Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Out 19

[Entre outros fugindo dos seus predadores − para os seus apreciadores, equilibradores − Algarvios.]

 

Pesca da sardinha proibida a partir de sábado

(Flávia Calçada/LUSA)

 

pesca.jpg

Pesca da Sardinha

 

E de sexta para sábado (de 11 para 12 de outubro) realizando-se a última captura da sardinha (manutenção a bordo e descarga) − retomada a 3 de junho depois de estar parada (desde meados de setembro de 2018) mais de 8 meses − para pelas 12:00 horas de sábado (dia 12 de outubro) iniciar-se um novo período de proibição de pesca (desta espécie). Voltando de novo a sardinha (fresca não congelada) no ano de 2020, não se sabendo bem quando (a data) nem em que quantidade (as toneladas): este ano na quota das 9.000 (toneladas), não se comprometendo (o Governo, na defesa da Pesca & Pescadores) com aumentos (pedidos até 19.000) e até (no limite) podendo ser menos. Pelo que se é um apreciador de sardinha especialmente da algarvia − por mais saborosa e mais pequenina − mesmo em fim de época e faltando já gordura (não pingando dela, por exemplo no pão), devendo-se ainda aproveitar os dias que nos restam (com ela, ainda fresca e logo ali ao nosso lado): 10, 11 e 12 de outubro (quinta, sexta e sábado), já  a 13 comendo-se os restos. Por meados de 2020 (talvez lá para junho) e correndo tudo bem (não vindo aí nova crise) voltando então os cardumes das suas sucessoras: pequeninas (não sendo cavalas), bem gordinhas (saindo-lhe as escamas e pingando gordura no pão) … acompanhadas por um copo de branco (a condizer, bem fresquinho), uma salada bem temperada (azeite, vinagre/limão) − não esquecendo os pimentos (crus ou assados) − e os imprescindíveis orégãos (ou então e em alternativa à salada, um gaspacho).

 

(imagem: barlavento.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:38

[Assim como a Solução.]

 

5d77945285f5400952420c16.jpg

Ilustração do asteroide (de mais de 80Km) que com o seu impacto com a Terra (equivalente a 10 biliões de bombas atómicas e ocorrida no que é agora o México) levou à extinção dos Dinossauros (então a raça dominante) e à eliminação (com esse Evento) de 75% de toda a vida no planeta

 

Num prazo de 6 dias − 8 a 13 de outubro – com um total de 19 asteroides passando nas proximidades (relativa) da Terra − entre 500.000Km e 7.400.000Km de distância de nós – com as suas dimensões variando entre cerca de 10m e pouco mais de 80m (velocidades aproximadas entre 3Km/s e 22Km/s). Pelos vistos criando alguma preocupação.

 

Com apenas 3 desses asteroides a passarem a menos de 580.000Km (aliás perto disso) de distância da Terra, logo e em princípio não se correndo o perigo de impacto. Sendo o maior deles 2019 SX5 com cera de 83m, mas passando a mais de 6.800.000Km da Terra; e o menor 2019 TW1 com apenas 10m e passando aos tais 580.000Km de distância.

 

Mas com a nossa preocupação não se devendo limitar a estes objetos (passando nas proximidades da Terra) com as suas órbitas e trajetórias já bem definidas − sabendo-se por antecipação as datas em que passarão mais próximos ou poderão impactar (para já nem notícias de que tal possa suceder no futuro próximo) e “vendo-se bem de onde vêm”,

 

Se comparda com todos os outros (objetos) que aparecendo de repente e apanhando-nos completamente desprevenidos (não havendo no presente instrumentos para os detetar), sem Aviso ou possibilidade de Alerta e atravessando subitamente os Céus, podendo ou não impactar: só sendo detetados no “preciso momento”, nem permitindo sequer “pensar como prevenir e muitas vezes “não se vendo bem de onde vêm(talvez oriundos e como tal passando despercebidos, do lado do Sol).

 

(imagem: Don DavIs/NASA; sobre uma “preocupação” RT/rt.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:25

“Rocks enriched with mineral salts discovered by NASA's Curiosity at a location on Mount Sharp called "Sutton Island" suggest that water vanished slowly, rather than all at once, possibly returning to the area in a persistent cycle of drying and overflow. This discovery serves as a watermark for when the Martian climate was gradually getting drier.”

(PIA23375: Sutton Island Model of Drying Lakes/photojournal.jpl.nasa.gov)

 

Com uma sonda espacial

− Para os marcianos, automática e alienígena

perfurando a superfície do seu planeta,

à procura da sua Água.

 

2549MR0133960010205654E01_DXXX.jpg

CURIOSITY ROVER

SOL 2549

08.10.2019

(NASA)

 

Evidências de uma intervenção externa (de terrestres) num Mundo Alienígena (em Marte) perfurando a superfície desse corpo (um planeta) – num terreno (Aeolis Palus) localizado na cratera GALE (uma cratera de impacto situada na periferia da planície ELYSIUM) localizada a sul da linha do equador marciano (4,8°S) – onde se pode constatar facilmente a ação de uma perfuradora em dois pontos diferenciados da sua crosta (na imagem seguinte no canto inferior/esquerdo e no canto superior/direito): sendo terrestres e vivendo num Mundo rochoso e maioritariamente coberto de Água (cerca de 70%) – e com o próprio Homem na sua constituição química sendo-o maioritariamente à base de H₂O (variando entre os 50% e os 75%) – logicamente à procura desse líquido para os SERES HUMANOS tão precioso (por vital).

 

PIA23375.jpg

Tal como nos lagos terrestres com os lagos marcianos formando-se pela confluência de múltiplos afluentes, descendo as encostas (aqui do Monte Sharp) até às zonas mais baixas (da cratera, Gale) e aí se acumulando – aumentando e descendo de nível até à seca final

(photojournal/ PIA 23375)

 

Numa ação desenvolvida pelo ROVER CURIOSITY (um veículo motorizado circulando sobre a superfície de Marte desde 05.08.2012 e tendo já percorrido mais de 21Km) tendo como alvos prioritários da sua missão não só estudar a geologia de Marte, como a possibilidade deste planeta alguma vez no seu passado poder ter tido condições de ambiente, não só para conter Água, como até por poder ter possuído algum tipo de vida (mesmo que algo diferente da nossa ou primitiva) no passado (já muito distante): na sua História Geológica de uns 4,5/5 biliões de anos nesta mesma região onde o veículo motorizado CURIOSITY se desloca (cratera de Gale, proximidades do Monte SHARP), nessa mesma depressão (cratera=depressão de impacto) podendo ter existido no passado (talvez há uns 2 biliões) um Grande Lago Marciano.

 

PIA23374.jpg

Os Lagos Brilhantes das salinas de Quisquiro

O Altiplano Sul-Americano tal como se apresenta hoje na Terra, num cenário semelhante ao que poderíamos encontrar no passado em Marte

(photojournal/PIA 23364)

 

Numa suspeição de existência − de H₂O em Marte – cada vez menos duvidosa, não só pelos sinais do passado (sinais de erosão devido à presença e circulação, talvez há uns 2 biliões de anos, de água formando um grande lago, um “Oásis no Planeta Vermelho”, entretanto evaporando ou sendo salvaguardada em depósitos subterrâneos) como pelas mais recentes descobertas (da possibilidade de existência de água armazenada no Permafrost ou nas calotes polares), confirmando essa existência: e até num determinado ponto da Evolução de Marte (onde segundo os investigadores, Marte poderia estar parcialmente coberto por um oceano, menor do que o terrestre) podendo ter albergado Vida. E descobrindo-se a História de Marte (o seu Passado e o seu Presente) podendo-se perspetivar a História da Terra (o seu Futuro): para já apenas com sondas (automáticas, não tripuladas, governamentais) amanhã e cumprindo-se as promessas − da NASA (para já de Trump) e da SPACE X (de Elon Musk) − com naves tripuladas (do Governo ou da Iniciativa Privada) – não só colocando Homens na Lua como em Marte (Viagens Interplanetárias) como aí instalando bases, futuros entrepostos (das Viagens Interestelares).

 

(imagens: NASA/JPL-Caltech/MSSS − photojournal.jpl.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:18

Open de Inglaterra a 14 de outubro

 

2019-English-Snooker-Open-Outright-Betting-Preview

Shaun Murphy, Mark Selby e Stuart Bingham

 

A 5 dias do início do OPEN de INGLATERRA (14/20 outubro − detentor do troféu Stuart Bingham/ING) − 7ª prova da época 2019/20 e 4ª contando para o Ranking Mundial (RM) – e depois das Qualificações para o WORLD OPEN (2/5 outubro − detentor do troféu Mark Williams/GAL) e do início da CHAMPIONSHIP LEAGUE (a 7 de outubro com a disputa da fase de grupos/grupos 1 e 2 de 7 – detentor do troféu Martin Gould/ING), decorre hoje e amanhã (9/10 outubro) o Grupo 2 do Championship League:

 

Depois de NEIL ROBERTSON/AUS ter vencido o Grupo 1 (batendo na final Ryan Day/GAL por 3-2), iniciando-se o Grupo 2 com outros 7 jogadores (os outros 3 semifinalistas não incluindo o vencedor do Grupo 1 − já apurado para a fase final − mais 4 outros novos jogadores).

 

Vencedores das 3 provas anteriores de RM:

(Época 2019/20)

Yan Bingtao/CHI (Riga Masters)

Judd Trump/ING (International Championship)

Shaun Murphy/ING (China Championship)

 

Relativamente às Qualificações para o WORLD OPEN (a realizar na China de 28 outubro/3 novembro) − contando aí com a presença de 64 jogadores – com as maiores surpresas (Positivas) a virem do regressado IGOR FIGUEIREDO/BRA às provas do circuito profissional de Snooker contando para o RM (à 1ª Divisão) batendo inesperadamente Yuan Sujin/CHI por 5-3 e ainda aqui como surpresa contrária (Negativa) a eliminação (logo na Ronda de Qualificação/RQ) de Gary Wilson/ING, de Mark King/ING e de Ryan Day/GAL − para já não falar de Neil Robertson/AUS que por atraso tendo falta de comparência e sido eliminado.

 

E assim ficando-se à espera do regresso do Snooker aos canais de televisão (Eurosport) com o início do ENGLISH OPEN a 14 de outubro:

 

Com a ausência garantida de John Higgins/ESC (6ºRM), mas com a presença do regressado Igor Figuiredo/BRA e claro está do sempre desejado (o lendário, vivo e ativo) Ronnie O’Sullivan/ING (corra-lhe bem ou mal a prova).

 

(imagem: thepunterspage.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:14

“Além de detetar ele previne

(no mínimo, diminuindo as fatalidades em 1/4)

em vez de remediar.”

(sortudos, tendo de um lado o bacalhau e do outro o cão, como fiéis-amigos)

 

Num estudo científico financiado por uma Fundação (AGRIA) e uma Instituição de Investigação sueca (FORMAS) − publicado em 8 de outubro em [ahajournals.org] – a chegada à conclusão tendo como protagonista um animal doméstico o CÃO, de que:

 

191008083121_1_900x600.jpg

Portuguese water dog

Owning a dog may be associated with having a longer life

(imagem: Michele Hogan)

 

“Dog ownership associated

with longer life,

especially among heart attack and stroke survivors”

(sciencedaily.com)

 

Segundo o estudo científico tendo como alvo de investigação mais de 320.000 pessoas com idades variando entre os 40 e os 85 anos e além disso vivendo sozinhas – podendo ter sido vítimas de um ataque cardíaco sobrevivendo, ou tendo já tido um anterior tendo outro e sobrevivendo de novo – com o CÃO a ser um fator evidente contribuindo para a diminuição das fatalidades: no 1º caso reduzindo o risco de 33% e no 2º caso de 27% (numa média próxima dos 31% de redução de fatalidades por problemas de coração). Ou seja:

 

“In this study of 321 430 Swedish adults aged 40 to 85,

dog ownership was associated with a lower risk of death

after an acute myocardial infarction or ischemic stroke.”

(ahajournals.org)

 

E se já sabíamos da importância e das vantagens de termos “Um CÃO Perto de Nós” como nosso companheiro e “fiel amigo” (em troca de pouco ou nada, lutando e sofrendo por nós) – além disso com os possuidores de um CÃO a verem a sua taxa de mortalidade (cientificamente e em todas as doenças) a serem reduzidas em cerca de 24% − agora ainda o sendo mais preventivo − e fundamental − para em todos os sentidos não ficarmos (nunca) sós (na vida, na doença e até na morte).

 

(imagem e legenda: sciencedaily.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:36

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO