derrotas

(no entanto a melhor defesa)

 

Fase

Equipa

Dia/Hora

Equipa

MF 1

FRANÇA

10 ‒ 19:00

BÉLGICA

MF 2

CROÁCIA

11 ‒ 19:00

INGLATERRA

(respetivamente em São Petersburgo e Moscovo)

 

No próximo fim-de-semana encerrando-se este Mundial (por países) com a proclamação no dia 15 de Julho (domingo) do novo Campeão do Mundo (sucedendo à Alemanha) ‒ com epicentro do fenómeno (futebolístico) a registar-se na Europa ‒ consagrado como tal em Moscovo na Rússia de Vladimir Putin e podendo ostentar o Troféu (aí conquistado) no intervalo 2018/2022: altura em que se realizará o Mundial do Qatar.

 

(imagens: ndtv.com ‒ reuters/businessinsider.sg ‒ kiji.is)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:36

O Japão e o Tufão Maria

 

[7 Junho 2018]

 

Sudoeste do Japão sob Chuva Intensa e Rios de Lama

(para as vítimas mortais, num cenário apocalíptico)

 

“Record torrential rains across western and central Japan unleashed flooding and landslides in several residential areas, killing dozens and triggering weather warnings in four districts of the country. By Saturday evening, at least 51 people were dead and 48 were missing, according to the public broadcaster NHK. More than one million people in 18 districts had been ordered to evacuate their homes, and an additional 3.5 million had been urged to leave.” (nytimes.com/07.07.2018)

 

-1x-1.jpg

Kumano/Hiroshima

9 Julho 2018

(imagem: Martin Bureau/AFP via Getty Images/bloomberg.com)

 

Semissubmergida por horas/dias consecutivos de precipitação extrema batendo inclusivamente muitos dos recordes (de queda de chuva) para estas regiões (do sudoeste do Japão) e para esta época (do ano),

 

‒ Provocada pelo estacionamento sobre esta área do território japonês, de uma frente atmosférica originando períodos prolongados e intensos de precipitação

 

O Japão já por si um conjunto de ilhas (um arquipélago formado por mais de 6 800 ilhas, com 4 delas sendo as maiores e ocupadas por mais de 95% da sua população) espalhadas por um dos sectores do norte da Ferradura (formando o Anel de Fogo do Pacífico),

 

‒ E como tal sendo constantemente submetido a sismos (mais ou menos intensos), erupções vulcânicas (o Japão é caraterizado pelo seus inúmeros vulcões ativos ou adormecidos, à superfície ou submarinos) e até desabamentos de terra (no mar eventualmente originando Tsunamis, em terra e como se vê violentos rios ‒ como uma muralha avançando de água e de lama)

 

Vê-se de momento (pelo menos até amanhã dia 8 de Julho domingo) parcialmente submetido a uma Queda Abruta do Céu sobre si próprio (território, estruturas e habitantes),

 

Com quase 5 milhões de japoneses a serem (mais ou menos intensamente) afetados por esta Tempestade Atmosférica (extrema pelas consequências), levando-os à evacuação forçada dos seus lares e à procura de proteção (e segurança eficaz),

 

‒ Contra grandes inundações e contra os rios destruidores e mortais de lama, que as mesmas invariavelmente transportam:

 

Com as vítimas mortais (sábado, 7 de Junho) a andarem pela meia centena e com os desaparecidos a andarem pela mesma ordem de grandeza (sugerindo assim um número entre 50/100 mortos provocadas por estas condições meteorológicas extremas).

 

TELEMMGLPICT000168704091_trans_NvBQzQNjv4BqNPhrcbG

Hiroshima/Japão

7/8 Julho 2018

(imagem: The Asahi Shimbun/telegraph.co.uk)

 

Para além de carros destruídos, estradas submergidas, pontes e centenas de casas atingidas (mais de 500) ‒ e simultaneamente da interrupção de todo o tipo de produção, comércio e convívio quotidiano ‒ com a previsão meteorológica para as próximas horas a não ser a desejada, com previsão de ainda mais chuva para esta região do Japão: com os Alertas a estenderem-se (logo a partir de 6 de Julho) a Okayama, Hiroshima, Tottori, Fukuoka, Saga, Nagasaki, Hyogo e Kyoto (todas prefeituras a sudoeste).

 

Um país (Insular) a caminho dos 130 milhões de habitantes (distribuídos esmagadoramente pelas suas maiores 4 ilhas), com uma área total de quase 378 000Km²,

 

(capital sendo Tóquio centrada numa área metropolitana podendo incluir cerca do triplo ‒ 30 milhões ‒ de portugueses habitando em Portugal ‒ uns 10 milhões)

 

Considerado como um das maiores potências mundiais (desde o fim da WW2 claramente a reboque dos EUA), mundialmente conhecido como aquele tendo a maior expetativa de vida do Mundo (87 anos com Portugal a ser 33º com 80 anos),

 

E que no entanto apesar de ter sofrido o maior ataque ‒ ARTIFICIAL ‒ alguma vez feito pelo Homem contra o Homem,

 

‒ Sendo executado num tão curto espaço de tempo, sem aviso prévio e sobre uma multidão em geral completamente ignorante e (facto Supremo e extremamente Cruel) nunca tendo provocado nos seus autores nenhum remorso, pesadelo ou sequer Julgamento do Povo (O que será um Crime de Guerra?)

 

9.jpg

Centro-Sul do Japão em 7 Julho de 2018

Regiões mais afetadas e com maior nº de vítimas/desaparecidos

(imagem: mainichi.jp)

 

Poderá um certo dia e dadas as suas origens, evolução e características geológicas,

 

(no fundo a sua inserção no conjunto formando o Anel de Fogo do Pacífico, compondo paisagística e superficialmente ‒ ao nível da crosta terrestre ‒ a região geologicamente mais Ativa e Viva da nossa Terra)

 

Ser sujeito a um poderoso fenómeno (podendo ser mesmo um Evento) não de origem Artificial mas de origem NATURAL:

 

“Japan lies along the Pacific Ring of Fire a narrow zone around the Pacific Ocean where a large chunk of Earth's earthquakes and volcanic eruptions occur. Roughly 90 percent of all the world's earthquakes and 80 percent of the largest ones strike along the Ring of Fire.”

(Brett Israel/livescience.com/14.03.2011)

 

Com as placas em choque contínuo (a norte deste território insular encontrando-se num dos topos extremos da Placa Norte-Americana e a sul assentando sobre a Placa Euroasiática) e na sua concretização (interpretando-a e traduzindo-a) ‒ ativa ‒ provocando a elevação progressiva da crosta terrestre ‒ na parte da Ferradura integrando o Círculo de Fogo do Pacífico (nestas coordenadas o Japão) ‒ não sendo de desprezar (por comparação e proximidade) uma evolução semelhante à na hora em curso na cordilheira dos Himalaias (com o monte Everest como símbolo, com os seus quase 9Km de altitude), com sectores da crosta terrestre ondulando entre níveis superiores/inferiores, com outros deslocando-se horizontalmente (num dos últimos grandes sismos registados em Honshu, deslocando-se uns 2,4 metros para oeste) ‒ outros por submarinos originando ainda Tsunamis ‒ e ainda aqui e ali com a crosta terrestre expelindo para o exterior (através de numerosos vulcões) o resultado de altas pressões (internas) acumuladas em profundidade (e necessitando de se libertar como numa panela de pressão), dando finalmente origem a um (possível) Evento local ao nível da extinção (pelo menos parcial) talvez no Natural cumprimento da nossa Evolução e do futuro Geológico desta região (asiática):

 

japan-985831.jpg

Kurashiki/Japão

8 Julho 2018

(AFP/GETTY/express.co-uk)

 

“Colliding tectonic plates not only trigger earthquakes they also build volcanoes. About 10 percent of the world's active volcanoes are in Japan, mostly where the Pacific Plate is diving below the Philippine Plate.”

(Brett Israel/livescience.com/14.03.2011)

 

Um dia talvez com parte do Japão a erguer-se majestosamente das águas e com o restante do seu arquipélago a desaparecer sob as mesmas (ou não fosse uma ilha plantada num imenso oceano) como terá ocorrido num passado remoto (numa ou numas outras partes do Mundo) com o desaparecido Continente da Atlântida.

 

[9 Junho 2018]

 

Hoje segunda-feira com o número de vítimas mortais provocada pela chuva intensa ‒ originando grandes inundações e desabamentos de terra e formando uma brutal muralha de água, de lama e de detritos levando tudo á sua frente ‒ a ir já nas 114 (e ainda com dezenas de pessoas ainda desaparecidas), obrigando ao cancelamento das atividades previstas pelo seu 1º Ministro (Shinzo Abe) colocado perante o maior desastre (do género) ocorrido no Japão já lá vão 35 anos (em 1983 com o seu maior desastre provocado por elevadíssima precipitação e grandes/e mortais inundações). Ficando para já por se saber os verdadeiros prejuízos económicos provocados por esta grande tragédia, afetando sobretudo a região centro/sul do Japão, já tão castigada por violentos sismos causando (em certas zonas) grande destruição: num dia pós-Apocalipse apresentando-se com céu limpo e previsão de temperaturas de 30⁰C (ou superior), fazendo crescer o receio de devido à falta de água e de eletricidade as condições exteriores/ambientais já por si tão periclitantes poderem ainda piorar.

 

(imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:38

06
Jul 18

Enquanto em Albufeira se ia para a praia e se tomava banho no mar (já com o tempo bom para pôr umas sardinhas a assar), no sudoeste de França sob a iluminação de sucessivos relâmpagos, sob rajadas de vento e intensa precipitação (mesmo sob a forma de bolas de granizo, tal e qual como fossem bolas de golfe) o que se procurava era refúgio e um pouco de proteção: dado o estado do tempo (extremo como se fosse Inverno) já em pleno Verão.

