Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

31
Mar 21

Olhando para a evolução nos últimos 14 dias da Pandemia COVID-19, reafirmando-se a preocupação (crescente) pela evolução do parâmetro INFETADOS/dia e do índice da transmissibilidade R(t). Quanto aos parâmetros Internados e UCI (continuando em descida), ainda sendo resquícios da vaga anterior (não preocupantes). Recordando mais uma vez que (aquilo que já ouvimos muitas vezes e que esquecemos tantas vezes) “mais vale prevenir do que remediar”.

 

Imagem1.jpg

 

Relativamente ao que nos preocupa ─ Infetados/dia e R(t) ─ com a evolução dos respetivos parâmetros a poderem até ser meramente conjunturais, como podendo ser um indicador de que uma nova vaga poderá estar aí a chegar (mais fraca/idêntica/mais forte) e que poderemos mesmo estar (como alguns dizem) em contraciclo: em vez de nos contermos na abertura (como a Alemanha) ─ provando ter-se aprendido algo com o Natal ─ estando impacientes e contando os dias até tal suceder (como a GB, mas essa dispondo de vacinas).

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:51

[E a 17 dias da fase final do Mundial ─ Com início a 17 de abril.]

 

2972033-60996588-2560-1440.jpg

Ronnie O’ Sullivan e John Higgins

(6X CM e 4X CM)

 

A pouco mais de 15 dias do início da fase final do Campeonato do Mundo de Snooker 2020/2021 (contando com a presença de 32 jogadores) ─ 87ª edição (iniciada em 1927) decorre em 1/2 de abril a fase final da 2021 BetVictor Championship League (uma prova não de Ranking Mundial e atribuindo ao vencedor um prémio de 10.000£):

 

A partir dos 7 grupos eliminatórios já realizados estando apurados Zhou Yuelong/CHI (gr. 1), Graeme Dott/ESC (gr. 2), John Higgins/ESC (gr. 3), Judd Trump/ING (gr. 4), Kyren Wilson/ING (gr. 5), Allister Carter/ING (gr. 6) e Mark Williams/GAL (gr. 7).

 

Championship League na sua 16ª edição (2021), tendo como detentor do troféu (ganho em 2020) Kyren Wilson/ING (Vice-Campeão, Judd Trump/ING) e entre os anteriores vencedores destacando-se (tendo vencido mais do que 1X) Judd Trump/ING (3X) e John Higgins/ESC e Martin Gould/ING (2X).

 

th.jpg

Mark Williams e Mark Selby

(3X CM)

 

Concluída a derradeira prova de Snooker integrando o Circuito Mundial época 2020/2021, faltando assim a disputa do Mundial: iniciando-se pelas Qualificações onde 128 jogadores lutarão (podendo ter que disputar 3/4 rondas eliminatórias) por um dos 16 lugares ainda disponíveis para a Fase Final, juntando-se então (a 17 de abril/fase final) aos jogadores do TOP 16 do RM:

 

Restando assim 32 jogadores em busca do título máximo da modalidade de Snooker ─ cujo detentor do troféu é a figura lendária, ainda viva e no ativo o inglês 6X Campeão do Mundo Ronnie O’Sullivan, “The Rocket”.

 

No dia 17 de abril iniciada a fase final do Mundial regressando aos écrans da TV através de transmissão do canal Eurosport esta modalidade de bilhar ─ Snooker ─ e logo com a prova máxima e com os melhores jogadores desta época. Aguardando (pela confirmação até pela Pandemia).

 

[CM: Campeão do Mundo]

 

(imagens: eurosport.co.uk ─ bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:50

[Diz: Algum responsável ─ nem que seja só um ─ tendo poder (e sabendo-o) para ser ouvido e talvez podendo-nos salvar de todo este caos.]

 

tumblr_n2lq67UwS21rmagk1o1_500.jpg

Aristóteles

 

“Portugal está prestes a dar um novo passo no processo de desconfinamento, quando a ameaça da terceira vaga da pandemia de COVID-19 assola a Europa Central e o grau de imunização da população é uma incógnita, avisam especialistas consultados pela Lusa.” (31.03.2021/Lusa/sapo.pt)

 

Não existindo na maioria dos países europeus imunidade populacional (60%/70% do grupo), estando países em contraciclo (como por ex. Portugal, Espanha e Reino Unido de um lado e Itália, Alemanha e França do outro), deparando-nos com o problema de falta de vacinas (problemas com a vacina AstraZeneca) e sabendo-se ainda da imprevisibilidade do vírus (original e suas mutações) e de alguns erros podendo ser praticados (como o do Natal).

 

Para já não falar da grave crise socioeconómica global que tem aproximado o Mundo cada vez mais do abismo (quase como o “relógio nuclear aproximando-se mais ou menos da meia-noite”, hora fatal) e de que de um momento para o outro a vacina pela qual tanto esperamos (e que pelos vistos tudo resolverá) poderá brevemente perder o efeito desejado (face à sua evolução, estirpes/variantes): perdida a validade (da vacina inicial) tal como noutra doença crónica (periódica) ─ como a gripe (sazonal) ─ tendo esta que ser atualizada para voltar a fazer efeito.

 

16104391095ffd59c5605eb2.30612897.jpgAntonio-Costa-2.jpg

Marcelo e Costa

 

Pelos vistos e segundo os nossos Governantes e Especialistas (que querem a toda a força abrir, mesmo podendo estar em contraciclo, com a atividade do coronavírus) ─ os oficiais (os autorizados, dando-se-lhes um microfone) ─ podendo-se esperar o regresso do “Verão do Nosso Contentamento”. Veremos, mas que seria um Milagre para o Algarve e para o regresso do Turismo (a sua monocultura) à região ─ seria.

 

Isto tudo, no final e entrando de novo em cena as vacinas (a nossa salvação) se, entretanto, as cobaias não se ressentirem: afinal de contas e encurtado todo o processo de produção das mesmas (vacinas, saltando fases) sendo o Homem em grandes aglomerados e em diferentes condições de vida, a “cobaia perfeita”. Faltando-se conhecer (num processo de anos, apesar de dito impraticável, reduzido a meses) os efeitos secundários.

 

[E se não há ninguém que diga (um, alguém, parte dele), porque não haverá ─ entre uns 40 mil (em Albufeira), entre uns 750 milhões (na Europa), entre uns 8 biliões (no Mundo) ─ um coletivo que o faça? Aí e a essa TASK FORCE (Útil/Necessária) não faltarão voluntários.]

 

(imagem: sermonquotes.com ─ vestnikkavkaza.net ─ ominho.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:53

[Em muitos milhares de anos-luz.]

 

“Identificado cientificamente o local da Via Láctea onde será mais seguro viver, por acaso estando no Sistema Solar e sendo a Terra.”

 

F2hDqo3nTCxLrbo68HPEUE-970-80.jpg

Marte (à esquerda) e a Via Láctea

(Parque de Writing-on-Stone/Alberta/Verão 2018)

 

Uma questão que todos nós colocamos ─ como seres vivos e tendo consciência ─ ansiando (como nómadas aventureiros que somos) invariavelmente por respostas: qual será o melhor lugar para viver na VIA LÁCTEA (idade de 13 biliões de anos)?

 

Pelos vistos e segundo um grupo de astrónomos italianos conhecendo minimamente a evolução de vários tipos de galáxias (c/ condições gerais inaceitáveis) e tomando (nesse estudo) como protagonista a nossa galáxia (c/condições gerais aceitáveis),

 

Descortinando esse lugar a cerca de 26.000 anos-luz do centro da Via Láctea (onde encontramos estrelas, planetas, cometas, asteroides, buracos-negros e outros objetos) ─ para o centro sendo um inferno ─ num sistema planetário para nós familiar o Sistema Solar (idade de 4,6 biliões de anos).

 

O mais seguro lugar numa galáxia (contendo centenas de biliões de estrelas, uma delas sendo o Sol) também considerada das mais seguras, lugar onde por acaso já existe Vida ─ a Terra ─ e onde ela poderá ainda vingar ou retornar: talvez (até pela proximidade) Marte.

 

A

The best place and time to live in the Milky Way

L

aanda.org/articles/aa/full_html/2021/03/aa39507-20/aa39507-20.html

(A: Artigo L: Ligação)

 

(imagem: Getty Images/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:52

E enquanto os incidentes em MYANMAR (antiga Birmânia) se intensificam crescendo o número de vítimas mortais ─ numa luta envolvendo dos dois lados, militares e políticos golpistas e corruptos, um deles sendo mulher e ainda Nobel da Paz ─ sendo acompanhados pelas centenas de desaparecidos em Cabo Delgado (Moçambique) ─ tudo se resumindo a uma luta entre duas partes interessadas no mesmo, a exploração de gás na região (pela Total), de um lado tendo mercenários (da Total) e do outro terroristas (do ISIS) ─ no outro lado do Atlântico, tomando como referência o “país-irmão” (Portugal) e literalmente “A Morte Continua Na Rua”:

 

“Brazil on Tuesday reported 3.780 COVID-19 deaths, a new record.”

(Brasil/São Paulo/Reuters/yahoo.com/30.03.2021)

 

2021-03-30-bolsonaro-covid.jpg

Jair Bolsonaro

Conferência de Imprensa (sobre o Covid-19)

Palácio da Alvorada ─ Brasília ─ 24.03.2021

 

Com o coronavírus responsável (SARS CoV-2) pela Pandemia de Covid-19, causando no país de JAIR BOLSONARO o BRASIL num só dia 1/4 do total global de mortes registadas ─ um recorde mundial.

 

Tendo inicialmente lançado o Brasil numa grande crise socioeconómica (já vinda de trás, mas com a sua política agressiva e prepotente do presidente, sendo agravada) por falta de decisões concretas e eficazes cada vez mais próxima do limite (do suportável), vendo a situação a “embrulhar-se” perigosa e aceleradamente com a chegada do VÍRUS, deparando-nos aí com um JAIR BOLSONARO à deriva incapaz de reconhecer o que ele próprio via e optando pelo Negacionismo:

 

2021-03-29-brazil-graves.jpg

Campo da Esperança

Fila de sepulturas novas (Covid-19) ainda recentes

Cemitério Campo da Esperança ─ Brasília ─ 23.03.2021

 

E entre demissões e admissões sucessivas de vários “Ministro-Bolsonaro” tentando adiar o inevitável demitindo/admitindo mais meia-dúzia e manipulando números ─ dado o elevado nº de mortes e a situação incontrolável, os “Números Covid-19”.

 

Mas nunca podendo esconder os números conhecidos (devido à manipulação, facilmente podendo ser X2 ou X3) neste início de quarta-feira 31 de março pelas 23:00 TMG registando: um total de 12.664.058 Infetados (2º Ranking Mundial/RM), de 317.936 de mortes (2ºRM), de 1.271.639 ainda ativos (3ºRM), de 8.318 em estado grave/crítico (3ºRM) e de 1.488 mortes/1 Milhão (aqui e pela sua extensão ─ não vá Bolsonaro aproveitar ─ 19ºRM).

 

maxresdefault.jpg

Fórum Covid-19

Brasil ─ Crise e Pandemia de Coronavírus

Harvard ─ 30.03.2021

 

Faltando apenas conhecer o que acontecerá a Bolsonaro tendo já nas suas mãos mais de 300.000 mortos:

 

Sendo ele conhecido nacional e internacionalmente ─ até pelo que diz e pelo que faz (infelizmente de mal e muitas vezes criminoso ─ veja-se antes a Amazónia e depois a Covid-19) ─ como um dos maiores do mundo no combate contra o tratamento da doença Covid-19, apenas por segundo ele “tal doença não existir” (sendo uma Gripe).

 

Esperando-se brevemente uma resposta dos EUA ─ ou não fosse Bolsonaro, o “Trump Sul-Americano” ─ podendo até (e pela grande emergência) ser mesmo um ataque (dado os norte-americanos andarem por todo o lado).

 

[Entre árvores (da Amazónia) e povo (do Brasil) a grande obra-inimaginável e prima (ou outro familiar qualquer) de Jair Bolsonaro.]

 

(imagens: Eraldo Peres/AP/pri.org ─ i.ytimg.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:26

30
Mar 21

“Quanto a Portugal e à Região de Turismo do Algarve,

aviões para todos

(escutando atentamente os britânicos)

só por volta de 1 de junho.”

 

Nesta terça-feira 30 de março e relativamente à Pandemia Covid-19 (em Portugal), com dois parâmetros em descida ─ Internados/dia e UCI ─ um ainda instável ─ Infetados/dia ─ e um outro em subida ─ o índice R(t). Sendo estes dois últimos (infetados/dia e R(t)) os casos mais preocupantes: podendo ser ainda “réplicas” desta última vaga ou então sendo o prenúncio da chegada da seguinte.

 

Imagem2.jpg

 

Iniciada nos finais de fevereiro de 2020 e atingindo o seu pico máximo de atividade no mês seguinte (na altura atingindo os 37 óbitos/dia), com a Pandemia Covid-19 em Portugal (tal como no Resto do Mundo) continuando sem se notar muito o seu caminho atravessando o Verão (aqui e ali pontudo por umas quantas mortes), para já no mês de setembro se começar a verificar uma ligeira tendência de subida, começando a acelerar em outubro (no meio lá por novembro tendo uma ligeira queda) para de seguir disparar (fim de 2020, início de 2021) atingindo os antes nunca imaginados 303 óbitos/dia (8X o número anterior). Em várias vagas ou em uma (com várias fases).

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:31

“Holi marks the advent of spring in India and is celebrated all around the Hindu-majority country with coloured powders and splashing water. Thousands of devotees have defied coronavirus prevention protocols and social distancing norms to celebrate the festival. Though Holi itself is celebrated on a particular day, March 29 this year, it is a week-long affair in villages around Mathura in the northern state of Uttar Pradesh and some other parts of India. India has reported a worrying second surge in COVID-19 cases, which has prompted multiple states to return to some form of restrictions on public gatherings.” (24.03.2021/aljazeera.com)

 

APTOPIX_India_Holi_Festival_02317.jpg

Celebrações Holi

(Prayagraj/Índia/29.03.2021)

 

Como sempre que um dia passa “aprendemos algo de novo” (mesmo que, pelo que nos ensinaram, tal seja contraditório) ─ seja aqui, em Espanha ou na Índia ─ nestes tempos de Covid-19 e de isolamento forçado por questões de segurança, depois do concerto de música realizado na região da Catalunha (integrando a Espanha) reunindo num recinto 5.000 pessoas (o que nos espantou, estando em Portugal o nº para o público limitado a 4) ─ tendo apenas de ter bilhete, um teste rápido e uma máscara ─ eis que do Outro Lado do Mundo num Festival Popular realizado por toda a Índia (celebrado pela sua maioria Hindu) e envolvendo um universo não apenas de 46,8M de pessoas mas de 1390,0M de pessoas (quase 30X mais), se realiza o Festival Anual de Cores  Holy: reunindo milhões e milhões de indianos (maioria Hindu espalhada por toda a Índia) para além de muitos estrangeiros.

 

India_Holi_Festival_93909.jpg

Jovens a caminho do Festival Holy

(Hyderabad/Índia/29.03.2021)

 

Algo de incompreensível para nós Ocidentais pelos vistos não tanto para os Orientais: ainda-por-cima e analisando-se o caso de Espanha (comparando-se um mau exemplo Ocidental, com um caso Oriental) ─ 10º Mundial em Infetados e 8º Mundial em Óbitos ─ com a Índia a destacar-se em todos os parâmetros Covid-19 e mesmo assim não se “incomodando muito” com isso ─ sendo a nível Global 3º em Infetados (no “pódio” Global) e 4º em óbitos. Festival Holy bem colorido (e em curso de cruzeiro) “correndo” lado-a-lado com a Pandemia Covid-19 (ou melhor, de braço-dado), descurando e ignorando num país cheio de gente (por m²) a pandemia e as suas consequências mortais e nem sequer respeitando as regras básicas de “proteção e segurança” ─ mãos, máscara, distanciamento, vacinas ─ juntando em vez de 4 ou de 5.000 muitos milhões.

 

India_Hindu_Festival_58188.jpg

Ritual indiano durante o Festival Holy

(Ahmedabad/Índia/28.03.2021)

 

Logicamente e nestas multidões (por cálculos matemáticos, probabilidades e estatística) muitos deles (talvez uns largos milhões, sendo eles mais de um bilião) sendo naturalmente positivos; e tirando algo de positivo destes dois eventos em contracorrente (dada a Pandemia, de Espanha e da Índia) podendo-se sugerir, ser mais uma ensaio/teste/tentativa de obtenção de proteção por “imunidade de massas” (e ver o que acontece) ou então mais uma experiência utilizando não testes rápidos para pretensa garantia de proteção, mas extensos grupos de cobaias sujeitas a condições extremas (sobrepopulação, extrema pobreza) daí resultando dados mais rigorosos (quanto maior e mais extrema a amostra, melhor) ─ grátis para as farmacêuticas.

 

000_96L2AT B.jpg

Devoto hindu na celebração Holi de Lathmar

(Barsana/Mathura/Índia/03.2021)

 

Passado um ano sobre a chegada do vírus SARS Cov-2 continuando-se atrasado em relação ao coronavírus (levando grande avanço sobre o Homem) mantendo-se a Pandemia em curso (1, 2, 3, 4 vagas como quiserem/um ano de Covid-19) e tendo-se apenas em mãos a vacina para o Covid-19, mas na versão 2020/2021 (ou seja, a do ano passado, perdendo eficácia com o tempo) ─ com as novas estirpes/variantes a chegarem dentro em breve perdendo-se o efeito (desejado) para a vacina (afetando especialmente os últimos da lista), esperando-se então ansiosamente que chegue a vacina de 2021/2022.

 

(imagens: [1ª,2ª,3ª] sacbee.com e [4ª] Xavier Galiana/AFP/aljazeera.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:50

“Nesta bolha fechada (que é a Terra) convidando-nos ao convívio (neste paraíso e ecossistema), sendo muito mais interessante conviver com a Fauna & Flora ─ Natural ─ do que com a artificialidade do Homem (racional, mas de nível básico).”

 

Esta pequena-grande história que tanto poderia encantar crianças como adultos imaginando-se num mundo alternativo e belo (no nosso e pelos vistos, ainda existindo bolsas), começa numa localidade rural localizada no estado do Illinois (EUA) ─ Rushville ─ envolvendo uma família e um pássaro, no mínimo curioso: a família Curry e um Cardeal-Amarelo (imagem 1).

 

GMY7AL73TBEE7NNQAKVNCWN4LA.jpg

Cardeal-Amarelo da América do Norte

 

Com Chelsea Curry certamente uma amante da Natureza e como boa e experiente observadora-de-aves ─ sendo capaz de as distinguir não só pelo seu aspeto como pelo seu canto ─ estando em casa (no seu interior) e ao ser abordado um certo dia pelo seu marido informando-a da presença de um Cardeal na árvore do seu quintal (deduzindo tal pelo seu aspeto e comportamento geral), de seguida e até pela sua cor dizendo de imediato tal ser impossível: sendo os Cardeais para o vermelho e não para o amarelo.

 

Mas depois de uma melhor observação e de recolha de informação sobre os Cardeais, chegando mesmo à conclusão que sendo esmagadoramente para o vermelho, também existindo uns (mesmo muito poucos, sendo raros) amarelos (na América do Norte nos cerca de 12 milhões, talvez 1 dúzia): com a jovem mãe Curry (34 anos de idade) revelando sem intenção especial o acontecido consigo ao Mundo, acabando por se tornar famosa (ou não fosse uma ave raríssima) apenas por causa de um pássaro fazendo do quintal dela sua casa.

 

AWP57FULK5FGZOVAJVUFUT6GRU.jpg

Cardeal-Amarelo com a sua parceira, mais um

 

Uma história tendo como protagonista o Cardeal-Amarelo, aparecendo misturado com outras aves da sua espécie em fevereiro de 2020 (pelo quintal, pelas árvores da casa) e que depois de se tornar “importante” (pelos especialistas, média e público interessado/curioso), já no início da Pandemia (com tudo a fechar e com o ambiente a acalmar) acabou por adotar a sua casa para uma estadia mais prolongada ─ tornando-se um hóspede regular dos Curry.

 

Fazendo aí todas as suas refeições e até realizando (nas árvores disponibilizadas) muitos dos seus encontros para namorar (como se vê na imagem 2) ─ e apesar de elas (mais para o castanho, mas com vermelho) preferirem os vermelhos lá se safando quanto a engates: regressando na Primavera com uma companheira e ainda sendo acompanhados (por +1), desaparecendo de novo de cena e regressando outra vez aquando da chegada do frio. Talvez reconhecendo como um abrigo ─ a casa da família Curry ─ até se habituando aos humanos e ao bater da porta de casa.

 

(dados: chicagotribune.com ─ imagens: Chelsea Curry/chicagotribune.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:17

29
Mar 21

“Com o Planeta Vermelho a colaborar

(com poeiras marcianas)

na composição colorida do Cenário

(que é o nosso Céu Noturno).”

 

Quando por vezes ao sair de casa olhamos para o céu noturno e limpo sem a presença refletora da Lua, reparamos numa determinada localização do mesmo (céu) que nos é aí apresentado, na presença de um brilho de origem desconhecida (o Zodiacal) dando-lhe outro colorido ─ ao céu, já por si cheio de estrelas (vistas como pontos brancos e coloridos, cintilantes): constituído por pequeníssimas partículas, refletindo o Sol e brilhando para nós.

 

zodiacallight_rba.jpg

No Céu da Terra, Sinais de Marte

 

Um tipo de fenómeno celeste sujeito a várias averiguações, evoluindo a sua explicação ao longo, não só de factos como do tempo e de todas as exposições publicadas, podendo desde já apresentar duas (por conhecidas): sendo obviamente partículas de poeiras orbitando como a Terra o Sol, originadas nos asteroides/1ª opção (vindos do respetivo Cinturão, situado entre Marte e Júpiter) ou então nos cometas/2ª opção (vindo de locais mais afastados como a Nuvem de Oort). No entanto e agora não sendo bem assim e às duas opções adicionando-se ainda outra (a 3ª opção): a de que as poeiras brilhando no céu noturno ─ do Zodiacal ─ teriam origem em Marte (usando como prova dados recolhidos pela sonda automática Juno fazendo o seu cálculo de poeiras ao longo da sua viagem ─ da Terra passando por Marte até chegar a Júpiter ─ pela densidade/concentração detetada sugerindo a fonte ser o Planeta Vermelho).

 

[E se viajando poeiras de Marte, porque não naves espaciais, marcianos ou outros seres estranhos: agora, depois ou antes e até podendo ser nossos ascendentes (já agora fugidos de Marte, há milhões e milhões de anos ─ tendo Marte mais de 4 biliões deles ─ e antes que as poeiras os engolissem).]

 

(imagem: Rogelio Bernal Andreo/syfy.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:39

Verificando-se uma evolução decrescente na generalidade dos parâmetros Covid-19, com o nº de Infetados (quadro abaixo) oscilando nas últimas semanas entre os 248/673 e no nº de Óbitos entre os 5/21; no nº de Internados e de doentes em UCI com os números igualmente em descida, indo nestes 14 dias de 955 → 623 (perto de 35% de redução) no nº de Internados e de 213 → 136 (perto de 40% de redução) no nº de doentes em UCI (casos graves/críticos).

 

Imagem1.jpg

Infetados em Portugal e no Algarve

 

Desejando-se que no gráfico de cima a tendência se mantenha e que no quadro de baixa o índice R(t) baixe mais um pouquinho ─ para nossa maior segurança e para que o desconfinamento seja eficaz (e não mais uma oportunidade perdida).

 

Imagem2.jpg

Infetados e R(t) em Portugal

 

No que diz respeito ao estudo comparativo entre o nº de Infetados e do índice de transmissibilidade R(t) registado nos últimos 15 dias (15/29 de março) em Portugal (quadro acima), enquanto se regista uma descida (ainda pouco sustentada) no nº de Infetados/dia passando de 996/623, o índice de transmissibilidade R(t) ─ aceitável desde que não ultrapasse R(t)=1,0continua em ligeira subida passando de 0,83/0,94 (cerca de 12%).

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:34

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO