Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

07
Set 19

[Tendo à distância PUTIN, com um controlo remoto na mão e daí comandando o SALMÃO.]

 

Segundo notícia da passada quinta-feira (06.09) do diário inglês online DAILY MAIL (dailymail.co.uk), com os russos utilizando de novo a estratégia da manipulação (preparando uma invasão) neste caso na população marinha mais especificamente nos SALMÕES-ROSADOS, a enviarem em direção à costa do Reino Unido (infiltrando-se posteriormente em rios e até lagos) um grupo numeroso de salmões-rosa (no seu caminho invadindo e colonizando), tendo como objetivo (primordial) da sua missão colocar (telecomandados à distância pelos russos sobre as ordens do ex-KGB PUTIN) os peixes nativos ingleses em eminente risco de vida.

 

1280px-Pink_salmon_FWS.jpg

Salmão-Rosado

Segundo os Britânicos um novo agente russo ao soldo de Putin

infestando o mar e infiltrando-se como um invasor

em águas e território soberano do UK

 

E para provar sem qualquer tipo de dúvida esta informação (como tantas outras tendo origem tanto no Governo inglês como nos Média, sistematicamente e de uma forma absurda, atacando a Rússia e/ou Putin) pondo em Alerta e em Risco todos os Peixes-Ingleses (sem exceção, sejam de água doce ou salgada) e o território pelos mesmos ocupado e percorrido – ou seja a Ilha, o Reino Unido, todos os cidadãos britânicos e de restantes nacionalidades – o fornecimento da estatística (pelos vistos num “exclusivo” Daily Mail) referindo-se a 7 salmões-rosa detetados em 2017 contra os já 10 registados este ano (ainda por terminar):

 

Com o Daily Mail numa exposição teórica assumidamente paranoica, ignorante e deprimente, afirmando que, apesar de serem salmões-rosados oriundos do Alasca ou do Canadá (em gerações anteriores) tendo por volta dos anos sessenta (do século passado) aproximado da costa russa, introduzindo-se nos cursos dos seus rios e aí sendo capturados, sujeitando-se a uma lavagem cerebral e a partir daí, sendo agenciados e entrando em modo de ação, de confrontação, de Guerra (contra as forças Aliadas do Ocidente), via Noruega chegando aos UK (os descendentes dos salmões-rosados, mais de 50 anos depois).

 

E de 7 salmões passando a 10 (ainda incompleto, podendo aumentar) num período de dois anos (o tempo do ciclo de vida de um salmão) – um aumento de 43% ou superior − e com 6 detetados em Inglaterra, 3 na Escócia e 1 no País de Gales.

 

The invasion of the Pacific pink salmon!

Influx from Russia to British waters is putting native fish at risk

 

 An invasive breed of salmon, from Russia,

is colonising Britain's rivers and lakes;

Pacific pink salmon have been spotted

in 'unprecedented' numbers in the UK;

And Environment Agency is warning

that yet more will return to the UK to spawn.

(Colin Fernandez/Daily Mail/Setembro,6)

 

[Como informação adicional e final (para além de elucidativa) destacando-se o gosto dos britânicos por este peixe tão apreciado como é salmão, não só o pelos mesmos pescado (no mar) como o em viveiros produzido (de aquacultura): e não estando os rios (como por exemplo o Tamisa) e os lagos britânicos a ser invadidos por enormes contingentes de vorazes salmões − exceção feita aos possíveis fugitivos (dos tanques de aquacultura).]

 

(imagem: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:45

[O Sol, ao longo-do-seu-prazo:

ainda a uns 10 biliões de anos,

de se tornar uma White Dwarf.]

 

solar_evolution-dlh.png

Evolução do Sol

(desde a sua transformação duma Nuvem Estelar numa Anã-Amarela,

passando a Gigante-Vermelha antes de concluir o seu ciclo como, Anã-Branca)

 

Tendo aparecido há cerca de 4,5 biliões de anos (a partir de uma nuvem interestelar, permitindo formar H₂) e no presente tendo a forma e o conteúdo que nos apresenta (um Sistema Planetário centrado numa estrela o SOL, composto maioritariamente por H/pouco mais de 73% e He/quase 25%) – isto depois de muitas e sucessivas transformações ao longo da sua História Geológica (e Eletromagnética) e sendo o Sol apenas uma das mais de 110 biliões de estrelas existentes na VIA LÁCTEA (galáxia onde está integrado o Sistema Solar) – e sabendo-se que neste longo período de tempo e orbitando a cerca de 25.000 anos-luz do seu centro (da Via Láctea), tendo-o feito repetidamente em cada 250 milhões de anos – significando uma data de órbitas (umas 18) já realizadas pelo Sistema em torno do centro da sua Galáxia (um “Ano Cósmico”), percorrendo noutros Tempos outros Espaços (certamente) nunca antes percorridos – o Sol (uma estrala anã-amarela de classe espectral G2V) ainda na concretização da sua Sequência Principal (convertendo átomos de hidrogénio em hélio) e aproximadamente a metade da mesma (podendo durar ainda uns 4/5 biliões de anos, possivelmente com mais uns 1/2 biliões a acrescentar) chegará inevitavelmente ao momento em que o hidrogénio se esgotará, transformando-se então numa Gigante-Vermelha: aumentando brutalmente de tamanho e na sua expansão extraordinária  (segundo os últimos estudos científicos) acabando no decorrer do processo por engolir a Terra” e talvez mesmo atingindo Marte.

 

potw1934a-580x544.jpg

Nebulosa Planetária NGC 6397

(observada pelo Hubble a 10.000 anos-luz de distância e daqui a 10.000 anos com o gás envolvendo-a dispersando, desaparecendo e aí restando a estrela Anã-Branca)

 

Um Evento que atravessará no futuro o nosso Sistema (como já terá ocorrido com outras estrelas vistas isoladamente ou em agrupamentos) − com o Sol contraindo-se inicialmente, aumentando de luminosidade (nos seus momentos finais entre 5.000/10.000X), para finalmente se expandir como uma estrela Gigante-Vermelha (no mínimo engolindo Mercúrio e Vénus, ficando às portas da Terra, hoje a uns míseros 150.000.000Km do Sol) – agora exemplificado (por um grupo de astrónomos) utilizando-se um fenómeno semelhante ocorrido na nebulosa planetária NGC 5307, localizada a 10.000 anos-luz de distância: algo de parecido com o que acontecerá ao Sol quando estiver próximo do fim do seu ciclo de vida, esperando-se que os terrestres (e  para sua salvaguarda e preservação) já estejam no mínimo para lá de Marte, em Júpiter ou numa das suas luas (“com água”) – sendo o Ideal que no decurso do tempo (destes biliões de anos que se seguem) e existindo ainda o Homem, sejamos já “Intergalácticos”. Dentro de uns 10 biliões de anos com o Sol a ser uma Anã-Branca (o resto” do que já fora antes). No caso de NGC 5307 – um cenário muito semelhante em que o nosso Sol se transformará/integrará, (1) passada a fase de Gigante-Vermelha, (2) atravessada a fase de Nebulosa Planetária e (3) antes de se transformar em Anã-Branca – e observando-o (a partir do telescópio espacial HUBBLE) na sua fase (2), levando-nos à investigação e á descoberta do seu passado e por associação ao conhecimento do que poderá ser o Sol e o seu Sistema (Solar) a longo-prazo: olhando-se para o Passado (para o Céu cheio de espaço e de Estrelas, cronologicamente distribuídas no tempo) descortinando-se e finalmente descobrindo-se o Futuro do Sol, da Terra e o Nosso.

 

mars-progression.jpg

Space X de Elon Musk

(tendo como um dos seus objetivos iniciar a construção da uma base em Marte,

seguindo-se uma cidade e até o início de uma nova Civilização)

 

Numa altura em que no planeta Terra a maior Potência Global (os EUA) dando mais um exemplo, provavelmente negativo” se descarta do seu investimento (público, governamental) na área da Exploração Espacial (habitual, mas desde há alguns anos, já em claro desinvestimento), entregando o sector mais importante e estratégico − os voos tripulados, a Conquista da Nova Fronteira, o domínio do Espaço – ao sector Privado (Space X, Virgin Galactis, Blue Origin) e deixando para a NASA a investigação e os pequenos projetos (menos dispendiosos) como os das sondas automáticas (como tal não tripuladas, quando muito equipadas c/ Rovers), os dos telescópios (na Terra ou no Espaço) e até a ISS (no Espaço próximo, orbitando a Terra a uns 400Km e enquanto durar). Para já com a NASA tendo como um dos seus objetivos de missão relevante e certo (e com muito menor investimento se comparada a missão, com a reedição do “Homem na Lua”) a exploração de três das Luas de Galileu (podendo conter água no seu subsolo) − EUROPA, GANIMEDES e CALISTO amanhã podendo ser entrepostos das primeiras Viagens Interestelares – ficando para as empresas privadas (muitas delas senão todas, fortemente apoiadas/subsidiadas pelo Estado, c/ verbas antes dirigidas, para a agência espacial governamental, a NASA) o grande filão a explorar das Viagens Tripuladas, conquistando-se Mundos (e todas as suas riquezas minerais), dominando-se o Sistema (controlando-se os Meios e as Vias de comunicação) e aí sendo seu − Todo o Universo à Vista −  partindo-se para mais longe procurando o infinito, o impossível e a imortalidade: e mesmo não o conseguindo, ficando-se RICO (ficando os outros na Terra à espera). Muito em breve e certamente − confirmada a ideia de Elon Musk (Reconstrução de um Planeta) nunca conseguida na Terra (sabendo o Homem, apenas destruí-la) − com toda a elite terrestre, tentando reservar o seu lote no melhor lugar de Marte (à frente estando a SPACE X, empresa espacial – transportes/habitação/mineração/indústria/turística/etc. − de ELON MUSK).

 

(imagens: kishukishan.wordpress.com − NASA/ESA/Hubble – spacex.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:35

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO