Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

08
Abr 19

Contrastando com um fenómeno meteorológico como o denominado FUNIL de NUVEM

 

– Com toneladas de água do mar podendo ser sugados para a atmosfera e em casos extremos deslocar-se para terra e aí descarregar o seu por vezes enorme volume de água, ainda-por-cima acompanhado de fortes ventos –

 

5ca7adc8b417156821311_2403737042970190_50920516277

Funil de Nuvem/Funnel Cloud

(imagem: Diogo Alves)

 

Registo da Ocorrência

 

Registo

Alenquer (foto: Diogo Alves)

Observação

De uma funnel cloud que foi progredindo em direção ao solo, acabando por se dissipar antes do touch down

Local

Venda do Pinheiro, com linha de vista entre a Povoa de Santa Iria a Vila Franca de Xira

Distrito/Concelho

Lisboa/Alenquer

Data

2019-04-01 14:00 (09:35)

Rotação

Mais de 1 minuto

Danos/Vítimas

Não

 

O cenário com que no presente se depara Portugal (continental) atravessando um prolongado período de seca e sem grande precipitação (sobretudo nas regiões do interior e no sul do país) e agora sendo ainda acompanhado (nesta desgraça da falta de um bem essencial para Vida como a água) pela redução bem visível (em certos casos perto do extremo) do caudal dos nossos rios: como o agora relatado pelo sapo.pt afirmando “estar o rio Tejo por um fio (pelo menos em vários pontos do seu trajeto já em Portugal).

 

25973466-750x501-lt.jpg

A Seca no rio Tejo

Hoje

(imagem: impala.pt)

 

Algo já expetável e tendo vindo a ser noticiado, mas que fora os verdadeiramente interessados (Investigadores, Agricultura, Pesca, Navegação, Trânsito, Etc.) pouco espaço tem libertado para a sua maior e mais intensa divulgação pública: com os Organismos Públicos (e também os Privados por muitos deles serem financiados pelo Estado) como primeiros responsáveis (hierárquicos) por tais áreas a parecerem estar desligados da Realidade apesar do crescente clamor da população que deveriam servir (para isso sendo bem remunerados) e jamais (como eruditos face aos leigos) ignorar: e como consequência tendo o Tejo cada vez mais seco, em certos locais do seu percurso podendo-se até passar a pé de uma margem para a outra (dividindo a região do Alentejo da região do Ribatejo) – rio Tejo o mais extenso da Península Ibérica (e o maior em Portugal logo seguido pelo Rio Douro) nascendo na serra de Albarracin (Espanha) e após pouco mais de 1.000Km desaguando (caso não tenham reparado ainda) num estuário em Lisboa (Portugal). Em Lisboa (e como que coroando e consagrando a Glória do rio Tejo) ainda com a Reserva Natural do Estuário do Tejo e apesar de tudo isto (confluindo na seca extrema), seja passado ou presente, convindo aqui recordar mais um projeto da nossa Elite (quase que avançando na altura) para a mesma região mais rigorosamente em Lisboa: a construção (imaginem) de uma Central Nuclear na capital (do nosso único país/fora as ilhas) onde nela e nas redondezas residem mais de 3 milhões (no mínimo sendo loucura).

 

201904081600_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Satélite/Infravermelho

08.04.2019 16h UTC

(Eumesat/ipma.pt)

 

Relativamente à meteorologia em Portugal na região do Algarve – particularmente em Albufeira e para os próximos dias (9/17 Abril) − constatando-se a diminuição progressiva da precipitação (apesar da água caída ainda ser pouca) talvez com o retorno da mesma para o início da semana seguinte (que nos conduz à Páscoa); acompanhado de vento moderado (sobretudo de N) e céu geralmente pouco nublado/parcialmente nublado por vezes por nuvens altas; e com as temperaturas a variarem (de 9/17 deste mês) entre os 9°C/11°C de mínima (média de 10°C) e os 20°C/23°C de máxima (média de 21°C). E com o mar por vezes mais ou menos alteroso (mas nunca comparável, ao da costa ocidental Atlântica) a apresentar temperaturas (durante o dia) rondando os 15°C/16°C. E sismologicamente falando, nada havendo de relevante (a assinalar) na região do Algarve.

 

(dados meteorológicos: ipma.pt − imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:30

A Terra (a azul, branco e castanho) como vista a partir da Lua

Podendo-se observar o deserto do Sahara (abaixo a Arábia Saudita)

E o nosso vizinho oceano Atlântico

 

main_1200.jpg

Com a Apollo 11 (tendo a bordo Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin) partindo de uma órbita terrestre, a atingir a órbita lunar em menos de 52 horas (V = 7.400Km/h). No presente e tomando como referência a velocidade atingida pela sonda automática (obviamente não tripulada) New Horizons (mais de 58.000Km/h) com o tempo de viagem a descer drasticamente para pouco mais de 8,5 horas.

 

A TERRA (um dos 8 planetas do nosso Sistema) a 12 de Outubro de 2015 conforme registo obtido por uma das muitas sondas da NASA – o LRO (um orbitador lunar) lançado em meados de 2009 e atualmente orbitando a LUA – um corpo celeste por nós conhecido (os seus habitantes) como o 3º planeta do Sistema Solar e interior à Cintura de Asteroides,

 

Tendo como companhia (entre os seus colegas de Viagem mais próximos) no seu movimento de translação anual (durando 365 ou 366 dias caso o ano seja bissexto) em redor da sua estrela de referência − o SOL (uma entre um número incontável de estrelas integrando a Via Láctea) − um único satélite (natural),

 

main_1200 C.jpg

No primeiro voo tripulado (norte-americano) levando três seres humanos a bordo para a concretização da Viagem Espacial pioneira (equivalente à Aventura dos Navegadores desbravando os Oceanos) ligando a Terra a outro Corpo Celeste (a Lua), um registo do módulo lunar da Apollo 11 (LM) obtido a partir do módulo orbital (CSM) − a 21.07.1969 − e tendo a Terra a erguer-se (ao fundo bem azul) acima do horizonte lunar.

 

Localizado a apenas 384.400Km de distância (nem 10 voltas em redor do nosso planeta) e parecendo ter estabelecido connosco (pelo menos temporariamente e numa base de muitos e muitos milhões de anos − isto apesar de se estar gradualmente a afastar cada vez mais do nosso planeta) um percetível (veja-se o caso das Marés) cordão umbilical:

 

Unindo dois corpos celestes na sua (extrema/dependente) adoração à mesma estrela (o Astro-Rei) − apesar de tão diferentes tanto na apresentação, como no conteúdo − e mesmo assim até pela interdependência (ou conivência evolutiva e de sobrevivência entre ambos a Terra e a Lua) surpreendendo-nos na proporcionalidade das suas dimensões.

 

main_1200 B.jpg

Apesar de apresentado num registo a P/B, um contraste bem visível entre a superfície da Lua (um Mundo “Morto”) − completamente exposta aos efeitos exteriores (e suas consequências) oriundos do Espaço (parecendo a casca completamente seca de um fruto) – e a variação de cores (entre a não cor/o preto e a cor/o branco) e texturas refletidas para o mesmo Espaço pela Terra (um Mundo bem Vivo): e tudo isso graças a essa extraordinária camada protetora representada pela atmosfera terrestre envolvendo todo o nosso planeta. Numa foto Lunar Orbiter 1 (anterior à missão Apollo 11) de 1966.

 

Contrapondo aos 12.742Km de diâmetro da Terra, uma Lua ultrapassando os 3.474Km de diâmetro (mais de 27% do tamanho da Terra).

 

Quando o que se verifica esmagadoramente em casos semelhantes passando-se no nosso Sistema Planetário − neste caso entre os planetas e as suas respetivas luas (se as tiverem) – e que não se verifica ao compararmos a dupla em causa (e que nos afeta) Terra/Lua – com esta última a ser “o maior satélite natural de um planeta no sistema solar em relação ao tamanho do seu corpo primário (wikipedia.org),

 

a1.jpg

O nosso Mundo a 142.000.000Km de distância

A Terra e a Lua tal como as veria um extraterrestre (aqui pela câmara HiRise da sonda automática MRO), passando nas proximidades do planeta Marte (o nosso vizinho exterior) – a cerca de 142 milhões de Km do nosso planeta – no dia 03.10.2007 – e com cerca de metade dos seus discos (da Terra e da Lua) iluminados.

 

É que a desproporção (de dimensões/tamanho) planeta/lua é muito maior do que a registada pelos nossos lados:

 

Escolhendo entre o nosso Sistema (Solar) uma lua maior e outra menor que a nossa (a LUA) – por exemplo Ganimedes (a maior lua do Sistema Solar e a maior do planeta Gigante-Gasoso Júpiter) e Titã (a 2ª do Sistema e a maior de Saturno),

 

a2.jpg

O nosso Mundo a 183.000.000Km de distância

Visionadas a partir do exterior (Terra e Lua) a uma distância superior à que separa a Terra do Sol (150.000.000Km) − com a luz necessitando de mais do que 8 minutos para atingir esta distância (á v=300.000Km/s) – uma imagem de 06.05.2006 enviada pela sonda Messenger, mostrando-nos (a sudoeste) um ponto brilhante a Terra e logo à sua direita um mais pequenino a Lua.

 

Rapidamente se chegando aos valores da relação lua/planeta (usando maiores planetas/maiores luas) respetivamente 3,8% e 4,4% (bem menores que os espetaculares 27% da relação lua/Terra).

 

Podendo-se facilmente andar pelos 0,04%.

 

(dados e imagens retirados de: Alan Taylor/Portraits of the Earth-Moon System/theatlantic.com e theatlantic.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:16

Terminada a penúltima prova da época 2018/19 do Circuito Mundial de Snooker (individual) – o OPEN da CHINA – com a vitória do australiano NEIL ROBERTSON (provisoriamente no 3º do Ranking Mundial e 1º do Ranking da Época), iniciam-se dentro de menos de 48 horas (marcado para a próxima quarta-feira dia 10) as QUALIFICAÇÕES para o MUNDIAL 2019: contando com a presença 128 jogadores disputando 3 rondas eliminatórias e ultrapassando-as – num total de 16 jogadores sobreviventes – indo-se juntar aos outros 16 jogadores entretanto já apurados por acesso direto (dado integrarem o Top 16 do Ranking Mundial). Ou seja, a partir de 10 de Abril com 144 jogadores disponíveis a candidatarem-se à conquista do Mundial 2019 (título atualmente na posse do galês MARK WILLIAMS).

 

Neil-Robertson-764641.jpg

Robertson & O’Sullivan

 

Entre estas 144 candidaturas ao título Mundial (entre profissionais e amadores e integrando ou não a tabela ordenada do Ranking Mundial) e com um total de 12 jogadores tendo ganho no mínimo 1 prova esta época (contando ou não para o RM – 19/5 − num total de 24 provas já disputadas)

 

RE

J

N

V

(RM)

PF

(RM)

V

(N/RM)

PF

(N/RM)

T

(V/PF)

Neil

Robetson

AUS

3

3

-

-

6

Ronnie

O’Sullivan

ING

3

1

2

1

7

Mark

Allen

IRLN

2

1

-

-

3

Judd

Trump

ING

2

-

1

-

3

Mark

Selby

ING

1

-

-

-

1

Stuart

Bingham

ING

2

1

-

-

3

Mark

Williams

GAL

1

-

-

-

1

Kyren

Wilson

ING

2

-

1

1

4

16º

Jimmy

Robertson

ING

1

-

-

-

1

20º

Matthew

Selt

ING

1

-

-

-

1

34º

Thepchaiya

Un-Nooh

TAI

1

-

-

-

1

81º

Martin

Gould

ING

-

-

1

-

1

(RE: Ranking Época J: Jogador N: Nacionalidade V: Vitória PF: Presença Final T: Total RM: Ranking Mundial N/RM: Não/RM)

 

A partir das suas performances (baseadas na técnica/resultados/experiência) com dois jogadores a destacarem-se claramente − NEIL ROBERTSON e RONNIE O’SULLIVAN – e como consequência sendo os principais favoritos à conquista do título Mundial, com outros dois muito próximos e sempre à espreita – MARK ALLEN e JUDD TRUMP – e finalmente como principais suplentes outros dois – STUART BINGHAM e KYREN WILSON (e com Mark Selby e Mark Williams decididamente a não nos convencerem muito sobre as suas hipóteses).

 

maxresdefault.jpg

Allen & Trump

 

E assim na próxima quarta-feira iniciando-se (como desde 1977) no TEATRO do CADINHO (CRUCIBLE THETRE) em Sheffield mais esta dura caminhada (especialmente para os jogadores oriundos das Qualificações tendo de superar 7 rondas para se sagrarem Campeões/com os dispensados das Qualificações a terem que disputar apenas 4 para atingir tal objetivo), para a 6 de Maio se conhecer aquele que sucederá ao atual Campeão Mark Williams e se juntará à lista dos Campeões Mundiais de Snooker (num Campeonato disputado desde 1927). E entre os jogadores ainda no ativo tendo já sido Campeões do Mundo, a serem ainda muitas as presenças (precisamente 10): Mark Williams (3X), Mark Selby (3X), Stuart Bingham (1X), Ronnie O’Sullivan (5X), John Higgins (4X), Neil Robertson (1X), Graeme Dott (1X), Shaun Murphy (1X), Peter Ebdon (1X) e Ken Doherty (1X).

 

Com RONNIE O’SULLIVAN já como LÍDER do RM e talvez agora à procura do que poderá ser a sua derradeira hipótese de se sagrar Hexacampeão do Mundo (entrando no Grupo restrito de 7 jogadores tendo ganho mais do que uma mão cheia de Mundiais, liderados pelo inalcançável inglês JOE DAVIS 15X Campeão do Mundo/consecutivo entre 1927/46 − exceto nos anos da II GM onde o mesmo por 5X não se realizou).

 

Então até já, até ao Campeonato do Mundo.

 

(imagens: Getty/dailystar.co.uk – Snooker Studio/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:57

Alerta Geral

Notícia de Última Hora

(transmitida há momentos na TV)

 

A Rússia acaba de Invadir a Estónia

NATO a caminho

 

Putin-Russia-EU-NATO-invasion-771755.jpg

Invasão Russa

 

À Moda da Guerra dos Mundos (da autoria via escrita de H. G. Wells e dramatizado via rádio por Orson Wells) num episódio reproduzido pela nossa Imaginação (infinita), mas também utilizado para outros fins (sejam bons ou sejam maus dependendo do critério) − e substituindo-se agora norte-americanos por alemães e alienígenas por russos – num episódio imposto por esta Realidade Virtual (por limitada no Tempo/Espaço) − a reposição 90 anos depois (de 100 em 100 anos regredindo-se na cultura e na memória) de uma nova versão/temporada da referida Guerra dos Mundos (agora com Claus Kleber como escritor e com a ZDF como palco da dramatização), envolvendo apenas terrestres mas mantendo ao mesmo tempo o medo e a propaganda: respondendo-se à G. dos M. 1.0 com a G. dos M. 2.0 e pacientemente esperando-se (á base de incentivos) e almejando-se que cole.

 

“Together with European and German allies,

the US army is currently moving through land, air and sea

to Estonia to expel Russian forces,

which have once again invaded, as in Crimea before.”

(Claus Kleber/apresentador-consagrado

do telejornal do canal alemão ZDF/4 Março)

 

Com milhões de espetadores a verem e a ouvirem ao vivo e pela voz do conhecido (respeitado e credível) locutor/apresentador (o tal Claus Kleber) da estação alemã ZDF (quinta-feira à noite) a notícia de última hora referindo-se ao movimento das tropas russas dirigindo-se e entrando ilegalmente em território estoniano, levando desde logo a uma resposta imediata das forças da NATO e deixando absolutamente surpreendidos, aterrados e em sobressalto todos os alemães como todos os seus (países) vizinhos − pelo menos por uns curtos mas (dadas as circunstâncias e a paralisia de muitos) intermináveis segundos.

 

“There will be a war with Russia,

so you must love NATO.”

(Claus Kleber)

 

5ca9f7a0fc7e9381748b465f.jpg

Claus Kleber

 

[Segundo a RT, sendo o verdadeiro objetivo de mais este episódio aparentemente inocente e exemplarmente representando o que são as FAKE NEWS − aproveitando de uma forma oportuna a participação da NATO em manobras na Estónia – uma forma de assustando as pessoas, justificar a existência de uma organização militar como a NATO. Se calhar sendo verdade e de acordo com a propaganda.]

 

Para de seguida mantendo-se sério e profissional nos dizer

 

GOTCHA!

(Apanhei-te!)

 

Mas com outras palavras e sendo acompanhado (como no passado no tempo do outro senhor) pelo moral da história:

 

“Do not worry.

It is not true.

This is just a fantasy scenario – but a realistic one.”

(Claus Kleber)

 

Como se não bastasse o matraquear constante por parte das autoridades ditas oficiais e Ocidentais (ou seja, dependentes dos EUA e da sua força militar adicional a NATO) sobre uma possível Invasão Russa da Europa − deixando muitos de nós num constante sobressalto (mesmo que contido) dada a possibilidade da eclosão de um novo conflito regional, podendo rapidamente e pelas partes envolvidas (a Europa Ocidental velha Aliada dos EUA) evoluir para uma nova guerra (muito mais ampla), a WW3 no presente e aproveitando as agora na moda FAKE NEWS com os mesmos (Políticos/Empresários/Formadores/Etc.) utilizando as suas Marionetas selecionadas e profissionalizadas (ordenadas) para esta Sociedade do Espetáculo (entranhando-se em nós e manipulando-nos, não só por fora(fisicamente como por dentro/mentalmente),  a Gozarem-nos de frente, como por detrás, como por todos os lados: Ameaçando-nos de Morte e de seguida Mijando-se (ou seja no fundo Cagando-se em nós) de tanto rir!

 

Como comportamento da Presa, relativamente ao seu Predador:

 

A esmagadora maioria das vezes com o Povo

(os mais de 99% dos mais de 7,5 biliões)

Ainda-por-cima a aplaudir

(os restantes nem 1% da referida multidão de mais de 7,5 biliões).

 

(texto/consulta: rt.com − imagens: Getty/express.co.uk e ZDF/zdf.de)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:19

Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

15
16

21
25



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO