Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

01
Set 11

Da minha cabeça limitada

 

Se o mundo não acaba quando morrermos, o que acontecerá quando tudo deixar de existir e tudo e todos, morrerem como nós? Fica o quê de tudo isto? Só se for o espaço não existente, num universo intemporal. O problema no fundo é só nosso, sendo incompreensível para o que sobra. A morte é adiada, até não ser mais possível, para preservar a ideia de vida eterna e recusarmos ocupar outras partes da nossa vida e do nosso cérebro. Assim não vamos lá – só se nos ajudarem depois da morte.

 

Ao centro a Terra, com a Lua à sua direita

 

Da minha nave espacial

 

Num fundo escuro, avistam-se dois pequenos pontos distantes e luminosos, sobrepondo-se à negritude das profundezas do espaço, de um Universo infinito. Fazemos parte dele.

Esta imagem da Terra e da Lua foi tirada pela sonda espacial da NASA Juno em 26 de Agosto deste ano, a uma distância de quase dez milhões de quilómetros do nosso planeta. Esta nave foi lançada de Cabo Canaveral na Flórida em 5 de Agosto, para uma viagem de cerca de cinco anos até Júpiter.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:38

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO