Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Nov 14

“Se continuarmos INDIFERENTES (A ELA) seremos liquidados por ELA (A INDIFERENÇA)”

 

Aqui vão as provas fotográficas divulgadas pelas autoridades militares russas encarregue da investigação do sucedido com o avião das linhas aéreas da Malásia abatido no passado mês de Julho sobre o leste da Ucrânia.

 

Os russos acusam as forças ucranianas de terem abatido o avião de passageiros da Malásia ao contrário do que fora afirmado inicialmente: de que o mesmo avião teria sido abatido por um míssil BUK (de origem russa).

 

01 Mig-29 Shooting Down MH17.jpg

 

As imagens terão sido obtidas através da utilização de satélites na altura sobre a área – falando-se de satélites russos, ingleses e norte-americanos – e que terão registado o incidente.

 

Na imagem anterior pode-se ver o avião de transporte de passageiros a atravessar o espaço aéreo do leste da Ucrânia, aparentemente sendo atacado por um jacto da força aérea ucraniana (ampliado na imagem seguinte).

 

02 Mig-29 Shooting Down MH17.jpg

 

As autoridades militares russas afirmam assim que estas imagens agora divulgadas só vêm provar que o Boeing das Linhas Aéreas da Malásia terá sido abatido por um MIG-29 da força aérea ucraniana.

 

Recordemos que a Ucrânia (numa versão apoiada pelos Estados Unidos da América e pelos seus aliados na Europa) repetiu incessantemente ao mundo que teriam sido forças rebeldes pró Rússia que teriam abatido com um míssil o avião civil malaio.

 

Os russos insistiram desde o início que um avião não identificado se encontrava nas vizinhanças do local onde se deu o incidente – facto esse que também era do conhecimento norte-americano mas que fora ignorado.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:47

17
Jul 14

“Se os outros desapareceram (voo Kuala Lumpur/Pequim) estes desintegraram-se (voo Amesterdão/Kuala Lumpur): o que falta conhecer (a parte mais interessante) é o que originou estes violentos e mortais acontecimentos: neste último caso – e dado as forças em presença e os amigos e os inimigos – o mais fácil é culpar o Diabo ou seja o tenebroso ditador Putin e a maldita canalha russa”.

 

Destroços do avião completamente pulverizado

 

Mais um avião das Linhas Aéreas da Malásia que tem um grave acidente: neste caso deslocando-se da capital da Holanda (Amesterdão) em direcção à capital da Malásia (Kuala Lumpur). O avião acabou por se despenhar sobre território da Ucrânia provocando entre passageiros e tripulação perto de 200 mortos, não se registando qualquer sobrevivente.

 

Sistema de mísseis BUK

 

As primeiras notícias referindo-se a mais esta carnificina aérea apontam para que o avião malaio possa ter sido atingido em pleno voo por um míssil do tipo BUK (de fabrico russo). Refira-se que tanto a Rússia como a Ucrânia possuem este tipo de míssil Terra-Ar – o avião deslocar-se-ia a uma altitude de mais de 10.000 metros, muito inferior ao máximo atingido por estes mísseis BUK – pelo que ambos podem ser considerados altamente suspeitos como protagonistas desta tragédia aérea. Não podemos ignorar neste caso a guerra que se trava na Ucrânia e todos os interesses ali envolvidos, que não se limitam ao próprio país e à Rússia mas que também se estendem a muitas outras partes do mundo: como muito bem sabem os Estados Unidos da América e os seus obedientes parceiros europeus.

 

E se por acaso a queda do avião tiver outras origens?

Pelo aspecto geral da zona de impacto – com o que resta do avião completamente pulverizado numa zona não muito extensa – tudo aponta para a sua destruição total aquando do seu impacto brutal com o solo. No entanto as últimas informações vindas de território ucraniano (sob controlo das autoridades rebeldes de leste) – o avião terá caído a menos de 20 Kms da fronteira russa – poderão mesmo apontar para uma explosão em pleno voo, seja provocada pelo impacto exterior de um míssil ou por uma explosão no interior do próprio avião. Entretanto fala-se de que a caixa negra já foi capturada pelos rebeldes ucranianos pró-russos: “E do céu caíam cinzas, destroços e cadáveres – alguns ainda presos às suas cadeiras e com crianças à mistura”.

 

E agora de que é que está à espera a Europa?

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

21
Mai 14

Nunca vi um avião a esvaziar-se e a desaparecer em pleno voo. Nem mesmo com o divertido Dumbo que quando se enchia e se esvaziava ainda lhe sobrava a cobertura. Mas na realidade o avião simplesmente evaporou-se no ar desmentindo a afirmação de que “tudo o que se eleva acaba sempre por descer”.

 

 

Official Accuses Obama and the CIA of Being Involved in the Cover-up

 

The CIA and President Barack Obama are covering up what really happened to missing flight MH370, a top former official said, as families suffered even more after they've been told the plane had been shot down by the United States-led military training exercise participants in the area.

 

(texto em inglês: Humans Are Free – imagem: Street Democracy)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:37

03
Mai 14

Se um dia estiveres a viajar de avião e reparares que uma das suas asas está a arder, deves calmamente levantares-te do teu lugar e sem movimentos bruscos que possam provocar o alarme aos restantes passageiros, procurar imediatamente a hospedeira do ar e sinalizar-lhe o perigo. Tomando conhecimento da ocorrência a hospedeira assumirá as decisões mais adequadas para estas situações, confirmando visualmente (e previamente) a versão do passageiro e comunicando de imediato ao seu comandante. Alertado pelo aviso de fogo numa das asas do seu avião, o comandante completará o círculo de segurança tomando em mãos o controlo total do acontecimento.

 

Perth – Austrália – Abril 2014

 

Todos nós sabemos que no Universo toda a matéria está em movimento, com uma infinidade de partículas circulando com os mais diferentes parâmetros e nas mais variadas dimensões, acabando mais cedo ou mais tarde por se encontrarem e interagirem entre si, provocando aquilo a que nós chamamos como eruditos incidentes ou como simples leigos acidentes. Sempre envolvendo a transformação e a troca de energia, estes incidentes confluem sempre num choque envolvendo fenómenos de acção e de reacção, que no nosso caso particular e dependendo das cargas e das forças utilizadas, será certamente definitivo e fatal.

 

Nunca andei de avião e tenho as minhas vertigens. Além disso no caso de avaria mecânica em pleno voo, sem pára-quedas ou outra qualquer possibilidade de fuga, só nos resta gritar e ir morrendo aos poucos no meio do maior sofrimento e do mais profundo terror. Situação ainda mais agravada – desde o dia em que um avião desapareceu misteriosamente nos céus da Ásia – pela hipótese sempre presente de ao levantarmos voo da terra em direcção ao céu, não sermos mais vistos nem achados cá por baixo.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:29

24
Mar 14

Boeing 777 despenhou-se no Índico e não há sobreviventes

 

“Decreta-se o despenhamento do avião e a não existência de sobreviventes”

(informação via – UK Air Accidents Investigation Branch)

 

Em quinze dias os produtores recriaram o guião do novo episódio final

 

A justificação apresentada baseia-se na análise de dados obtidos via satélite da trajectória seguida pelo avião das Linhas Aéreas da Malásia, cujo último sinal o colocava em pleno oceano Índico, nas proximidades da cidade australiana de Perth. Não foram no entanto adiantadas quaisquer tipos de explicações para o seu desaparecimento e para a sua queda final no mar, provocando 239 mortos entre passageiros e tripulantes. Provavelmente estaria – para azar de todos e com o desconhecimento dos pilotos – fora de serviço.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:12

15
Mar 14

“Evidence is consistent with someone acting deliberately from inside the plane”

(Prime Minister Najib Razak)

 

 

Tenham muita paciência mas custa muito a acreditar que naquela região tão sensível para os interesses geoestratégicos de tantas grandes potências mundiais – como a China, a Rússia e os EUA – nenhum deles saiba o que aconteceu na realidade: o avião é apenas um icebergue introduzido num cenário mais amplo e complexo apenas para confundir – por exemplo chamar ou desviar as atenções do mundo e da sua opinião pública para algo “importante”. No entanto isso só se verá se esta história tiver um fim: de momento o guião (secreto) continua a correr.

 

Pode ter sido um “Inside Job” a causa do desaparecimento misterioso do voo MH370 das Linhas Aéreas da Malásia. Passada mais do que uma semana sobre este acontecimento e face à não descoberta até ao momento de qualquer tipo de destroços que possam evidenciar a queda do referido avião – um Boeing que iria ligar Kuala Lumpur a Pequim – as atenções dos especialistas viram-se agora para uma outra hipótese explicativa: o avião poderia ter sido tomado de assalto a partir do seu interior e desviado para destino até agora desconhecido.

 

 

Com um raio de acção de vários milhares de quilómetros as hipóteses de destino são várias, desde o corredor mais a sul que inevitavelmente levaria o avião para o meio do Oceano Índico e a um fim trágico e mortal para todos os seus ocupantes – com a sua queda por falta de combustível nas suas águas profundas – até ao corredor mais a norte que o poderia levar a atravessar países asiáticos como o Paquistão, o Afeganistão e mesmo o Cazaquistão. Com os pilotos como principais suspeitos do “rapto aéreo” alarga-se agora a área de busca da aeronave desaparecida com mais de duzentos passageiros a bordo, tanto no ar, como no mar e agora mais atentamente e também em terra firme. Uma esperança temporária mas talvez ilusória para os familiares destas vítimas de sequestro de que os seus entes queridos ainda possam estar vivos.

 

Já agora qual será a diferença entre “hijacking” – o que aconteceu – e “apparent deliverate action” – o que o Primeiro-Ministro da Malásia afirma ter acontecido?

Ou será que já sabem o que se passou e já é a diplomacia política a actuar?

 

E se por trás disto tudo estiver a Al-Qaeda?

Então o Irão que se cuide e se prepare porque os EUA andam sempre (e antecipadamente) por perto.

 

(imagens – Web e Wikipedia)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:13

14
Mar 14

Se este acidente não foi um “Inside Job” (levado a cabo no interior do avião) então até poderá ter sido provocado (propositada ou inadvertidamente) por outros terrestres ou até por extraterrestres (uma abdução colectiva). Por favor! Ou nos estão a tomar por idiotas ou são mesmo incompetentes.

 

O avião terá invertido o seu sentido dirigindo-se depois em direcção ao Índico

 

Qualquer que tenha sido o destino do voo 370 das Linhas Aéreas da Malásia, o único facto indesmentível é que o mesmo largou como previsto de Kuala Lumpur com destino a Pequim, nunca tendo atingido no entanto o seu objectivo final. Pode-se imediatamente concluir que relativamente ao plano de voo deste avião algo de anormal se passou na sua execução, o que levou à alteração das suas condições técnicas de voo – por deficiência interna ou intervenção vinda do exterior – e no final ao seu (misterioso) desaparecimento.

 

Tal desaparecimento só poderá ter sido provocado – eliminando-se desde logo a hipótese de poder ter ocorrido alguma falha técnica interna grave – já que são várias as fontes que se referem insistentemente a uma mudança de rota do avião, voltando para trás na sua viagem em direcção à China e quase que invertendo a direcção da sua trajectória e à possibilidade cada vez mais forte de se ter mantido no ar durante pelo menos quatro horas – antes de todos os sinais possíveis de a ele serem associados desaparecerem completamente; para já não falar da incompreensível decisão dos pilotos caso estivessem a viver uma situação de emergência em desligar o transponder. Com aterragem em terra (a derradeira esperança dos familiares dos passageiros e dos tripulantes do avião) ou com queda no mar (infelizmente o cenário mais provável).

 

Com os dias a passarem – este acontecimento já tem uma semana – o milagre parece cada vez mais distante (a aterragem), caminhando-se agora aceleradamente para o cenário mais realista (e violento) e que acontece na esmagadora maioria destas situações: a queda do avião no mar com a morte de todos os seus ocupantes. O intervalo de tempo registado desde o seu desaparecimento é já bastante longo – veja-se o caso do avião que caiu no Atlântico na sua viagem Rio de Janeiro/Paris cujos destroços começaram a aparecer 4/5 depois – pelo que é cada vez mais forte a possibilidade de todos os seus passageiros e tripulantes (239) terem mesmo “Desaparecido em Combate”.

 

Não deixa no entanto de ser incompreensível senão mesmo inacreditável que com todos os sofisticados aparelhos civis e militares em actividade naquela região tão sensível do globo terrestre – com torres de telecomunicações, satélites espiões, radares, awacs e sei lá que mais – um objecto com aquelas dimensões e facilmente detectável se tenha simplesmente esfumado no ar.

 

(imagem – tmz.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:58

13
Nov 11

A Nuvem – Dmitry Gorilovskiy – África do Sul

 

Num safari em África, nem sempre os animais são os únicos pontos de interesse, de uma aventura previamente planeada. Aqui uma nuvem com uma forma bizarra – parece um OVNI – atira os nossos pensamentos para outras áreas de reflexão, demonstrando que por vezes o estranho, é uma fonte de ideias úteis, como outra qualquer.

 

O próximo Concorde – Lockheed Martin/NASA

 

É estranha a forma deste avião de forma alongada e aspecto perfurante, apetrechado de duas asas unidas por um arco, provavelmente para melhoria de seu suporte aerodinâmico e performance de voo. Esta máquina de cor verde poderá atingir velocidades na ordem do dobro da velocidade do som.

 

(a partir de NGM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:36

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO