Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Set 18

[Florence]

 

Com a época dos furacões no oceano Atlântico a iniciar-se (rudimentarmente) no mês de Maio estendendo-se até ao mês de Dezembro (com os últimos vestígios dos mesmos)

 

two_atl_2d0.jpg

 

– Atingindo o seu pico máximo por meados do período compreendido entre os meses de Agosto e de Outubro ou seja neste mês de Setembro (nos últimos 166 anos – 1851 a 2017 – com 2/3 ciclones e 3/4 tempestades tropicais por mês)

 

São 2 os furacões e 1 as tempestades tropicais neste momento em evolução e a desenvolverem-se nesta região (oceânica) do Globo Terrestre:

 

Os furacões Florence (categoria 4 com ventos máximos atingindo os 200Km/h) e Helene (categoria 2 com ventos máximos atingindo os 175Km/h) e a tempestade tropical Isaac (deslocando-se para oeste com ventos ultrapassando os 110Km/h).

 

Acrescida ainda da forte possibilidade (de momento nos 30%) de se assistir à formação de um ciclone (nas próximas 48 horas) localizado entre o noroeste do Mar das Caraíbas e o sudeste do Golfo do México (afetando o México e os EUA/estados do Texas e do Luisiana) e de um outro (igualmente nas próximas 48 horas mas apenas nos 10%) neste caso localizado nas proximidades de Cabo Verde e dirigindo-se para norte (em direção aos Açores).

 

152311_5day_cone_no_line_and_wind.jpg

 

Já pelas 19:00 de Portugal e com a aproximação do furacão Florence à costa leste dos EUA, com o mesmo a projetar-se como um acontecimento meteorológico extremamente perigoso mantendo ainda a sua categoria (4) e levando à evacuação de mais de 1,5 milhões de pessoas: com o alerta a ser lançado (já hoje) para toda a costa da Carolina (Norte e Sul) esperando-se que o mesmo atinja a região (com a sua maior intensidade) já na próxima quinta-feira (dia 13).

 

Na sua passagem pela costa da Carolina e confirmando-se a sua categoria (4 ou mesmo 3) com o furacão podendo provocar grandes inundações (devido à enorme precipitação que o acompanha e ao terreno já bastante saturado) e destruição material (dada a presença de ventos fortíssimos – na ordem dos 200Km/h) estendendo-se as suas consequências a outros estados vizinhos como será o da Virgínia. E confirmando-se a pior previsão (Florence chegar a terra com categoria 4) podendo nunca ter havido (nesta região dos Estados Unidos) uma tempestade como esta (Florence).

 

E pelas 19:30 de Lisboa com o furacão Florence mantendo a sua categoria 4 e dirigindo-se ainda para as costas da Carolina (Norte e Sul – como estados da costa leste dos EUA), ao mesmo tempo que as previsões dos outros 2 ciclones não se mantendo se agravam: um de 30% para 50% e outro de 10% para 40%. Aproximando-se o fim-de-semana (15/16 Setembro) confirmando-se ou não as piores (esperando-se as melhores) previsões.

 

(imagens: noaa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:45

Com o 1º cometa (o maior) a passar a uns 58 milhões de Km da Terra e com o 2º cometa (um pouco menor) a passar a apenas 1/5 dessa distância.

 

Gregg-Ruppel-21P-Giacobini-Zinner-LRGB_090918_1536

Cometa 21P/G-Z

(Gregg Ruppel/9 Setembro)

 

Com a passagem até ao fim deste ano de dois cometas a caminho do seu periélio – 21P/G-Z em Setembro (a sua maior aproximação à Terra nos últimos 70 anos) e 46P/W em Dezembro – os observadores de objetos voadores viajando no interior do Sistema Solar e orbitando tal como todos os outros (corpos celestes deste Sistema) o nosso Astro-Rei (o Sol) – como 21P/G-Z orbitando o Sol a 1/6 UA de distância e apresentando um período orbital de pouco mais de 0,7 anos (d=2Km) e 46P/W orbitando o Sol a 1/5 UA de distância e com um período orbital de cerca de 5,4 anos (d=1,2Km) – terão a possibilidade de os observar numa nova aproximação ao Sol (e à Terra) antes de se afastarem para uma nova revolução:

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3OS

Cometa 46P/W

(SkySafari App/16 Dezembro)

 

[Comet 46P/Wirtanen will be closest to Earth on Dec. 16, 2018. Look for it above the eastern horizon after dusk all month long! It will be bright enough to see with the naked eye, and will look even more spectacular with binoculars and telescopes.]

 

Com o primeiro destes cometas (21P/G-Z) a passar ontem (10 de Setembro) nas proximidades do nosso planeta (Terra) a uma distância aproximada de 58.000.000 Km e com o segundo (46P/W) a passar a 16 de Dezembro muito mais perto (menos de 12.000.000 Km) sendo mesmo visível a olho nu – por sinal com este último cometa a ser o inicialmente escolhido para a visita da sonda espacial Rosetta (uma missão da responsabilidade da Agência Espacial Europeia/ESA) posteriormente substituído pelo cometa 67P/C-G. No caso do cometa desta terça-feira (e segundo os especialistas) com o mesmo a ser possível de ser observado recorrendo a um telescópio ou mesmo a um par de (potentes) binoculares, dado o mesmo (cometa) na sua aproximação (ao Sol) ter desenvolvido uma extensa atmosfera cometária (ou Coma) quase o dobro do diâmetro do gigante planeta Júpiter. Deixando-nos a pensar no espetáculo que nos reservará o segundo, pouco antes do Natal.

 

(imagens: spaceweather.com e space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:57

Setembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14
15

20

23
26
27
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO