Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Felinos

Quarta-feira, 04.01.12

Uma história com um final feliz, que também se poderia ter passado connosco. Passou-se com um companheiro, o que torna tudo isto mais belo.

 

“Gatos como nós”

 

Andreia

 

Este gato do estado americano de Utah sobreviveu a duas tentativas de eutanásia numa câmara de gás de um abrigo de animais abandonados, já que durante os trinta dias estipulados por lei, ninguém apareceu para o adoptar.

 

Da primeira vez que o colocaram na câmara de gás, o gato sobreviveu. Na segunda tentativa e como o gato não apresentava sinais vitais, consideraram que o gato já estava morto, enfiaram-no num saco de plástico e colocaram-no numa arca frigorífica.

 

Mais tarde e quando foram verificar o saco onde tinham colocado o gato, viram que o animal tinha vomitado, se encontrava em hipotermia, mas ainda estava vivo. Aí decidiram terminar com as suas tentativas de o matar.

 

Andreia é um gato peludo de cor preta com algumas riscas brancas e olhos de cor verde. Além de se safar de duas tentativas de eutanásia por gaseamento, ainda conseguiu escapar a uma última tentativa de eutanásia por injecção letal.

 

Assim e sem recorrerem à utilização de seringas, os responsáveis resolveram dar mais uma hipótese a este gato tão agarrado à vida, que acabou por ser adoptado por uma família e que hoje vive tranquilamente integrado.

 

Como curiosidade final, ninguém ainda compreendeu como o gato sobreviveu a duas tentativas de eutanásia por gaseamento, quando todos os outros gatos sujeitos ao mesmo processo morreram.

 

(a partir de uma notícia do Huffington Post)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:41


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.