Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Out 18

Ainda com a Indonésia a contar o número de vítimas mortais provocados pelo último TSUNANI (devastador e sem aviso) registado na região (antecedido por um sismo bastante intenso) – e com o número de mortos a poder desde já ultrapassar os 5000 – ainda com os EUA a contabilizarem os elevadíssimos prejuízos materiais e vítimas (feridos e mortos) provocadas pela passagem dos dois últimos furacões (o mais recente e afetando zonas já saturadas de água – o MICHAEL – vitimando o estado da FLORIDA) eis que em Portugal e à falta de melhor (para nos entreter com algo que seja, durante este fim-de-semana), todo o mundo se mobiliza não só em torno do nosso CR7 (o Melhor Futebolista do Mundo) como em torno do nosso LESLIE (o maior furacão a passar por aqui desde 1842).

 

143642_5day_cone_no_line_and_wind.jpg

Evolução do furacão LESLIE

(National Hurricane Center)

 

No Hemisfério Norte sem nenhuma Tempestade Tropical (relevante) de momento ativa – exceção feita ao furacão LESLIE em evolução no oceano Atlântico (categoria 1) e à possibilidade da formação de um Ciclone (40%) nas próximas 48 noras na costa ocidental do México (cerca de 160Km a sudoeste de Acapulco) – todas as nossas atenções se viram no presente para o desenvolvimento do furacão LESLIE (tendo já passado a norte do arquipélago da Madeira) dado o mesmo se dirigir (agora) em direção a Portugal Continental: deslocando-se para nordeste a uma V = 53Km/h, com ventos podendo atingir rajadas de 120Km/h e ao atingir o continente (para além do vento forte) transportando consigo grande agitação marítima e elevada precipitação – e devido a tal fenómeno (meteorológico) colocando 13 distritos em Alerta Vermelho (topo da escala). Com os efeitos da passagem do furacão LESLIE (principalmente a norte do Tejo e dirigindo-se para nordeste em direção ao interior de Espanha) a fazerem-se sentir mais intensamente na passagem deste sábado para domingo (dia 13 para 14) e com as rajadas máximas (segundo o IPMA) podendo atingir mesmo os 190Km/h. Com a meteorologia a prever para hoje (sábado) e para todo o país (continente) chuva e/ou aguaceiros (podendo ser mais ou menos intensos), temperaturas variando entre 10⁰C (mínima a norte) e 32⁰ C (máxima no centro), vento moderado (de sul e pelo menos até ao fim do dia) e ondulação marítima entre um mínimo de 1m/1,5m a sul (Algarve) e um máximo de 2m/6,5m (Lisboa). E com a previsão para domingo (passada a tempestade Leslie) a registar melhorias no restante fim-de-semana: no caso de Albufeira mantendo-se este fim-de-semana (assim como em toda a região do Algarve) o Alerta Meteorológico Laranja, para segunda-feira passar a Verde (normal) com o fim da precipitação (lá para quarta-feira) e com as temperaturas (do ar) mantendo-se bem agradáveis (entre 13⁰/mínima e 26⁰/máxima). Mas por outro com a temperatura da água do mar descendo de mais de 20⁰C para menos (desses 20): ainda hoje com uns 25⁰C – bom para o banho – amanhã (dentro de dias) apenas pelos 15⁰C – e a dizermos “ai que frio”.

 

(imagem: noaa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:06

[Pelo menos de artefactos terrestres circulando à sua superfície. Desde 15 de Setembro.]

 

22054_PIA22549_800.jpg

Rover Opportunity

(mal visível na imagem após a passagem da Tempestade de Pó/Areia)

 

Enquanto nada de novo chega da superfície do planeta Marte devido às avarias ocorridas nos dois veículos motorizados aí colocados pela agência espacial norte-americana (e governamental/não privada) NASA – em 2004 com o ROVER OPPORTUNITY e em 2012 com o ROVER CURIOSITY – os técnicos das duas missões ao Planeta Vermelho (assim denominado devido à forte presença de óxido de ferro) tentam desesperadamente recuperar as Comunicações (transmissão de dados Marte/Terra) resolvendo as falhas ocorridas nos seus computadores de bordo (e colocando em risco as duas missões): no caso do ROVER OPPORTUNITY (em Marte há mais de 14 anos) e como consequência do surgimento e evolução da Grande Tempestade de Pó/Areia Marciana (deste ano) com o seu computador de bordo a entrar (por essa altura) em estado de hibernação (nesse estado desde o passado dia 12 de Junho) e apesar das tentativas já registadas ainda não tendo recuperado. Quase quatro meses depois (e não conseguindo o Rover recarregar as suas baterias solares) temendo-se o pior (o fim da missão).

 

8371_PIA22486_1280x.jpg

Rover Curiosity

(imagem poeirenta aquando da passagem da Grande Tempestade)

 

Já no que diz respeito ao ROVER CURIOSITY (em Marte há mais de 6 anos) e apesar da Grande Tempestade Atmosférica engolindo todo o planeta, não só por ter sido menos intensamente atingido pela tempestade (de pó/areia) como por ser alimentado por energia nuclear (não dependendo dos raios solares como o Rover Opportunity), a avaria não se deveu (em princípio) ao Fenómeno Atmosférico (podendo-se dizer apesar de tudo extremo) mas a uma falha no seu computador de bordo: colocado fora-de-serviço desde o passado dia 15 de Setembro (a caminho da 4ª semana) sem se perceber ainda muito bem qual o motivo da avaria (possivelmente um curto-circuito/um problema de software) e levando os responsáveis pala missão a tentar derivar as funções do computador de bordo para um outro computador de retaguarda (Backup). Por sinal o computador de bordo inicialmente utilizado nesta a missão (o PC1) e devido a algumas anomalias nele registado (em 2013) sendo substituído pelo que até 15 de Setembro estivera (sem problemas) em ação (o PC2). Entretanto e após tal procedimento (mudança do PC1 para o PC2) tentando-se de novo estabelecer ligação e a retoma das trocas de comunicações (e transmissão de dados). De momento sem notícias (vindas da NASA) seja de um seja do outro.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:37

Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

14
19
20

21
26
27

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO