Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Proeza da Máquina Voyager 2

Terça-feira, 05.11.19

Depois da “Era dos Navegadores

e das suas “Naus & Caravelas

(século XV a XVII)

sucedendo-se − “dispensado o Homem

não a Era dos Astronautas

mas a das “Sondas Automáticas

(como “a esperança é a última coisa a morrer

esperemos que só parte do século XXI)

 

VoyagerSchematic.jpg

A passagem das sondas automáticas Voyager 1 e 2

 pela fronteira virtual do Sistema Solar

a caminho do Espaço Interestelar

 

Its official!

Voyager 2 has passed into interstellar space.

(Kerry Hebden/04.11.2019/room.eu.com)

 

Na esmagadora das vezes não indo – o HOMEM (e por cá) a lado nenhum, absorvidos como estamos em replicar e sobreviver − seja aqui, seja na selva – não tendo tempo para socializar, nem sequer para (pensar em) foder (com o nº de velhos a crescer e o nº de jovens a diminuir),

 

Com o “Acaso e a Necessidade”, que esta sociedade (por vezes) nos proporciona (em momentos de delírio e deriva), podendo-se ainda recorrer a um outro protagonista – as MÁQUINAS − para nos levar a algum lado (aqui como acolá).

 

E se na Terra de espaço limitado (o “Ponto Azul”, o Ecossistema Terrestre) o SER VIVO nada alcança, no Espaço dito infinito (Sistema Solar, Universo) o SER MECÂNICO parece não ter fronteiras – como será caso da VOYAGER 2 tal como antes a VOYAGER 1 estando já em Espaço INTERESTELAR.

 

Mais uma vez com as MÁQUINAS indo muito mais além do que “nós”, para territórios nunca (antes e talvez depois) descobertos e alcançados pelo HOMEM:

 

Num século (XXI) em que em vez de enviarmos naves espaciais “tripuladas” para o Espaço − em busca de outros mundos e tal como os nossos antepassados NAVEGADORES – lançamos na mesma direção montes de sondas automáticas (sem Alma e telecomandadas) como se no passado no mar enviássemos (p/ a senda das Descobertas) apenas as Naus e Caravelas (sem os respetivos marinheiros).

 

Depois da sonda automática Voyager 1 ter abandonado (ultrapassando a sua fronteira virtual) o Sistema Solar – indicando na distância ao Sol 121,6 UA (agora nas 147 UA) − entrando no Espaço Interestelar (no ano de 2012), agora com o mesmo feito a ser atribuído à sonda Voyager 2 cumprindo essa passagem (fronteiriça) em Novembro de 2018 (seis anos depois da V1) a 119 UA (agora a 122 UA).

 

E entre outras informações retiradas desta longa viagem iniciada em 1977 (há 42 anos) e já com a sonda automática Voyager 1 em falta (de comunicações não de movimentação, pelo menos enquanto houver energia), confirmando-se o que já se suspeitava com o afastamento progressivo do Sol e o abandono do Sistema Solar (à medida que a sonda ia avançando pelo Espaço) − perda da influência do SOL – com os índices de intensidade dos Raios Solares a diminuírem (rápida e drasticamente) e com os dos Raios Cósmicos a aumentarem (substituindo na sua influência e até à sua totalidade os primeiros) na mesma proporção.

 

Seja nave tripulada ou sonda automática e olhando para exemplos como o da Exploração da Lua (suspensa já lá vai quase meio século), prevendo-se para uma nova Expedição (semelhante às das Voyager) no mínimo mais 1 a 2 gerações: e nem no próximo século (XXII, continuando-se com o mesmo tipo de raciocinio e de intervenção) passando-se à tão desejada etapa das Viagens Interestelares.

 

(imagem: Krimigis et al, 2019/room.eu.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:06

Afinal de contas, Edward Snowden está vivo!

Segunda-feira, 04.11.19

“Snowden Will Make First Public Appearance

Since U.S. Lawsuit at Conference Next Month”

(ijr.com/Reuters)

 

2019-09-14T195119Z_2_LYNXMPEF8D0PR_RTROPTP_4_EUROP

Edward Snowden

[Visível utilizando-se cabos]

Falando no Conselho da Europa via Web

Estrasburgo

15.03.2019

 

Agora que decorre de 4 a 7 de novembro a 11ª edição da WEB SUMMIT (contratualizada pelo anterior Governo de António Costa para uma duração de 10 anos de 2018 a 2028) – autointitulando-se a maior conferência europeia sobre tecnologias da Internet (realizada anualmente) e pretensamente convidando desde as grandes até às mais pequenas empresas da área (das empresas de Elon Musk, às pequenas start-ups) e desde figuras de topo (como CEO’S de empresas) até certos indivíduos trabalhando e estando associados (de uma forma ou de outra, direta ou indiretamente) a essa área tecnológica (de políticos e celebridades, a empresários e cientistas) – como por exemplo e só para mencionar alguns personalidades (oficiais, certificadas, credíveis, preferencialmente de topo e representativa das “forças vivas e jovens da Terra”) para além do já mencionado ELON MUSK (Tesla, Space X),  AL GORE (ex-Vice Presidente dos EUA) e EVA LONGORIA (atriz) pelo contingente estrangeiro e ANTÓNIO GUTERRES (Secretário-Geral da ONU), LUIS FIGO (futebolista) e DURÃO BARROSO (ex-Presidente da comissão europeia) pelo contingente português

 

Parecendo estar-se mesmo num cenário dedicado e replicado − por inspirado – não e como se esperava do género científico e /ou tecnológico, mas inserindo-se claramente e até por toda a envolvência “criada e ornamentada”, no campo do puro espetáculo de promoção social (individual ou coletiva) estilo “RED CARPET(com um toque MTV) : uma “Gala de Celebridades” onde para além de aparecerem (publicidade & marketing barato, com possíveis prazeres em anexo), “eles(as) distribuem entre eles(as) elogios e galardões − aqui denominada WEB SUMMIT.

 

Eis que tal como em todos os dias do ano, pertença (ele) ou não a um ano bissexto, se declarou pelo menos em Portugal e na WEB (pelo menos numa parte dela, com ligações à “Cimeira VIP”) − tal como noutros dias e noutros países se comemora o mesmo, talvez porque ”a comemoração do dia, tal como muitos feriados, seja móvel – o “Dia Mundial de Edward Snowden (4 de novembro de 2019) − numa iniciativa no que diz respeito a este whistleblower norte-americano, fugitivo e perseguido pela Justiça do seu país (e exilado/refugiado na Rússia), normal e habitual para o mesmo, participando noutras conferências do género mas não tão publicitadas (por alguma razão será) – com o mesmo a participar em direto via WEB no 1º dia da cimeira WEB e aí se entregando nos braços (naturalmente bem abertos, mas sendo feito à distância e nem sequer sendo um holograma − até para se constatar minimamente a sua “condição”) de muitos dos que sempre o ignoraram e ainda o ignoram (oferecendo-lhe graciosa e misericordiosamente todos os anos, o seu “Dia de Liberdade”): algo que Edward Snowden tem aceite com estas e outras participações (em fóruns/debates), mas certamente que não e habitualmente com este grande show (pretensamente elitista e de negócios) tão característico desta Sociedade que não do sujeito mas do Espetáculo (decorando o objeto, dando-lhe “alma (aura) exterior” e suplantando o sujeito) e tendo como molde de reprodução numa 1936ª versão (dessa outra réplica do molde) programas (“sem tutano, só conduto”) como “A Gala da Passadeira Vermelha − numa festa de 4 dias (4/início, 5, 6 e 7/fim) terminando num fim-de-semana (prolongado−  8, 9, 10/regresso a casa).

 

julian-assange-1.jpgKhatchadourian-Assange-Versus-Trump-Administration

Julian Assange

[Antes e Depois]

Antes do início do seu período como ”presidiário” (já indo em 7 anos) iniciado em 2012 (na embaixada do Equador em Londres) e continuando ainda em 2019 (numa prisão inglesa algures nas proximidades de Londres)

 

E Julian Assange?

Para quando a sua WEB SUMMIT?

 

E perguntando-se o cidadão-comum até por falta de informação (aqui só se falando de Edward Snowden, uma vez por ano) − julgando-o desaparecido ou morto como fugitivo à Justiça dos EUA (com muitos congressistas norte-americanos a acusarem-no de “filho-da-puta e traidor, devendo ser logo abatido”) – como o mesmo foi ali parar (“como numa Igreja, ao Altar”), mal sabendo ( nós, o povo) vir da Rússia, malfeitor nos EUA, esquecido em muito lugar e no fim sendo banido apenas por denunciar: sendo um WHISTLEBLOWER traidor (por denunciar crimes) ou “Terrorista Mau”, não sendo um LEAKER patriota (p/ perseguir Presidentes) ou “Terrorista Bom”. Até porque o outro está preso, pronto para ser transferido e sem culpa formada, já tendo sido (previamente e como exemplo) condenado: esperando-se para breve uma “SUMMIT (mas) do Jornalismo (obrigatoriamente com os sempre “monocórdicos, obedientes e na moda” portugueses), com os jornalistas a convidarem o seu colega ilegalmente perseguido, diminuído e preso – com tomates e já agora se necessário exibindo-os (tal como anos antes os mesmos o fizeram às autoridades, como rebeldes/não terroristas “mostrando-lhes o rabo”), exigindo a libertação imediata e a presença do seu colega JULIAN ASSANGE (com a ONU a considerar todo este processo ilegal, atentatório dos direitos humanos e chegando até à tortura), prevenindo antes que algo de pior aconteça, em vez de remediar tarde demais (como muitos “bem colocados e instalados” pretendem), bastando para tal (para quem ainda tem dúvidas sobre o seu estado físico e mental) olhar para ele (e ouvir o pai).

 

“Com os mesmos que os festejam (numa grande orgia)

sendo os mesmos que por algum tipo de direito ou de dever (estando bem integrados e interessados) de uma forma ou de outra (mais ou menos virtual, dada a nossa avançada degenerescência, metamorfoseando-nos de sujeito para subobjecto)

os mataram.”

 

(imagens: Vincent Kessler/Reuters − Rob Pinney/LNP/Shutterstock/newyorker.com e IANS/thestatesman.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:29

Planeta Terra − Quase-Tangentes, Tangentes e Secantes

Segunda-feira, 04.11.19

[Quase-Tangentes (ou rasantes) esperando-se que apenas passando (não parando, nem tocando), Tangentes pouco tocando e apenas o fazendo num ponto (esperando-se o melhor, se possível não alastrando), ou Secantes penetrando o Plano e transformando (deformando) o Espaço − onde na sua trajetória (este último) irá encontrar a Terra.]

 

Estando o asteroide 2019 UN3 incluído nos 61 objetos seus semelhantes passando perto da Terra − a uma distância menor que a da Terra/Lua (384.400Km) e desde o início do ano de 2019 − no global do nº de asteroides do ano de 2019 (até ao momento pouco mais de 60, passando a < 1 LD) podendo a vir a ser muito semelhante ao do ano de 2018 (77): pelo que a preocupação não resultará do possível aumento do número de “passagens próximas (que não tem sucedido) mas no aumento da capacidade técnica da deteção destes objetos se possível, descobrindo-os “muito e muito antes” e sem deixar passar nada no “filtro”. Mas o ideal, aconteça ou não aconteça, c/ um grande ou c/ um pequeno (e até podendo ser um Cometa) − e tal como sempre acontece em terra (na Terra) c/ o Homem para se prevenir, em vez de remediar, um dia (talvez para se salvar) a ter de partir (p/ o Espaço).

 

Asteroid-illus-NASA_JPL-Caltech-Large.jpg

 

Asteroide Florence, um dos maiores NEA − com cerca de 4Km (e passando relativamente perto, ainda a uns milhões de Km e até pela sua dimensão, podendo ser considerado um PHA) − felizmente sem previsão de impacto (tal como mais de 90% dos PHA)

 

Inesperadamente com o Objeto surgindo e sendo descoberto no “Horizonte Celeste” (às 14:45 UTC de 31.10.2019), poucas horas antes da sua passagem, neste dia (e felizmente) “sem paragem”. E se tivesse parado por cá como Estação (levando com um Grande calhau) ou como Apeadeiro (levando com um mais pequeno)?

 

No passado dia 1 de Novembro “Dia de Todos os Santos ou Dia dos Fiéis Defuntos (para os “Sagrados”) seguindo-se à noite de “Halloween” de 31 de Outubro (para os “Profanos”) – juntando “Morte” com “Doçuras & Travessuras− eis que mais um objeto vindo das profundezas da escuridão do Espaço faz mais “uma quase-tangente ao nosso planeta”, passando no seu ponto de maior aproximação à Terra a apenas (pouco mais de) 12.500Km de distância: e para demonstrar tratar-se de uma “distância menor (Objeto/Terra), sendo sensivelmente 30X menor que a distância Terra/Lua e aproximadamente igual ao diâmetro da Terra.

 

Com o asteroide 2019 UN3 passando pelo início da tarde de 31 de outubro sobre o continente Africano, depois da sua passagem a uma distância (de nós) de um “diâmetro da Terra”, caminhando de novo para o seu ponto mais afastado da sua trajetória ou afélio (passando por perto e influenciado entre outros pelo Sol e pela Terra) localizado no Cinturão de Asteroides. Apesar da distância (de passagem relativamente ao nosso planeta) sendo-lhe atribuído − dada a sua órbita e trajetória incerta (logo, o perigo de impacto) − o Código 7 (numa escala 0-9). Nos registos existentes sendo o segundo asteroide a passar tão perto da Terra, só sendo ultrapassado por um outro (por pouco) tendo por cá passado em 2011 (2011 CQ1). E estando já marcado um recorde para 2095 (asteroide 2010 RF12) com uma “quase-tangente, tangente ou secante” à Terra e com 6% de hipóteses de existir, colisão.

 

Felizmente tratando-se de um objeto menor de uns 1m/2m de dimensão e que impactando não teria grandes consequências para a Terra (evento menor), mas que no entanto e num contexto diferente (por exemplo de trajetória e/ou de dimensão do objeto) poderia ter graves consequências para o nosso planeta caso, em vez de lhe fazer uma quase-tangente fazendo-lhe uma tangente ou secante (tendo maior dimensão e/ou maior velocidade e/ou diferente ângulo de entrada, etc.) e impactando (parcial ou totalmente): não sendo por acaso que passando tão perto de nós a uma velocidade de quase 13m/s, o objeto 2019 UN13 com um trajetória tão próxima da Terra e pela sua aproximação do duo Terra/Sol de órbita tão incerta, seja definido como (relacionando-o com a possibilidade de impacto) de Código 7 (numa escala de 0/9).

 

asteroid-2019-mo-explodes-over-caribbean-sea-june-

 

Asteroide 2019 MO (grupo Alinda) de cerca de 5m de dimensão, entrando na atmosfera terrestre e posteriormente explodindo sobre o Mar das Caraíbas a 22.06.2019 (apenas 12h depois de ser descoberto) provocando ondas de choque registadas nas Bermudas

 

Com este objeto − um asteroide do grupo ATON normalmente circulando no interior da órbita da Terra e com um período inferior a 1 ano − vindo do Espaço (exterior à Terra e por desconhecido, potencialmente perigoso) apanhando-nos completamente desprevenidos e só sendo descoberto (no momento por “quase ninguém”) poucas horas antes do seu aparecimento − e em caso de necessidade “prevendo-se o pior (a Tangente ou Secante) sendo impossível de alguma ação preventiva e de segurança (para a Terra, para a Vida, para o Homem) − fazendo parte entre muitos outros do grupo de asteroides que passando mais ou menos perto de nós (na sua aproximação ao Sol, contornando-o) o fazem com AVISO ou SEM AVISO, no caso dos primeiros ainda se podendo fazer algo, mas tal já não sucedendo com os segundos. Talvez mesmo nem sequer dando tempo para pensar, apenas olhar e rezar.

 

Asteroides que tal como os Cometas e apesar de terem origens diferentes sempre têm preocupado e posto em alerta o Homem aquando das suas passagens por perto (da nosso planeta), uns tendo como remetente o Cinturão  de Asteroides (localizado a 330/480 milhões de Km do Sol) ou até mais distante o Cinturão de Kuiper (localizado a 4.500/7.500 milhões de Km do sol) − os ASTEROIDES – e os outros tendo como fornecedores a distante Nuvem de Oort (localizada entre um mínimo de 2000/5000 UA e um máximo de 50.000 UA, 100.000 UA ou até 200.000 UA) − os COMETAS. Para já não falar dos objetos INTERESTELARES como OUMUAMUA e BORISOV, oriundos de um outro Sistema, logo de outra(s) Estrela(s): e não sendo do Sol denominados como, Extrassolares – alguns mesmo atribuindo-lhes (até pela sua raridade) além do título de Alienígenas o de Artificiais (enviados p/ Algo ou Alguém).

 

Ainda uns dias antes (29 out) com outro NEA (2019 UB8 com 6 metros) a passar relativamente perto de nós (pouco mais de 190.000Km) para já na altura do 2019 UN13 (31 out) outros dois o acompanharem (um de 8 m a pouco mais de 750.000Km e outro de 20m a pouco mais de 1.500.000Km) e para finalmente passarem outros dois (a 1 e 2 de Novembro) a pouco mais de 190.000Km/17m e de 115.000Km/7m. Sabendo-se de antemão das características dos já descobertos (registados e definidos) NEA (Near Earth Asteriods) e podendo-se prever até como futuros e possíveis PHA (Potentially Hazardous Asteroids) as suas futuras aproximações (com alguns já apontados como potencialmente perigosos), mas por outro lado nunca se podendo vir a saber nada (ou garantir minimamente algo de positivo, de sobrevivência) sobre aqueles que sem aviso, repentinamente e sem que possamos fazer algo (para o impedir ou nos prepararmos) – com maiores parâmetros “destrutivos” que 2019 UN13 (descoberto e passando a 31 e definido apenas a 1, felizmente passando ao lado e sendo pequeno) de um momento para o outro aparecem à nossa frente e em possível rota de colisão com a Terra: muitos deles sendo descobertos já após a sua passagem (perto de nós), confirmando-se aí e apenas, não termos sido atingidos.

 

asteroids-1ld-2018.jpg

 

Comparação do nº de asteroides passando a menos de 1 DL (distância lunar = LD = 384.401Km) no ano de 2018 e de 2019, globalmente (nível anual) muito semelhantes; justificando a preocupação não ser a quantidade, mas a qualidade na sua deteção (antecipada)

 

asteroids-within-1ld-2019-by-november-2-2019.jpg

 

Num momento em que o SOL ainda se “afunda mais” na sua aproximação a um “Mínimo de Atividade Solar” assinalando a passagem do seu 24º Ciclo Solar (2008/2019?) para o 25º Ciclo Solar (2019?/2030?) − em ciclos aproximados de 11 anos – diminuindo a sua intensidade de ação, entre elas a dos seus “Raios Solares (dirigindo-se e incidindo sobre a Terra) e assim abrindo ou mesmo “escancarando as portas” a outros raios exteriores (ocupando o espaço livre deixado pelos raios oriundos do Sol) potencialmente mais perigosos (para a Terra, para a Vida, para o Homem) pelo menos enquanto esta atividade mínima solar se mantiver, sem Manchas Solares e sem CME’S: os “Raios Cósmicos (afetando ainda mais − que os Solares − todo o Ecossistema Terrestre); e num momento em que até se verificou (para além do asteroide e do ciclo solar) uma “tripla conjunção” – Lua, Júpiter, Ganímedes (1 das mais de 80 luas de Júpiter, 1 das 4 Luas de GALILEU) − visível a olho nu, no céu, ao anoitecer. Quando cada vez mais são anunciadas passagens próximas de objetos vindos do Espaço (como por exemplo os asteroides), não sendo preocupação única e tendo como aspeto negativo a sua quantidade (de registos, podendo estar a crescer como a manter-se na “média”) como e acima de tudo e para alguns (que poderão equipara-se a muitos, nas suas consequências) a sua grande imprevisibilidade − podendo de um momento aparecer não se tendo mais nada a fazer senão ver (num ponto da Terra sendo tangente, ou em todos sendo secante).

 

Num Sistema Planetário com cerca de (previsão) 150 milhões destes objetos (até ao presente quase 840 mil detetados) a circularem – “apenas considerando os mais visíveis, passíveis de deteção e com mais de 100m” − em trajetórias definidas mas podendo tornar-se (p/ diversas circunstâncias) algo instáveis (muitos deles orbitando entre Marte e Júpiter) – e apresentando dimensões variando entre 1m e 500Km – com as 4 principais preocupações a residirem na sua trajetória, na sua dimensão e no crescimento de aparecimentos (deste tipo de objetos), mas também e como seria lógico e do mais necessário, obrigatório e imediato conhecimento, a dependerem da maior antecipação possível das descobertas, cálculos e previsões destes episódios, não se evitando e/ou prevenindo, podendo ter consequências negativas. Sendo apenas necessário dinheiro (ou seja, investimento).

 

Mas mesmo assim (não havendo fortes investimento nestas áreas de observações, registos, cálculos, previsões e até futuras explorações) desqualificando-se a importância de tal assunto envolvendo a evolução diária do “Tempo no Espaço”, quando e persistindo neste mesmo termo conjugando “Momento e Consenso” − e segundo estudos recentes dos Média dos EUA tendencialmente (se não esmagadoramente) DEM – os norte-americanos se dividem entre dois grandes perigos talvez ao Nível da Extinção (pondo de lado o COMETA & HILLARY, agora na oposição) de ser impactado por um  ASTEROIDE ou então sê-lo por TRUMP.

 

[1UA = 150.000.000Km]

 

(imagens: NASA – Frankie Lucena/watchers.news – watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:09

Snooker − Judd Trump “O Maior”

Segunda-feira, 04.11.19

E à 5ª prova do Circuito Mundial de Snooker época 2019/20 − contando para o Ranking Mundial (RM) − o atual Campeão do Mundo e Líder destacado do RM (liderança agora reforçada) o inglês JUDD TRUMP, confirmando o seu estatuto de “Melhor do Mundo”, alcança a sua 2ª vitória (2 em 5 ou seja em 40% das provas): batendo no final da prova o tailandês Tepchaiya Un-Nooh (por uns esclarecedores10-5), mas apesar disso tendo-se de destacar a boa performance do jogador (o único asiático presente nas meias-finais) atingindo com toda a justiça a final depois de já ter ganho (prova antecedendo o World Open) o Haining Open: no Ranking da época (com 5 provas de RM realizadas) sendo já o Nº 4.

 

2019 WORLD OPEN

(Final)

 

Foto

 

e6fbf974c64df857bef686b8d114528d.jpg

 

 

thepchaiya-un-nooh-et5.jpg

 

Jogador

JUDD

TRUMP

TEPCHAIYA

UN-NOOH

Nacionalidade

ING

TAI

Ranking Mundial

22º

Evolução dos Frames

(1ª/2ª Sessão)

1-0; 1-1; 2-1; 3-1; 4-1; 5-1; 7-1: 7-1; 7-2

8-2; 8-3; 8-4; 8-5; 9-5; 10-5

Resultado Final

10-5

Prémio

150.000£

75.000£

 

TOP 10 RM

(4.11.2019)

    

jhiggins.jpg1200px-Ronnie_O%u2019Sullivan_at_Snooker_German_Ma

John Higgins à esquerda

(no 2019 World Open − prova concluída − o grande adversário de Judd Trump)

Ronnie O’Sullivan à direita

(na 2019 Champion of Champions − próxima prova − o detentor do troféu)

 

RM

(RE)

J

N

£

RM

(RE)

J

N

£

(1º)

JUDD

TRUMP

ING

1324

(3º)

MARK

SELBY

ING

714

(82º)

RONNIE

O’SULLIVAN

ING

958

(7º)

MARK

ALLEN

IRLN

605

(5º)

MARK

WILLIAMS

GAL

946

(2º)

SHAUN

MURPHY

ING

501

(32º)

NEIL

ROBERTSON

AUS

817

(10º)

KYREN

WILSON

ING

494

(9º)

JOHN

HIGGINS

ESC

718

10º

(17º)

BARRY

HAWKINS

ING

419

(RM: Ranking Mundial RE: Ranking época J: Jogador N: Nacionalidade £: Libras)

 

Concluído o WORLD OPEN (9ª prova da época/5ª contando p/RM) seguindo-se já a partir de hoje (04.11 a 10.11) a CHAMPION OF CHAMPIONS (uma prova por convite – a 5ª da época − não contando p/RM), com 16 jogadores convidados tentando destronar Ronnie O’Sullivan (o detentor do troféu) e ganhar o prémio (para o Vencedor) de 150.000£. Regressando a 11 de Novembro (próxima segunda-feira) as provas de RM (6ª prova da época) com a disputa (até 17.11, dia da Final) do OPEN da IRLANDA do NORTE: com a Final marcada para 17 (novembro) e cujo detentor do troféu é … Judd Trump (prova já c/ transmissão Eurosport). E até ao fim de 2019 ainda se realizando (provas de RM) o UK CHAMPIONSHIP (detentor do troféu Ronnie O’Sullivan) e o OPEN da ESCÓCIA (detentor Mark Allen).

 

(imagens: bbc.com −snookerhq.com – snooker.org – wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:30

Na Rota da RT − Censura, Emojis, Adultos e Crianças

Domingo, 03.11.19

[Tendo como protagonistas, gigantes como o Facebook e o Instagram (e para outros do outro lado tendo a RT).]

I

 

 

mind-controlled-robotic-arm-900x600.jpg

Tal como no passado com a descoberta do Fogo se deu o salto civilizacional que nos conduziu ao Homem Moderno – ao SUJEITO − no Presente e com a ascensão do poder do Objeto sobrepondo-se ao do Sujeito (tentando-o transformar num subobjecto), para além do mesmo se refletir no Espelho, podendo agora refletir-se numa Máquina: e tal como o seu (da Máquina) hardware funcionando à base da Eletrónica/Informática e de Energia Eletromagnética e apoiado por um processador (e memórias) e respetivo software aplicativo, num Futuro cada vez maia “” sendo desnecessários sendo descontinuados e progressiva e silencioso extintos (talvez colocados num Museu). Apenas porque o HOMEM quis transformar a MÁQUINA naquilo que ele nunca foi ou será: porque limitado a esta projeção (podendo até ser o único ser vivo e inteligente em todo o Universo) ser IMORTAL.

 

Num Tempo da História do HOMEM em que o próprio (individual e/ou coletivamente, conforme isolado ou pertencendo a um coletivo), debatendo-se com problemas existenciais e de consciência (previamente implantados na sua Mente e disponibilizando essa “linha de pensamento”) envolvendo a Futura (se não Presente) ASCENSÃO das MÁQUINAS – dados os avisos constantemente divulgados através dos filmes e das séries ditas de Antecipação Científica ou de SCI-FI, envolvendo ROBOTS e outras entidades CIBERNÉTICAS, com estes(as) descontinuando progressivamente o Homem (conforme a sua geração, idade e adaptação à nova Realidade), substituindo-o por ROBOTS-HUMANOIDES e assumindo “o Controlo e o Poder– olhando para o Futuro, “nem repara (não quer ver) sequer no que já se passa no Presente”: não estando a MÁQUINA PERFEITA  (o Hardware, à imagem do Homem) ainda pronta, pondo-se desde logo a correr os seus programas, entre eles o do ALGORITMO (ou seja o SOTWARE), com o único problema a residir (e sendo ENORME) no descontrolo do mesmo, dado ter origem BIO, dirigir-se a um BIO, mas sendo executado por uma MÁQ, sem cérebro e apenas (respondendo) com reflexos condicionados. E da mesma forma que tomada a rédea do poder o ALGORITMO hoje e mecanicamente se assume − metendo-se nos assuntos de “SEXO e de NUDEZ dos SERES HUMANOS” – amanhã com novas prioridades e justificando-se no mesmo Algoritmo − ou noutro qualquer (sem um cérebro ou outro tipo de processador que o controle) − podendo lançar-nos num Apocalipse por exemplo NUCLEAR: bastando para tal censurar, assumindo o que o HOMEM (incluindo TRUMP) não conseguiu, ou seja, “carregar com convicção (eCONSENSO”) no célebre e decisivo Botão”.

 

II

 

5db9b2cb85f540288e52e7eb.jpg

Com a exploração/abuso na utilização de crianças

− De que o sexual exercido p/ adultos é apenas uma forma extrema –

Entendendo-se tudo como normal, n existindo contraditório e p/ “consenso”,

Passando-se à fase seguinte da banalização

(Permitido)

 

Feliz ou infelizmente usufruindo da RT – Russia Today, um canal estatal russo de televisão – ficando-se mais a par (de uma “Outra Visão”) de muito do que (encontrando-se numa zona “de sombra ou de obscuridade”) se passa no Ocidente (visto do Oriente): tal como certamente o estaria um Oriental querendo saber algo sobre a sua metade do Hemisfério (Oriental), tendo para tal de recorrer ao seu oposto (em longitude) o Ocidente. E desta premissa (ponto de partida) chegando-se segundo à RT ao problema da “Censura e Aproveitamento Sexual (fatores interligados, tendo como denominador central e comum, a detenção e exercício do Poder), neste caso − e achando eu ser muito mais grave, pois utilizando entre outros crianças – podendo (devendo) a sua utilização ser equiparada ao nível de crime de “Abuso de Crianças” ou no seu caso extremo (envolvendo interesse sexual) de “Pedofilia”.

 

snapshot.jpg

C/ o Algoritmo em velocidade de cruzeiro (nem mesmo um “Icebergue Trumpista” o detendo), a certeza de que tudo o que se colocar no seu caminho, será levado à sua frente, tal como c/ uma onda de tsunami – s/ hesitações ou recuos, como neste caso, onde a nudez e indiretamente o sexo (“as mamas”) estão presentes

(Proibido)

 

No caso referido no site da RT e envolvendo EMOJIS (um vegetal e uma fruta, um sugerindo pelos vistos sexualmente o género masculino, o outro o feminino) − uma imagem equivalente a uma palavra, utilizada em mensagens/páginas na internet – com a poderosa dupla norte-americana dominando (com outros grupos dos Média/Comunicação Social) o seu respetivo mercado (incluindo as Redes Sociais) − o FACEBOOK e o INSTAGRAM – invocando justificações demonstrando “falta de cultura e de memória(para não dizer vergonha pela hipocrisia, ao não responder “servindo quem?”) colocando no mesmo saco “SEXO  e NUDEZ (ignorando a presença do sujeito, como se “sexo & nudez” fossem “uma e a mesma coisa”),  infelizmente e como sempre segundo o ponto de vista de um determinado e restrito nível etário, dominante, certificado e formador (ou “dando-a em concessão aos fiéis”): e assim proibindo a publicação de emojis associados a temas eventualmente podendo (segundo eles) estar associados a sexo/nudez (seja o que isso for para eles ou para o respetivo Algoritmo, desconhecendo-se a identidade do operador do terminal) – como por exemplo (informação RT) com um vídeo educacional falando do cancro da mama (seios à vista), com (proposta minha) Ticiano e a sua pintura “Vénus de Urbino (mulher nua e na cama), ou então e porque não, com (iniciativa que poderia ser Democrata, recorrendo a um Whistleblower-Paparazzi) Trump em fato de banho mostrando algo que não deveria (podendo tal servir, para ajudar ao Impeachment)

 

5dbc2ab2203027171165fdef.jpg

EMOJIS censurados

(pelo Facebook e pelo Instagram)

− Quando inseridos num contexto de “Sexo e/ou de Nudez” –

Por incentivarem as pessoas às práticas sexuais

(Proibido)

 

Enquanto por OUTRO LADO (a outra face da mesma moeda, pelo menos tendo passado pelo filtro, do infalível Algoritmo) permite a Visualização da Exploração e Abuso de Crianças Tornadas Protagonistas de Programas e Shows de Adultos (adultos esses cansados de se verem retratados por bonecos ou por outros adultos que não eles, e virando-se por facilidade e ausência de limites para os ainda desprotegidos e inocentes), violando-lhes e arruinando-lhes a juventude, como se fossem “Coisas (como nós) em Exposição”, para o continuar do bom funcionamento da (cada vez mais eficaz) cadeia de produção” – como por exemplo (informação RT) com um espetáculo em que uma “Transformista Canibal (completamente ensanguentada) retira à facada um recém-nascido do seu ventre enquanto vai bebendo o sangue (derramado), ou ainda com um espetáculo em que uma criança e à nossa imagem (dos adultos, muitos deles os pais) se submete a uma Metamorfose dita momentânea mas deixando as suas marcas (na ânsia e no desespero pela Fama e pela Visibilidade, tal como com o sucedido com o Euromilhões e esta Sociedade, mais que esmagadoramente por nenhum de nós alcançado) com a Criança num segundo sendo JOVEM (sinal de fraqueza) para no seguinte sendo VELHA (sinal de riqueza).

 

Espetáculo simulando um recém-nascido tendo sido sujeito a um aborto, recorrendo a facadas por parte de uma enlouquecida e completamente ensanguentada “Drag Queen Canibal”, no final exibindo-o e bebendo o seu sangue

(Permitido)

 

Violada nos seus direitos (pelos criminosos, violadores e pedófilos, sejam eles físicos ou mentais) e impondo-se-lhes falsos deveres (por aqueles que hoje dominam o Mundo); ou por exemplo, finalmente (já agora e estando em curso) e dada a pertinência dos temas (não tanto de debate, mas de rápida aplicação, sejam quais forem as consequências), no presente “bem na Moda” − junto com a palavra Consenso (nunca Unanimidade, mais reacionária) – introduzindo falsos problemas existenciais (de adultos) na cabeça das criancinhas, primeiro lançando-lhes para cima (da “moleirinha” das suas ainda débeis cabeças) com as casas de banho (para um, para todos, para nenhum, à escolha), para depois e como se já não chegasse (atirando-lhes com o equipamento), questioná-las sobre o seu sexo. E olhando para eles numa sala sem espelhos (não fosse as crianças terem dúvidas) − e estando “tudo louco” − questionando-os: “Queres ser Menino ou Menina”?

 

(imagens: Carnegie Mellon University/mathworks.com − rt.com − Cancer Focus NI/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:56

A Nova Idade do Fogo

Sábado, 02.11.19

Ou “Período Piromaníaco”. E recordando a “1ª Idade do Fogo” ocorrendo no período Neolítico e quando por cá andava o Homem Erectus − o antecessor do Homem Moderno – há mais de 9000 anos: com o “FOGO” criando e desenvolvendo uma “CIVILIZAÇÃO” e com o mesmo (Instrumento e mecanismo) podendo destruí-la.]

 

California Wildfires Signal the Arrival of a Planetary Fire Age

(Stephen Pyne - The Conversation/livescience.com)

 

QuwS5wHKCASXeqcg6tqF5E-650-80.jpg

Wind and flames rip through an area near Geyserville/California

During the Kincade Fire on Oct. 24, 2019

(livescience.com)

 

Has Earth entered the Pyrocene?

 

Another autumn, more fires, more refugees and incinerated homes. For California, flames have become the colors of fall.

 

Free-burning fire is the proximate provocation for the havoc, since its ember storms are engulfing landscapes. But in the hands of humans, combustion is also the deeper cause. Modern societies are burning lithic landscapes - once-living biomass now fossilized into coal, gas and oil - which is aggravating the burning of living landscapes.

 

The influence doesn't come only through climate change, although that is clearly a factor. The transition to a fossil fuel civilization also affects how people in industrial societies live on the land and what kind of fire practices they adopt.

 

Even without climate change, a serious fire problem would exist. U.S. land agencies reformed policies to reinstate good fire 40 to 50 years ago, but outside a few locales, it has not been achievable at scale.

 

What were lithic landscapes have been exhumed and no longer only underlie living ones. In effect, once released, the lithic overlies the living and the two different kinds of burning interact in ways that sometimes compete and sometimes collude. Like the power lines that have sparked so many wildfires, the two fires are crossing, with lethal consequences.

 

(continua)

 

[Artigo: Stephen Pyne − California Wildfires Signal the Arrival of a Planetary Fire Age − livescience.com/earth-has-entered-pyrocene-fire-age.html]

 

(imagem: JOSH EDELSON/AFP/Getty Images/livescience.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:37

Snooker − 2019 World Open – Final

Sábado, 02.11.19

Confirmando o seu título de Campeão do Mundo (para além de Líder do Ranking Mundial/RM) com o inglês JUDD TRUMP a poder ser esta época o primeiro jogador a ganhar 2 provas de RM. Podendo-o contrariar (se o conseguir e se o seu adversário deixar) o tailandês Thepchaiya Un-Nooh.

 

Necessitando-se de duas “negras” nas Meias-Finais do OPEN MUNDIAL (a disputar-se na China, na sua 37ª edição e contando para o Ranking Mundial) para se apurarem os dois finalistas desta prova, dadas as prestações dos 4 jogadores envolvidos (nas MF) e podendo qualquer um deles ter atingido a Final, tendo-se aleatoriamente escolhido os dois finalistas e tendo o acaso selecionado uma preferência para tal (obtenção de privilégio): tendo para tal ter vencido, uma prova já esta época – tal se verificando apenas com JUDD TRUMP e THEPCHAIYA UN-NOOH.

 

2019 World Open

(Meia-Final)

 

MF

J

N

F

J

Foto

N

Thepchaiya Un-Nooh

TAI

0-1; 0-2; 0-3; 1-3; 1-4; 2-4; 3-4; 3-5; 4-5; 5-5

Kyren

Wilson

 

Dafabet+World+Snooker+Championship+GC6c0qdUGCZl.jp

 

 

ING

6-5

Judd

Trump

ING

1-0; 1-1; 1-2; 2-2; 3-2; 4-2; 5-2; 5-3; 5-4; 5-5

John

Higgins

 

John-Higgins-1.jpg

 

 

ESC

6-5

(MF: Meia-Final J: Jogador N: Nacionalidade F: Frames)

 

Na 1ª MF com o inglês Kyren Wilson começando muito bem chegando rapidamente aos 3-0, com o tailandês Thepchaiya Un-Nooh respondendo no 4ª frame e reduzindo para 1-3, mas deixando-se bater de novo no 5ª frame e fixando aí o resultado em 1-4. Para de seguida o tailandês “começar a arrancar” reduzindo para 3-4, “engasgando-se” no 8º frame, perdendo e parecendo condenado (resultado em 3-5), para surpreendentemente “arrancar definitivamente” vencer três partidas consecutivas e virar o resultado em seu favor para 6-5.

 

Na 2º MF com o percurso a ser um pouco diferente, mas tendo a mesma conclusão (definido na “negra”) com o encontro a ser repartido nos 4 primeiros frames (2-2) para de seguida o inglês Judd Trump vencer 3 frames consecutivos e colocar o resultado em 5-2. E com a partida praticamente decidida (afinal de contas apenas “aparentemente”) com o escocês John Higgins a “despertar” e a responder igualmente com 3 frames ganhos (consecutivos) − colocando o resultado em 5-5 – para no 11º frame a vitória cair finalmente para o inglês Judd Trump (6-5).

 

2019 World Open

(Final)

 

Foto

 

_106575812_rexfeatures_10216666ay.jpg

 

Jogador

JUDD

TRUMP

THEPCHAIYA

UN-NOOH

Nacionalidade

ING

TAI

Ranking Mundial

22º

(Ranking da Época)

(1º)

(4º)

Provas de RM

(esta época)

1 Vitória

(International Championship)

-

Provas p/ Convite (esta época)

1 Presença nos QF

(Shangai Masters)

1 Vitória

(Haining Open)

Frente-a-Frente

3 Vitórias

(4-3; 4-0; 10-9)

1 Derrota

(3-6)

1 Vitória

(6-3)

3 Derrotas

(3-4; 0-4; 9-10)

Provas RM

(total de vitórias)

12

1

Provas p/ Convite

(total de vitórias)

10

1

Campeão do Mundo

1X (2019)

-

 

Vença um ou vença o outro (ambos s/ vitórias no WO) com qualquer um dos 2 jogadores a poder vir a ser (o Vencedor e para já) o primeiro a ganhar esta época duas provas do Circuito Mundial de Snooker (com vantagem, caso vença, para o inglês vencendo 2 provas de RN), c/ Judd Trump (1ºrme) mantendo a liderança do RM (saindo vitorioso ou derrotado da Final) e c/ Thepchaiya Un-Nooh (3º/4ºrme) de momento 22ºRM caso vença (a Final) passando a 14ºRM, ou seja, passando pela 1ª vez na sua carreira como profissional a integrar o TOP 16 do RM.

 

[rme: ranking mundial da época − WO: World Open]

 

(imagens: zimbio.com − championofchampionssnooker.co.uk − REX FEATURES/ thetricolour.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:24

Júpiter Tal Como Visto de Cima

Sexta-feira, 01.11.19

[Pela sonda JUNO, pelo Cidadão Cientista Gerald Eichstädt e … por mais alguém/ninguém.]

 

PIA23439.jpg

 

As complexas e coloridas (editadas por um, como os designa a NASA, Cidadão Cientista/CC) movimentações das violentas correntes atmosféricas (JET STREAM) observadas no Hemisfério Norte de Júpiter”, numa imagem obtida pelas câmaras da sonda automática JUNO em 29 de maio deste ano. E com Gerald Eichstädt realçando os “pontos brancos”.

 

Numa região do Hemisfério Norte de JÚPITER, sinais evidentes da presença e da ação de um JET STREAM na sua atmosfera, conhecido como “JET N3” (depois de editados pela NASA e tratados pelo CC Gerald Eichstädt). E tal como a NASA afirma (resultando mais evidente com o tratamento de imagem realizado pelo CC GE), com as diferentes diferenças de cor aí observadas representando (significando) diversos tipos de comportamento da sua ATMOSFERA, do seu topo à sua base. Com o branco (a cor) aqui a ser o protagonista. Num planeta com um diâmetro médio de cerca de 140.000Km (aproximadamente 11X o da Terra) e onde certamente tudo será “muito mais extremo(pelo menos para nós, comparando-se com a TERRA, até pela sua distância ao SOL) incluindo as Tempestades Atmosféricas, ainda-por-cima num planeta considerado um “Gigante Gasoso” (o maior do Sistema Solar, “engolindo todos os outros”, exceto o SOL) e onde não se vislumbra (mas tendo de existir no seu núcleo) a sua parte como (o) componente sólido: onde como na LUA pudéssemos aterrar e tal como Neil Armstrong o fez (fazendo em breve Meio-Século e nem se tendo dado, desde essa altura, mais nenhum passo) lá colocar os nossos pés (deixando-nos de promessas e de adiamentos e de justificações falsas de que o dinheiro não chega, quando todo ele é canalizado para a Indústria de Guerra). E regressando aos “pontos brancos” visíveis na atmosfera de Júpiter (sobressaindo não só pela cor), sendo essas zonas (da atmosfera) entre todas (as rodeando-as) as mais elevadas.

 

Jupiter_diagram.svg.png

 

Modelo apresentando (através de um corte do exterior ao centro) o interior do planeta Júpiter, com o seu núcleo (central, rochoso e gelado) no estado sólido, rodeado por uma espessa camada de hidrogénio metálico, no estado líquido. Sucedendo-se o “H e o He(líquidos/gasosos) e a restante (e exterior) camada atmosférica (mais fina talvez com uns 50Km).

 

Um registo atmosférico do JET N3 podendo atingir os 3.000Km (de altitude) e com as duas “manchas brancas” (espessas, compactas, violentas camadas de nuvens) visíveis no meio de todo o colorido − aparecendo ao centro-direita da imagem − a representarem as regiões da atmosfera (de Júpiter) aparecendo a maiores altitudes: obtido pela sonda JUNO quando (numa das suas várias aproximações − esta sendo a 20ª − programadas a Júpiter) a cerca de 10.000Km de distância do topo das nuvens jupiterianas (latitude 39°N). Júpiter: um planeta Gigante e Gasoso possuindo 2,5X a Massa dos outros sete planetas (juntos) do Sistema Solar (no outro extremo tendo, cerca de 1000X Menos a Massa do Sol) − e composto maioritariamente por Hidrogénio (80%) e por Hélio (10%) − onde um dos seus “sinais de marca” é a “Grande Mancha Vermelha”, bem visível (integrando a camada atmosférica exterior do planeta) – como que “estacionada há muito, muito tempo até pela sua dimensão e forma (fazendo-nos lembrar “o olho-de-um-furacão” na Terra) e simbolizando as violentíssimas tempestades atmosféricas (se comparadas com as do nosso planeta, mesmo as mais violentas, muito menos intensas) em curso á superfície – “GASOSA− de Júpiter.

 

earth-atmosphere-layers.jpg

 

Na Terra com as diferentes camadas atmosféricas envolvendo todo o planeta (mais estreitas e protetoras nos polos) estendendo-se (como se pode ver no gráfico) por mais de 700Km (ainda no seu interior orbitando a ISS), dividindo-se desde o solo até às suas zonas mais exteriores em (5 camadas) Troposfera, Estratosfera, Mesosfera, Termosfera e Exosfera.

 

De tão grande e apesar de tão afastado – entre 740 e 815 milhões de Km do Sol (a Terra a 150 milhões de Km) – sendo a partir da Terra visível a olho nu e de todos os planetas solares sendo aquele a possuir mais luas (ultrapassando já as 80 e podendo uma ou outra ter Água), por um lado e para os Seres Humanos sendo igualmente extremamente agressivo e “impossível de compartilhar”, não só devido ao seu poderosíssimo Campo Magnético (atraindo e esmagando tudo) como devido às suas violentíssimas Tempestades Atmosféricas, as mais habituais com ventos a caminho dos 400Km/h (podendo ser muito superiores, na Terra e existindo, sendo “apenas APOCALÍPTICAS”), mas por outro e sendo “Importantíssimo e Fundamental (até para a Preservação da Terra e da nossa Espécie, assim como de todas as outras) podendo manter-nos VIVOS (como o também fará por exemplo o nosso vizinho Marte, substituindo-nos e à Terra, e “levando com eles em cima”): protegendo-nos de cometas como poderia ser o caso (um dia com outro qualquer, podendo um cometa intercetar a órbita da Terra e até passar uma tangente ou então − BOOM! − uma secante) de SHOEMAKER-LEVY 9 (viesse ele na direção da terra) impactando Júpiter em Julho de 1994 (e com o planeta a “digerir sem parecer vomitar”).

 

(imagens: PHOTOJOURNAL/PIA23439/NASA – wikipedia.org − wattsupwiththat.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:04

ROVER MARS 2020

Sexta-feira, 01.11.19

Investigando a História da Geologia de Marte, a possibilidade de aí poder ter existido Vida – num passado distante de biliões de anos (a descoberta de alguma, bio assinatura) − e até tendo a possibilidade, de recolher amostras para posterior envio para a Terra (algo de inédito para uma sonda automática mas não para o Homem, como vimos com o programa Apollo). Mais uma vez e infelizmente com o trabalho da NASA (ficando apenas e como um “batedor”, com as sondas automáticas), a ser imediatamente aproveitado pela Iniciativa Privada (ficando com todos os grandes financiamentos para os voos tripulados).

 

Mars_sample_returnjpl.jpg

O Veículo de Ascensão Marciana ou MAV

Capaz de enviar amostras de Marte para a Terra

(NASA)

 

Num teste ao próximo veículo motorizado (da NASA) o ROVER MARS 2020 (a ser lançado em 2020 e aterrando em 2021) a circular no planeta MARTE juntando-se assim ao seu irmão mais velho o ROVER CURIOSITY a observação (e o registo) de como reagirão as diversas secções da superfície do veículo (mais ou menos expostas à ação dos Raios Solares) ao interagirem com o SOL ao nível do solo marciano (e a partir daí fazendo um modelo térmico).

 

PIA23469.jpg

1

Mars 2020 Rover

(Photojournal – PIA 23469)

 

Numa imagem (1) de 14 de Outubro deste ano obtida no Laboratório de Propulsão Espacial de Pasadena (Califórnia) e incidindo sobre o sucessor de OPPORTUNITY (já inativo) e de CURIOSITY (ainda ativo) − tendo MARS 2020 (aqui no retrato) como missão prosseguir o trabalho destes seus antepassados e de outros pioneiros (Mars 2, Mars 3, Spirit, etc.) e no seu caso (para além de uma perfuradora) e pela primeira vez (caso todo o plano se confirme) não o fazendo sozinho mas acompanhado por um Helicóptero, o Mars Helicopter Scout (ou MHS).

 

1280px-PIA22460-Mars2020Mission-Helicopter-2018052

2

Mars Helicopter Scout

(Photojournal – PIA 22460)

 

Sendo lançado de Cabo Canaveral por um foguetão Atlas V541 numa viagem de cerca de 7 meses entre a Terra e Marte (e aproveitando a janela ideal de partida para uma tal viagem, situada em JUL/AGO de 2020) e com a aterragem a estar prevista para 18.01.2021 no interior da cratera JEZERO: e acompanhado pelo MHS (2) – o helicóptero no ar com MARS 2020 (o veículo motorizado circulando em terra) a poder prosseguir a Missão do Homem em Marte (á distância e servindo-se de um comando), enquanto pacientemente espera pela (tantas vezes prometida e adiada) chegada de Elon Musk (esperemos que não do seu Tesla Roadster e do seu piloto Starman).

 

(imagens: nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:31


Pág. 5/5