Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pássaro com muitos Pássaros

Terça-feira, 09.03.21

[Neste caso STARLING BIRDS da família dos ESTORNINHOS.]

 

Olhando em nosso redor (espaço) mesmo que próximos do limite (tempo) ─ na base como nómadas (sendo dinâmicos) e como aventureiros que somos (à descoberta de novas experiências, do conhecimento, da cultura) ─ ainda sendo surpreendidos (escondido como medida de proteção, num recanto da nossa memória) mexendo-nos e reagindo (fenómeno natural ação/reação) ─ um cenário de evolução: visionando no cenário (projetado, dado ao usufruto) a necessário e obrigatória “ideia de conjunto” (do nada chegando-se ao Todo). O resto deixando-se aleatoriamente (uns diriam ao destino) ao “acaso e à necessidade”.

 

397db54b-c440-47eb-8e25-5073f1684f06-VPC_BIRDS_FOR

 

Num registo de vídeo realizado no lago Lough Ennell localizado nas proximidades da cidade de Mullingar (República da Irlanda/condado de Westmeath) ─ pelo fotógrafo James Crombie ─ com o mesmo depois de vários regressos ao mesmo “cenário e seus chamamentos” ─ não sendo por acidente ou ocasional, mas levado a cabo com um objetivo bem definido, mesmo que de uma forma meramente instintiva ─ a capturar um momento que se revelaria impar por revelador (pelo menos para ele e para alguns de nós, por reflexo), milhares de aves esvoaçando harmoniosamente e em perfeito conjunto (sobre o lago irlandês), no envolvimento murmurando e no processo formando o que eles na realidade são (e materializam) a Grande-Ave.

 

snapshotA.jpg

 

Murmuration of starling birds

form into shape of a giant bird.

(usatoday.com)

snapshotB.jpg

 

Uma espécie de aves ─ podendo ser um estorninho ─ fáceis de encontrar inseridas em zonas urbanas disponibilizando-lhes abrigos, comida e proteção (tudo proporcionado pelo Homem), aproveitando todas as oportunidades surgidas para se associarem ao Homem e aos seus muitos “desperdícios”, para junto dele assentarem (aproveitando cada recanto exterior), criarem raízes (construindo os ninhos) e se reproduzirem: e a partir daí podendo-se multiplicar tornando-se um problema, dado por vezes o seu intenso (no volume) e prolongado “murmurar” se tornar para alguns verdadeiramente insuportável ─ nalguns casos para os desmobilizar (afastar de vez) pagando as pobres árvores (deslocadas/abatidas). Já no caso dos EUA onde elas (estas aves) também residem, mas não sendo aí aves nativas ─ logo podendo ser consideradas, como espécie invasora ─ com a receção a não ser melhor não só pelo exposto atrás como pelas outras espécies: com a espécie invasora competindo por um espaço com a espécie nativa, podendo colocar esta última (não se adaptando esta ao novo competidor) em perigo de extinção. Daí por alguns e por normalização (só se vendo e ouvindo estorninhos) sendo comparadas a uma praga (apenas porque um certo dia o Homem o comprou e vendeu, forçando-o à emigração).

 

(imagens: usatoday.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:47

Há 4 Semanas a Descer

Terça-feira, 09.03.21

[Conselho Covid-19:ao abrirmos a porta esperando não o fazer a correr, tropeçando logo no primeiro obstáculo ou então sendo atropelado.”]

 

Como o gráfico (1) o comprova, uma descida do nº de Internados/dia, registada durante as últimas quatro semanas.

 

Imagem1.jpg

Gráfico 1

 

E na evolução do nº de óbitos/dia, registada no mesmo intervalo de tempo, com o gráfico (2) igualmente a comprovar, a descida anterior.

 

Imagem2.jpg

Gráfico 2

 

Apontando em direção de uma inversão na tendência de contágio, com a generalidade dos parâmetros a apontarem sucessivamente para baixo, restando apenas saber se o vírus está de acordo, podendo tal como as vagas (indo e vindo) não desaparecer, reaparecendo: voltando periodicamente.

 

[Hoje 9 de março de 2021, registando-se +847 Infetados e +30 Mortes, com 1.278 Internados (-125) e 312 em UCI (-30).]

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:40

Covid-19 e “Cadeia Alimentar”

Segunda-feira, 08.03.21

[Animais que se alimentam de restos orgânicos, reciclando-os e retornando-os à cadeia alimentar para serem reaproveitados pelos demais organismos vivos.” (enciclopédia do povo ─ wikipedia.org)]

 

“Sinto-me com ferramentas para ter um processo de decisão mais sustentado.”

“O decisor político fica a partir de agora habilitado

a ter uma base científica mais sólida para tomar as suas decisões."

(1º Ministro António Costa/8 de março 2021/Á Porta do Desconfinamento)

 

tim.php.jpg

 

Determinada pelo nosso Presidente (Marcelo) a necessidade e a obrigatoriedade (a EXIGÊNCIA) da apresentação (passado um ano desde o início da Pandemia) de um “Plano de Intervenção Covid-19” compreensível (para a generalidade da população) e eficaz (na luta contra o vírus SARS CoV-2 e suas variantes), eis que infetadas mais de 810.000 pessoas e já com mais de 16.500 vítimas mortais (perto de 62.000 casos ainda ativos, mais de 350 doentes em UCI e mais de 160 óbitos por cem mil pessoas) as nossas autoridades decidem final e decididamente entrar em estado de recolhimento, de reflexão e de ação, numa decisão quase que instantânea (apesar de grande e incompreensível extensão entre ação do Vírus/reação do Homem), absolutamente necessária (desde o termino da 1ª vaga, já lá vão muitos meses) mas suspeita: utilizando ainda-por-cima como seus impulsionadores e decisores (destas medidas agora pelos vistos planeadas ─ e planificadas não?) os “Suspeitos do Costume” (todos aqueles que estiveram sistematicamente contra os encerramentos por motivos de saúde ─ como e estranhando-se, as autoridades educativas ─ privilegiando não toda a economia mas certos lobbies económicos ─ mantendo completamente aberta e praticamente sem controlo sanitário uma das maiores vias de comunicação do vírus unindo Famílias/Empresas) já com um currículo extremamente negativo sempre que intervieram neste processo (poucos pelo seu estaticismo estratégico tendo até pelas consequências vergonha e afastando-se).

 

f44eb488d286baf2bd9ead4099d13d0c.jpg

 

Pelo que um ano depois e com o pessimismo quase que a engoli-lo, vermos de novo o nosso 1º Ministro (Costa) parecendo querer ressurgir o seu “sinal de marca” com o reemergir do seu otimismo (sem razão, talvez utilizando a máscara que sobrou do Carnaval, a ele oferecido por Marcelo ─ “o Plano”), engolindo alegremente (pensando ser uma tábua de salvação) o “rebuçado” a ele oferecido pelo Presidente: esperando nós que Costa não se entale com ele ─ o “PLANO” ─ e se tal acontecer, não nos entregue a fava ou o brinde (mesma finalidade, engolindo-o, entalando) bem escondido/embrulhado, para com ele entalar, não sendo o vírus, não sendo ele, mas sendo nós (contra uns 100 mil dito eruditos, os outros 10 milhões de leigos). Há um ano (num processo pelos vistos demorado) começando a Guerra ─ 2020  ─ ontem e num desenvolvimento lentíssimo (quase que estático) lembrando-se da reação (ano seguinte 2021), para agora e em pouquíssimo tempo (mais uma vez rodeados por especialistas, maioritariamente do regime, avençados) elaborando-se o Plano: num processo exemplar, este dia 8 de março ─ e usando um modelo TURBO ─ começando eles a “trabalhar” (fazer-nos a cabeça), apresentando o seu PLANO (pelo tempo e pelos envolvidos, só podendo ser mesmo virtual) a 11 de março, para lá para meados do mês (talvez dia 17 de março) e depois da devida concordância de Marcelo (o “Mestre da Culinária” desta nova versão de “Portugal dos Pequeninos”, sendo Costa o Ajudante ficando com o mais fácil os doces) de novo nos “abrirmos todos”. Gradualmente e em segurança? Pelo que se vê agora, deixem-me rir e chorar.

 

doc2020030728390887manueldealmeida_1441438450cdefa

 

Tendo-se só agora (segundo o 1º Ministro) as devidas ferramentas (mas o que fizeram eles durante um ano?), sentindo-se o 1º Ministro finalmente habilitado (num curso intensivo de um ano, mas não mencionando em que escola e qual a especialidade), detendo finalmente neste dia uma base mais sólida (antes devendo ter sido líquida ou gasosa, logo fugindo e não se vendo) para as suas decisões (juntando, misturando e achando a média/ou a moda de algumas das outras). Pelo que a História se repete: “se não for o vírus, serão eles.”

 

No Mundo com o vírus SARS CoV-2 e a respetiva doença COVID-19 a terem originado mais de 117,5 milhões de INFETADOS e mais de 2,6 milhões de MORTES (taxa de MORTALIDADE sobre a amostra de infetados de 2,2%) ─ encontrando-se ainda quase 22 milhões de casos ATIVOS e quase 90.000 em UCI. Tendo em consideração as primeiras consequências desta PANDEMIA (passado um ano) com o vírus a MATAR 0,03% da população MUNDIAL.

 

(imagens: araputanga.mt.gov.br - br.noticias.yahoo.com

- Manuel de Almeida/Lusa/rr.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:19

Miragens

Segunda-feira, 08.03.21

[Uma ilusão ótica mais comum de se ver em terra (como no deserto), não tanto no mar.]

 

Ship floating in the clouds off Cornwall leaves man baffled

The incredible images were taken on the picturesque Helford

(Chris Matthews/Mar 2021/cornwalllive.com)

 

snapshot.jpg

 

Através de tudo o que nos rodeia aprendendo todos os dias mais um pouco, percebendo com o mais rudimentar dos cérebros que muito do que sentimos se repete sucessivamente (e em muitas partes) e compartilhando muitas vezes com outros problemas diagnosticados como sendo superiores ou menores, todos entendemos e interiorizamos como real e verdadeiro tudo o que os nossos órgãos dos sentidos nos transmitem, inicialmente percecionados nos periféricos e posteriormente enviados para o cérebro para processamento, interpretação e tradução.

 

A partir deste nosso posto de observação e limitados pelas suas características e funcionalidades (do Homem), forçosamente que colocados perante a realidade podendo ser esta original ou projetada, podendo dela extrair informações de facto e até pela sua oposição podendo ser verdadeiras (o objeto) ou falsas (a sua imagem): entre o Homem e o Mundo existindo uma barreira intransponível por culturalmente invisível (formatação por lobotomia mental), capaz de consciente ou inconscientemente (subliminarmente) nos alinhar e formatar de modo a escolher-mos “O Nosso Caminho”.

 

E assim se ao olharmos para o mais pequeno, não conseguimos extrapolar para o maior e se em sentido contrário olhando para as estrelas, não nos vendo como um pequeno e simples elemento ─ não abandonando todos os egocentrismos e não interiorizando que tudo se repete, do infinitamente pequeno ao infinitamente grande ─ muitas e muitas vezes sendo apanhados em contrapé (cumprindo as regras, nunca tal imaginando) sendo apanhados numa armadilha dado ao usufruto por alguns (sempre dirigidas e com intenção) ou então proporcionada (aldrabada pelos nossos sentidos).

 

snapshot1.jpg

 

Lobotomizando alguém controlando-o pela morte (inutilizando-lhe funções cerebrais), instrumentalizando-o por lobotomia mental (por exemplo por ação subliminar), controlando-o mesmo por ondas mentais (cenário SCI-FI bem possível, podendo envolver outras Entidades) ou mesmo através de “falsas projeções” tão aceites por estarem na moda ─ simbolizadas no presente pelas FAKE NEWS ─ nunca se podendo esquecer de introduzir nestas diferentes opções um conhecido fenómeno (desse tipo) mas sendo-o de origem natural: enganando-nos mas (ao contrário dos artificiais) sem intenção. Pelo menos e não se centrando na tríade Sol/Terra/Homem, a um nível mais elevado.

 

Neste início do mês de março com uma notícia acabadinha de chegar da ponta SO de Inglaterra (uma península) ─ mais precisamente da localidade de Helford, localizada no condado da Cornualha ─ a relatar-nos o curioso registo feito por um fotógrafo amador em passeio nas praias da ponta SO da Inglaterra, mostrando-nos como que suspenso no ar e sobre o mar em frente (e à distância), um longo barco de mercadorias tipo barco-petroleiro. À primeira vista algo de inacreditável (apenas e aqui por impossível), só mesmo imaginável e apesar de falso (nestas condições) sendo real ─ nalgum local, existindo o barco.

 

Uma miragem:

“Algo visto e interpretado de uma forma, que não reproduz a verdadeira realidade.” (dicionarioinformal.com.br)

 

(imagens: Technorites/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:55

Treme-Treme e Depois Explode

Domingo, 07.03.21

“South-west Iceland is shaking

– and may be about to erupt.”

(theconversation.com)

 

file-20210304-21-tqout3.jpg

Peninsula de Reykjanes

 

Neste início do mês de março com o mundo mergulhado numa crise socioeconómica e numa crise sanitária, estando ainda envolvido por uma película concentrando e acelerando os efeitos nocivos e tóxicos introduzidos no seu Ecossistema pelo Homem (artificialmente), eis como mais uma resposta oriunda da Natureza (mostrando ao Homem de que lado está o verdadeiro poder) nos avisa que se hoje o Homem pensa ser capaz de destruir a Terra (assinando aí o seu extermínio), a qualquer momento a Terra o poderá efetivamente fazer (tal como o ocorrido com os Dinossauros dando lugar a outra espécie dominante):

 

E se ontem falávamos do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas atingindo a nível geral o nosso planeta (terra, mar e ar), agora ressuscitando mais um desses pormenores influentes e de conjunto, alterando naturalmente as condições ambientais que nos rodeiam, podendo-nos prejudicar (ou não) não assumindo a adaptação como solução.

 

file-20210304-21-n2lv6i.jpg

Reiquejavique capital da Islândia

 

Sendo o pormenor os Vulcões fenómenos naturais acompanhando-nos desde sempre (desde as nossas origens), contribuindo para as alterações por nós sentidas e percecionadas e podendo levar à ocorrência de eventos extremos (sismos, tsunamis, abaixamento/descida de superfícies, dilúvios, etc.) ─ mas apenas por necessária e obrigatória renovação (na sua trajetória evolutiva e dinâmica) da face deste ainda nosso planeta Terra:

 

Aqui focando-nos nos vulcões da Islândia parecendo quererem voltar à atividade (eruptiva) a sudoeste, podendo tal como no passado e como consequência afetar as condições atmosféricas ambientais (locais, regionais, ou mesmo mais extensas) como por exemplo (para além dos sismos associados, podendo provocar quedas e deslizamentos) a qualidade do ar afetando populações (os pulmões) e os transportes aéreos (as turbinas).

 

file-20210304-19-n5dy3w.jpg

Paisagem vulcânica no SO da Islândia

 

Talvez não afetando tanto as populações e o tráfego aéreo como nas crises anteriores de 2010 no vulcão Eyjafjallajökull e de 2011 no vulcão Grímsvötn ─ erupções muito mais violentas lançando para a atmosfera a grande altitude e a grande distância nuvens espessas de cinzas vulcânicas ─ mas podendo com a sua extensão no tempo ter impacto importante especialmente na aviação, afetando corredores aéreos especialmente no Atlântico e obviamente no ramo das viagens:

 

E assim podendo para além da Covid-19, prejudicar ainda mais a indústria turística.

 

[theconversation.com/south-west-iceland-is-shaking-and-may-be-about-to-erupt-156510]

 

(dados: theconversation.com ─

imagens: Johann Helgason/Boyloso/Shutterstock

e Dave McGarvie em theconversation.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:01

O Plano Aparecendo aos Frangalhos

Domingo, 07.03.21

“Premature unrealistic

COVID-19 will end soon.”

(WHO/wset.com)

 

Imagem1.jpg

Óbitos no Algarve em 2021

 

E perante o desespero instalado (na cabeça da maioria dos portugueses) afetando ora a área da Saúde ora a área da Economia (duas áreas onde os lobbies abundam) ─ para já não falar do bárbaro ocupando a pasta da Educação (sempre ansioso por se abrir, mas só e sempre para alguns) ─ andando-se constantemente à boleia, para a frente e para trás, alienados de tudo e de todos e no salve-se quem puder ─ e só a meio por insistente pressão da Entidade (o presidente) com os seus súbditos planificando (o governo) ─ o mais que garantido espanto por parte dos patrões e dos trabalhadores ligados à Indústria Hoteleira do Algarve (prostrada ou já colapsada) ao saberem aproveitando uma linha de fuga oriunda do Covidário Governamental (depois de horas e horas de profunda reflexão e planificação) que trabalho, só lá para o mês de maio. Devendo-se questionar estas Altas Entidades (tão bem alimentadas, física como pelos vistos ─ deixando-os falar e calando ─ mentalmente) de forma a explicarem-nos como sobreviveremos ainda mais dois meses, sem nada que fazer e de mãos a abanar. O problema a ser não termos Governo e muito menos um plano (pretensamente a ser criado/parido/inserido nuns extraordinários 15 dias).

 

[Num fim-de-semana em que entre muitos anúncios (de desconfinamento público-privado), diversas promoções (dadas eventuais aberturas) e levado pelo mercado (o que faz funcionar a economia), o povo começa já a sair à rua (tentando de uma forma ou de outra libertar-se), batendo recordes de confinamento (60% na rua, esta sexta-feira 5 de março) como se já estivéssemos a desconfinar (quando o mesmo período se iniciará o mais cedo a 17 de março, depois da apresentação do plano a 11 desse mesmo mês).]

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:56

25º Ciclo Solar

Domingo, 07.03.21

[Iniciado nos finais de 2019 (dezembro) ─ coincidindo com a chegada do vírus SARS CoV-2 ─ e com o Sol atravessando ainda ─ nestes 11 anos (indo de 2019 a 2030) tempo médio de cada ciclo solar ─ um período de fraca atividade.]

 

SIDC+DailySunspotNumberSince1977.jpg

Observando os ciclos anteriores e as suas tendências

com o 25º ciclo solar a ser o mais fraco dos últimos dois séculos

 

Falando de meteorologia e orientando-nos na direção de Albufeira, com a previsão do IPMA a apontar para os próximos dias, céu pouco nublado com aguaceiros muito ligeiros e temperaturas máximas a rondar os 20°C. Melhorando assim o tempo ─ com o aumento de temperatura e com o Sol frequentemente visível ─ sendo importante para quem bem equipado com um telescópio solar, observar atentamente o Sol constatando a sua atividade neste 25º Ciclo Solar iniciado em dezembro de 2019, por altura da chegada do vírus.

 

fizz.jpg

1

O Sol como que a ferver,

como que a borbulhar

 

Na imagem anterior (1) da autoria de Martin Wise ─ utilizando o seu observatório amador localizado em Trenton no estado da Flórida ─ observando-se na região nordeste do Sol como que um estranho “borbulhar” superficial, como consequência do aparecimento de chamas e de proeminências eruptivas na coroa solar. Segundo os especialistas podendo ser um indício do próximo aparecimento de mais uma mancha solar: um fenómeno de magnetismo originado no ”Gerador Magnético Interno do Sol”, provocando estes distúrbios à superfície.

 

farside.jpg

2

Possível formação a oeste,

de uma mancha solar

 

E se no seu movimento de rotação e tal como na imagem anterior (2) as manchas solares se foram deslocando para este ─ desaparecendo a AR2806 e passando diante de nós a AR2807 ─ começando a surgir a oeste uma possível materialização de uma outra mancha na coroa solar: se o vento solar vindo de um “buraco” no equador do Sol atingiu já hoje o nosso planeta ─ dando origem ao aparecimento de auroras ─ aguardando-se o que nos poderá reservar a chegada nos próximos dias, de um novo elemento talvez “feita” mancha solar.

 

(imagens: climate4you.com/perspectaweather.com ─

Martin Wise e NASA's STEREO-A em spaceweather.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:32

Dilema ─ E agora?

Sábado, 06.03.21

[Apostas Mútuas Desportivas”:Num caso podendo-se morrer da doença (1) e no outro podendo-se morrer de fome (2). Mas já agora onde estará o outro símbolo disponível (X)?]

 

thumbs.web.sapo.jpg

No 1º dia de venda pública de testes rápidos Covid-19 na Alemanha,

com os mesmos a esgotarem-se em poucas horas.

E se fossem vacinas?

Acontecendo o mesmo, tal como se passa atualmente com os Estados,

esgotadas as vacinas não as tendo.

 

Com os números da saúde a continuarem nitidamente em descida e com os outros números (cada dia que passa indicando estarmos mais próximos do colapso socioeconómico) revelando uma pressão económica a aumentar ─ tornada obsessiva e podendo passar rapidamente a explosiva ─ aumenta cada vez mais a distância (o fosso) entre estas duas áreas ─ Saúde e Economia ─ com a segunda inevitavelmente e de acordo com o processo em curso (levando à garantia da nossa sobrevivência) “a engolir” a primeira: podendo-se morrer da doença (se não formos eficazes no seu tratamento, na saúde), podendo-se morrer de fome (devido à doença e ao confinamento, destruindo empresas/empregos, na economia).

 

Imagem1.jpg

Notando-se nalguns países (ultrapassado o pico máximo, em descida Covid-19)

um novo crescimento de infeções (depois de uma acentuada descida),

deixando os especialistas de sobreaviso (até por informação da WHO/OMS)

para o possível aparecimento de uma nova vaga:

daí o avanço e recuo nalguns deles.

 

E encontrando-nos neste momento e em Portugal (como noutros países do mundo, mais ou menos avançados na doença) entre dois caminhos alternativos (pelo menos o que nos é oferecido/servido) ─ “abrir (1) ou fechar (2) até com a hipótese Nem (X)na prática secundarizando uma das áreas de modo a tornar a outra a protagonista, suspeitando-se que a 17 de março e depois de apresentado “o plano” (mais de um ano depois do início desta tragédia, nada mau?) ─ ainda por cima pressionado por um dos mais fortes lobbies nacionais, o da Educação ─ as autoridades cedam e abram progressivamente as portas (antes da Páscoa), para mais uns 2 milhões: podendo estar-se novamente a convidar, alguém para entrar.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: 24.sapo.pt e Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:39

O Demónio Passou Há Minutos, Muito Perto de Nós

Sábado, 06.03.21

“Apophis is 1,120 feet (340-meter-wide) wide

and made of rock, iron and nickel.

It is probably shaped roughly like a peanut,

though astronomers will have a better idea of its form

when it passes by Earth this week.”

(Stephanie Pappas/livescience.com)

 

HwWJNAkE5bHTToQ2vJysin-970-80.jpg

Apophis

Em 2029 passando perto da Terra

a uma distância semelhante à de muitos satélites

com órbitas mais elevadas

(superiores ou iguais a 35.780Km)

 

Neste sábado dia 6 de março pelas 01:15 TMG (de 2021) com o asteroide 99942 APOPHIS (de 340/370 metros de dimensão) a passar (hoje há pouco mais de duas horas) ─ como o faz periodicamente cumprindo a sua órbita à volta do Sol (em  323/324 dias) ─ no seu ponto de maior aproximação à Terra (este ano quase 17 milhões de Km), um objeto circulando nas proximidades da Terra (mais perto ou mais afastado dela), todos os anos (no cumprimento da sua trajetória) orbitando o Sol e tendo uma percentagem mesmo que muito remota de um certo dia num futuro próximo (a curto-prazo) poder passar num “voo rasante” muito perto de nós (o que já seria mau), podendo até ser uma tangente ou num evento extremo uma secante (aqui originando um Evento Apocalítico).

 

"We know Apophis is in a very complicated spin state,

it's sort of spinning

and tumbling at the same time."

(Richard Binzel/MIT/livescience.com)

 

Um evento previsto para 2029 (com Apophis a passar a cerca de 40.000Km da Terra), falado para 2036 (de novo nada devendo acontecer) e posteriormente marcado  para  2068 (com o estudo da possibilidade de impacto a poder ser melhor definida, com esta recente passagem em 2021), ainda com algumas perspetivas projetadas, através de cálculos matemáticos atualizados (agora e noutras passagens), de cenários dentro de menos de um século podendo ser considerados como potencialmente perigosos (ultrapassando o de 2029) ─ para a Terra, seu Ecossistema e para o Homem.

 

Lembremo-nos dos Dinossauros agora extintos, talvez por um asteroide.

 

(imagem: Stephane Masclaux/Shutterstock/livescience.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:17

Depois do SARS CoV-2 Chegam os Alienígenas

Sábado, 06.03.21

Afundados na TERRA por uma PANDEMIA e com a CRISE TERRESTRE em ritmo de cruzeiro, colocados perante a incógnita da origem/destino/fim deste EVENTO BIOLÓGICO e não sabendo onde se dirigir em virtude da proliferação crescente de FALSAS ESPERANÇAS, obviamente não causando ESPANTO que à falta de RESPOSTA em terra, nos viremos como sempre e literalmente para o CÉU:

 

NLE_0009_0667755959_167ECM_N0030000NCAM05000_05_0L

Um ponto perdido no céu marciano

(acima do cume da duna)

 

E à procura de nós PRÓPRIOS, encontrando outros como nós ou NEM TANTO, aí dando-se a inevitável SEPARAÇÃO pela definição do respetivo NÍVEL hierárquico ─ entre SALVAÇÃO OU NÃO nós os terrestres podendo ser vistos como anjinhos, cobaias, portadores ou PRESAS, enquanto entre os extraterrestres podem estes ser encarados como pesquisadores, organizadores, operadores, PREDADORES.

 

Possuídos física e biologicamente como no espaço em ALIEN O Oitavo Passageiro, ou mental e subliminarmente como na Terra com os MÉDIA GLOBAIS.

 

Faltando apenas o anúncio da chegada do EVENTO DA DECEÇÃO, onde seremos informados da nossa real condição:

 

E chamando aqui os próximos das Teorias da Conspiração tendo como duas opções viáveis, ou (1ª) a próxima chegada deles ─ estando já aqui à volta, prontos para nos tratar/invadir ─ ou se não (2ª) estando já entre nós, integrados/semelhantes réplicas (híbridos).

 

NLE_0009_0667755959_167ECM_N0030000NCAM05000_05_0L

Artefacto desconhecido

(registado pelo rover Perseverance)

 

Um cenário construído em torno de uma imagem recebida a partir das câmaras do ROVER PERSEVERANCE (SOL 9 NAVCAM ESQUERDA 01.03.2021), mostrando-nos sensivelmente ao centro na vertical sobre o monte de areia, não podendo ser uma imperfeição ─ pois não aparecendo esta em registos, antes nem depois ─ um objeto aparentemente cilíndrico visível no céu marciano:

 

Um artefacto podendo ser artificial tripulado ou não, certamente ALIENÍGENA.

 

E andando eles por lá, podendo há muito estar por cá.

 

Neste momento experienciando a PANDEMIA COVID-19, podendo-se estar preparando para a GRANDE REVELAÇÃO/DECEÇÃO:

 

A de que seremos muito mais estúpidos do que alguma vez pensáramos ser, desde sempre obedientes, bem escravizados e encantados, pela música & moda de EXTRETERRESTRES não SOBREVIVENDO como nós, mas VIVENDO entre nós.

 

(imagem: ROVER PERSEVERANCE/NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:29