Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

30
Abr 20

Talvez com a Região  do Algarve beneficiando da impressão geral do bom comportamento de Portugal (face ao Covid-19) ─ vendo-se o que aconteceu com os outros países do sul, nossos principais concorrentes no ramo da Hotelaria & Turismo ─ podendo aproveitar a imagem e em vez de se afundar, recuperar para nossa felicidade pouco a pouco, já um “muito-grande-pouco.

 

As-Maias-99.jpg

A Tradição das Maias no 1º de maio algarvio

 

Com todo o Hemisfério Norte ainda a lutar ─ ultrapassados aparentemente os seus picos máximos ─ contra o elevado número de vítimas mortais por dia ─ e com os piores exemplos a virem do quinteto constituído pelos EUA, Itália, Reino Unido, Espanha e França, responsáveis por 72% das vítimas mortais globais ─ em Portugal a atividade do vírus SARS-CoV-2 depois de estabilizada a propagação da doença pelo mesmo provocada (a Pandemia de Covid-19), parece estar a descer progressivamente (sendo já menor que duas dezenas) abrindo assim as portas (depois de uma 1ª fase e de três Estados de Emergência) à 2ª fase da “Luta Anti-Covid-19”: e depois do “fechados em casa” seguindo-se a fase de “Não Confinamento”, por precaução e para nossa segurança, experimental e como tal progressivo.

 

CV2.jpg

 

A última vez tendo-se registado em Portugal 16 vítimas mortais (VM) por dia devido à doença Covid-19, reportando-se ao passado dia 6 de abril (três dias depois de atingirmos o Pico Máximo com 37 VM) já lá vão 24 dias. E com a nossa taxa de mortalidade a andar pelos 4% (da amostra) ─ inferior à taxa de mortalidade global (provisória) de 7% e a nível do total da nossa população nos 0,01%.

 

CV1.jpg

 

Assim a 4 de maio (segunda-feira) iniciando-se uma nova etapa deste surto pandémico ─ a fase de “desconfinamento” ─ com o país em palavras (ainda antes do 1º de maio) a iniciar a passagem do Estado de Emergência para o Estado de Calamidade, para então começando uma nova etapa não só na direção da nossa Liberdade como estando interligada, no sentido do retorno à Economia, tentarmos ressuscitar-nos para a Vida arrancando finalmente o motor ─ constatando que apesar desta guerra estarem ainda aí (ao contrário das guerras convencionais) todas as infraestruturas essenciais (os trilhos que nos conduzirão à nossa sobrevivência): homenageando aí os nossos idosos (86% do total de mortes) e toda a classe trabalhadora.

 

[A Maia era uma boneca de palha de centeio em torno da qual se dançava durante toda a noite do primeiro dia de maio. Ritual ligado aos ritos da fertilidade, do início da primavera e do novo ano agrícola. (sulinformação.pt)]

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

Kermit the Frog sings "Rainbow Connection" from quarantine

(título: Gareth Branwyn/29.04.2020/boingboing.net)

 

maxresdefault FROG.jpg

Cocas o Sapo e a sua canção de Quarentena

 

Nestes tempos de isolamento pandémico em que numa 1ª fase de intervenção (de combate) em nome da preservação da Vida nos isolamos da Economia para de seguida em nome da salvação da Economia nos isolarmos da Vida ─ sendo esta a única alternativa possível por viável (de acordo com o modelo económico-financeiro adotado) à preservação da nossa Civilização assente na atual organização  da nossa Sociedade (a oriente como a ocidente, alicerçada na mercadoria, no objeto), isto apesar de se cumpridas as promessas do século passado (colocando a máquina/o objeto a trabalhar para o Homem/o sujeito, protegendo-o no Espaço e disponibilizando-lhe mais Tempo) pudéssemos desde já viver numa sociedade automatizada entre outras vantagens protegendo o Homem de agentes imprevistos agressivos ─ a presença ainda no início do período de transição de fases (quando iniciado o tratamento e travando aparentemente os sintomas da doenças, já nos consideramos curados) de mais um dos nossos mais queridos e antigos companheiros de estrada (replicado num boneco/objeto mas aqui e com toda a nossa ingenuidade imaginado como um amigo de infância/sujeito) no presente estabelecido como mais um sexagenário: com 65 anos de idade o inicialmente lagarto posteriormente transformando-se em sapo KERMIT THE FROGG.

 

1600x640-Q90_b3258c640c6db902d20d899f2825293f.jpg

Waldorf e Statler os dois intratáveis idosos

 

E com o reinado do vírus SARS-CoV-2 e do respetivo surto pandémico e mortal pelo mesmo lançado sobre todos nós, introduzido e disseminado (no ecossistema deste planeta) através da aplicação de uma guerra generalizada e de extermínio levada a cabo pela ação do seu agente biológico Covid-19 (a doença infetocontagiosa) ─ num momento em que mais um vez e irracionalmente (convencidos e desejosos de que exista um centro, justificativo/explicativo da razão da nossa existência) procuramos um responsável não coletivo, não entre nós (predadores e presas, dominadores e dominados), mas apontando e individualmente, apenas uns de nós (como se qualquer grupo de maior ou menor dimensão pudesse ser estranho e independente aos outros grupos rodeando-o) ─ trazendo como consequência a este palco neste período importante e fulcral de reflexão tendo como contraponto algo que sempre viramos como juntos e interligados caso do duo “Vida & Economia” (agora que vamos ser atirados para o interior do campo de batalha, aparentemente derrotada a invasão biológica, mas com os sinais da evolução da mesma ainda bem presentes e visíveis), algo que acompanhando-nos neste período parecendo infinito de Quarentena nos desligue um pouco da ficha (desta normalidade, tóxica e aditiva) e nos possibilite ainda ver outros possíveis (certamente existentes, mas ainda não vislumbrados, estando ainda cobertos por este penumbra) trilhos de salvação: dando-nos mais alguma esperança, nem que seja ─ tal como o fazemos na Religião (substituindo os santos por bonecos) ─ através da projeção de um sujeito (real) num simples objeto (imaginado). Tal como o fazíamos (não sendo ainda adultos, mais ou menos formatados) quando crianças.

 

b_muppetsfranchise_v2_18422_126032ea.jpg

Alguns personagens centrais dos Marretas

 

COCAS O SAPO (Kermit The Frog) tornado imortal com a Rua Sésamo (exibida em Portugal entre 1989 e 1996), com os seus colegas de então Becas e Egas e ainda acompanhado pelo Monstro das Bolachas, fazendo por volta dos anos 90 a delícia dos mais jovens como até os dos mais entrados (“mas ainda com uma criança dentro de si”): e depois evoluindo sob a direção do seu pai (criador) JIM HENSON assim como com todos os outros seus companheiros de espetáculo ─ no MUPPET SHOW em Portugal Os MARRETAS. Apresentando-nos outras figuras que ficaram (identificando-se com o Mundo de então) para além dos velhotes WALDORF e STATLER (gozando, “dizendo sempre mal de tudo”), MISS PIGGY (a namorada de COCAS), GONZO (o excêntrico extraterrestre), FOZZIE (o urso ingénuo), ROWLF (o cão pianista), entre tantos e tantos outros bonecos e olhando-nos ao espelho, “tal e qual como nós”. Proporcionando-nos neste período de Quarentena (mais ou menos alargado e pelos mais diferentes motivos) em que todos temos estado mergulhados (e sozinhos em casa ou noutros lugares isolados e ainda-por-cima desligados) uma música de solidariedade e da sua autoria (um dos seus êxitos), transmitida do seu pântano (e acompanhado do seu banjo) onde se encontra isolado ─ e de momento instalado ─ cumprindo voluntariamente a sua quarentena:The Rainbow Connection”.

 

[Canção de “Cocas o Sapo”: The Muppets/DisneyMagicMoments/A Special Performance of "Rainbow Connection" from Kermit the Frog/youtube.com]

 

(imagens: The Muppets e muppets.disney.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:40

29
Abr 20

[47º dia com doentes nas UCI e 45º dia com VM]

 

Portugal (o 20º país do mundo ─ em 210 ─ com mais vítimas mortais): esta quarta-feira com 24.505 infetados (+183) ou seja  0,24% da população portuguesa, 973 vítimas mortais (+25) ou seja 4% da amostra (o nº de infetados) e 169 em estado grave/crítico ou seja 0,7% da amostra ─ e ainda 1.470 recuperados (apenas 6% da amostra).

 

cvx.jpg

“O Pico”

 

Ainda sem se saber muita coisa sobre o SARS-CoV-2 surgido no final do ano passado na China e provocando uma doença infectocontagiosa o síndrome respiratória aguda grave conhecido como Covid-19, esperando-se que ao contrário da Gripe voltando todos os anos e apresentando sempre algum tipo de mutação (provocando anualmente entre 250/500 mil mortos), o mesmo se comporte como os seus familiares mais próximos e apesar deste seu primeiro impacto (ultrapassados já os 200 mil mortos) seja mais brando connosco e de curta-duração: posteriormente adormecendo por algum tempo e oferecendo-nos assim uma oportunidade para a descoberta de algum tipo de cura e vacina.

 

Isto se não nos deixarmos desleixar novamente (acusando depois os outros pelo sucedido) e se não nos prevenindo, deixarmos que muitos dos sinais dados pelo nosso planeta sejam mais uma vez ignorados, acelerando o ressuscitar do processo e aí despertando o “bicho” para uma 2ª Vaga: com a 1ª Vaga do SARS-CoV-2 a varrer todo o Hemisfério Norte de Oriente a Ocidente ─ o hemisfério terrestre mais rico, desenvolvido e aparentemente mais preparado para casos como o desta Pandemia de Covid-19 por coincidência e para além de ser uma das metades da Terra (a norte do Equador) com maior concentração populacional, a ser igualmente conhecida como a mais poluída de todo o Ecossistema Terrestre e certamente com este parâmetro contribuindo para uma disseminação mais poderosa do vírus e da respetiva doença.

 

Screenshot_2020-04-29 Portugal Coronavirus 24,505

“O Planalto”

 

Com o vírus podendo aparecer suspenso no ar (e aí perdurar por alguns dias) juntamente com todos os gases atmosféricos suspensos e altamente poluentes/tóxicos ─ não se querendo desde já aproveitar a ocasião e pela necessidade começar desde logo a controlar a Poluição ─ podendo ser transportados pelo vento e pela chuva (horizontal e verticalmente) e voltando a entrar em ação: numa 2ª Vaga podendo ser se a curto-prazo catastrófica, nem sequer se tendo tempo para recuperar o fôlego e dar um passo em frente.

 

E tal como com a terra e com o mar desertos (do Homem), assistimos admirados à chegada de muitos animais (muitos deles  mesmo vivendo ao nosso lado ─ escondidos ─ já estranhos para nós) ─ libertado o cenário de todo o tipo de poluições ─ amanhã podendo suceder o inverso mas então já sem regresso (para nós os com psique ou para os outros ditos sem ela).

 

Esperando que tal como o seu mais próximo familiar e seu antecessor o vírus SARS-CoV (de 2002) ─ já há anos considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) como “uma causa provável para uma nova e futura epidemia” o que parece agora comprovado (com a doença Covid-19) ─ o mesmo nos conceda imunidade pelo menos por dois anos: facilitando e permitindo o nosso reerguer e de toda a sociedade apesar deste tremenda batalha, mas ainda com todas as estruturas básicas todas prontas (a receber-nos) e de pé ─ é certo que em poucas semanas e só nos EUA matando mais norte-americanos do que nos vinte anos que durou a Guerra do Vietname (1955/1975), mas dando-nos a esperança e olhando à nossa volta (tudo de pé) de que só nos falta mesmo regressar.

 

A Vida, ainda andando por cá.

 

[UCI: Unidade de Cuidados Intensivos VM: Vítimas Mortais]

 

(imagem: worldometers.info)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:40

28
Abr 20

Em Portugal das 948 Vítimas Mortais, 0% tendo entre 0/39 anos,

13% entre 40/69 anos e 87% 80 anos ou mais.

 

No 59º dia de registo (dados da DGS) da Pandemia do vírus SARS-CoV-2 (responsável pela doença Covid-19) e quando os responsáveis do nosso país se preparam para a não renovação do Estado de Emergência (pela meia-noite do próximo dia 2 de maio), atinge-se esta terça-feira (28 de abril) o número de vítimas mortais (VM) mais baixo (20 VM) desde o registado há 22 dias atrás: ocorrido no dia 6 de abril com 16 VM. Com o valor máximo registado ─ o Pico Máximo de VM ─  a ter ocorrido a 3 de abril e com a primeira evidência dessa tendência a poder ter sucedido a 23 de março.

 

CV1.jpg

 

A nível das sete regiões em que foi dividido o país (pela DGS) com o Norte a deter o maior número de VM com 546 (57,6%) ─ em Portugal o centro da Pandemia com mais de metade das VM seguido da região Centro com 194 (20,5%) e de Lisboa e Vale do Tejo com 185 (19,5%) ─ e com a Madeira a ser a única região a não ter declarado nenhum óbito (0%). Na região do Algarve assinalando-se 12 VM (1,3%). E com a taxa de mortalidade (provisória) em Portugal (continente e ilhas) de momento nos 3,9% ─ a nível Global nos 6,9%.

 

cv4.jpg

 

Numa análise Global abrangendo os cerca de 200 países e territórios do nosso planeta, com o Top 10 das vítimas mortais a incluir 6 países da Europa (60%), 2 da América (20%) e outros dois da Ásia (20%): no topo da tabela (Top 10) estando os EUA de DONALD TRUMP (mais de 57 mil mortes) ─ liderando no Hemisfério Norte ─ e na base o BRASIL de JAIR BOLSONARO (mais de 4,6 mil mortes) ─ liderando no Hemisfério Sul. E a nível dos 5 continentes liderando em cada um dele os EUA, a Itália, o Irão, a Argélia (437 VM) e a Austrália (84 VM).

 

CV3.jpg

 

E com o “bicho-corona” tendo já atravessado todo o Hemisfério Norte ─ responsável pela grande maioria do total de vítimas mortais ─ e entrado no Hemisfério Sul, parecendo à primeira vista o “bicho-corona” não se “dar tão bem” como no Norte, não tendo para já provocado as consequências catastróficas que muitos previam e temiam: apenas estando bem ativo no Brasil e tal não espantando infelizmente ninguém, ou o seu Presidente não fosse o “TRUMP SUL-AMERICANO” (uma réplica do original, com um molde do pior). Seguindo o esperado e quanto a Portugal iniciando-se uma 2ª fase, depois de “fechados em casa” (a 1ª) a fase de “Desconfinamento” (passando-se de Estado de Emergência ─ e para já ─ para Estado de Calamidade).

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:23

Com o asteroide 1998 OR2 (52768) a poucas horas de atingir o seu periélio,

 

asteroid-1998-OR2-4-18-2020-Arecibo-e1587323932525

Asteroide 1998 OR2 como observado pelo radar

do Observatório de Arecibo localizado em Porto Rico

 

─ A pouco mais de 150.000.000Km do Sol e aproximadamente a pouco mais de 6.000.000Km da Terra, ou seja, 25X mais perto do planeta do que da estrela, transformando-o não só num NEO (objeto passando nas proximidades da Terra) como num PDA (dada a sua proximidade com o nosso planeta, podendo existir sempre algum tipo de interferência ou até num caso extremo de impacto) ─ previsto para se concretizar na próxima quarta-feira (29 de abril) ─ um “calhau” com quase 2,5Km de diâmetro deslocando-se a pouco menos de V = 9Km/s ─ felizmente e apesar da relativa proximidade (e até pela sua grande dimensão) sem perigo de impacto com a Terra (restando esperar pelo espetáculo, aos astrónomos pelo mesmo proporcionado), podendo-se dirigir a nossa atenção para um outro objeto igualmente em aproximação ao Sol, neste caso o cometa Atlas (C/2019 Y4) ─ descoberto no final de dezembro de 2019 ─ no próximo dia 31 de maio atingindo o seu periélio: a pouco mais de 39.000.000Km do Sol (e bem mais distante da Terra ─ umas 3X ─ a uns 117.000.000Km).

 

2019Y4_HST_20200420.jpg

Cometa ATLAS (C/2019 Y4)

depois de se desintegrar em quatro fragmentos (A,B,C e D)

 

Um cometa inicialmente sendo um ─ C/2019 Y4 (ATLAS) ─ mas, agora e depois de se fragmentar ─ no final do mês de março de 2020  ─ sendo quatro ─ C/2019 Y4-A (ATLAS), C/2019 Y4-B (ATLAS), C/2019 Y4-C (ATLAS) e C/2019 Y4-D (ATLAS): deixando de novo muitos astrónomos (e observadores interessados, curiosos) desiludidos com o sucedido, pois esperando (no mínimo) um interessante espetáculo (talvez mesmo visível a olho nu) vendo agora o seu brilho a desfalecer não sendo visível da Terra. E com todos os 4 fragmentos a decair (no brilho, aquilo que os torna visíveis) com o fragmento C e D já quase invisíveis, restando o A e o B ainda visíveis com o auxílio de um instrumento ótico (por exemplo um telescópio) ─ com todos passando (tal como o original) a cerca de 39.000.000Km do Sol.

 

latest_4096_HMIBC_labelled.jpg

Manchas solares AR2760 (à esquerda) e AR2761 (à direita)

Uma oriunda do 24º a outra do 25º ciclo solar

 

E aproveitando a ocasião e o site SPACE WEATHER (TIME MACHINE) [spaceweather.com] ─ falando-se ainda um pouco sobre outros dois tipos de fenómenos ocorrendo à nossa volta (para além da partilha do Tempo, tendo o Espaço em comum), um exterior à nossa influência (da raça dominante neste planeta, os terrestres) o outro como consequência direta da nossa presença ─ ou sendo mais correto, da sua ausência: sendo eles (os fenómenos ocorridos no Sistema Solar) sobre a atividade do SOL e sobre a conversa JÚPITER/IO. No caso da atividade do Sol ─ localizado a 150.000.000Km da Terra ─ e sabendo-se o mesmo estar em mudança de ciclo (cada um durando cerca de 11 anos) e com fraca intensidade (mudança do 24º para o 25º Ciclo Solar) ─ até agora com a ação dos raios cósmicos, a superarem os oriundos do Sol ─ com duas manchas na sua coroa solar a surgirem no seu hemisfério sul (com polaridades diferentes), uma delas vindo do 24º (AR2760) a outra formada já durante o 25º (AR2761): algo considerado normal (sendo um fenómeno expetável) nestas passagens de ciclo, mas por vezes podendo provocar algumas CME mais intensas e dirigidas à Terra (com maior ou menor consequências).

 

200416120000HeliotownrcpAshcraft13100_labels_strip

Escutando o diálogo elétrico entre Júpiter e uma das suas luas Io

através da radioastronomia

 

Já no caso de Júpiter e nesse fenómeno incluindo uma das suas luas Io ─ distando ambos aproximadamente (hoje) uns 730.000.000Km da Terra ─ graças ao SARS-CoV-2 (não sendo um objeto espacial, mas um vírus terrestre) e ao seu rasto Covid-19, imperando no Espaço o Silêncio e ouvindo-se via rádio a conversa entre dois astros (integrando connosco este Sistema Planetário): com muito menos barulho ocultando o diálogo (oriundo de viaturas, aviões, motores, pessoas, etc.), ainda por cima sem a sobrecarga de uma ação solar mais intensa (com o Sol atravessando um mínimo), escutando-se perfeitamente o “diálogo” entre o Gigante e uma das suas luas ─ tal como o afirma o site [saceweather.com], estabelecido entre a atmosfera de Júpiter e a sua (uma das 80 ou mais) lua vulcânica Io.

 

(imagens: spaceweather.com ─ earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:38

27
Abr 20

Tomando como referência o dia 1 de janeiro de 2020 ─ já o vírus SARS-CoV-2 andava pela China ─ e como consequência com o Mundo já há 4 meses sob a ação do “Agente Infiltrado e Invisível” e da sua “Arma Biológica Covid-19” ─ Europa com mais de 122.000 vítimas mortais (VM), América do Norte com mais de 60.000 VM, Ásia com mais de 17.000 VM, América do Sul com mais de 6.000 VM, África com mais de 1.400 VM e Oceânia com mais de 100 VM ─ torna-se cada vez mais evidente a sobreposição da “Economia de Objeto sobre a Economia do Sujeito” e a necessidade que “Mercados & Acionistas” têm, de arrancar  com a sua Máquina voltando à normalidade da Produção (financiando a Máquina e recebendo subsídios):

 

CVA.jpg

 

Nem que para tal e mesmo desconhecendo-se ainda muita coisa sobre este surto Pandémico (e mortal, para já incidindo esmagadoramente sobre os mais idosos), se possa estar a dar um passo em frente para a chegada de uma 2ª Vaga (eventualmente com o vírus já tendo sofrido uma mutação logo, podendo suscitar outras consequências e ter escolhido novos alvos) ─ e certamente com os nossos governantes dirigindo toda a sua atenção para o “Retorno à Economia”, infelizmente e repetindo erros anteriores (até pela falta de dinheiro para tudo, “Vida & Economia”), anulando já encomendas feitas (de equipamentos de saúde, em princípio e agora em números considerados excessivos) e investindo tudo no “Ressuscitar do Paciente Coletivo” (Portugal) da Pobreza Eminente. Com dois meses de paragem tendo ─ para não surgirem males maiores (tal como num automóvel, estando há muito parado) ─ o Motor de Arrancar.

 

portas-1.jpg

Com os alemães da VW a darem o 1º sinal ao Governo PT

(para o caso de o mesmo, continuar de dedo esticado à boleia)

 

E assim estando todos do lado de Donald Trump como o poderia ser de Joe Biden ─ as duas faces da mesma moeda, o Dólar ─ mesmo com muitos dos combatentes ainda em luta, outros bastante feridos e desmoralizados, para já não falar dos muitos mortos já registados (talvez nem metade contabilizados), estando já a ser decretada a ordem do regresso a muito curto-prazo ao ativo: no caso do nosso país e sendo os responsáveis os mesmos (antes de Covid-19 e depois de Covid-19) ─ lá se safando estes mais uma vez, à custa das vítimas do costume ─ restando-nos esperar que o dedo estendido prontamente à boleia pelos nossos responsáveis, tenha sorte e seja visto por alguém que por acaso esteja por aqui a passar. Mas com os nossos Governantes sendo “bons, maus, mais ou menos”, no início (como o será no fim) tendo sido eleitos efetivamente por nós (votando ou não votando).

 

VCa.jpg

 

No caso de Portugal e observando a evolução do surto ─ tomando em consideração o topo de atividade do vírus (23 de março) ─ taxa de 1,64 ─ ou o seu Pico Máximo (3 de abril) ─ 37 vítimas mortais ─ mantendo-se aparentemente o “bicho controlado” e a data previamente marcada para o “Desconfinamento”: esperando-se para já para ver o que irá na realidade acontecer, quando daqui a meio ano (novembro/dezembro deste ano) poderemos estar provavelmente de novo ainda a convalescer e a combater (pela vida) ─ sem vacina ou outro tipo de cura, mas esperando o SARS-CoV-2 ser mais parecido com vírus que “aparece/adormece” e não com o vírus da Gripe que sempre que volta vem mais forte (até pela sua mutação). Sendo necessário prevenir e há falta de melhor, talvez mesmo rezar (já agora a Nossa Senhora de Fátima, um produto nacional).

 

(imagem: jornaleconomico.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:02

25
Abr 20

Decorridos 46 anos sobre a Revolução de Abril, recordando um dos seus ícones no presente passando praticamente despercebido (condenado pelo esquecimento) ─ o capitão Salgueiro Maia ─ tal como o serão certamente no futuro os idosos, hoje completamente abandonados (condenados pelo covid-19) ─ os nossos egrégios avós.

 

d48c8275e17ba108dfacbafa10977588.jpg

25 de abril de 1974

Salgueiro Maia no cerco ao Quartel do Carmo

 

No dia da comemoração do 46º aniversário do 25 de abril e em plena Pandemia provocada pelo vírus SARS-CoV-2 (e servindo-nos dos dados fornecidos pela DGS) duas boas notícias (mesmo que relativas), a descida do número de vítimas mortais registadas de ontem para hoje ─ 34 para 26 (-8) ─ assim como a descida de doentes em estado grave/crítico ─ 188 pqra 186 (-2). Ao mesmo tempo num total de 23.392 contaminados (a amostra), registando-se 880 óbitos (taxa de mortalidade provisória = 3,8%) e 1.277 recuperados (taxa de recuperação provisória = 5,5%). E no Resto do Mundo com as taxas de mortalidade e de recuperação (provisórias) a estarem respetivamente nos 6,9% e 28,5%.

 

CV1.jpg

Covid-19

A 25 de abril de 2020

 

E num dia em que os concelhos de Lisboa (1.346), de Vila Nova de Gaia (1.180) e do Porto (1.120) lideram no número de infetados (logo seguidos por Braga, com 974), em que o grupo etário mais atingido aponta para os tendo 80 anos de idade ou mais ─ mais de 67% do total de vítimas mortais (e se alargarmos aos com 70 ou mais, ultrapassando os 87%) ─ e em que a região Norte atinge os 502 óbitos (mais de metade de todo o país, 57%), sendo conveniente de recordar termos (no mínimo) mais uma semana de “fechados em casa” a respeitar, isto se quisermos no início de maio entrar na fase de “desconfinamento” e aí tentarmos ressuscitar: nem que seja para uma nova vida (pois mais valendo do que estar morto), esperando que não para morrermos de fome.

 

(imagem: pinterest.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:06

24
Abr 20

Coronavirus live news: US Covid-19 death toll passes 50,000

(theguardian.com)

 

3500.jpg

Brooklyn/Nova Iorque/EUA

 

Esta sexta-feira com os EUA a ultrapassarem as 50 mil vítimas mortais: mais rigorosamente 51.342 (pelas 19:34 TMG) com uma taxa de mortalidade (provisória) de 5,65%. Só Nova Iorque com 21.283 vítimas mortais (41,45% do total).

 

Globalmente com o número de infetados (a 24.04.2020 pelas 16:55 TMG) perto dos 2,8 milhões (0,037% da população mundial), o número de vítimas mortais a caminho dos 200 mil (6,98% da amostra) e o número de casos graves/críticos próximo dos 59 mil (2,10% da amostra) ─ mais de 770 mil recuperados (27,66% da amostra) ─ em Portugal a situação do surto de Covid-19 mantem-se muito semelhante à do dia anterior: em relação ao dia de ontem diminuindo o número de vítimas mortais (-1) e o número de casos graves/críticos (-16) ─ e registando-se ainda 20.715 casos ativos (neles incluídos os casos graves/críticos, estando em UCI).

 

CV1.jpg

 

Algo de semelhante passando-se na Região do Algarve com os seus 320 infetados (+4) e as suas 11 vítimas mortais (=): com uma taxa de mortalidade (provisória) de 3,44% (no global de Portugal 3,75%). E num olhar geral por Portugal (continente e ilhas) e suas regiões (aqui subdividas em 7) registando-se 491 óbitos a Norte (57,49%) ─ o centro desta Pandemia  ─ 183 no Centro (21,43%), 160 em Lisboa e Vale do Tejo (18,74%) e 20 nas restantes regiões (2,34%). Relativamente aos grupos etários atingidos e segundo números da DGS, não se registando nenhuma vítima mortal entre os 0/39 anos e com essas vítimas (mortais) a concentrarem-se em idades iguais ou superiores aos 70 anos:

 

VC2.jpg

 

Uma brutalidade traduzida nos 87,59% (entre 70/79 com 20,38% e com 80 ou mais 67,21%) ─ atacando os mais velhos e eliminando muitos dos nossos primeiros professores, os nossos (insubstituíveis) avós. Nesta 1ª fase (não se iludam, não se deixem levar) com a luta a ter de continuar, se ainda quisermos mesmo usufruir da tão falada (e desejada) 2ª fase: depois de sobrevivermos (1ª fase) dedicando-nos então ao Regresso â Vida (2ª fase). No dia 3 de Maio e dependendo de nós se verá ─ mas ainda com o Algarve em grande sobressalto (ou não se praticasse por cá, “uma monocultura Turística”), não só a nível da Saúde como a nível da Economia, pois “podendo-se não morrer de doença, mas podendo-se morrer de fome”.

 

(imagem: Mike Segar/Reuters/theguardian.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:25

“Depois de destruirmos a TERRA, que tal darmos cabo do CÉU

e transformarmos isto tudo num INFERNO?”

(uma frase do profeta Elon Musk?)

 

Zdenek-Bardon-Starlink_Atlas_190420_bardon20_15874

Tal como na Terra, com o Céu a ser vítima de contaminação

(hoje como amanhã)

 

Pelos vistos o desejo de um multimilionário de base norte-americana, utilizando a sua empresa aeroespacial SPACE X para colocar em órbita (do nosso planeta) uma plataforma de SATÉLITES, de modo a instalar um novo sistema de comunicações e assim revolucionar a INTERNET.

 

mysterious-flaming objects-skies.jpg

Objeto desconhecido e em chamas, caindo do Céu

(amanhã como hoje)

 

Aos 48 anos de idade já tendo o seu 1º esquadrão de 360 STARLINK (novinhos em folha, mas já com mais de 200Kg cada), mais tarde indo-os reforçar progressiva e fortemente e tendo como objetivo a curto-prazo, lançar a sua Cavalaria de 12.000 STARLINK e assim derrotar a tecnologia rival (dos EUA) a INTERNET CHINESA (G5). E sendo bem financiado por isso (que o diga a NASA).

 

In June 2019, the International Astronomical Union expressed concern about the negative impact that the planned mega-constellations of communication satellites may have on astronomical observations and on the pristine appearance of the night sky when observed from a dark region.” (iau.org)

 

No passado dia 19 de abril deste ano com um cidadão anónimo apesar de ter nome, a ser surpreendido ao observar o céu noturno justamente colocado entre si e o ESPAÇO, não por um COMBOIO de SATÉLITES STARLINK, mas por dois cruzando-se quase que perpendicularmente. Dando-lhe cabo da cabeça assim como das imagens: quando apenas queria ver o cometa ATLAS (1ª imagem/canto inferior esquerdo).

 

(imagens: Zdenek Bardon/spaceweather.com ─ ufosightingshotspot.blogspot.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:49

23
Abr 20

Sem tripulantes à vista (no seu interior) assim como extraterrestres (no seu exterior), imagens do interior da Estação Espacial Internacional (ISS)  ─ na sua 62ª Expedição com 3 astronautas a bordo, os russos Anatoli Ivanishin e  Ivan Vagner e o norte-americano Christopher Cassidy ─ e do seu exterior orbitando o nosso planeta (a Terra): a uma altitude de pouco mais de 435Km e a uma velocidade aproximada de 7,6Km/s.

 

Screenshot_2020-04-23 Live_ISS_Stream.jpg

 

ISS sobrevoando o Atlântico na tarde desta quinta-feira

(23.04.2020 por volta das 17:30 TMG)

 

Screenshot_2020-04-23 HDEV.jpg

 

Num momento em que na Terra se vive um tempo de Pandemia (vírus SARS-CoV-2/doença Covid-19) ─  tendo atingido (23.04.2020 pelas 16:50 TMG) mais de 2,68 milhões de indivíduos e provocado mais de 187 milhares de vítimas mortais ─ a esperança do que se passa no nosso planeta se resolva (rapidamente) e de que este momento reforce ainda mais a  ideia de que um dia teremos mesmo de partir: tal como o fizeram antes os Antigos Navegadores.

 

(imagens: ISS/NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:16

Abril 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9



26


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO