Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Nov 19

Uma cidade afundando-se progressiva e irreversivelmente no mar Adriático e com o agravamento das Alterações Climáticas, sem qualquer previsão de futuro, senão o de desaparecer sob as águas.

 

“Venice hit with a historic third major flood in less than a week”

(Colleen Barry and Luca Bruno Associated Press November 17, 2019)

 

37ac60f8-c57f-491f-81f6-a38c7a832298-EPA_ITALY_VEN

Water starts rising again in Venice, northern Italy on Nov. 16, 2019

High tidal waters returned to Venice on Saturday,

four days after the city experienced its worst flooding in more than 50 years.

 

Afundando-se (lentamente) a uma média (cálculos por satélite realizados, anos atrás) de 2 milímetros/ano − significando uma subida do nível médio das águas de 1 metro/500 anos – a cidade (hoje, turística) de Veneza antecipando o que poderá ser definitivo daqui a meio milénio (senão mesmo antes, dado o evoluir do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas) vê-se no presente colocada perante um cenário de Grandes Inundações (três, todas elas em menos de uma semana) mesmo que eventualmente temporárias (dependendo da precipitação e das marés no momento) superando o tal 1 metro de subida (do nível médio das águas) e atingindo os 1,5 metros. Devido ao mau tempo (as maiores inundações em mais de 50 anos) assolando toda a região de Veneza (e toda a cidade) − assim como outras regiões da Itália (com elevada precipitação e inundações, ventos fortes e até avalanches de neve) – com muitos museus e outros estabelecimentos (lojas, cafés, restaurantes) sobretudo em redor da praça de São Marcos a fecharem as suas portas (mesmo assim registando-se a presença no local de muitos turistas), direcionando muitos dos seus responsáveis culturais e comerciais a protegerem de diversas formas as suas preciosas memórias e mercadorias e até em certos casos colocando os turistas hospedados em hotéis, em partilha (talvez solidária) com as águas aí infiltradas. E mesmo assim continuando-se à espera e sem prazo de conclusão (ainda definido) − passados mais de 16 anos e investidos mais de 5 biliões de euros – a conclusão do projeto de defesa contra inundações previsto para esta região (de Veneza), através da construção de uma “barreira” subaquática, protetora, mas ainda inoperacional.

 

(texto/legenda baseado/retirada do artigo de: Colleen Barry e Luca Bruno/Associated Press/usatoday.com – imagem: Andrea Merola/EPA-EFE/usatoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:50

É Subjetiva.

 

[Para observadores em coordenadas diferentes, com a perceção a ser diferente: suscitando sensações diferentes, de situações podendo ser iguais.]

 

Objective Reality Doesn't Exist,

Quantum Experiment Shows.

(livescience.com)

 

CHAD6Kur3Tup8xFzKRxxwJ-970-80.jpg

 

Enquanto nos entretemos a tentar diferenciar Realidade de Imaginação não compreendendo ser tudo “uma e a mesma coisa − uma complementando a outra, no seu conjunto inserido entre outros (conjuntos) – sendo simultaneamente confrontados durante o nosso desenvolvimento psíquico-físico por um quotidiano monótono por repetitivo (sem memória nem cultura, como tal de miséria) nada tendo a ver com a nossa essência (sobretudo reflexivo e imaginativo) – de animais nómadas, necessitados de se movimentar, para evoluir e se manter vivo – chega agora um estudo científico em princípio para contribuir para o esclarecimento desta grande confusão em nós cada vez mais instalada (“O que é real, o que é imaginado, o que é projetado?”), deixando para trás a preocupação (como prioridade) da definição do que é real ou imaginário, assim como todas as teorias envolvendo projeções (hologramas) e mundos paralelos (outras dimensões) e lançando para a ribalta como nova protagonista a teoria (confirmada experimentalmente) de que, o que acontece é que a “Realidade objetivamente não existe”: como tal, sendo subjetiva.

 

E sendo a Realidade subjetiva porque não haver algo, ainda incompreendido e objetivo (uma das pistas talvez sendo o espelho, o único caminho sendo certamente os sonhos), chamando-se Imaginário ou não. Ou estaremos destinados, a uma sala de projeção?

 

Mas quanto à Realidade “objetivamente não existir” o melhor será ler o artigo:

[livescience.com/objective-reality-not-exist-quantum-physicists.html].

 

(imagem: Juergen Faelchle/Shutterstock/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:45

[6ª Prova de Ranking Mundial, Época 2019/2020.]

 

Numa confirmação do motivo pelo qual é o atual Campeão do Mundo e Líder do Ranking Mundial (para além de Líder do RM da Época de 2019/18), a 3ª vitória esta época em provas de ranking (até agora 6 disputadas) do jogador inglês JUDD TRUMP, batendo na final e após um duelo renhido (mas sempre com alguma vantagem  sua) o seu compatriota, por 5X Campeão do Mundo e 3ºRM, Ronnie O’Sullivan: vencendo a 1ª sessão (por 5-3), empatando a 2ª sessão (a 4-4) e levando consigo o troféu vencendo a final (por 9-7).

 

Open da Irlanda do Norte

(Final)

  

21cf7a3dd02341e0fbe3c201f582185e.jpg

ACE IN THE PACK Vs. THE ROCKET

 

JUDD TRUMP

(30 anos)

RONNIE O’SULLIVAN

(43 anos)

N

ING

ING

RM

R

James Cahill

ING

4-2

Oliver Lines

ING

4-2

Zhang Anda

CHI

4-1

Lei Peifan

CHI

4-2

Si Jiahui

CHI

4-0

S. Carrington

ING

4-1

Yan Bingtao

CHI

4-0

Yuan Sijun

CHI

4-1

QF

A. Hamilton

ING

5-1

S. Murphy

ING

5-1

MF

John Higgins

ESC

6-3

Joe Perry

ING

6-1

PR

13 (agora 14)

36

CM

1X

(2019)

5X

(2001/04/08/12/13)

PR 19/20

2 (agora 3)

International Championship

World Open

(+ Northern Ireland Open)

-

19.com

Northern Ireland Open

Final

(à melhor de 17 frames)

1ª Sessão

1-0; 2-0; 2-1; 3-1; 3-2; 4-2; 5-2; 5-3;

2ª Sessão

5-4; 6-4; 7-4; 7-5; 7-6; 8-6; 8-7; 9-7

9

7

(J: Jogador F: Foto N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial R: Ronda QF: Quartos-Final

MF: Meia-Final PR: Provas Ranking ganhas CM: Campeão Mundo)

 

Dos restantes participantes nesta 6ª prova de RM sendo de destacar ainda as boas prestações do escocês John Higgins (eliminado nas MF) e do inglês Mark Selby (eliminado nos QF por John Higgins) e a surpreendente presença nos Quartos-Final do suíço (“metade português”) Alexander Ursenbacher (eliminado por Joe Perry); com o inglês Joe Perry apenas a desiludir nas Meias-Finais (ao ser esmagado por Ronnie O’Sullivan por 6-1). E de prémios (financeiros) com Judd Trump a arrecadar 70.000£ e Ronnie O’Sullivan 30.000£.

 

No Top 3 do RM com o inglês Judd Trump 1ºRM a reforçar a sua liderança (1.384.000£), aumentando a sua distância sobre o 2ºRM o galês Mark Williams (936.750£) e sobre o 3ºRM o inglês Ronnie O’Sullivan (818.500£); quanto ao RM da época com Judd Trump em 1º, Shaun Murphy em 2º e Mark Selby em 3º (todos eles ingleses). E com a próxima prova a ser disputada (7º p/RM) a realizar-se entre 26 de novembro e 8 de dezembro no Centro Barbican em York (Inglaterra), com o Betway UK Championship (detentor do troféu, Ronnie O’Sullivan).

 

[Betway UK Championship, com transmissão no canal Eurosport.]

 

(imagem: pintrest.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:31

As sondas Mars 2020 (NASA) e ExoMars 2020 (ESA/ROSCOSMOS)

a serem lançadas em 2020 (e chegando a Marte no início de 2021).

 

[Entre outros dos seus objetivos, em busca de estromatólitos ou de outros fósseis-rochosos, podendo num determinado espaço-tempo, significado e sido traduzido, por Vida.]

 

24695_mars2020_investigate_ancient_life_australia.

Austrália

Cientistas envolvidos nos projetos

Mars 2020 (NASA) e ExoMars 2020 (ESA/ROSCOSMOS)

Estudando os estromatólitos

Das formas de vida fossilizadas mais antigas e já confirmadas

 

No próximo ano (2020) com duas novas sondas automáticas (uma da responsabilidade da NASA a outra da ESA) a serem lançadas (um dos EUA a outra da Rússia) em direção ao planeta Marte (no dia de hoje a cerca de 2,47UA da Terra) − a sonda MARS 2020 (Agência Espacial Norte-Americana) e a sonda EXOMARS 2020 (Agência Espacial Europeia) – em terra (e no planeta Terra) e fazendo parte dos preparativos das duas missões, um grupo de cientistas (de ambos os lados) procura na superfície do continente australiano (na região de Pilbara, localizada a noroeste) indícios que lhes possam fornecer informações (por comparação de amostras recolhidas na Terra e posteriormente em Marte) de que algo de semelhante poderá ter ocorrido em Marte: estudando no local (Austrália) a sua superfície rochosa, bem conhecida por conter impressa através de um processo (físico-químico) de muitos e muitos milhões de anos (de transformações, evolução) – talvez com um início há uns 3,5 biliões de anos, nalgum tipo de caldeira − exemplares da mais antiga forma de vida conhecida e tendo habitado o nosso planeta, os Estromatólitos – uma “rocha fóssil”.

 

368_esa-exomars-2020-rover.jpg

Rover ExoMars 2020

Expedição exobiológica tentando descobrir se alguma vez no seu passado

terá existido Vida em Marte, c/ o rover a ter como missão

estudar a possível existência de moléculas orgânicas, capazes de

“erguer o edifício químico, composto pelos diferentes módulos de Vida”

 

E presumindo-se ter existido água em Marte (pertencendo este a um sistema planetário com mais de 4,5 biliões de anos) há uns 3 /4 biliões de anos (como pensam por todos os sinais e vestígios, cada vez mais cientistas), a afirmação de que

 

Between 3 billion and 4 billion years ago at the Mars 2020 landing site, Jezero Crater, a river flowed into a body of water the size of Lake Tahoe, depositing delta sediments packed with clay and carbonate minerals. The conditions were ideal for stromatolites to form on the shorelines.” (nasa.gov)

 

Lake_Thetis-Stromatolites-LaRuth.jpg

Estromatólito

“Pode ser definido como uma rocha fóssil formada por

atividades de microrganismos em ambientes aquáticos” (wikipedia.org),

das mais antigas conhecidas na Terra

e podendo datar de há 3,5 biliões de anos

 

Duas sondas cada uma delas apetrechada pelo seu respetivo “automóvel” ou veículo motorizado, uma delas transportando o ROVER MARS 2020 (aterrando na cratera JEZERO) −a ser lançada entre Julho/Agosto de 2020 (e aterrando em Marte em Fevereiro de 2021) − a outra transportando o ROVER ROSALIND FRANKLIN (aterrando na planície OXIA) − a ser lançada em Julho/2020 (e aterrando em Março/2021): 2 veículos que irão a partir do fim do primeiro trimestre de 2021 fazer companhia ao seu antepassado (mas ainda bem ativo) o ROVER CURIOSITY, tentando saber ainda mais da História Geológica deste planeta nosso vizinho (exterior), assim como sobre a sua evolução (com uns 4,5 biliões de anos), sobre a possibilidade de nele ter existido água (no início, distando talvez de 3/4 biliões de anos) e até de nalgum dia do seu já distante passado nele ter existido Vida. Daí a “caça aos fósseis”.

 

8544_Pathfinder-Background-web.jpg

Mars Pathfinder

Capturing hearts and minds around the world with its dramatic landing on July 4, 1997,

and its tiny rover − the first wheels ever to roll on Mars –

Mars Pathfinder became a cultural icon, as well as

a record-breaking phenomenon on the brand-new World Wide Web (nasa.gov)

 

Tudo isto e segundo a NASA (e certamente secundado pela ESA e pela ROSCOSMOS, esta última, a Agência Espacial Russa) com um único objetivo e intenção (sendo um trabalho a três, conjunto):

 

NASA will use Mars 2020 and other missions, including to the Moon, to prepare for human exploration of the Red Planet. The agency intends to establish a sustained human presence on and around the Moon by 2028 through NASA's Artemis lunar exploration plans. The ExoMars program is a joint endeavor between the European Space Agency and the Russian Federal Space Agency (Roscosmos).” (nasa.gov)

 

E com as Agências Espaciais Governamentais (tomando os EUA como referência e com as outras um dia e por efeito de dominó, a poderem acompanhá-la) − continuando na senda de novas descobertas, a sua aventura através do Sistema Solar, utilizando as suas sondas automáticas (não tripuladas, logo com menos custos e obviamente perigos, para os seres humanos)

 

800px-Mars_Ice_Home_concept.jpg

Presença Humana em Marte

Depois do setor Governamental assumir a liderança da Exploração do Espaço

c/ a participação de agências como a NASA/ROSCOSMOS/ESA (entre outras),

surgindo em força a iniciativa privada (Space X)

tentando desviar p/ si algum investimento e ficar do “bolo” com a maior parte

 

Apesar de todo o seu passado histórico (na Conquista e Exploração do Espaço) e da inegável contribuição (e formação para o Homem, situando-o no Universo) para o desenvolvimento da nossa Sociedade & Civilização (científica e tecnologicamente) − e até do sacrifício de vidas humanas (astronautas) na tentativa voluntária e heroica de fazer chegar as suas “naus & caravelas” (naves espaciais) a outros mundos (como a Lua) e oceanos nunca antes navegados (como o espaço interplanetário) – a serem no presente ultrapassadas pelo aparecimento das Agências Espaciais Privadas, com estas desviando para as suas mãos muito do financiamento anteriormente dirigido para o sector Governamental (EUA/NASA), asfixiando-as parcialmente (deixando-lhes a investigação e as sondas automáticas) e erguendo-se como as Agências Espaciais do Futuro (ficando para eles as naves tripuladas e a exploração do mercado espacial) como será o caso (por ex. e nos EUA) da Space X, da Virgin Galactic e da Blue Origin.

 

Entretanto já com 7,5 biliões de habitantes continuando à espera, olhando pensativa e pacientemente para um já gasto monitor de TV, ligado a uma câmara telecomandada da Terra dizendo-se que atualmente a 0000Km.

 

(imagens: nasa.gov – Ruth Ellison/flickr.com/wikipedia.org – ESA/nasa.gov − Ruth Ellison/flickr.com/wikipedia.org – nasa.gov/wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:02

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
22

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO