Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

31
Ago 19

Um dia (finalmente) assistiremos

à Ascensão (ao desvendar) de Júpiter.

 

[Encontrando-se o Sol na sua meia-idade (quase 5 de uns 10 biliões de anos, referindo-nos à sua fase principal) e tendo como destino seguinte transformar-se numa Gigante-Vermelha (aumentando drasticamente de volume e começando a “incinerar e a engolir” toda a matéria próxima dela) e finalmente numa anã-branca, delineando-se pelo menos na nossa Imaginação e acompanhando este período ainda  longo de 5 biliões de anos (face à evolução solar) uma transformação radical de Júpiter, “revelando” o seu interior e levando à sua Ascensão.]

 

JÚPITER

 

PIA00235.jpg

Ansiando pela Ascensão de Júpiter

respeitando os seus associados (as suas luas)

 

Rodeados por UNIVERSO dito Infinito, mas que até poderá não existir − não passando de uma mera projeção, aplicada a uma tela pluridimensional e exposta a um público selecionado – e inseridos num SISTEMA PLANETÁRIO não se tendo conhecimento nem de pai nem de mãe – destacando-se nele dois elementos (desde logo pela sua massa e dimensão, o SOL e JÚPITER) e dele sobressaindo ainda (podendo até ser elementos replicadores), alguns misteriosos agrupamentos de outros pequenos elementos (como a CINTURA de ASTEROIDES localizada entre as órbitas de Marte e de Júpiter, a CINTURA de KUIPER origem dos KBO e a NUVEM de OORT fonte de cometas) – para além de algum mistério e suspense envolvendo “as cinturas e a nuvem (aqui referidas) tornando-as um objetivo fundamental de estudo e de necessário esclarecimento (científico, até mesmo espiritual) – imaginando-se certos desses elementos viajantes como “espermatozoides em missão e prontos a fecundar o seu óvulo” − com esses dois elementos destacando-se no SISTEMA SOLAR e já anteriormente referidos − o SOL e JÚPITER – a serem certamente o nosso único apoio conhecido (de sustento e de defesa) no Passado como no Futuro: com o SOL fornecendo-nos a ENERGIA (até para a existência de Vida na Terra) e JÚPITER a PROTEÇÃO (contra a possível intrusão de objetos extrassolares perigosos no nosso Sistema Solar).

 

Tendo antes atingido

as Luas (com água) de Galileu.

 

[Numa região do Sistema Solar dominada por um Gigante Gasoso (distando cerca de 800 milhões de Km) superando todo o restante sistema exceção feita ao seu Astro-Rei − o SOL – e sabendo-se desde já do importante papel desempenhado pelo planeta Júpiter na defesa e proteção da Terra (intersetando ou desviando objetos), podendo-se estar a descortinar cada vez mais (com grande profundidade no tempo) um segundo favor prestado (e pronto-a-servir), mas agora e exclusivamente aos seus habitantes: os terrestres tão ávidos de água e podendo-a encontrar em três das Luas de Galileu − Europa, Ganimedes e Calisto.]

 

IO, EUROPA, GANIMEDES, CALISTO

 

PIA01299_hires.jpg

Sabendo da existência de Água (Europa/Ganimedes/Calisto)

noutros locais que não a Terra

 

Num futuro próximo ou distante e com o Sol a envelhecer (e a crescer), alterando-se as condições do Sistema (do conjunto de elementos) e a forma e o papel a desempenhar (por cada um deles), com a estrela a aumentar, a ocupar o lugar d’ outros, sem nada que a faça parar − alterando o tempo e a geografia desta parte já diminuta do Espaço (criando um “engarrafamento”) − fazendo que um outro elemento possa vir a ocupar o papel antes por nascimento e direito sendo um exclusivo da Terra: pelo seu mistério e grandeza, assim como pela sua dimensão e massa (só sendo naturalmente batido pelo denominado ASTRO-REI o SOL) − engolindo facilmente, fora o Sol, todo o restante Sistema – talvez estando reservado para Júpiter um papel decisivo e deveras importante (finda o papel da Terra e para o futuro do Homem). Sabendo-se que antes de (se chegar a) Júpiter existe o Sistema Joviano (conjunto de anéis e de luas) e no seu interior as Luas de Galileu: EUROPA, GANIMEDES, CALISTO e IO, à exceção desta última, podendo todas elas possuir aquilo de que há mais na Terra, assim como em grande percentagem no nosso corpo − a ÁGUA. Dirigindo-nos inicialmente à Lua, seguindo-se de imediato para Marte (construindo entrepostos) e sem hesitação partindo (com convicção e com fé) − definitivamente e à procura de Água − para as proximidades daquele que poderá vir a ser um dia (para nós) o “Admirável Mundo Novo”, ou seja, JÚPITER (uma emoção, um palpite): hoje sendo UM, amanhã (completamente diferente, mas sendo o mesmo) podendo ser OUTRO.

 

(imagens:  nasa.gov/photojournal – nasa.gov/bit2geek.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:18

30
Ago 19

Fedor

O Primeiro Humanoide Terrestre

A Viajar no Espaço

(para mal de alguns − que não os robots-humanoides − sendo russo)

 

Apenas para confirmar o lançamento pela ROSCOSMOS (em 22.08.2019) − depois de um SER VIVO IRRACIONAL (uma cadela) e de um SER VIVO RACIONAL (um homem) − do primeiro HUMANOIDE para o ESPAÇO (um Robot), entrando pela 1ª vez em ÓRBITA da TERRA e tendo já atingido a ISS (em 26.08 à segunda tentativa):

 

Skybot-800x424.jpg

FEDOR

Ao comando da SOYUZ MS-14

(com a bandeira do seu país)

 

Lançado – do COSMÓDROMO de BAIKONUR no CAZAQUISTÃO por um foguetão SOYUZ 2.1a transportando a bordo a nave espacial SOYUZ MS-14 e acoplando pouco depois com a ISS (Estação Espacial Internacional). Já instalado na ISS e (certamente) dando início às suas funções.

 

snaps_soyuz-ms-14-and-ms-13-about-soyuz-ms-14-dock

Aproximação

Da nave SOYUZ à ISS

(e acoplando à 2ª tentativa)

 

Como se vê tendo sempre como pioneiros (neste campo da Exploração Espacial) SOVIÉTICOS ou RUSSOS, se de início com seres vivos ditos irracionais como a cadela LAIKA (sem se saber se muito inteligentes ou não) ou racionais dotados de inteligência natural como GAGARINE como o HOMEM,

 

snaps_soyuz-ms-14-liftoff-about-unpiloted-soyuz-ms

Lançamento

Da SOYUZ do cosmódromo de BAIKONUR

(e preparando o novo foguetão p/ 2020)

 

Agora com seres HUMANOIDES ROBOTIZADOS e dotados de inteligência artificial como o SKYBOT F-850, mais conhecido entre “os colegas” como FEDOR: tal como com os seres vivos (irracionais/racionais) testando as suas capacidades (e funcionalidade) em microgravidade. Para no Futuro (esperando-se que a curto-prazo) individualidades como FEDOR colaborem, completando o “Círculo da Vida”.

 

(imagens: ROSCOSMOS e NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:02

29
Ago 19

 

hJ5XA7idAa8ttIw1pp1SRJbQzoC.jpg

Preparando

Uma Aventura de TRUMP

No Alasca

 

Enquanto o Mundo assiste à SELVA da AMAZÓNIA a ARDER sem nada se fazer − Bolsonaro de mãos-abertas apoiando os INCENDIÁRIOS (fazendeiros e garimpeiros), seguindo as suas perspetivas e ideias de desenvolvimento e EUA/EUROPA de mãos-fechadas dado serem os INVESTIDORES (nas madeiras, na produção agropecuária, na criação de gado e posteriormente na exploração do subsolo), seguindo um liberalismo selvagem cada vez menos democrático e evoluindo para uma espécie de CAPITALISMO DE ESTADO ESTALINISTA (cada vez sendo em menor número os Milionários e as Corporações) – eis que “para borrar ainda mais a pintura”, quando se pensava que a atitude fosse outra (ingénuos ou estúpidos, tratando-se de Trump) e esquecendo rapidamente a tragédia (e algumas das suas implicações e consequências) – por sinal (e alarme) ainda em curso – num caso com estreitas ligações com o registado no Brasil o presidente dos EUA dá instruções para terminar com uma lei (com mais de duas décadas) impedindo o abate de árvores na maior e mais preservada  Floresta Tropical à face da Terra, localizada no Alasca: aqui e substituindo Bolsonaro com Trump a pôr em causa (em risco de vida) quase 40.000Km² dessa floresta (para já ainda intacta). Só faltando mesmo alguma de Boris Johnson (ou não tivesse ele, mesmo não eleito para PM – e no que se diria um GOLPE − suspenso o Parlamento Britânico, esse tendo sido eleito).

 

Bart-van-Leeuwen-PoliticalCartoons.com_-1.jpg

Apresentando

Uma Aventura de BOLSONARO

Na Amazónia

 

E desde que políticos como DONALD TRUMP (um Milionário da Hotelaria & Imobiliário e do Jogo & Espetáculo) – 45º Presidente dos Estados Unidos tomaram em suas mãos e como seu Líder Supremo (Ocidental, seja Republicano ou Monárquico) o controlo e o destino de Territórios & Populações (pelo menos sendo já dois, o Original a norte e a 1ª Cópia a sul) − ainda-por-cima um Topo de Gama como os EUA, considerada a Maior Potência Global e o Império dominante – tornando-se natural que face ao primeiro impacto (de inevitável mudança, face ao cansaço e revolta dos eleitores) e ao que os mesmos representam (ou não propagandeassem estes desde logo, o corte total com o passado), outros políticos (se não sendo milionários e como sucedâneos, pelo menos sendo ambiciosos) se lhe sigam tentando fazer precisamente o mesmo − enquanto puderem: como será já o caso (1º) do presidente do Brasil  JAIR BOLSONARO (este eleito e já sendo reconhecido como o TRUMP SUL-AMERICANO) e como potencialmente poderá vir a ser o caso do 1º Ministro do Reino Unido BORIS JOHNSON (este não eleito e podendo vir a ser reconhecido, se por acaso já não o é, como o TRUMP EUROPEU).

 

p9-Dyer-a-20160713-870x578.jpg

Perspetivando

Uma Aventura de BORIS

Em Londres

 

Pelo que depois de mais de dois anos e meio de TRUMP (desde Janeiro de 2017) e tendo-o acompanhado desde o início (da sua Aventura nas presidenciais norte-americanas de 2016, ganhando-a surpreendentemente e surpreendendo-se a si próprio − muito tendo que agradecer aos Democratas pelo seu candidato presidencial escolhido, mas não desejado, HILLARY CLINTON), constatando-se que apesar de todos os ataques dos Média (por vezes chegando a ser asfixiante) mas posto perante o aparente crescimento económico registado (o que realmente interessa ao cidadão-comum, já que sem emprego e sem dinheiro nada se faz), o balanço (entre o crédito e o débito) tem sido claramente positivo (nas consideradas generalidades, mas sendo aqui as mais importantes) para o agora Protagonista Global (Donald Trump), obviamente levando outros a segui-lo: tentando à sua maneira imitar o Original, de modo a estar cada vez mais próximo do Molde, talvez um dia superando ambos e pondo-se ao lado do CRIADOR − dando-lhe de seguida “um banho” e ocupando então o seu lugar (nesta HISTÓRIA, que não de ingénuas-inocentes-crianças).

 

(imagens: 123movies.bar − Bart van Leeuwen/PoliticalCartoons.com/mercurynews.com − japantimes.co.jp)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:03

Com a sonda interplanetária JUICE tendo como destino JÚPITER e três das suas mais prometedoras Luas de Galileu – podendo ter ÁGUA sob a sua superfície, tornando-as potencialmente habitáveis pelo HOMEM – mesmo antes do seu lançamento previsto para daqui a quase dois anos e como tal ainda na TERRA (na altura do registo desta imagem, no telhado de um edifício da Airbus, localizado em Toulouse/França), oferecendo-nos e dando-nos a usufruir um primeiro Retrato do seu Destino: aqui como visto a 600 milhões de Km.

 

JUICE-navcam.jpg

 

Júpiter e o seu Sistema Joviano (conjunto de anéis e luas), local da futura visita da sonda da ESA (Agência Espacial Europeia) JUICE, tendo como objetivo de missão (com lançamento previsto para junho de 2022) três das Luas de Galileu (excluindo IO):  CALISTO, EUROPA e GANÍMEDES.

 

JUICE_NavCam_Jupiter-and-moons_annotated_625.jpg

 

Podendo todas elas (estas três luas de Júpiter) ter algo de comum ou de semelhante, não só relativamente ao seu planeta (de referência, não circulassem elas constantemente à sua volta), como simultaneamente e apesar da distância, com o nosso planeta TERRA − e com o ser vivo e inteligente que o habita, o HOMEM: sendo o ponto de interseção a ÁGUA. E apesar da complexidade da missão e da necessária precisão, sabendo-se do papel central da câmara de Navegação (no controlo da posição/velocidade). Até pelo sinal (longínquo):

 

“A round-trip radio signal between Earth and Jupiter

takes about 1 hour and 45 minutes,

so an autonomous navigation system is necessary.

NavCam

is a critical part of that system.”

(Evan Gough/universetoday.com)

 

(imagens: Airbus Defense and Space/universetoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:09

[Partindo de um artigo de opinião “Formação? Nah, é para a estatística” de Patrícia Reis (“escritora, jornalista, editora e criativa”/Andreia Guerreiro/CARAS) publicado em 24.sapo.pt de 28.08.2019]

 

Organoleticamente a uma distância Infinita da

Carne de Porco à Portuguesa,

apesar de muitos que não os Formandos

− Sofregamente

(como se de uma mama artificial se tratasse)

Se alimentarem dela.”

(e deles)

 

O Problema da Formação não reside apenas na sua mais que provável senão certa Inutilidade, mas no CENÁRIO MONOCROMÁTICO em que a mesma se insere e de que a mesma padece: afastadas todas as outras áreas (sejam quais forem os motivos invocados pela área triunfadora, como parasitária e necessitando de hospedeiros para se replicar, obliteradora das outras) e inseridos num território exclusivamente dedicado à prestação de serviços (a outros que não nós) restando-nos apenas a HOTELARIA & RESTAURAÇÃO (ser criado diplomado ou não) ou então e em ponto menor a CONSTRUÇÃO CIVIL (ser trolha diplomado ou não). E se eu quiser ser pescador, agricultor, engenheiro ou doutor?

 

92_deformation-professionnelle.jpg

 

Apesar de mais esta curta apresentação escrita sobre o tema da FORMAÇÃO PROFISSIONAL em PORTUGAL – no âmbito da formação obrigatória para iniciantes (os mais jovens) e para desempregados de longa duração (os mais velhos) os Passivos, estando os outros (de idade intermédia) já colocados e entregues ás leis gerais do mercado (procura e oferta), os Ativos mais uma vez se verifica e confirma a observação e a conclusão já por muitos de nós obtida (além do mais repetidamente, como se de uma epidemia se tratasse, tantos são os casos semelhantes desde há muito tempo detetados) da INUTILIDADE de tal tipo e circunstâncias de FORMAÇÃO, sem que no entanto se procure investigar e sobretudo debruçar (nessa pesquisa devendo ser mais alargada e mais profunda) sobre o que nos transporta e sujeita a esta perceção e sensação de INUTILIDADE: até porque entrando aí como desempregados − por comum, como hábito e sendo tradição (Oficial), numa sala do IEFP (organização Certificada para tal) – para além de aprender não ser o objetivo (mas sim a obtenção do certificado obrigatório confirmando a nossa existência diária, tal como se faz tantas vezes e noutras situações na Junta de Freguesia)  saindo de lá na mesma situação (e sendo colocado na prateleira até nova formação). E como se se tratasse de uma mais uma simples e casual situação de desalento passageiro (o que é que estou a fazer aqui?) pessoal (individual) e sem grandes consequências para a vida de qualquer um de nós (sendo apenas uma das fases da nossa Vida, podendo algo suceder na mudança de Armário) – especificamente assim retratado por quem (FELIZMENTE) ainda tem emprego (já que o Trabalho, algo que se gosta de fazer e ao qual não se é obrigado, está em vias de Extinção) e no mínimo de comer – isentando-se como sempre de responsabilidades (até pelos reduzidos resultados obtidos e/ou nunca devidamente divulgados e comprovados) as organizações postas em causa

 

0673b2dbcbac5882239e936775105f98.jpeg

 

− Tendo à frente o Todo-Poderoso IEFP a última esperança

(colocada já de lado a SS)

do Cidadão-Comum –

 

Assim como todos aqueles (e não são assim tão poucos, no meio da miscelânea público-privada legal) que ligados à mesma (politicamente) e servindo-se dela apenas pretendiam mais um Benefício Pessoal e Financeiro: se necessário e pouco se interessando e importando com as necessidades dos seus formandos e do seu próprio país, pegando no pessoal formado em excesso em determinadas áreas e colocando-os por sua vez e de novo (construindo um círculo infernal, repetitivo e sem fim à vista) a formar ainda mais outros (como se ainda fossem necessários) contingentes de formandos – no processo (de uma forma consciente e deliberada) obliterando de uma forma espetacular (destruindo completamente e sem possibilidade de recuperação face aos lobbies já profundamente instalados) muitas áreas importantes da Manutenção e Reparação Técnica (como eletricidade, serralharia, carpintaria, canalização, pintura, construção civil, mecânica, saúde, jardinagem, têxteis, etc., num sem número de áreas prioritárias) e entregando de uma forma cada vez mais esmagadora (não se cingindo apenas ao Algarve e a outras zonas turísticas, mas estendendo-se já a todo o país) quase toda a Formação nas mãos da HOTELARIA & RESTAURAÇÃO (e sectores a essa área associada) – com os nossos filhos a terem como única perspetiva futura e prioritária (ficando e se quiserem ter emprego) servirem os outros (sendo seus Criados) ou então Migrarem, como fazem aqueles cujos países estão em Guerra. Provavelmente e como no resto do país, com o Tecido Monocromático Empresarial e Profissional português a ser impressionante, provavelmente (e destruídas todas as outras bases de construção e aperfeiçoamento do conhecimento) irreversível: fazendo-nos recordar o sonho de qualquer português (e não só dos emigrantes), de possuir uma casa e um restaurante por baixo, como se de uma solução se tratasse não só para alguns para todos.

 

45e49adf66e1d6b4d8c2e54c7ef8fd87.jpg

 

Nos últimos 35 anos e no Ensino (para não irmos mais distante) com as Áreas Científicas e Tecnológicas sobretudo nas suas fases iniciais e médias de formação a serem progressivamente subvalorizadas (e subsequentemente sendo postas de lado) face à ascensão vertiginosa e açambarcadora (sem qualquer tipo de justificação senão a Uniformização e a Poupança) da área da Hotelaria/Restauração − esmagando mesmo outras áreas (tentando seguir o mesmo percurso e em paralelo) correlacionadas e podendo melhorar as performances na área (como cabeleireira, esteticista, manicure) – nas áreas de Atribuição de Competências Cientificas Técnico-Profissionais desaparecendo e criando-se (sem justificação e sem resposta) um VAZIO ESTRONDOSO, desaparecendo ao longo do tempo opções fundamentais e necessárias (até pela manutenção, reparação, substituição, obrigatória e de lei) como (entre tantas outras do passado, do presente e até do futuro, progressivamente sendo abandonadas) nas áreas das Artes (transformando numa amalgama sem contacto, Trabalhos Manuais, Desenho, Tecnologia, Música e até Desporto), do Vestuário (têxteis) da Agricultura e das Pescas (como na hortofloricultura e na formação de pescadores), da Indústria, da Eletricidade, da Mecânica e de um número sem fim de alternativas (viáveis e mais proveitosas para o desenvolvimento de Toda a Comunidade), muitas delas pedidas pelos pais e literal e desrespeitosamente ignoradas (como se não tivessem direito de voto, mesmo na escola para si e para os seus, construída e destinada): restando-nos o mono produto e a MONOCULTURA  local, pelo menos enquanto eles não mudarem de ideias (e de Investimentos).

 

Deformation-die-geister-die-ich-rief-verbiegen.png

 

Tudo isto porque um certo dia e com a colaboração de (ditos) intelectuais (incluindo professores) − e naturalmente de alguns pais e alunos mais a par e interessados (não sendo a culpa só deles, mas da nossa cultura de ausência e de delegação de poderes − lá vindo de novo os males passados e presentes da educação) – os POLÍTICOS entraram na Escola, seguindo-se-lhes os CONTABILISTAS e terminando hoje em dia (juntando as duas partes e avançando-se na consolidação da Invasão Cultural − onde estão os Algarvios, ainda existirão na região?) na escolha de um qualquer elemento para o comando da Escola, desde que tenha currículo e mesmo que não seja de cá: deixando-nos perplexos (paralisados) e só respondendo (com a nossa língua) Como”? Já há 35 anos e em Conselhos de Turma realizados por cá, com os professores recém-chegados das grandes cidades e chegando a este canto (para muitos ainda perdido) do país (ainda rural nas mentes, mas já urbano nos negócios), ficando-me a imagem das discussões e análises sobre os alunos desintegrados (socialmente desenquadrados do seu e de sempre – e dos seus progenitores − meio ambiente), elaborados curiosamente por não locais não-Algarvios (os professores) e com os protagonistas (negativos) a serem os locais (os alunos) os Algarvios. Contradições (estranhamente ou não) sempre ignoradas (daí salvo um caso ou outro e necessitando de confirmação, já não existindo Algarvios).

 

(imagens: meaningring.com − monica-green.com − relatably.com − karrierebibel.de)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:55

28
Ago 19

[E das suas Armas Biológicas − à base de ÓPIO – e de Destruição Maciça.]

 

Segundo um comentador da FOX com os EUA a serem vítima no presente de um ataque sistemático e contínuo da CHINA utilizando ARMAS de DESTRUIÇÃO MACIÇA, contando os chineses com a colaboração dos CARTEIS DE DROGA MEXICANOS, para a introdução do produto (intrusivo/tóxico/mortal) e a disseminação da respetiva e brutal GUERRA BIOLÓGICA: destruindo por dentro tanto física como mentalmente não apenas os EUA (o território), mas e acima-de-tudo os cidadãos Norte-Americanos (as pessoas).

 

Finalmente e deixando-se levar (sem impedimentos) desde o início dos anos 90 (já lá vão quase quatro décadas) pela prescrição crescente e indiscriminada de drogas analgésicas à base de OPIÁCEOS (derivados do ÓPIO)

 

– Como a HEROÍNA, a MORFINA e os OPIOIDES

 

WireAP_c1210f9d2313407fa600bf13c876b2f8_12x5_992.j

OXYCODONE no banco-dos-réus

Desde 2000 com as mortes relacionadas com o uso de opioides

a ultrapassarem as 400.000 vítimas mortais

(inacreditavelmente atingindo em média mais de 55 mortes/dia

e no presente podendo mesmo atingir o dobro ou mais)

 

E apesar de todos os sinais dados desde o início desta crise (já aí percetível) de OPIOIDES nos EUA na evolução registada no período indo de 1991/2011

 

– Com as prescrições a passarem de um total de 76 milhões para 200 milhões

(utilizando analgésicos como o Vicodin, o Percocet, o OxyContin e o Oxycodone

 

E ainda do ultimo esforço de registo levado a cabo em Março de 2017 (já lá indo mais de dois anos, sem nada se fazer) pelo Governador do estado de MARYLAND declarando o ESTADO de EMERGÊNCIA para lidar com a EPIDEMIA de OPIOIDES (com o crescimento de morte por overdose maioritariamente devido à utilização de opioides, a crescer de 4.000/em 1999, para 16.000/em 2010 e atingindo os 50.000/em 2015),

 

Tudo se mantendo ainda bastante confuso neste aparente esforço da Administração Norte-Americana em tentar resolver este gravíssimo problema de SAÚDE em que está profundamente mergulhado os EUA,

 

Não só pelas promessas anunciadas em 2017 (e nunca cumpridas) pelo diretor do CDCP Thomas Frieden, na sua luta contra a praga instalada dos opioides solicitando uma intervenção profunda e urgente, esperando para tal uma contribuição governamental

 

– Da Casa Branca e de Donald Trump –

 

De cerca de 500 milhões de dólares,

 

470b42d6d707e0f330d3846a04ea9eb2.jpg

Farmacêutica Johnson & Johnson

A primeira certamente de várias companhias do ramo a ser levada a tribunal,

pela sua contribuição na prescrição e adição descontrolada de opioides

(c/ multa de apenas 570.000 dólares concedida

apesar do pedido indemnizatório ser de 17 biliões)

 

Como pelo que se pretende resolver e a quem se dirigir tendo pela frente nada mais nada menos que o poderosíssimo sector QUÍMICO e FARMACÊUTICO, as suas grandes empresas MULTINACIONAIS e os seus LOBBIES no Congresso

 

− E a tudo isto sendo ainda adicionado como grande fator central e foco (desagregador por disfuncional) de toda esta desgraça societária e civilizacional da dita maior potência Global (investindo tudo na GUERRA por mais lucrativa e deixando de lado a PAZ por definição contabilística e tendencialmente neutra, igualitária),

 

A insuficiência de recursos financeiros da esmagadora maioria da sua população, impedindo-a de realizar tratamentos ou intervenções (por caríssimos) e virando-se em estado desespero (muitas vezes final, lutando contra dores crónicas intensas, doenças incuráveis e terminais) para a única solução para os mesmos viável:

 

Não se podendo CURAR (saindo caro) pelo menos podendo-se ANESTESIAR (saindo mais barato).

 

754543683.jpg

Apresentando um dos argumentos contra a farmacêutica Johnson & Johnson

e pedindo uma condenação monetária que o juiz aceitou,

mas reduzindo-a a 1/30 do pedido

(a bem das farmacêuticas podendo estar em causa

o primeiro mau sinal para as vítimas dos opiáceos)

 

E assim em Agosto de 2019 e já depois das primeiras tentativas falhadas anunciadas em 2017 (com Trump na Presidência e tomando conhecimento do assunto, assumindo a situação),

 

Face à irreversibilidade e contínuo crescimento da EPIDEMIA OPIOIDE associado ao Alarmismo Social, tentando-se reverter a situação com algumas intervenções dirigidas, mas sem que se notem efeitos:

 

Em Janeiro deste ano com os números a indicarem mais de 130 norte-americanos mortos/dia por overdose usando derivados do ópio (utilizando-se sobretudo heroína e sintéticos como o FENTANYL).

 

Levando o CDCP (Centers for Disease Control and Prevention) a afirmar:

 

The total “economic burden” of prescription opioid misuse alone in the United States is $78.5 billion a year, including the costs of healthcare, lost productivity, addiction treatment, and criminal justice involvement.

 

0 _9bmwFdcFjrFFR0i.jpg

The liberal use of opioids has been recognized as a contributing factor

to the increase of heroin addiction

with four out of five heroin users

having started out on prescription opioids

(Avery Phillips/tincture.io)

 

E entre culpados e inocentes, mas nunca esquecendo as vítimas (o que parece que irá mais uma vez acontecer), com os diversos intervenientes (com acesso ao poder) a começarem a expor-se confrontando-se, transportando até à opinião pública assuntos nunca antes mencionados, mas que no presente e estando os mesmos a ser pressionados e encurralados (para no fim poderem ser alguns deles os assumidos ou os responsabilizados) forçosamente terão de divulgar (manipular e comunicar) até para se poderem defender:

 

Agora que o cerco se aperta (c/ o número de vítimas a continuar a aumentar) sobre os profissionais de saúde

 

− Por exemplo entre os médicos e as suas prescrições de opioides

 

Que as Farmacêuticas (e outros entrepostos de venda) são chamadas a depor (com um possível processo, possivelmente bastante oneroso a cair-lhes sobre a cabeça)

 

− Inundando o mercado e apesar de todas as consequências trágicas visíveis, não se preocupando com as consequências

 

E como consequência (de todo este cenário sempre em montagem e transformação, por vezes aleatória incontrolável, caótica), com todos até como salvaguarda pessoal (inocentando-se) procurando afanosamente e por dever definir e apontar um CULPADO (o Suspeito do Costume)

 

− Para todo este esquema de funcionamento inviável, ineficaz e mortal, se não interior pelo menos EXTERIOR

 

methode_times_prod_web_bin_75fbfb2e-90c7-11e7-a2ce

Com a crise de opioides no presente atravessando todos os EUA

e tendo já atingido cifras inimagináveis de quase

200 mortos/dia por overdose,

a tender a aumentar alimentada pelos produtos sintéticos

(em 2016 com mais de 64.000 mortos num ano)

 

Surgindo como não poderia deixar de ser o ELEMENTO EXTERIOR, de uma só vez desresponsabilizando o seu verdadeiro Autor e sendo este mesmo a nomear, mantendo o status quo.

 

E depois da Rússia como desculpa para os seus insucessos, através dos Mexicanos e com a mão dos Chineses pelo meio (A Mão da Máfia)

 

− O fornecedor da matéria-prima, o traficante da droga –

 

Com as autoridades dos EUA a descobrirem e a exporem (pela 1ª vez, brilhantemente e como excecionais e incompreendidos que são)

 

− Como explicação para a Crise de Opioides na América

 

O ataque há muito em curso com ARMAS de DESTRUIÇÃO MACIÇA a ser levado a cabo e já há muitos anos pela CHINA, tendo como o Alvo o Envenenamento dos Norte-Americanos e a Destruição Total dos EUA.

 

Certamente e agora com mais motivos (adicionais) para o aumento de sansões sobre a CHINA.

 

(imagens: Keith Srakocic/AP Photo/go.com − bbc.com − Chris Landsberger/AP/wbgo.org − tincture.io − Spencer Platt/Getty Images/thetimes.co.uk)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:11

[Esclarecimento importante para aqueles que ouviram Emmanuel Macron a dizer que a Amazónia produz 20% do oxigénio que respiramos − logo ardendo toda, podendo-se ficar com falta de ar, asfixiar e até morrer – quando na realidade a esmagadora maioria do oxigénio que respiramos tem origem não em terra mas nos oceanos, com as suas reservas estando previstas para perdurar ainda por mais alguns milhões de anos. Não sendo, portanto, necessário suster a respiração para se poupar.]

 

Amazon Wildfires Are Horrifying

But They're Not Destroying Earth's Oxygen Supply

(Scott Denning/livescience.com)

 

kgCaqR3zRpGkYSUjR5BxgM-650-80.jpg

 

Even if the entire Amazon rainforest burned down,

we'd be okay

 

Fires in the Amazon rainforest have captured attention worldwide in recent days. Brazilian President Jair Bolsonaro, who took office in 2019, pledged in his campaign to reduce environmental protection and increase agricultural development in the Amazon, and he appears to have followed through on that promise.

 

The resurgence of forest clearing in the Amazon, which had decreased more than 80% following a peak in 2004, is alarming for many reasons. Tropical forests harbor many species of plants and animals found nowhere else. They are important refuges for indigenous people, and contain enormous stores of carbon as wood and other organic matter that would otherwise contribute to the climate crisis.

 

Some media accounts have suggested that fires in the Amazon also threaten the atmospheric oxygen that we breathe. French President Emmanuel Macron tweeted on Aug. 22 that "the Amazon rain forest — the lungs which produces 20% of our planet's oxygen — is on fire."

 

The oft-repeated claim that the Amazon rainforest produces 20% of our planet's oxygen is based on a misunderstanding. In fact nearly all of Earth's breathable oxygen originated in the oceans, and there is enough of it to last for millions of years. There are many reasons to be appalled by this year's Amazon fires, but depleting Earth's oxygen supply is not one of them.

 

[Artigo inicial de Scott Denningm − seguido de Oxygen from plants, Oxygen production in the oceans e Don’t hold your breath – publicado originalmente em The Conversation/ theconversation.com/amazon-fires-are-destructive-but-they-arent-depleting-earths-oxygen-supply-122369]

 

[Numa inocente e bem intencionada calinada saída da boca do Presidente francês Emmanuel Macron − referindo-se às consequências dos Fogos na Selva Amazónica na produção do oxigénio que respiramos − alarmando-nos (caso a destruição continuasse, tornando-se total) com uma queda de 20% na sua produção, podendo até levar-nos à concretização de efeitos perigosos como “a falta de ar” − uma afirmação ERRADA quando a grande maioria tem origem nos oceanos a opção CORRETA – um momento de recordação e de associação a um caso extremamente semelhante e interessante (mesmo persistindo no erro, pois com o mesmo e sendo repetido se aprende) nele intervindo um outro posto da mesma hierarquia social mas a outro nível da estrutura, com uma professora a justificar o tempo quente que se fazia sentir na sua terra e no Verão, com a presença da TERRA (no cumprimento da sua órbita elíptica em torno da sua estrela)  mais perto do SOL: quando no outro hemisfério era Inverno. Erros mesmo que divulgados se tentados no mínimo ser esclarecidos, podendo no futuro (como método pedagógico de instrução recorrendo frequentemente ao erro para impulsionar ainda mais a dúvida e a questão) ser deveras instrutivos.]

 

(texto/inglês: Scott Denning/livescience.com − imagem: iStock/Getty Images Plus/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25

27
Ago 19

“Numa aplicação da teoria da TERRA QUEIMADA – destruindo, arrasando e aproveitando para Algo e/ou Alguém ser beneficiado – podendo ter origem na China e consistindo na queima das colheitas (casas, transportes, comunicações, indústria, incluídas) para não deixar o inimigo alimentar-se, sobreviver: e com o inimigo a poder sermos nós.”

 

tumblr_ntcrlnnqN11tcav4fo1_1280.jpg

Albufeira nos anos 50/60

Pelas ruas da vila de pescadores

(arturpastor.tumblr.com)

 

Antes do mais e pela atualidade (nesta altura de férias e talvez devido à SILLY SEASON, promovendo os “fazedores-de-opinião e críticos” do Estado), sendo conveniente de salientar que o se passa nesta Região do ALGARVE − “ao longo de muitos anos, de uma forma irreversível, mas intervindo utilizando técnicas SOFT” e  afetando o HOMEM – é em tudo semelhante (apesar de Local) ao que se passa (enchendo de momento todos os órgãos de Comunicação Mundial) no Brasil mais especificamente na SELVA da AMAZÓNIA e afetando de uma forma HARD  (pelo curto espaço de tempo e extrema intensidade) a NATUREZA (a nível Global). No caso da proliferação dos incêndios na Amazónia (quase o dobro do ano passado) tratando-se de um problema sem solução, já que sendo o Brasil o perpetrador, sendo o financiador e o crítico (desse crime) o mesmo: os EUA e os seus parceiros da Europa. E no caso do Algarve terá o mesmo solução?

 

Substituindo-o radicalmente

(o DESÍGNIO PATRIÓTICO,

na fase anterior e dado o abandono desse território,

de facto, nunca tendo existido)

E “aplicando-o como um novo Filão-de-Ouro

 

− Em nome “do Progresso e do Desenvolvimento Turístico Algarvio” –

 

tumblr_pvxuhwrs391tcav4fo1_1280.jpg

Albufeira nos anos 50/70

Praia dos Pescadores

(arturpastor.tumblr.com)

 

Permitindo progressivamente o abate “da Cultura e da Memória das Gentes do Sul de Portugal” e logo na sua mudança de objetivos (feita a transição e introduzindo-se numa nova Fase) a sua substituição por uma “Nova Cultura Espetacularmente Intrusiva”, parasitária, irreversível e só podendo mesmo ser substituída (numa outra Fase) por “Algo Ainda Pior”: como por exemplo reconvertendo a Indústria Hoteleira da Região e aplicando-a agora como base (fundadora) dos futuros estaleiros e outras estruturas de apoio (servindo de alicerce) às plataformas marítimas e à “Indústria do Gás e Petrolífera”. Como se vê (para não criar ondas e rivalidades entre diferentes sectores de investimento) mantendo-se até sobre a jurisdição dos mesmos organismos, como o Ministério da Terra e do Mar.

 

E em cerca de duas Gerações (tomando como referência a descoberta do Algarve pelo Governo português, concretizado ainda durante o Antigo Regime) destruindo-se completamente o sector Agrícola e o sector das Pescas Algarvio (ficando um pequeno recanto, para o financiamento dessa exploração − agora especializada e com entrada no Mercado Turístico − por parte dos novos residentes-investidores estrangeiros), de lá retirando “o Agricultor e o Pescador” como imagem e HISTÓRIA de um Povo e de uma Região e lá colocando em sua vez (e marginalizando de diversas formas o Algarvio, se não já desterrado e desprovido das suas raízes, sendo ainda um sobrevivente, mas dito por especialistas como desadaptado, condenado), de um lado o TURISTA e do outro o seu CRIADO (mas agora especializado):

 

E desse modo em nome do “Progresso, da Economia e das Finanças (no fundo e só do “Dinheiro de Alguns”, esquecendo as suas Gentes, a sua Cultura e a sua Memória, os seus valores), substituindo (para nossos pecados como católico-romanos que dizem sermos) por exemplo (para desgraça da memória dos seus antepassados, aqui tendo trabalhado e vivido, ao mesmo tempo que  iam sofrendo sozinhos e sem apoio − dado o abandono desta faixa estreita e então longínqua do sul do país, pelo Estado)

 

− E não dando muitos exemplos (apenas 4) para “não ficarmos com água na boca, para logo de imediato e com receios de origem organoléticos, a mesma secar” –

 

BLUELIFE22 015.jpg

Albufeira nos anos 70

Vendo-se na baixa o jardim central

(algarve-old-images.blogspot.com)

 

Evolução Gastronómica no Algarve

(Entre o Antes e o Depois)

 

De Substituição

(mesmo na apresentação e no preço, substituindo não só a comida por uma sua redução e o prato de carne/peixe pelo prato de sobremesa, como tornando-o “gourmet” subindo-lhe o preço dessa “espuma dos dias”, injustificada e exponencialmente)

Antes

(da chegada dos camones)

Depois

(da chegada dos camones)

Uma amarguinha (como poderia ser em alternativa um medronho) e um doce fino (ou um arrepiado),

Por umas panquecas, um pudim, uma fatia de bolo ou uns scones, acompanhados por uma cerveja (ou um whisky);

Uma refeição de Polvo Assado com Batata Doce de Aljezur (como poderia ser uma Cataplana de Peixe e Marisco),

Por um prato de Fish & Chips;

 

Um prato de Caracóis com Orégãos,

Por umas salsichas, uma torta, uma tarte ou uma sandwich de carne (e acompanhamentos);

Ou ainda uns figos ou umas laranjas, umas azeitonas, umas alfarrobas ou a Flor de Sal Marinho, ou então até um Dom Rodrigo ou ainda as sardinhas algarvias,

Por (alargando o espectro a outras nacionalidades) e sendo holandês, um prato de arenque cru c/ cebolas e pickles, com um waffle como sobremesa; sendo alemão podendo-se optar pelo Wurst (salsicha), terminando com um folhado de maçã.

 

Na prática e implementação de um crime-perfeito (logo tornado e sendo legal) mas que mesmo que sendo feito (segundo as Autoridades) e concretizado em nome do desenvolvimento e do progresso (Económico-Financeiro) da Região (do Algarve), apenas tendo beneficiado (desde há mais de meio-século) uma minoria (ligado à Hotelaria & Restauração e à Construção Civil/Sector Imobiliário) nem sequer ligada à região (ingleses, nacionais/em fase de transição e agora asiáticos) e sem nenhum objetivo comum ligando o Passado-Presente-Futuro (desta comunidade regional), assim cumprindo (“Distorcendo-a”) uma linha sempre contínua ditada pela nossa presença neste tão curto Espaço-Tempo a todos nós (e sem exceção) disponibilizado (ou devendo ter sido obrigatoriamente distribuído), mas (e como se vê apenas olhando em nosso redor) não o tendo sido por estrangulamento cultural e adoção de uma monocultura exclusivamente direcionada (pegando aqui e ali nalguns dinossauros-ainda-vivos ou já fósseis) para o Turismo.

 

albufeira1-800x360.jpg

Cidade de Albufeira hoje

Completamente adaptada ao Turismo

(www.clickandgo.com)

 

Direcionando toda uma região (não será toda uma ou mais gerações e simultaneamente um País?) e os anseios dos nossos filhos, para serem “criados ou pedreiros”, no máximo prestadores de outros serviços correlacionados maioritariamente com a área e o seu sector de controlo e de manutenção (do Esquema/Sistema) − como economistas, advogados, médicos, professores, etc. todos eles importados alguns do estrangeiro (não sendo culpa destes, por ocuparem um lugar vago) dada a extinção da espécie, os ALGARVIOS. E depois da 1ª Espada sobre a Cabeça do Algarve e dos Algarvios − a “Muralha Imobiliária” colocada entre o Mar e a Serra, alienando um (o Litoral) do outro (do interior) – podendo-se seguir uma outra muito mais assertiva e definitiva:

 

Com a 2ª Espada sobre a Cabeça do Algarve/Algarvios (neste último caso e dada a extinção dos originais, os sucedâneos) aproveitando a experiência e as edificações anteriores a ser dirigido então para a Exploração do Mar (sugada a terra até ao tutano), servindo o já construído como Estaleiro e outras estruturas de apoio às Plataformas e Exploração de Gás e Petróleo (sendo pois uma profissão de futuro, até para os especialistas e fabricantes de doutores desempregados − oportunistas existindo em todos os lados, “sejam manuais/de mãos ou mentais/de cabeça” − um curso multidisciplinar e inserido nas áreas do Turismo e do Petróleo).

 

Portugal-Invasion-festival-in-Albufeira-sees-riot-

Albufeira em 2017

Violência e som de tiros na Av. Sá Carneiro Rua dos Bares na Oura

(J Ramos/Facebook.com/mirror.co.uk)

 

[Para no decurso destes ciclos infernais, olhando apenas para o lucro (OBJETOS) e desprezando as pessoas (SUJEITO) – e aí sendo nós corresponsáveis, por não nos prevenirmos e aos nossos filhos – surgirem tristezas tremendas e definitivas (trágicas pela idade e pela injustiça) como a da recente morte de um jovem de Paderne (Albufeira), ocupando os seus tempos-livres (entre outras atividades sociais como  na Banda Musical e Recreio Popular de Paderne) trabalhando num espaço em princípio aberto, público ou privado mas obrigatoriamente (por Lei, cumprindo-a, sendo fiscalizado) seguro: mas não o sendo e provocando − mais uma vez e certamente sem culpados (não se podendo acusar apenas o outro jovem envolvido, como se tudo o resto em torno dele nada valesse e tal como pretende a Extrema-Direita, sabendo-o de cor negra) − uma nova vítima mortal.]

 

(imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:04

Desrespeitando a companheira do presidente francês − em virtude da posição assumida por EMMANUEL MACRON sobre o Incêndio na Amazónia e como resposta deliberadamente insultuosa ao mesmo dirigida (e não só, como se vê) − comparando FISICAMENTE e em tom de GOZO a sua companheira com a do outro − uma Jovem & Bela (a de JAIR) a outra Velha & Feia (a de EMMANUEL) – mais dois exemplos do comportamento SEM VERGONHA do PRESIDENTE do BRASIL JAIR BOLSONARO (consentindo no seu Facebook): neste caso utilizando abusivamente (seja ou não aqui aceite, pelas duas mais interessadas) a imagem da MULHER.

 

68886818_1586850674779666_6720307458008416256_n.jp

Segundo o Modelo JB

com o mesmo com 27 pontos positivos

(Macho c/ fêmea 27 anos mais nova)

 

Aumentando ainda mais a tensão (pelo menos aparente, senão mesmo necessária, para o continuar da ilusão) entre o BRASIL e a FRANÇA (a nível de poder e de interesses) − passando estes por ferozes adversários − num espetáculo de hipocrisia totalmente intolerável, quando o financiador e o executor (os PREDADORES) são exatamente os mesmos: a Elite do Brasil e a Elite da França (faltando indicar qual a presa). Utilizando se necessário a imagem de mulheres, velhos, crianças, sem abrigos e outras minorias, unicamente servindo-se delas de modo a recorrendo ao RACISMO (não unicamente de cor, coerciva e subliminarmente) impor-nos o VAZIO (de Ideias).

 

68806541_2382710451847636_673421442896887808_n.jpg

E segundo o mesmo modelo JB

com EM com 25 pontos negativos

(Macho c/ fêmea 25 anos mais velha)

 

Comparando a figura de BRIGITTE MACRON (66 anos) no fundo a BRUXA-DO-ESPELHO − marido mais novo 25 anos − com a de MICHELLE BOLSONARO (37 anos) aqui a BRANCA DE NEVE – marido mais velho 27 anos – sendo fácil de perceber a intenção, mas definindo-a apenas como DECLÍNIO e POBREZA MENTAL (por falta de Memória e de Cultura). Daí sendo o Boçal, a imagem de Bolsonaro. E até com comentários de apoio (na caixa do Facebook do Presidente Brasileiro) como estes (incluindo do próprio Presidente, entretanto apagado):

 

É inveja presidente do macron pode crê.

Essa esposa do Macron não têm nada de loira, a não ser o cabelo pintado.

(Rodrigo Andreaça)

 

Não humilha cara.

Kkkkkkk.

(Jair Bolsonaro)

 

(imagens: Jair Messias Bolsonaro/Facebook.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:36

Entre os fins do mês de Agosto e de Setembro decorrendo três provas do Circuito Mundial (profissional, época 2019/2020) realizadas por convite e não contando para o Ranking Mundial (RM) – o PAUL HUNTER CLASSIC (em Fürth na Alemanha e já concluído), o SANGSOM 6 REDS WORLD CHAMPIONSHIP (em Bangkok na Tailândia) e o SHANGAI MASTERS (na China e contando com a presença do inglês THE ROCKET, o detentor do troféu) – estando-se a menos de um mês da realização da 3ª prova da época contando para o RM: o EVERGRANDE CHINA CHAMPIONSHIP a realizar-se em  Guangzhou de 23 a 29 de Setembro (e já com a ronda de Qualificação cumprida).

 

Wilson-Hawkins-PHC-WS.jpeg

Na imagem à direita (a seu lado Kyren Wilsom)

Barry Hawkins

Finalista e Vencedor pela 1ª vez

do

Paul Hunter Classic

 

Cumprido o “Paul Hunter Classic” e a cerca de uma semana da sucessão de provas “6 Reds” e “Shangai Masters”, podendo-se desde já fazer um balanço da primeira destas provas, dos seus participantes, finalistas e vencedor (sucedendo ao detentor do troféu o inglês Kyren Wilson): uma prova contando com a presença de 16 jogadores, tendo que ultrapassar três eliminatórias até atingir a Final e ganhando-a (c/ todas as rondas à melhor de 7 frames) atribuindo ao respetivo Vencedor um prémio de 000.000£ (e ao vencido 00.000£). Numa prova incluindo apenas 3 jogadores integrados no TOP 16 do RM: os ingleses Kyren Wilson (8ºRM), Barry Hawkins (9ºRM) e David Gilbert (12ºRM).

 

Finalista 1

 

Situação

J

N

RM

Finalista

(Vencedor)

Barry

Hawkins

ING

FASE

J

N

F

1º R

Gary Wilson

ING

4-1

QF

Mark King

ING

4-1

MF

Joe Perry

ING

4-3

(J: Jogador N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial F: Frames)

 

PAUL HUNTER CLASSIC

FINAL − 25 de Agosto

Barry Hawkins − 4 Kyren Wilson − 3

 

Finalista 2

 

Situação

J

N

RM

Finalista

(Vencido)

Kyren

Wilson

ING

FASE

J

N

F

1º R

Florian Nüϐle

AUT

4-0

QF

Dominic Dale

GAL

4-3

MF

Luca Brecel

BEL

4-1

(R: Ronda QF: Quartos-Final MF: Meia-Final)

 

Do Trio integrando o TOP 16 do RM destacando-se B. HAWKINS e K. WILSON (os finalistas), devendo-se relevar ainda Dominic Dale (GAL), entre os piores classificados (97ºRM), eventualmente (dependendo da opinião) o mais resistente. E com mais esta prova conquistada, com o Vice-Campeão do Mundo de 2013 (apenas sendo derrotado na final pelo inglês Ronnie O’Sullivan), vencedor de três provas de RM (para além de uma meia-dúzia de provas de ranking menor ou sem ranking) e tendo já atingido como melhor posição o 4ºRM (em 2014), a demonstrar continuar bem presente (com esta vitória) – e cada vez mais bem preparado (espera-se) para a próxima prova de RM.

 

(imagem: snookerhq.com/WORLD SNOOKER)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:23

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

23

26


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO