Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O Glaciar de Pine Island

Quinta-feira, 16.02.17

As imagens documentam a perda de mais uns blocos de gelo pertencentes ao glaciar de Pine Island, num fenómeno ocorrido sobre as águas do oceano Atlântico há cerca de três semanas.

 

pineisland_oli_2017024.jpg

Glaciar de Pine Island

24 Janeiro 2017

(antes)

 

Para muitos de nós mais uma das muitas evidências sobre os efeitos provocados pelo Aquecimento Global e que tem levado ao progressivo e significativo degelo das calotes polares. Mostrando-nos a fragilidade desta afinal tão fina camada de gelo.

 

Neste caso com a placa de gelo constituindo a frente do glaciar localizado na Antártida e considerado na região como aquele que mais rapidamente se derrete, a fraturar-se em várias partes acabando por cair no mar – e com o seu grande volume de água (derretida e entrando no mar) tornando-se responsável por 1/4 das perdas totais do gelo deste continente do Pólo Sul.

 

Um grande glaciar perto do qual (e debaixo de várias camadas de gelo) se encontra um antigo vulcão (hoje aparentemente inativo e com a sua última erupção a ser reportada a mais de 2000 anos no passado), mas que no futuro poderá ter um papel importante (se não mesmo fulcral) a desempenhar no aceleramento do processo da perda de gelo no continente da Antártida.

 

No caso aqui retratado do glaciar de Pine Island – e por ser um dos maiores e um dos mais rápidos a derreter sendo não só responsável pelo progressivo desaparecimento do gelo no continente da Antártida como pelo aumento generalizado do nível da água do mar – e face às cada vez mais comuns fissuras, fraturas e colapsos ocorridos nas várias camadas de gelo (desde há milhares e milhares de anos sendo sobrepostas) que cobrem e escondem o seu continente rochoso, com estas imagens a mostrarem-nos a frente do glaciar a quebrar (parcialmente), as placas a entrarem em colapso caindo na água, formando pequenos icebergues flutuando suavemente e posteriormente, no prosseguimento do seu inevitável processo de transformação físico-química (passando do estado sólido para o estado líquido) desaparecendo progressivamente no oceano e finalmente no horizonte.

 

pineisland_oli_2017026.jpg

Glaciar de Pine Island

26 Janeiro 2017

(depois)

 

Segundo os especialistas apenas mais uma réplica de outros acontecimentos semelhantes – mas mais intensos – ocorridos anteriormente naquela zona mas que infelizmente se repetem cada vez mais nas regiões em torno das duas calotes polares: e para o comprovar utilizando mais imagens fornecidas pelo instrumento OLI (registo de imagem) instalado no satélite Landsat 8 (um satélite norte-americano de observação terrestre) – mostrando-nos mais fraturas aparecendo na superfície da camada de gelo (mesmo a vários Km da frente do glaciar) e sugerindo por alguns sinais já visíveis (à superfície) que outras poderão estar prestes a surgir mas vindas de níveis mais baixos.

 

Toda esta tragédia causada pela erosão provocada nas zonas mais baixas da camada de gelo cobrindo o continente submerso da Antártida, ao serem invadidas na sua própria base pelas águas mais quentes provenientes do oceano – destruindo a camada de gelo e logo pelo seu interior.

 

(imagens: earthobservatory.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:54

O Continente Gelado da Antártida

Quinta-feira, 17.11.16

[O mais Misterioso dos Continentes talvez porque seja um dos próximos Berçários da Terra. Um Continente tendo sido no passado bombardeado (alimentado/fertilizado) por meteoritos transportando consigo Água e Vida Orgânica, com esses Eventos transformando o cenário (local) e criando as condições ambientais do Mundo em que hoje vivemos (global). E até nos sugerindo hipóteses para a solução de certos Mistérios do Universo: como terá sido o caso do conhecido meteorito ALH84001 muito provavelmente oriundo de Marte há uns 3-4 biliões de anos (talvez devido ao impacto de um outro objeto com o planeta) e transportando consigo estruturas muito semelhantes a fósseis de organismos vivos primitivos (marcianos). E como todos sabemos o Gelo tudo Preserva por larguíssimos espaços de Tempo.]

 

antarctica_01-2.jpg

 

Olhando de cima para a Terra a partir do Espaço, como se fossemos Deus a espreitar a partis do Céu, vislumbramos sob os nossos olhos maravilhados e confortados por todos os nossos outros órgãos dos sentidos, um Mundo vivo e colorido mas denotando algo demais: um Espaço por descobrir perdido nas Memórias do passado. Flexível (sob areia) ou mesmo rígido (sob gelo) mas sempre escondendo um Segredo.

 

“From November 10-12, Secretary Kerry will travel to Antarctica, where he will visit McMurdo Station, the largest research station of the U.S. Antarctic Program, as well as surrounding areas on Ross Island, and the U.S. Government’s Amundsen-Scott South Pole Station.  He will be the first Secretary of State and the most senior U.S. government official to ever travel to Antarctica.” (state.gov – Departamento de Estado dos US – Conferência Imprensa – 04.11.2006)

 

Antarctica_05-2.jpg

 

E se vista do Céu a Terra se faz plana e azul, já mais perto da mesma onde a beleza se vislumbra, o círculo a define mas ainda sem a presença; uma Esfera incluindo outras e por sua vez incluída numa macro e que na sua evolução por sobreposição de camadas e replicação sucessiva nas camadas superiores, deixou nessas a função ativa (apesar de invisível a Civilização) e nas mais baixas o arquivo da nossa memória (para no momento certo consultar).

 

“This report discusses the recent State Department announcement that John Kerry will be departing on 11-07-16 for a visit to Antarctica. The visit is officially set for 11-10 through 11-12. Add to this knowledge the fact that Wikileaks recently released 23 photo images of Antarctica, and because of previous events occurring in Antarctica, involving Obama, Patriarch Kirill of Russia and the Ark of Gabriel.” (thephaser.com – The John Kerry Antarctica Visit and the Wikileaks Antarctica Images/youtube.com/MrCati)

 

Antarctica_09-4.jpg

 

Com uma diversidade colorida de desertos cobrindo toda a superfície da Terra, uns impondo à Matéria todo o poder da Energia, movendo seres vivos sobre ela na procura do seu desígnio e deixando no seu trilho o rasto da sua passagem – em movimento e civilizacional; e com outros por vezes quentes por vezes gelados e tal como essas intrigantes Pirâmides, escondendo como um tesouro marcado talvez o futuro do Mundo.

 

“The recent John Kerry 11-7-2016 departure trip to Antarctica by discussing the new agreed upon Nation State Treaty, banning private ships from traveling to Antarctica without advanced authorized permission to do so, for a period of 35 years. Add to this element of information the previous events occurring in Antarctica, when Obama visited Antarctica in March, and he was preceded by Patriarch Kirill of Russia.” (ufosightingshotspot.blogspot.pt)

 

Antarctica_10-2.jpg

 

E debaixo das espessas camadas de gelo envolvendo os dois polos da Terra, dois continentes se escondem desde que o Homem tem memória: a norte ficando o Ártico e a sul a Antártida. Certamente num passado já distante e antes do Último Salto (como numa série com várias temporadas) podendo ter sido um dos Faróis de desenvolvimento da Terra, submergido na transição mas sempre pronto à reutilização: o que não se vê já se viu!

 

“Simultaneous to Obama’s visit to the South Pole, his director of CIA, James Clapper, made a secret trip to Australia, another country with heavy interest in Antarctica. Kirill offered a strange blessing of Antarctica, calling the barren land an “ideal for human kind” because there were no weapons down there or any type of science experiments. We know that is not true at all: there are multiple scientific expeditions that have gone to Antarctica: this was confirmed in an interview with Richard Byrd, who said that the region would become the center of scientific inquiry directly after WW2.” (ufosightingshotspot.blogspot.pt)

 

Antarctica_17.jpg

 

Pelo que a Esperança de que algo nunca visto pelo comum dos Humanos (pelo menos os vivos) no interior do nosso Ecossistema de Sobrevivência (uma esfera interior a outra esfera), possa ainda existir e permanecer bem escondido (e protegido) debaixo de sucessivas camadas geológicas (sendo sobrepostas ao longo do tempo) ou sob toneladas de massas de água (líquidas ou geladas). Dando-nos suplementarmente mais um motivo para acreditarmos.

 

“On a forbidding shoreline at the bottom of the world, the prodigious ice sheets of West Antarctica dead-end in the Amundsen sea. For decades, scientists have been monitoring this interface of rock, ice and ocean, in order to understand how quickly it’ll retreat as the planet warms up. A new study shows that three of the Amundsen sea’s frozen gateways are melting away faster than we realized, raising the specter of an ice sheet collapse that could trigger several feet of global sea level rise.” (gizmodo.com – Maddie Stone)

 

Antarctica_23-2.jpg

 

Que apesar da monotonia decadente dos tempos que correm, um Outo Mundo poderá estar à espera de modo a renovar o presente (hibernando sob o gelo e preparando um novo Salto). Podendo-se mesmo sugerir (até pelas múltiplas evidências que nos vão chegando) que sob os nossos pés se escondam os restos de uma Civilização ou as pistas (e os Sinais) para a nossa Renovação (e para um novo Salto Civilizacional).

 

“When water gets between ice and land, it moves quickly, bringing lots of heat in, and melting the ice above it more rapidly,” said Thomas Wagner, the director of NASA’s polar science program. The Amundsen sea embayment is a place where we know this is happening. Indeed, satellite and radar data show that two of West Antarctica’s largest glaciers, Pine Island and Thwaites, have seen their grounding line retreat many miles since 2000, causing fresh water to pour off the ice and into the ocean. This process is so effective that glaciologists recently declared the total collapse of the Amundsen sea embayment—whose glaciers contain enough water to raise global sea levels by four feet—to be “unstoppable.” (gizmodo.com – Maddie Stone)

 

Antarctica_25-1.jpg

 

[Deixando-nos aqui a pensar sobre tudo o que se passa no Mundo, agora que a América aparentemente mudou de dono (de Obama para Trump), substituindo o nível máximo de alerta Ecológico (tão visível como ineficaz e pelos vistos não só físico como mental) por um nível mais confortável e se possível moderado: com os Democratas a colocarem à frente a intervenção nociva do Homem sobre a Natureza catalogando-a como Artificial (os descendentes de Al Gore derrotados anteriormente por G. W. Bush) e com os Republicanos apoiando-se em Trump (e nos seus amigos adeptos das Teorias da Conspiração) a minorarem esse impacto, no fundo normalizando-o e na sua compreensão de Evolução considerando-a Aceitável e como tal Natural (ao contrário do afirmado pelos descendentes de Barack Obama derrotados há uma semana por Donald Trump). Contrariando todos os estudiosos e especialistas no tema do Aquecimento Global (a nível de todo planeta Terra) e juntamente com os seus amigos e Conspiradores, construindo uma narrativa alternativa e minimamente credível (como assim acreditamos em Deuses e Profetas) assente num cenário alternativo e justificativo das atuais Alterações Climáticas (e se necessário geológicas – atividade sísmica e vulcânica), incluindo necessariamente extraterrestres (alienas que não do México), Entidades Superiores (internas ou externas) e até acontecimentos (recentes e como provas): como poderá ter ocorrido ao secretário de estado norte-americano John Kerry na sua recente passagem pela Nova Zelândia (logo após a sua passagem histórica pela Antártida), ao ser surpreendido enquanto dormia por um violento sismo de magnitude 6.8 (pretensamente em Christchurch), segundo os Teóricos da Conspiração (e construtores deste elaborado cenário) uma resposta bem clara (e agressiva) de uns alegados Guardiões, à intromissão Norte-Americana neste continente protegido e intocável do nosso planeta. Suportando toda esta construção Indiscritível e Inaceitável (por não ser Homocêntrica, por ser completamente desconhecida e por se situar para além da nossa Realidade), numa futura destruição da Antártida tal como já vem sucedendo no Ártico (curiosamente muito mais próximo do Mundo Civilizado): como se alguém se incomodasse com um Mundo aparentemente vazio.]

 

(imagens: wikileaks.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:15

Auroras

Quarta-feira, 04.07.12

NEUMAYER III

 

 

Estação de Pesquisa Alemã – Antártida

 

Poderá o clima do nosso planeta estar a ser afetado pelo recrudescimento da atividade solar? E quais poderão ser as consequências da continuação desse fenómeno para a nossa espécie humana e restantes seres vivos? Serão as auroras apenas um fenómeno colateral e inofensivo provocado pelas violentas emissões dos raios solares, normais e constantes durante toda a vida do Sol ou então o soar de um aviso de alarme por parte da nossa estrela, para modificações futuras e profundas na evolução da vida no nosso planeta, possível apenas por adaptação e evolução – ou seja nomadismo.

 

A fixação inalterável e no espaço da estação de pesquisa alemã, apenas a expõe a todas as manifestações atmosféricas possíveis e imagináveis e a outros fenómenos potencialmente mais perigosos como uma mera estação meteorológica, não contendo nenhuma presença humana ou seja, retratand -a apenas como uma coisa, o que definitivamente não é nem nunca poderá ser. Sendo o sedentarismo uma das mais importantes e perigosas consequências – que poderão levar à extinção da vida à superfície deste planeta – da limitação forçada e por segurança, das nossas perspetivas e ideais de vida, em nome da sempre presente, moral e malfadada, manutenção de uma sociedade monolítica e fortemente hierarquizada (doente e desequilibrada).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:39