 

36682084_2267789473444141_8483267386986725376_n.jpDhU8GnPXUAA0uKZ.jpg

Bola de granizo (d = 7cm) a 4 de Julho ‒ Departamento de Charente

E nuvens formando ondas (em movimento e em forma de arco) a 5 de Julho ‒ Limoges

 

Na sequência da Tempestade Meteorológica que esta quarta-feira (dia 4 de Julho) atravessou o sudoeste da França (oriunda da cordilheira dos Pirenéus), o território francês alcançou (nesse dia) um novo record no que toca à ocorrência de Fenómenos Atmosféricos Extremos ‒ neste caso envolvendo descargas elétricas (relâmpagos acompanhados dos respetivos efeitos sonoros os trovões):

 

Em 24 horas produzindo-se 36 605 relâmpagos (mais de 25 por minuto), batendo o anterior record estabelecido (curiosamente e na altura já sendo um indicativo do que poderia ainda aí vir) há pouco mais de um mês (em 28 de Maio) com 33 841 descargas elétricas.

 

Quando num período de 4 dias (1 a 4 de Julho) o território francês se viu submetido a um total de cerca de 87 000 descargas (elétricas): no dia 4 (de Julho) e só no sudoeste (de França) ‒ ou seja num único dia ‒ dando-se mais de 42% dos relâmpagos.

 

DhVC-r_X4AAQdJM.jpg large.jpg

Com mais de 87 000 relâmpagos em território francês e em apenas 4 dias (1/4 Julho)

E num só dia (4 Julho) no sudoeste de França com mais de 42% dessas descargas (elétricas)

 

E com as 87 000 descargas (em apenas 4 dias) a serem mais de metade do habitualmente registado durante todo o mês de Julho (Verão).

 

Na avaliação da passagem pelo sudoeste de França desta Tempestade de Verão (felizmente dirigindo-se para leste no sentido contrário ao da Península Ibérica) para além das inúmeras descargas salientando-se o vento forte (com rajadas súbitas de 80Km/h a 130Km/h) e a chuva intensa (com queda abundante de bolas de granizo), provocando a destruição de casas (e outras infraestruturas), de carros e de colheitas (em certos casos na altura de colher/plantar):

 

Uma situação cada vez mais vulgar de se observar (um pouco por toda a Europa), com casos muito semelhantes a estes (meteorologicamente repentinos, temporários e extremos) a ocorrer em Portugal (numa dimensão mais reduzida e afetando espaços de menor dimensão, mas inevitavelmente ‒ mais um sinal agora local ‒ com consequências mais limitadas mas em tudo idênticas).

 

36613345_2267193516837070_4503850350381367296_n.jp

Danos provocados pela queda de granizo (dimensão bola de golfe)

Ocorrida a 4 de Julho no departamento de Charente (França)

 

Algo que poderá ocorrer de repente e em qualquer local aqui por perto (mesmo na região do Algarve), durante dias com temperaturas elevadas (30⁰C/35⁰C) e tempo algo húmido ‒ convidando-nos para uma ida até à praia ‒ e subitamente vendo-se sob uma intensa Tempestade (típica de Verão) com relâmpagos e forte precipitação (líquida os sólida sob a forma de granizo).

 

Para já e para o Algarve (e obviamente para Albufeira a Capital Turística da região) não existindo ainda sinais (pelo menos que sejam evidentes para os leigos) de tal comportamento climático, prevendo-se mesmo para a semana (iniciando-se a 9 de Julho) a subida das temperaturas máximas.

 

(imagens: Météo-France/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

05
Jul 18

[Apuramento para os Quartos-de-Final]

 

uruguai1.jpg

1

Uruguai

 

Prestes a iniciarem-se os Quartos-de-Final e com Portugal (e Cristiano Ronaldo) já fora do Mundial, entre as 8 equipas apuradas sendo sem dúvida de destacar as carreiras 100% vitoriosas da Bélgica e do Uruguai (este último eliminando Portugal, batendo-o no tempo regulamentar por 2-1 ‒ com golo de Pepe). Com o trio Croácia/Brasil/França a completar uma mão cheia de favoritos. E com a Espanha a ser a (última) maior desilusão, ao ser eliminada nos penaltis pela anfitriã (e outsider) seleção da Rússia (depois do empate a 1-1 no fim do tempo regulamentar e após o prolongamento). No que diz respeito ao Algarve e ao impacto do futebol (no turismo), com a Inglaterra ainda em prova apesar do (velho) trauma dos penaltis (só com Portugal e em casos semelhantes perdendo 2 em 2). Com a Rússia a manter-se (sem dúvida) a menos favorita (a chegar às Meias-Finais). Será? Dia 7 (sábado) se verá!

 

R

Equipa

V

E

D

Pontos

Golos

1

Bélgica

4

0

0

12

12-4

2

Uruguai

4

0

0

12

7-1

3

Croácia

3

1

0

10

8-2

4

Brasil

3

1

0

10

7-1

5

França

3

1

0

10

7-4

6

Suécia

3

0

1

9

6-2

7

Inglaterra

2

1

1

7

9-3

8

Rússia

2

1

1

7

9-5

9

Colômbia

2

1

1

7

6-3

10

Espanha

1

3

0

6

7-6

11

Dinamarca

1

3

0

6

3-2

12

México

2

0

2

6

3-6

13

Portugal

1

2

1

5

6-6

14

Suíça

1

2

1

5

5-5

15

Japão

1

1

2

4

6-7

16

Argentina

1

1

2

4

6-9

 

Kylian_Mbappe_celebrating_-_March_2018_(cropped).j

2

Kylian Mbappe

 

No que diz respeito à lista de melhores marcadores e agora que CR7 está fora (do Mundial de Futebol FIFA 2018 disputado na Rússia) ‒ sabendo-se estarem 3 eliminatórias ainda em disputa (Quartos-de-Final, Meias-Finais e Final) ‒ com pelo menos 6 jogadores a poderem ansiar a essa conquista (entre eles 2 russos/3 golos, mas tendo já bem lançado 1 inglês/6 golos). Quanto a Lionel Messi e Neymar Junior contentando-se respetivamente com 1 golo (definitivamente) e 2 golos (ainda em evolução). E sobre Cristiano Ronaldo no melhor sendo segundo (com os seus definitivos 4 golos) ‒ dependendo do tempo (total em campo). Num momento em que passados 5 dias sobre a eliminação de Portugal do Mundial (com a seleção já em casa e Ronaldo por Madrid) se fala insistentemente da saída eminente de CR7 do Real Madrid (depois de uns 9 anos por lá) e da sua entrada em Itália na Juventus de Turim (a ver).

 

R

Jogador

Equipa

Golos

1

Harry Kane

ING

6

2

Romelu Lukaku

BEL

4

3

Cristiano Ronaldo

POR

4

4

Artem Dzyuba

RUS

3

5

Denis Cheryshev

RUS

3

6

Kylian Mbappe

FRA

3

7

Yerry Mina

COL

3

8

Diego Costa

ESP

3

9

Edison Cavani

URU

3

 

Edinson_Cavani_2018.jpg

3

Edison Cavani

 

À entrada dos Quartos-de-Final do Mundial de Futebol e com 8 equipas em disputa pela conquista de 4 lugares nas suas Meias-Finais ‒ a garantia de pertencer ao quadro de Honra de qualquer Mundial ‒ com 4 grandes partidas em perspetiva incluindo seleções de 2 Continentes (6 da Europa e 2 da América) algumas delas já tendo sido (anteriormente) Campeãs do Mundo: Brasil (5X), Uruguai (2X), França e Inglaterra (1X). Com a Croácia como melhor resultado a apresentar o seu 3º lugar no Mundial de 1998 disputado em França (Campeão ‒ França) e com a Bélgica a apresentar o seu 4º lugar no Mundial de 1986 disputado no México (Campeão ‒ Argentina). E entre essas 4 partidas destacando-se o URUGUAI-FRANÇA (por o Uruguai nos ter eliminado e pela presença da França) e o BRASIL-BÉLGICA (pela presença dos nossos irmãos e ainda do pobre do Neymar/este por confirmar).

 

QF

Equipa

Dia - Hora

Equipa

1

URUGUAI

6 Julho - 15:00

FRANÇA

2

BRASIL

6 Julho - 19:00

BÉLGICA

3

SUÉCIA

7 Julho - 15:00

INGLATERRA

4

RÚSSIA

7 Julho - 19:00

CROÁCIA

 

selec3a7c3a3o-brasileira-de-futebol.jpg

4

Brasil

 

No fim do próximo sábado dia 7 de Julho (já este fim-de-semana) ficando-se a conhecer o Quarteto Finalista deste Mundial de Futebol, uma competição com 146 golos já marcados (alguns deles sendo autogolos) ‒ numa média de 2,6 golos/jogo ‒ com a melhor equipa (ataque e passes) a ser a Espanha e com o melhor ataque (em nº de golos) a ser o da Bélgica (12 golos marcados): e com Christian Eriksen (SUE) a ser o jogador com mais Km percorridos (51Km), com o guarda-redes Guillermo Ochoa (México) a ser o jogador a efetuar mais defesas (25) e com o jogo Bélgica-Tunísia a ter o maior número de golos (7). Nos próximos dias 10/11 de Julho disputando-se as Meias-Finais para a 13/14 de Junho (e respetivamente) se disputar o jogo para o 3º/4º lugar e a Final do Mundial: ficando-se então a conhecer o novo Campeão do Mundo (sucedendo à Alemanha campeã em 2014 no Brasil).

 

(imagens: 2/3 wikipedia.org ‒ 1 abola.pt ‒ 4 abril.com.br)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:57

04
Jul 18

No dia em que nos Estados Unidos da América (ainda considerada a maior potência à face do planeta Terra) comemoram a sua Declaração de Independência,

 

PIA22520.jpg

Evolução da Tempestade de Poeiras entre 7 e 10 de Junho

(em Marte e conforme registo visusal da sonda Curiosity ‒ PIA 22320)

 

‒  A 4 de Julho de 1776 (já lá vão 242 anos) data em que as suas 13 colónias declararam a sua independência da Grã-Bretanha

 

E num momento em que no mesmo planeta (aparentemente devido à eleição de um novo Líder para essa mesma Potência Global) se vive um Tempo ARTIFICIAL de grande Indefinição política,

 

Muito próximo de nós e ainda em aproximação (à Terra),

 

‒ Atingindo a sua distância mínima de aproximadamente 57,6 milhões de Km a 31 de Julho ‒

 

Um outro planeta por acaso nosso vizinho (pertencendo igualmente aos Planetas Interiores/à Cintura de Asteroides como Mercúrio, Vénus, Terra e Marte) e com diversos artefactos terrestres movimentando-se em seu redor (orbitando-o ou circulando à sua superfície),

 

‒ Destacando-se aqui os veículos motorizados ainda em funcionamento e circulando em Marte como as sondas norte-americanas OPPORTUNITY e CURIOSITY (sob responsabilidade da NASA) ‒

 

Vê-se igualmente e pela mesma altura (início do Verão) sob um estado de Indefinição mas aqui Atmosférica ou seja NATURAL,

 

1P581919922EFFD2FCP2682L8M1.JPG

A última imagem oriunda de Marte enviada pelo Rover Opportubity

(SOL 5111 ‒ 10 de Junho)

 

Com uma Grande Tempestade (de areias e de poeiras) a arrastar-se há já mais de um mês e com a mesma (tempestade) no decorrer da sua evolução (e crescimento) a tornar-se Global e a engolir (dentro dessa espessa e impenetrável camada de pó) todo o planeta:

 

Colocando obviamente em risco todos os artefactos terrestres localizados e colocados (e desse modo expostos à força dos elementos) à superfície do Planeta Vermelho,

 

Especialmente no caso do ROVER OPPORTUNITY (num caso de Triplo Impacto),

 

- Por ser o mais velho (14 anos em Marte contra 6 do seu colega mais novo),

 

- Por ser o mais exposto (com o ROVER CURIOSITY eventualmente mais protegido no interior da cratera de GALE),

 

- E por depender exclusivamente do seu Gerador Solar (e do aproveitamento dos seus Painéis Solares) ao contrário do CURIOSITY alimentado por Energia Nuclear (nada tendo a recear com a chegada da escuridão).

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Ny

Pré-lançamento do Rover Opportunity

(Centro Espacial Kennedy/Florida)

 

Com a intensificação da Tempestade Atmosférica Marciana (Total) e com os seus efeitos (ainda visíveis) a persistirem,

 

Provavelmente com a mesma (tempestade) podendo estar a atingir o seu pico (tempestades habituais aquando da chegada do Verão a Marte), colocando-se em causa a recuperação do veículo motorizado mais idoso e unicamente solar (recorde-se que inicialmente projetado para funcionar apenas 3 meses):

 

Desde o dia 10 de Junho (dia do envio das últimas imagens relativas a SOL 5111) com o ROVER a entrar em suspensão, esperando pacientemente por melhores dias (melhores condições ambientais) e por uma possível recuperação.

 

Com os especialistas da NASA face ao PEDE (Planet-Encircling Dust Event) ainda em curso,

 

‒ No nunca pisado pelo Homem

(pelo menos no seu Molde presente, referido ao seu último Ciclo)

Planeta Vermelho

(em tempos remotos provavelmente possuindo água e atmosfera e até podendo contar com a presença de Vida),

Pelo menos desde o seu último Salto, de Espaço, no Tempo e Civilizacional

(podendo ‒ sabe-se lá ‒  uma réplica anterior à nossa já ter no passado habitado Marte e mais tarde por qualquer motivo/Evento extremo ter Saltado para outro lado, o mais próximo possível e de preferência integrando o Sistema/Solar)

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Ny

Relação entre o recarregamento das baterias solar e a opacidade atmosférica

(com a Tempestade Atmosférica descendo drasticamente o processo de carga)

 

A manterem ainda intacta a esperança no regresso do veículo motorizado Opportunity (ressuscitando-o), apesar da Meteorologia Atmosférica Extrema rodeando (com maior impacto e consequências) o artefacto terrestre (segundo eles com esta tempestade ainda a afetar fortemente cerca de 1/4 do planeta):

 

Na sua última transmissão originada no Vale Perseverança (início de Junho) prosseguindo o seu trabalho ‒ Geológico ‒ na superfície de Marte, parando então o seu movimento e a do seu braço mecânico (na altura sobre o rochedo LA JOYA) e aí se deixando dormir (tentando recuperar baterias e para isso aguardando o regresso do Sol e dos seus raios solares).

 

Deixando-nos esperançados de ainda voltarmos a estar de novo com a sonda OPPORTUNITY,

 

(como continuaremos a estar com a sonda CURIOSITY e como já estivemos com a contemporânea da sonda Opportunity a já inativa sonda SPIRIT)

 

Pelo menos enquanto as mais novas não chegarem

(entre elas a sonda norte-americana MARS 2020 e a sonda europeia EXOMARS):

 

“Opportunity is currently the longest-serving rover on the Martian landscape. Launched back in 2004, Opportunity, together with its sister, Spirit, were designed to last for a 90-day mission. Both rovers proved far more durable than expected, however, with Spirit continuing its mission for six years before falling silent in 2010 and Opportunity still going strong well into 2018. Overall, the work done by Opportunity, Spirit, as well as the nuclear-powered Curiosity, have laid the groundwork for more ambitious missions to the Red Planet. Among these are Mars 2020, a machine based on Curiosity, as well as Europe’s ExoMars rover, both of which would be sent to Mars in order to find signs of life.”

(Simon Alvarez/teslarati.com/03.07.2018)

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:56

Com a França de momento (dia 4 de Julho de 2018 e já na estação do Verão) em Estado de Alerta e já sob uma grande tempestade meteorológica,

 

‒ Segundo as previsões (e atuais constatações) afetando sobretudo o sudoeste francês ‒

 

title-1530722123.jpg

Com a região mais afetada situando-se no sudoeste francês,

(mesmo colada aos Pirenéus)

 

Colocando 28 dos seus 96 departamentos continentais (e europeus) no Nível Laranja/3 (nível intermédio entre o amarelo/2 e o vermelho/4, partindo do nível sem nenhuma previsão meteorológica de risco o verde/1),

 

‒ Ou seja quase 30% do seu continente europeu ‒

 

A Meteorologia francesa prevê (para o seu território) depois de um longo período de grande humidade e de intenso calor tendo assolado anteriormente o país (ainda na Primavera),

 

‒ Com temperaturas a ultrapassarem os 30⁰C ‒

 

A passagem de uma grande tempestade (podendo-se estender mais ou menos no tempo) com descida de temperatura, vento forte e trovoadas (e queda de granizo):

 

Tendo como origem os Pirenéus, deslocando-se para nordeste e atingindo a França (a sudoeste),

 

860_grele.jpg

Queda de Granizo na comuna de Soumulou/Pirenéus

(Laurent Etchamendy/4 Julho 2018)

 

E deixando para as outras (a oeste) as margens e os seus (da tempestade) pequenos (e colaterais) efeitos.

 

(sendo o caso da Ibéria e da sua ponta em Portugal ‒ e sendo assim no Algarve)

 

- Em França já depois da chegada da tempestade e da colocação de mais 3 departamentos em Alerta Laranja (e já em pleno Verão continental),

 

Com chuva intensa caindo sobre todo o sudoeste do seu território acrescido de forte queda (em certas regiões) de granizo (um fenómeno mais típico de outra estação que não o Verão).

 

Levando as autoridades francesas a manterem o alerta anteriormente declarado,

 

Podendo a mesma tempestade ser acompanhadas por fortes ventos e trovoadas (precedidas das respetivas descargas elétricas, os relâmpagos) e a outros contratempos (entre eles sociais como os de proteção/segurança) a estas condições climatéricas associados.

 

870x489_20180703_1510170.jpg

Inundações devidas a intensa precipitação na comuna de Quetinhy/Dijon

(Stéphanie Perenon/Radio France/4 Julho 2016)

 

- Já em Portugal e no Algarve particularmente em Albufeira (baseando-nos em dados fornecidos pelo IPMA),

 

‒ Às 17:00 do dia 4 de Julho de 2018 (quarta-feira), com o céu apresentando-se parcialmente nublado e com a temperatura do ar a registar 25⁰C

(sem precipitação, com vento moderado e com humidade nos 43%)

 

Com a previsão a apontar para os próximos dias (5/6/7/8 de Julho a caminho e incluindo o próximo fim-de-semana),

 

Céu pouco/parcialmente nublado (por vezes por nuvens altas) e sem previsões de precipitação (0%),

 

Acompanhado de vento moderado (sobretudo de Norte) e temperaturas do ar oscilando entre um mínimo de 16⁰C e um máximo de 32⁰C (mantendo-se as mínimas e subindo as máximas).

 

Diferente (a previsão da meteorologia francesa/sudoeste de França, comparando-a com a portuguesa/sul de Portugal) como do Dia para a Noite.

 

(imagens: lalsace.fr ‒ francebleu.fr)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:52

03
Jul 18

'Sonar Anomaly' Isn't a Shipwreck, and It's Definitely Not Aliens, NOAA Says. Turned out to be a Rocky feature.

(livescience.com)

 

DgteTRwU8AELH1K.jpg

Anomalia desvendada

Nem um barco naufragado, nem uma nave alienígena, apenas um recife rochoso

(talvez com alguns destroços metálicos resultantes de acidentes c/ barcos e c/ aviões)

 

Numa viagem (em princípio de 11 dias) iniciada em 22 de Maio e planeada para terminar a 2 de Julho (deste ano), o navio de exploração oceânica (sob responsabilidade da NOAA) OKEANOS EXPLORER (levando a cabo mais uma das suas expedições) deslocou-se recentemente para uma zona marítima localizada na costa sudoeste dos EUA (norte do oceano Pacífico), com o objetivo de aí investigar, analisar e tentar descobrir a origem de um Anomalia Sonora (desconhecida) anteriormente detetada por um Robot Submarino: como sempre deixando (desde logo e como se não suspeitássemos de tudo o que seja oficial) a dúvida pairando no ar sobre o verdadeiro motivo da organização desta nova expedição (sob a direção da Administração Nacional Atmosférica e Oceânica do Governo dos EUA) às já tão conturbadas regiões terrestres como marítimas do oeste deste país e continente (Estados Unidos e América), levantando-se no decorrer do processo (iniciado no registo do tal Robot Aquático) hipóteses das mais variadas para este tipo de manifestação (eco sonoro) desde poder ser o reflexo de um Barco (já antigo) afundado, à presença de alguma nave Extraterrestre (ou qualquer outro tipo de artefacto alienígena) ou então e muito simplesmente (o mais certo para esta zona observada) de um fenómeno Geológico (com algum ou nenhum impacto ambiental, alterando minimamente o nosso Ecossistema):

 

MTUzMDI5MTI4Mg==.jpg

Vista da marca profunda provocada no leito rochoso do oceano

Como registado pela NOAA e pelo seu barco Okeanos explorer

(com a cor branca a indicar uma grande reflexão e uma superfície dura)

 

Ocorrido e localizado numa região do Globo terrestre (a nível de sismos e de vulcões) das mais ativas (geologicamente falando) ‒ o Anel de Fofo do Pacífico ‒ consideravelmente suscetíveis e vulneráveis a este tipo de fenómenos (até pela sua frequência e presença próxima de fatores intensificadores) ou não tivesse essa mesma região a presença da zona de subdução de Cascadia (podendo provocar um grande terramoto e um mega tsunami devastando toda a costa), a presença da famosa linha de falhas de San Andreas (há muito prometendo o Big One) e até mais para leste e para o interior dos EUA a presença de um dos maiores vulcões existentes na Terra o Super Vulcão de Yellowstone (adormecido mas sempre presente e demonstrando um crescente de atividade nos últimos meses ‒ provavelmente no cumprimento normal de mais um dos seus ciclos de atividade, ou não). Inicialmente com os investigadores a inclinarem-se para os restos de algum navio aí afundado (sendo esta uma rota de considerável tráfego marítimo muito utilizada comercialmente e até durante a II Guerra Mundial), pelo meio e dada as dúvidas levantadas (e pelos vistos para alguns não respondidas) com os (sempre presentes e apesar de tudo felizmente) teóricos da conspiração a falarem em Ovnis (ou não se sugerisse o acontecimento sonoro poder refletir a presença de algum tipo de metal) para finalmente se verificar ser apenas o reflexo sonoro de uma simples pedra, calhau ou rochedo (facto confirmado presencialmente pelo ROV ‒ veículo submarino de exploração operado por controlo remoto):

 

DguWmkqUcAAKy0S.jpg large.jpg

Não sendo uma anomalia provocada por terrestres ou extraterrestre

Limitando-se essa anomalia a um fenómeno inequivocamente geológico

(e desse modo aproveitando-se para o estudo da flora e da fauna aí residente)

 

“The Okeanos sonar anomaly appears to be geologic in origins. The team will continue to circumnavigate this rocky feature. This rocky feature is great habitat for many species including the many fish already seen.”

(NOAA Ocean Explorer ‒ @oceanexplorer/twitter.com)

 

Pelo que todo este alarido apenas devido a um reflexo sonar (oriundo de um Robot) obtido a partir de um objeto situado no interior do oceano Pacífico (e a grande profundidade), poderá ter tido a virtude de (considerada esta ação como não isolada) se partir para um melhor conhecimento de toda a fauna e flora habitando e reproduzindo-se neste mundo submarino (e oceânico), ainda tão desconhecido e misterioso apesar de estar numa parte importante da costa da Carolina do Norte: com os seus corais e esponjas, com os seus desfiladeiros profundos, com possíveis depósitos de gás, com placas tectónicas e falhas … dando a essa região boas oportunidades de uma profícua evolução futura (económica), mas tomando sempre em consideração (por extremamente relevante e jamais podendo ser esquecida) a seção geológica do Globo terrestre entretanto aqui focada. E para já sem barcos e tesouros nem ovnis e extraterrestres, mas continuando a investigação nada sendo de ignorar e tudo de esperar.

 

“Okeanos is headed back to the surface after investigating the "Big Dipper" Anomaly. While the anomaly was geologic in origins it yielded many fish species and other fauna.”

(NOAA Ocean Explorer ‒ @oceanexplorer/twitter.com)

 

Encerrado este episódio e dada a grande atividade sociológica e geológica registada neste Hemisfério Terrestre (Norte) ‒ onde a nossa Civilização se mistura e concentra (das maiores áreas tendo a Rússia/1º e a China/3º, com maior população a China/1º e a Índia/2º) e a grande proximidade ou partilha com a Ferradura se torna bem evidente (o Anel de Fogo do Pacífico) ‒ ficando-se à espera dos Novos Episódios desta única e Grande Aventura (tendo como protagonista o Homem), desejando-se (desde que colocados perante a nossa Morte física) que se transforme e evolua Sem Fim: encontrando-se o verdadeiro centro (do nosso Mundo entre Mundos) onde a nossa construção se mostrou (e se disseminou) e só a partir daí se descobrindo a Alma (o seu significado e presença).

 

n0vljqs5mznndxy7j9wz.jpg

Once upon a time it was quite popular to depict the human body in terms of machinery. The idea was that all of the functions and organs of the body could be equated on a one-to-one basis with machinery and technology.

(Ron Miller/Your Body, the Machine … Literally/gizmodo-com)

 

Talvez algo de inexistente (a Alma) traduzida a Evolução (produzindo Inteligência) em mais um (de muitos) processo Mecânico: “No qual fenómenos eletromagnéticos dispersos mas reativos se juntam (formando um bolo composto por Matéria e Energia em constante Movimento), formando uma unidade artificial, organizada e temporária, antes de se diluir e incorporar a Estrutura (evoluir) ‒ tal como constataríamos numa Máquina (à nossa Imagem e Perfeita).

 

E como tudo tendo o seu contrário sendo a frase seguinte um elemento de prova (no mínimo da relação inequívoca Homem/Máquina):

 

The Danger is not Machines Becoming Humans, but Humans Becoming Machines.”

(David Gelernter/bigthink.com)

 

(alguns dados: Laura Gegge/livescience.com ‒ imagens: @oceanexplorer/twitter.com e gizmodo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:17

02
Jul 18

[E talvez tendo partido no tempo do Homem do Neandertal (uns dizendo da região da distante estrela Veja), antes mesmo da chegada do aí denominado Homem-Sábio (Homo Sapiens) ao mundo que hoje nós conhecemos (pelo menos no interior do nosso Sistema) como o único existente com Vida ‒ a Terra.]

 

Tendo sido descoberto há pouco mais de oito meses (19 Outubro 2017) utilizando o telescópio PAN-STARRS 1 (instalado no Havaí),

 

‒ Já no interior do Sistema Solar, depois de ter ultrapassado o seu ponto de maior aproximação ao Sol (40 dias antes) e quando o mesmo se encontrava a mais de 30 milhões de Km da Terra ‒

 

PIA22357_modest.jpg

O cometa Oumuamua

(ilustração)

 

O cometa OUMUAMUA o primeiro objeto Extrassolar (conhecido) a visitar o nosso Sistema Planetário (integrando o Sol e oito planetas), continua no cumprimento da sua trajetória (de excentricidade orbital elevada semelhante à de uma sonda ou de um cometa) o seu caminho de regresso ao Espaço Exterior (entrando e saindo do Sistema sem qualquer tipo de incidentes):

 

Com o seu novo destino a estar localizado para lá dos Limites da nossa Última Fronteira (tendo o Sol como referência central),

 

‒ Suponhamos que na NUVEM de OORT (podendo-se estender das 2 000 UA até as 100 000 UA ou mais)

 

Talvez num outro Sistema como o de VEGA a uns 600 000 anos de viagem para o nosso protagonista misterioso (deslocando-se a uma V = 26Km/s).

 

PIA22357_JPL-20180620-ASTRDSf-0007-Interstellar As

Trajetória do objeto extrassolar Oumuamua

(entrando/saindo do Sistema Solar)

 

Um objeto de forma cilíndrica (irregular) ‒ de um cigarro ‒ com mais de 200 metros de comprimento, uns 30/40 metros de largura e com um período de rotação de 7/8 horas, anteriormente definido como um asteroide (e até com uma possível origem artificial),

 

‒ Não se encontrando (entre outros aspetos) uma cauda definida (caraterística de um cometa aqui em falta)

 

Mas por outro lado aparentando ser autopropulsionado (uma caraterística já referida não dos asteroides mas dos cometas/naturais ou sondas/artificiais):

 

De qualquer modo um visitante (estrangeiro) acidentalmente passando por estas paragens perdidas na infinidade incomensurável do nosso Universo,

 

(para nós Humanos e relacionando Tempo e Espaço, passando mesmo ao lado de um Mundo habitado por uma espécie nem durando/em média uns míseros 100 anos)

 

Tendo partido da sua origem há umas centenas de milhares de anos (talvez quando na Terra predominava o Homem do Neandertal) sem causa ou destino conhecido e no presente invadido o Sistema Solar, passando perto de nós (1/5 da distância Sol/Terra) e deixando-os parados a olhar para este grande Calhau do Outro Mundo (com o tamanho de um petroleiro):

 

Knock_Nevis-o_maior_petroleiro_do_mundo.jpg

Um cometa com uma dimensão de um petroleiro

(dos dois o mais pequeno)

 

Sendo certamente de origem Natural (mesmo que como tudo consequência de um outro de origem natural ou artificial),

 

‒ Apesar da dúvida suscitada entre asteroide e cometa (com este último a ser o cientificamente escolhido)

 

Chegando-se no entanto a levantar a questão,

 

‒ Dada a sua origem e a sua propulsão (não se movimentando apenas à interação de forças e de campos geomagnéticas mas a elementos libertados pelo mesmo)

 

Se o mesmo se tratava de um Calhau (que mesmo vindo de longe poderia passar por um de cá) ou se não seria uma Máquina (uma sonda tripulada e com vida ou apenas comandada ou então perdida).

 

Levando entre outros o SETI (depois de testes levados a cabo, sem resposta, nem sinais) a afirmar perentoriamente que não.

 

[“If Oumuamua had been on a collision course with Earth, we would have had no warning. It had already passed us when it was discovered on 19 Oct. The impact would have been a week earlier on 14 Oct, unleashing an explosive yield equivalent to about 30 megatons of TNT.” (theanalysis.net/25.12.2017)]

 

(imagens: nasa.gov e gigantesdomundo.blogspot.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48

Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13

15


29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO