Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

08
Out 19

[Legislativas de 6 de outubro de 2019 Eleição da nova AR Faro/Albufeira]

 

Logo_do_Partido_Socialista(Portugal).png

 

Venceu o PS

(tal como se esperava)

 

E no ALGARVE com 19 Partidos ou Coligações concorrendo às Legislativas de 2019 (em 2015 com 14), com a abstenção no distrito de FARO a crescer de 48,6% para 54,2% (acompanhando de uma forma mais acentuada a descida nacional, esta última com uns 2,5% cerca de metade da primeira) e com o PS a voltar a vencer tal como em 2015: roubando o único deputado do PCP/PEV no distrito de Faro (para além de eliminar o CDS antes concorrendo com o PSD, agora fazendo-o isolado e não elegendo qualquer deputado) e deixando as outras formações (tendo eleito deputados em 2015) – como o PSD e o BE incólumes. E graças à votação de 172.699 dos seus residentes (de um total de 376.801 de inscritos) numa população estimada em menos de 450.000 (nem sequer 30% do total) com o PS a eleger 5 deputados, o PSD 3 e o BE 1 (em 9 deputados podendo ser ou não “originalmente algarvios”).

 

Partido_Social_Democrata_Logo.svg.png  800px-LeftBloc.svg.png

 

Salvou-se o PSD (apesar de tudo)

e o BE (mantendo-se)

 

Já no caso de Albufeira um dos 16 concelhos do Algarve com o PS a vencer (subindo de 29,6% para 33,6% uns 4%), destronando (a nível de legislativas) o anterior vencedor a coligação PSD/CDS (concorrendo isolados e somando-se, descendo de 35,2% para 29,9% mais de 5%) − com o PSD ainda controlando a Câmara. Com os outros partidos mais votados (na Região do Algarve) a acompanharem sensivelmente na mesma proporção a distribuição nacional partidária: e a seguir ao PS (33,6%/subindo) e ao PSD (25,4%/descendo) seguindo-se − todos com mais de 1% − o BE (11,2%/descendo), o PCP-PEV (5,7%/descendo), o PAN (5,5%/subindo), o CDS  (4,5%/descendo), o CHEGA (2,8%/1ªvez), o LIVRE (1,0%/subindo) e a IL (1,0%/1ªvez).

 

Coligação_Democrática_Unitária_logo.png  Cds_simbolo_2.png

 

E desapareceram o PCP/PEV (mantendo o vem-e-vai)

e o CDS (este último talvez de vez)

 

Para no final e como todos infelizmente preveem − como sempre, adiando o inevitável e podendo conduzir por omissão, à Catástrofe − se manter (na região algarvia) tudo na mesma: quanto muito ficando futuramente entalada entre “a construção de estaleiros para o Turismo Imobiliário” ou em alternativa reconvertendo-o e ampliando-o (posteriormente e caso se confirme o Filão) para o que poderá ser o “Negócio do Século” com “a reconversão e deslocação progressiva do investimento regional” do “Turismo (podendo correr se o desejar em paralelo) para as Plataformas”. Num combate assumido pelo anterior Presidente da Câmara de Albufeira (Carlos Silva e Sousa, de 2013 a 2018) e pelos “Vivos” (até por respeito e como homenagem) ainda não esquecido.

 

(imagens: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:59

“Já falta água nas torneiras do Algarve”

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

seca.jpg

No Nordeste do Algarve há populações a ser abastecidas com autotanques

(imagem e legenda: Executive Digest/sapo.pt)

 

Na agricultura, as árvores secam e o gado não tem alimento,

e que as barragens veem diminuir

o caudal de dia para dia.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E passado o Verão (20 setembro), já entrados no Outono (21 setembro) e concretizadas as Legislativas (6 outubro), eis que os nossos “fazedores-diários-de-opinião (que não Jornalistas) autorizados pelas suas respetivas “Chefias-Público-Privadas (num país onde os interesses de Estado se confundem com os Privados), recebem finalmente − mais interessadas em apresentar lucros contabilísticos (podendo tirar proveito direto e individual dos mesmos) do que benefícios sociais (nade deles beneficiando diretamente, exceto no sentido coletivo) – o seu “Cartão-Dourado” e a confirmação pela sua respetiva hierarquia (dependendo do sector, aqui falando-se das “Águas”) da possibilidade da utilização do mesmo (um cartão sem qualquer tipo de restrição de acesso a todas as Instituições como aos Média) a partir desta 2ª semana do corrente mês (iniciada a 7 outubro):

 

A barragem de Odeleite, uma das principais albufeiras do Algarve

para abastecimento da população e para a agricultura,

está com 27% da sua capacidade máxima.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

“Por acaso ou por coincidência (certamente que não por desconhecimento/irresponsabilidade/incompetência/crime, conforme a graduação que pretendam atribuir a estes factos, aqui ligados à Água) coincidindo com o fim das eleições Legislativas, a declaração dos seus resultados e como consequência (conjugando estrategicamente os dois aspetos anteriores) com o arquivamento definitivo de tudo o que provavelmente − negativo ou mesmo extremamente negativo, a este nível podendo ter efeitos Catastróficos − pudesse estar para trás (como se lavando aí as mãos, se ficasse então esterilizado, sendo de novo certificado e posteriormente e de novo colocado).

 

Já estão em stress hídrico porque há dois anos que não chove.

A azeitona é só a pelinha e o caroço.

Isto é uma miséria.

O Governo tem de pensar em construir pequenas barragens.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

22778841_770x433_acf_cropped.jpg

Ministro do Ambiente garante que Espanha

está a cumprir Convenção de Albufeira

(imagem e legenda: 28.11.2017/observador.pt)

 

Hoje dia 8 de outubro de 2019 e depois de uma seca visível e prolongada (atravessando e sendo oculta todo o Verão) surgindo os primeiros eruditos (do sistema e apoiantes da lobotomia) com as primeiras notícias alarmistas (agora?) − só assim sendo notícia, entrando nos “nossos Ecrãs” − sobre a Seca que já aí está (e como se já e há muito, cá não estivesse e a sentíssemos) e que toda a gente (pelos vistos) conhecia (claro que não incluindo aqueles alguns deles autoridades e com formação superior, que não sabiam e nada fizeram apenas porque que ninguém lhes disse):

 

Mas Odeleite não é o pior caso.

A barragem de Odelouca, que também abastece a região,

está apenas com 22% do seu volume máximo.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E como se não bastasse a notícia “Já falta água nas torneiras do Algarve” vendo logo ali ao lado uma outra aina pior “Espanhóis cortam Água do Tejo”. E só agora é que avisam?

 

A Águas do Algarve só garante água para abastecer a população

até ao final do ano.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E isto para não se falar do Tejo e do corte feito (no volume do caudal das Águas do Tejo) – hoje “preocupações” já começadas a ser expressas nos nossos noticiários televisivos − pelos nossos vizinhos espanhóis (lembram-se da Convenção de Albufeira?).

 

(imagem: Executive Digest/sapo.pt – observador.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:19

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO