Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Aranhas-Caçadoras

Quarta-feira, 03.02.21

A Invasão das Aranhas-Canibais

 

Est2X_eU4AE4nJV.jpg

 

O que é que aconteceria se um dia ao acordares, ao lançares os teus primeiros olhares sobre o que te rodeava, visses no teto e paredes rodeando a tua janela, centenas de grandes aranhas?

 

Algo que terá acontecido na passada quarta-feira num quarto de crianças de uma habitação localizada na cidade australiana de Sidney, invadido por centenas de jovens aranhas-caçadoras. Numa infestação reportada por outros residentes.

 

Uma espécie de aranha de grandes dimensões (podendo a aranha-gigante da mesma espécie atingir uns 30cm), nestas (menores) com as pernas a serem o maior elemento (cerca de 13cm) ─ o corpo 2,5cm.

 

Com o fenómeno desta invasão de aranhas-caçadoras no interior deste lar australiano a ser justificada pelas condições meteorológicas (aí prevalecendo durante vários dias), com altas temperaturas, chuva e muita humidade.

 

Est2YQfUwAQuchi.jpg

 

Levando logicamente as aranhas a procurar refúgio para estas condições ambientais extremas (para as aranhas), introduzindo-se no interior da habitação para se protegerem (e esconderem) e até para se reproduzirem.

 

Uma espécie de aranhas tendo como característica não tecer a sua habitual teia (até para caçar), deslocando-se rapidamente e atacando de imediato a sua presa. Nestes casos como o aqui relatado sendo aranhas canibais (comendo a própria espécie) acabando por se devorarem rapidamente e desaparecerem.

 

Mas apesar da dimensão, não sendo uma tarântula.

 

Uma situação podendo ocorrer noutro ponto qualquer do globo terrestre ─ mesmo nos antípodas da Austrália, como o é Portugal ─ participando aranhas ou então outro bicho (próximo ou não); como o já terei verificado pessoalmente (habitando então nas Ferreiras-Albufeira) num dia de tempo idêntico ao ocorrido em Sidney, com centenas de formigas-voadores a invadirem (igualmente próximo da janela) o meu quarto e a desaparecerem (aberta a janela) tão rapidamente como tinham aparecido.

 

(imagens: @PrinPeta/twitter.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:13

Sobre o Covid-19

Terça-feira, 02.02.21

Vacinação Indevida

Das pesquisas efetuadas foi possível apurar, até ao momento, que o Ministério Público já decidiu pela instauração de inquéritos relativamente a alguns dos casos vindos a público, desde logo os respeitantes à Segurança Social de Setúbal, ao INEM de Lisboa, ao INEM do Porto e a factos também noticiados ocorridos em Portimão (Centro de Apoio de Idosos), Vila Nova de Famalicão, Arcos de Valdevez, Bragança, Seixal e Montijo.” (Procuradoria-Geral da República/executivedigest.sapo.pt/02.02.2021)

 

needle-syringe-medicine-veterinary-equipment-plast

Vacinação indevida espalha-se pela Europa

(Executive Digest)

 

Vacina Russa

"A vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Rússia, a Sputnik V, revelou uma eficácia de 91,6% contra as formas sintomáticas da doença, segundo resultados publicados hoje na revista médica The Lancet e validados por especialistas independentes. “O desenvolvimento da Sputnik V tem sido criticado pela sua precipitação, por ter saltado etapas e pela falta de transparência, mas os resultados são claros e o princípio científico dessa vacinação está demonstrado.” (lifestyle.sapo.pt/02.02.2021)

 

Transmissão do Vírus

Colocar as compras da mercearia numa espécie de quarentena e desinfetar todas as superfícies está a ir longe demais. “Exige muito trabalho e não reduz por aí além a exposição das pessoas ao vírus”, insiste, antes de acrescentar que é na “higiene razoável das mãos, bem como no uso de máscara e o distanciamento social” que devemos concentrar todo o nosso esforço para interromper as cadeias de contágio.” (Amy Pickering/artigo de Teresa Campos/visao.sapo.pt/02.02,2021)

 

olhao-vista-aerea-baixa-mercados-990x594.jpg

Sete concelhos algarvios na lista de risco extremamente elevado

(Jornal do Algarve)

 

Covid-19 no Algarve

O concelho de Olhão junta-se esta semana a Albufeira, Loulé, Tavira, Castro Marim, Faro e Vila Real de Santo António na lista de concelhos algarvios com um risco extremamente elevado de contágio de covid-19, segundo os dados divulgados na segunda-feira pela Direção-Geral de Saúde. Castro Marim apresenta os dados mais preocupantes da pandemia na região, com um índice de 2822 por 100 mil habitantes, seguido de Vila Real de Santo António com 2139, Loulé 1590, Faro 1462, Tavira 1398, Albufeira 1315 e Olhão 1085.” (Gonçalo Dourado/ jornaldoalgarve.pt/01.02.2021)

 

(imagens: executivedigest.sapo.pt e jornaldoalgarve.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:29

Vacinas Covid-19 ─ Asfixiados em Números, Cada um Querendo o Seu

Terça-feira, 02.02.21

[Dá-me a minha vacina, já!]

 

Uns dados sobre as vacinas contra a Covid-19 já aprovadas e em circulação, aqui deixados para neste novo confinamento, pensarmos (pelo menos nos intervalos que eles nos dão) um pouco mais (no que estamos metidos).

 

COVID Vaccine carousel banner landscape.jpg

 

Pouco mais de um ano passado sobre o aparecimento do vírus SARS CoV-2 (o bicho microscópico que paralisou o Mundo) e da Pandemia de Covid-19 (a doença provocada pelo bicho) ─ nos finais do ano de 2019, eclodindo violentamente na Europa em 2020 ─ eis que o mercado (global) nos oferece (para já) 11 vacinas (aprovadas) estando ainda outras 79 em preparação (20 já na fase 3, ou seja, perto da aprovação e do mercado).

 

Utilizando cada uma delas no seu fabrico e aplicação diferentes tecnologias, todas podendo provocar reações secundárias (em princípio não mortais ─ apesar dos poucos ensaios realizados ─ mas por vezes tendo de proteger certos grupos etários ou possuidores de outras doenças graves) e ainda com algumas a serem promovidas comercialmente (no ocidente as ocidentais) enquanto outras não (as oriundas do oriente).

 

Entre elas (onze vacinas já aprovadas) estando ─ entre as aprovadas em mais países ─ a vacina PFIZER (EUA/Alemanha) aprovada em 55 países (c/ 8 ensaios realizados), a OXFORD/ASTRAZENECA (Grã-Bretanha) aprovada em 43 países (c/ 16 ensaios realizados), a MODERNA (EUA) aprovada em 37 países (c/ 5 ensaios realizados), a SPUTNIK V (Rússia) aprovada em 16 países, a   BBIBP-CORV (China) aprovada em 11 países (c/ 6 ensaios realizados).

 

Num momento da nossa história em que assistimos ao “Eixo Económico-Financeiro do Mundo” a deslocar-se para oriente, com o centro a deslocar-se de Washington para Pequim. Sendo o impacto do vírus apenas mais um sinal.

 

Para além da COVISHIELD (Índia) aprovada em 8 países, da CORONAVAC (China) aprovada em 5, da INACTIVATED (China) aprovada em 2 e ainda da EPIVACCORONA, da AD5-NCOV e da COVAXIN. Ou seja, 6 países presentes na produção de vacinas ─ EUA (2 vacinas), Alemanha (1), Grã-Bretanha (1), Rússia (2), China (4), Índia (2) ─ com o Ocidente a apresentar 3 vacinas (27%) e o Oriente 8 (73%).

 

No entanto com o Ocidente a ter uns 135 países a aprovarem a vacina e o Oriente apenas uns 45 (3 X menos) a aprovarem a mesma. E em função dos resultados/eficácia (divulgadas) das diferentes vacinas contra a Covid-19 (valores aproximados das 5 apresentando maior eficácia),  com a EPIVACCORONA (Rússia) a afirmar ter uma eficácia de 100%, a PFIZER (EUA/Alemanha) 95%, a MODERNA (EUA) 94%, a SPUTNIK V (Rússia) 91% e a OXFORD/ASTRAZENECA (GB) 70%.

 

Para no fim chegarmos mais uma vez à conclusão de estarmos nas mãos da iniciativa dita privada (no fundo subsidiada pelo estado) ou estatal, ou seja, mais uma vez subalternizando a nossa Saúde à poderosa e omnipresente/omnipotente Economia.

 

(imagem: internationalsos.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:13

Terra & Alienígenas ─ Em Tempos de Covidário

Segunda-feira, 01.02.21

Talvez um dia os alienígenas, nos ofereçam o antídoto.

 

Demonstrando a sua inteligência avançada e cumprindo respeitosamente a regra dos três parâmetros (R-3P) ─ “distanciamento, máscara e mãos” ─ eis que os nossos alienígenas (por ser nossa criação) socorrendo-se da sua tecnologia revolucionária (pelo menos aplicada às viagens), provam mais uma vez ─ por uma razão qualquer, por mais estranha que seja ─ continuarem interessados em nós. Seja por necessidade ou por acaso  (deles, como poderia ser de nós, podendo haver contactos) passando a curta ou média distância (de nós). Ainda hoje pela parte deles (alienígenas, cumprindo na integra a R-3P) sem provas irrefutáveis (credíveis para os 8 biliões de terrestres) da sua existência.

 

impacts-moon-surface.jpg

Três impactos (brilhantes) na Lua

 

Something Huge Appears Next To the Sun - Helioview

E enorme objeto (passando) perto do Sol

 

Visitando o Sol e a Terra (entre outros corpos celestes) como provavelmente o fazem desde que nos conhecemos (nos tornamos conscientes) ─ mesmo antes, tendo a Terra mais de 4 biliões de anos ─ saltando na sua observação histórica (Terra/Homem) diversos ciclos civilizacionais (réplicas temporais) onde o Homem predominaria e nos múltiplos trajetos pelos mesmos (alienígenas) estabelecidos, acompanhando a evolução do sistema (o Sistema Solar de hoje, não será igual ao da sua origem) e o desenvolvimento do Homem (e da Vida). Neste início de século (XXI, segundo a cronologia terrestre) passando por cá amiúde, neste contexto espácio-temporal em “tempos de covidário”.

 

ufo-fastwalker.jpg

Objetos não identificados, um voando

 

ufo-ocean-florida.jpg

O outro voando e mergulhando no oceano

 

Surgido a partir de uma mera singularidade ─ conjugando Espaço/Tempo, Matéria/Eletromagnetismo ─ o Universo e os seus triliões de galáxias datados de quase 14 biliões de anos (a Terra terá aparecido 10 biliões de anos depois), continuam no presente no seu processo contínuo de expansão ─ talvez no seu estado inicial (diâmetro do Universo superior a 90 biliões de anos-luz). Na prática, respeitando a coexistência e a distribuição em diferentes regiões do espaço (e sua evolução, expansão) dos Mundos Mineral e Orgânico (unidos pelo eletromagnetismo, a Alma Universal) ─ em fases diferenciadas do processo, uns (em termos relativos e na sua viagem) mais velhos (+distantes) outros mais novos (+próximos) ─ com a situação a sugerir a existência no Universo de diferentes civilizações, umas vistas (tal e qual como na Terra) como avançadas (deuses) outras muito mais atrasadas (primitivas). Pelo que se estes visitantes não forem terrestres (pertencendo por ex. a um anterior salto civilizacional), poderão certamente ser oriundos de muitas outras paragens ─ bastando para tal ter um veículo, capaz de manipular (torcendo-o, expulsando um deles) o Espaço e o Tempo.

 

(imagens: ufosightingshotspot.blogspot.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:28


Pág. 9/9