Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

28
Set 18

Com o projeto audacioso (tal como na Tesla, para já só no investimento) do milionário norte-americano ELON MUSK

 

Mais uma vez adiado

 

– Prometendo-nos (de uma forma convincente ou não tivesse origem nos EUA, Terra dos Dólares) uma missão espacial muito mais arriscada e valorosa (se comparada com aquelas integrado o programa APOLLO tendo como objetivo a LUA)

 

Dnpe1cRUYAAbI0n.jpg

Colonização de Marte

(para lá de 2030)

 

Os planos para a conquista e Colonização de MARTE, tem agora o seu início marcado para o ano 2028:

 

Nesse ano com a sua companhia aeroespacial – a SPACE X – a ter já a capacidade de construir a sua primeira base no Planeta Vermelho a base ALPHA.

 

Apesar de todo o dinheiro injetado nas suas empresas (privado mas obrigatória e simultaneamente governamental)

 

– Como na TESLA e na SPACE X –

 

Utilizando alta tecnologia e tendo como alvo de mercado não só a Terra mas igualmente o Espaço exterior (rodeando-a),

 

Com Elon Musk a ser colocado perante a realidade e a impossibilidade (sem recurso) para de momento

 

Enviar um Humano em segurança numa Viagem de muitos milhões de Km (com a Terra e Marte distando entre si de 54,6 a 401 milhões de Km) e durando centenas de dias (uns 150 a 300 dias).

 

Para já e dada a impossibilidade técnica e animal (considerando aqui o Homem) de se projetar com certeza absoluta de sucesso (99,99%) um tal empreendimento e Missão

 

– Pensando-se na duração da viagem (só na travessia Terra/Marte podendo-se consumir meio ano),

 

– Nas suas monstruosas implicações técnicas (como por exemplo a construção de um Super-Foguetão – de lançamento – capaz de enviar astronautas e carga diversa para um mundo distante e isolado),

 

– E nas implicações para a manutenção das condições de saúde psíquico-física dos Humanos (só na viagem e ignorando a atmosfera tóxica e mortal de Marte – o destino – para além do seu isolamento num circuito fechado durante um longo período de tempo sujeitando-se à ação de poderosas radiações solares e cósmicas),

 

Com as empresas do mesmo (e a médio-prazo) a optarem (de facto) pelo Marketing & pela Publicidade (enviando um carro elétrico, pilotado por um insuflável, em direção a Marte) e pelo Turismo Espacial (e outras opções de Carga).

 

Restando saber se num projeto com futuro e com conteúdo (ao contrário da local e comercial Virgin Galatic, do milionário inglês Sir Richard Branson) e conhecendo-se de antemão a necessidade absoluta de uma mão (Financiadora) da parte Governamental (por opção investindo não na NASA mas na SPACE X).

 

(imagem: universetoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:31

Setembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14
15

20

23
26
27
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO