Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Abr 19

Numa análise aos resultados, com a Esquerda a conquistar 185 lugares, a direita 155 lugares e com os restantes 10 lugares a irem para coligações de várias ideologias. Significando a subida do PSOE ao poder (com maioria relativa), obrigatoriamente coligado com outras formações do mesmo espectro ideológico (PODEMOS, ERC, BILDU ou COMPROMISSO) − de modo a assim alcançar a Maioria Absoluta (176 Lugares). Sendo o mais evidente uma coligação PSOE/PODEMOS/ERC (representando 180 lugares) com o PSOE no Governo e com o PODEMOS/ERC a apoiarem-no no Parlamento.

 

2019-04-28T214009Z_1_LYNXNPEF3R0QJ-OCATP_RTROPTP_2

Celebrando em Madrid

A vitória do PSOE nas Eleições para o Parlamento em Espanha

(28.04.2019)

 

P

Id

Votos

%

L 2019

G/P

PSOE

E

7.476.537

28,7

123

+38

PP

D

4.352.835

16,7

66

-69

CIUDADANOS

D

4.133.538

15,9

57

+25

PODEMOS

E

3.730.653

14,3

42

-24

VOX

D

2.675.455

10,3

24

+24

ERC

E

1.019.320

3,9

15

+6

JUNTS

-

497.536

1,9

7

-1

NAC. BASCO

D

394.627

1,5

6

+1

E H BILDU

E

258.840

1,0

4

+2

CC-PNC

-

136.923

0,5

2

+1

NAVARRA S.

D

107.124

0,4

2

0

COMPROMISSO

E

172.360

0,7

1

+1

PRC

-

52.197

0,2

1

+1

Total

-

36.893.976

-

350

-

Maioria: 176

(P: Partido Id: Ideologia L 2019: Lugares em 2019 G/P: Ganhos/Perdas E: Esquerda D: Direita)

 

Verificando-se uma estrondosa derrota do PP − nem se percebendo bem a não demissão do seu líder ou a marcação de um congresso extraordinário (talvez motivado pela proximidade das Eleições Europeias) – perdendo mais de metade (51%) da sua representação parlamentar anterior (Eleições de 2016), maioritariamente deslocando-se para CIUDADANOS e VOX (mais de 70%). E uma inversão de posição entre PODEMOS (perdendo 24 lugares) e CIUDADANOS (ganhando 25 lugares). No restante mantendo-se tudo muito semelhante e realçando-se (mais uma vez) a vitória do PSOE: agora na Península Ibérica partilhando o poder com o seu congénere português − o PS (o tal tendo a patente da Geringonça).

 

(imagem: Sergio Perez/Peuters/yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:40

02
Abr 19

[Eleições Presidenciais a 31 de Março (1ª volta) e 2ª volta a 21 de Abril (sendo necessária). E sendo-o na realidade, entre um oligarca (milionário, não exilado, envolvido em negócios ilegais e temporariamente esterilizado) e o representante de um outro oligarca (milionário, exilado, envolvido em negócios ilegais e perseguido no presente pela Justiça oficial).]

 

Kiev, Ukraine

(News)

 

maidan-fractures_large_large.png

1

Since the start of the Maidan protests six months ago,

Ukraine has been at the centre of a crisis

which has exposed and deepened the fault-lines

− geopolitical, historical, linguistic, cultural −

that traverse the country.

(Ukraine’s Fractures/Volodymyr Ishchenko/01.07.2014)

 

“Early results Monday in Ukraine's presidential election showed a comedian with no political experience maintaining his strong lead against the incumbent in the first round, setting the stage for a presidential runoff in three weeks. With over 70 percent of the polling stations counted, Volodymyr Zelenskiy had 30 percent support in Sunday's vote, while President Petro Poroshenko was a distant second with just over 16 percent.”

(cbsnews.com)

 

Um país literalmente dividido (certamente sem o consentimento do seu povo)

em duas partes incontactáveis (e nelas se mantendo enclausurado e dividido).

E desta forma sem solução (salvação) à vista, seja armada ou desarmada.

 

Euromaidan_01.JPG

2

Demonstração Pró-EU na Ucrânia

Kiev 27.11.2013

(mais próximos da fronteira Ocidental)

 

2014-03-09._Протесты_в_Донецке_022

3

Demonstração Pró-russa na Ucrânia

Donetsk 08.03.2014

(mais próximos da fronteira com a Rússia)

 

Concluída a 1ª volta das eleições presidenciais na Ucrânia marcada para 31 de Março (passado domingo) – com mais de 90 candidatos a apresentarem documentos, pouco mais de 40 a serem registados, pouco menos de 40 a poderem concorrer (39) e finalmente com pouco mais de uma mão cheia deles a poderem vencê-las – confirmam-se os resultados para os quais as sondagens previamente apontavam (relativas a 25 de Março) indicando corretamente quais os 5 candidatos mais votados e a sua correta ordenação (como se verifica na tabela seguinte):

 

Resultados da 1ª volta das Eleições Presidenciais na Ucrânia

(31 de Março de 2019)

 

Candidato

Partido

(apoio)

Ideologia/Posição Política

Sondagem

%

Resultado

%

Volodymyr Zelensky

Servant of the People

Populista /Pró-Europeu/Todas ideologias

28/29

30.41

Petro Poroshenko

Independent

(PPBS)

Nacionalistas-Cristãos/Pró-Europeus/Direita

18/19

16.03

Yulia Tymoshenko

Fatherland

Populista/Pró-Europeu/Direita

14/15

13.24

Yuriy Boyko

Independente

(OB)

Liberais/Eurocéticos/Centro-Direita

9/10

11.55

Anatoliy Hrytsenko

Civil Position

Conservadores/Liberais/Pró-Europeu

8/9

7.03

(os 5 candidatos mais votados/num total de 39)

 

Владимир_Зеленский_(2018).jpg

4

Zelensky

30% na 1ª volta das Presidenciais de 2019 na Ucrânia

(vencedor da 1ª volta e candidato/favorito na 2ª)

 

Não tendo nenhum dos candidatos mais votados obtido mais de 50% dos votos (condição para ser eleito logo à 1ª volta) tendo-se de realizar uma 2ª volta Presidencial marcada para o próximo dia 21 de Abril (do passado domingo a 3 semanas) tendo como únicos candidatos os dois mais votados na 1ª volta (realizada ontem): VOLODYMYR ZELENSKY (perto dos 30%) e PETRO POROSHENKO (perto dos 16%). Eliminando desde logo da corrida Yulia Tymoshenko, um dos candidatos afirmando-se favorito (uma mulher) e reclamando desde já de manipulação eleitoral (a favor de Poroshenko com o poder instalado recuperando-o para a 2ª volta).

 

Sendo assim no próximo dia 21 de Abril com dois candidatos lutando entre si de modo a garantirem para os próximos anos (2019 − ????) a presidência da Ucrânia, de um dos lados tendo o atual Presidente POROSHENKO com toda a sua máquina estatal/eleitoral a apoiá-lo, além de ser de todos os candidatos o que mais fundos de apoio (privados) recebeu estimados em mais de $15 milhões (com Tymoshenko em 2º/$12 milhões e Zelensky em 3º/$4 milhões) − o candidato do mais completo status quo (e da total indiferença) face ao que se passa no extremo leste da sua pátria – e do outro lado (fazendo-nos recordar o ocorrido noutras circunstancias e recentemente na Itália, com a vitória do partido fundado por Beppe Grillo/o Palhaço − o Movimento 5 Estrelas − hoje a maior força italiana e liderando o Governo) apelando o voto ao eleitorado mais jovem e simultaneamente dizendo-se (lhes) antissistema (sendo pouco mais de 12 anos mais novo que Poroshenko), tendo o oponente ao atual presidente o conhecido Comediante ZELENSKY: o mesmo que no seu programa de TV (ucraniana) Servo do Povo − e como seu principal personagem se colocou na posição de Presidente (personificando o seu atual adversário) interpretando-o/introduzindo-o à sua Comédia.

 

800px-Official_portrait_of_Petro_Poroshenko.jpg

5

Poroshenko

16% na 1ª volta das Presidenciais de 2019 na Ucrânia

(2º na 1ª volta e candidato/ainda Presidente na 2ª)

 

E no meio deste conflito (global e não regional por incluir duas grandes potencias como a Rússia e os EUA) que envolveu a Ucrânia, levando-a do atraso e da pobreza (então reinante) a um reerguer bem prometedor e de relativo sucesso (veja-se a organização em conjunto com a Polónia do EURO 2012/prova em que Portugal foi eliminado nas meias-finais pela Espanha/que se sagraria Campeã nos penaltis) mas inexplicavelmente (para a generalidade do seu Povo) e no fim deste percurso à Guerra Civil e à destruição quase total do lar de mais de 45 milhões de habitantes – com o futuro da Ucrânia a não se perspetivar melhor do que o é no presente, ou não fosse o Povo (algum dele pois ainda existe o leste) ter de escolher entre um tipo de aspeto sério, milionário e já com um grande historial (e experiência) de fácil convivência com a corrupção (oriunda sob a forma de ajuda e como forma de financiamento sobretudo do Ocidente) e um outro (que poderia ser a cópia-anti cópia-complemento-réplica do anterior) de aspeto mais jovem e divertido, com o sangue de Comediante no corpo e declarando-se antissistema, mas no fundo apresentando um discurso (ideias) vago − “Se não tem promessa, não tem deceção” (Zelensky) – e com o ”Rabo-de-Fora”.

 

“Com Zelensky

(o candidato a Presidente da Ucrânia em 2019 e o Protegido/presa)

a afirmar não ser uma marioneta de Kolomoisky

(o milionário e oligarca ligado a negócios ilícitos e além do mais o Protetor/predador)

 

Ou não fosse o Comediante e muito simplesmente a face da mesma moeda (do poder oficial/ucraniano), assumindo-se como anticorrupção, mas sofrendo igualmente de um (o seu) pequeno problema: tendo por trás de si outro indivíduo como Poroshenko (outro oligarca/milionário), que por acaso lhe abriu as portas da TV (e da sua grande popularidade) reforçando-lhe o seu apoio nas vésperas deste ultimo ato eleitoral − chamado Igor Kolomoisky no presente exilado e perseguido pela Justiça (outro que tal) talvez por corrupção (e outros negócios ilícitos).

 

(legendas e imagens: a partir de commons.com.ua [1] e wikipedia.org [2/3/4/5])

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:43

18
Nov 18

[Resultados]

 

Nas Eleições Gerais de 2018 realizadas no BRASIL – para a escolha do PRESIDENTE, para a escolha dos Membros do CONGRESSO (513 deputados e 54 Senadores) e para a escolha de GOVERNADORES (13) – mais de 147 milhões de eleitores dos mais de 208 milhões de brasileiros decidiram nas urnas o futuro do seu grande país: o 5º maior país do Mundo em Extensão, o 6º maior do Mundo em População e o 8º maior do Mundo no PIB.

 

Eleição para Presidente

(novo Presidente)

 

262340_768749653259814_7328830310507165652_n.jpg

Jair Bolsonaro

O Messias Salvador do Brasil

(presente nestas eleições)

 

Candidato

Partido

Votos

%

Jair Bolsonaro

PSL

57.797.847

55

Fernando Haddad

PT

47.040.906

45

 

Com o Brasil extremamente dividido entre ESQUERDA (para a Direita ligada à Corrupção) e DIREITA (para a Esquerda ligada ao Fascismo) e com os políticos seus representantes e tal como SALOMÃO dividindo a CRIANÇA AO MEIO (o BRASIL) – pouco se preocupando com a mesma continuar Viva ou Morta – sendo natural que um EXTREMISTA (em princípio o pior de todos) chamando a si as derradeiras Esperanças de um Povo ganhe as eleições.

 

Eleição para o Congresso

513

(nova composição)

 

Partido

Lugares

PT

56

PSL

52

PP

37

MDB

34

PSD

34

PR

33

PSB

32

PRB

30

PSDB

29

DEM

29

PDT

28

(Restantes 19 com 13 lugares ou menos)

(119)

 

Como já se poderia constatar com o resultado das Presidenciais (1ª/2ª volta) – com o Brasil praticamente dividido ao meio, com pouco mais de 50% de votos a ir para Jair Bolsonaro (o candidato do PSL) e pouco menos de 45% a ir para Frenando Haddad (o candidato do PT) isto apesar dos ainda 10 milhões de diferença entre ambos os candidatos – surgindo duas Assembleias Parlamentares (Congresso e Senado) bastante fragmentadas e onde o entendimento (político) senão for impossível pelo menos será dificílimo.

 

Eleição para o Senado

81

(nova composição)

 

img-336652-dilma-rousseff-e-luiz-inacio-lula-da-si

Lula da Silva e Dilma Rousseff

Inimigos Públicos do Brasil

(ausentes nestas eleições)

 

Partido

Lugares

MDB

12

PSDB

9

PSD

7

PT

6

DEM

6

PP

5

REDE

5

PODE

5

PSL

4

PDT

4

PTB

3

(Restantes 19 com 2 lugares ou menos)

(15)

 

E se JB ganhou nas Presidenciais (55%), o PT ganhou no Congresso (56 em 513) e o MDB ganhou no Senado (12 em 81) – para além dos Governadores do PT serem os mais numerosos (4 em 27) – tendo-se de concluir serem estas margens ridículas (para os ditos vencedores) para delas se conseguir algo (exceto no caso do Presidente senão descarrilar antes). Surgindo logo a perspetiva de que a Corrupção agora aliada à Força Bruta será a Renovada Opção, continuando o Brasil à deriva e sujeito a toda a exploração (especialmente e como sempre osmais desprotegidos).

 

20181116230737119999u.png.jpg

Senado e Câmara de Deputados

Base de Apoio a Bolsonaro

(consistente e condicionada)

 

Eleição para Governador

26+1

(situação atual)

 

Partido

Governadores

PT

4

MDB

3

PSB

3

PSDB

3

PSL

3

PSC

2

DEM

2

PSD

2

(Restantes 22 com 1 cargo ou menos)

(5)

 

Ultrapassadas as Eleições Gerais Brasileiras de 7 de Outubro de 2018 (e de 28 de Outubro dia da 2ª volta das Presidenciais) e com o Presidente Jair Bolsonaro prosseguindo ainda na escolha do seu elenco Governamental – entre eles tendo já optado por dois ministros ex-Generais, um ministro fã de Trump, um ministro líder da bancada do BOI, um ministro ex-Juiz do Lava-Jato e até um ministro ex-astronauta – pelas suas Ideias e Ações como pelo seu deliberado extremismo, prevendo-se a concretização do pior cenário como parece já estar a suceder neste caso na Educação (como o refere a publicação tradicionalista francesa Le Monde):

 

“Cruzada da extrema-direita brasileira contra o sistema educacional estimulada por Jair Bolsonaro. O objetivo do militar será atenuar as críticas à ditadura … A extrema-direita brasileira convencida de que a escola é assombrada pelo comunismo e pela apologia de comportamentos desenfreados, está apoiando um projeto de lei que visa obrigar os professores à neutralidade e ao respeito às convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis … E Bolsonaro ainda quer que os alunos possam filmar seus professores para denunciá-los. Pretende retirar toda a legitimidade dos professores e das escolas em contradizer as famílias no tema da educação moral, sexual e religiosa.” (revistaforum.com-br)

 

(fonte: wikipedia.org e imagens: linhares.info – uol.com.br – correiobraziliense.com.br)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:12

06
Nov 18

6 Novembro 2018:

Senado (35 de 100), Representantes (435 de 435),

Governadores (36 de 50).

 

dims.jpg

2018

US MIDTERM ELECTIONS

Apesar de mais uma Tentativa dos Russos

De Manipularem as Eleições Norte-Americanas

 

Esta terça-feira dia 6 de Novembro de 2018 coincidindo com o cumprimento de metade do mandato do Republicano DONALD TRUMP como 45º Presidente dos EUA (tendo ganho as Eleições Presidenciais a 8 de Novembro de 2018) – e coincidindo igualmente com a 2ª grande derrota da Democrata Hillary Clinton (a 1ª em 2008 na corrida a candidato presidencial pelos DEM derrotada frente a Barack Obama – curiosamente com Hillary a ganhar no Voto Popular mas com Obama a ter a Maioria de Delegados) – realizam-se as ELEIÇÕES INTERMÉDIAS de 2018 para o SENADO, para a CÂMARA dos REPRESENTANTES e para o cargo de GOVERNADOR. Mantendo-se o Presidente (cumprindo o seu mandato pelo menos mais dois anos/e podendo candidatar-se ainda a um 2º mandato).

 

SENADO

 

S

(composição atual)

Partido

S

(atribuídos)

S

(em disputa)

S

(total)

S

(em jogo)

51

Republicano

42

S1

42+S1

9

49

Democrata

23

S2

23+S2

26

100

(Totais)

65

35

100

35

(S: Senadores)

 

Para o SENADO estando em disputa 35 dos seus 100 lugares (maioria do Senado aos 51), para já com os REPUBLICANOS em vantagem (sobre os DEMOCRATAS) com 42 senadores REP contra 23 senadores DEM; para a CÂMARA dos REPRESENTANTES estando em disputa todos os seus 435 lugares (maioria da Câmara aos 218); e para o cargo de GOVERNADOR de momento com REPUBLICANOS e DEMOCRATAS empatados (7 Governadores REP e 7 Governadores DEM) estando em disputa outros 36 cargos (sendo 50 os Estados). Com os primeiros resultados a começarem a aparecer por volta das 07:00 p.m. ET (costa Atlântica) e com os últimos a surgirem pelas 11:00 p.m. ET (costa do Pacífico) o Alasca às 01:00 a.m. ET. Ou seja durante a madrugada de 7 (quarta-feira).

 

REPRESENTANTES

 

R

(composição atual)

Partido

R

(atribuídos)

R

(em disputa)

R

(total)

R

(em jogo)

241

Republicano

0

R1

R1

241

194

Democrata

0

R2

R2

194

435

(Totais)

0

435

435

435

(R: Representantes)

 

E de acordo com as últimas sondagens realizadas nos EUA (mantendo-se estas e acreditando-se nessas mesmas previsões) com os REPUBLICANOS a manterem a Maioria no SENADO (mantendo-se a sua composição mais ou menos na mesma), com os DEMOCRATAS a reconquistarem a CÂMARA dos REPRESENTANTES (mas não com uma grande diferença) e com os REPUBLICANOS (mais uma vez) a manterem a maioria de Governadores (mas agora com uma vantagem mais pequena). Mas como na América nunca ninguém sabe bem o que dali sairá – ou não fossem extremistas de DEPLORÁVEIS a EXCECIONAIS – restando-nos apenas esperar (norte-americanos e o Mundo) e descobrir qual o Vencedor: no fundo os TRUMP ou os CLINTON e certamente Mais Ninguém (e nada para o ZÉ NINGUÉM já quase nos 8 biliões).

 

GOVERNADORES

 

G

(composição atual)

Partido

G

(atribuídos)

G

(em disputa)

G

(total)

G

(em jogo)

33

Republicano

7

G1

7+G1

26

17

Democrata

7

G2

7+G2

10

50

(Totais)

14

36

50

36

(G: Governadores)

 

(imagem: engadget.com/Getty Images)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:43

05
Nov 18

If You’re Sure You Know What’s Going to Happen on Tuesday,

You’re Wrong.

The rise of Trumpism has changed the shape of the electorate.

We are working our way toward a new political dispensation.

(Christopher Buskirk/nytimes.com/04.11.2018)

 

merlin_145897416_ee34a75f-ae4f-449f-98fd-428689fa4

Supporters of President Trump cheer as he arrives on stage

(during a MAGA campaign rally in Charlotte, N.C. last week)

 

A menos de 24 horas da realização das Eleições Intermédias Norte-Americanas de 2018 (a meio do mandato de Donald Trump como 45º Presidente dos EUA) – US MIDTERM ELECTIONS elegendo parte do Senado (35 dos 100 senadores), a totalidade da Câmara dos Representantes (435 em 435 deputados) e os Governadores de cada estado (50 em 50) – as últimas sondagens realizadas mantêm as tendências até aqui observadas: vitória no SENADO para os REPUBLICANOS, vitória na CÂMARA dos REPRESENTANTES dos DEMOCRATAS e maioria de GOVERNADORES sendo REPUBLICANOS.

 

8561538trump_2718891a.jpg

2018 US Midterm Elections

(episódio da 2ª Temporada da série CLINTON VS. TRUMP)

 

No entanto e face ao que se passou no último ato eleitoral de 6 de Novembro de 2016, entre outras consequências tendo como resultado surpreendente a eleição de DONALD TRUMP e a inacreditável derrota de HILLARY CLINTON – com DT apesar do menor número de votos expressos a conseguir a maioria no Colégio Eleitoral sobre HC – com todas estas sondagens a poderem mostrar-se inconclusivas e a poderem originar resultados contrários (aos sugeridos nas consultas): dada a divisão dos EUA ao meio e a grande aproximação – entre REP e DEM – nas sondagens.

 

Eleições

REP

DEM

P/Atribuir

Total

Maioria

Senado

50

(52)

43

(48)

7

(0)

100

51

Representantes

 

195

(-)

202

(-)

38

(-)

435

218

Governadores

20

(26)

18

(24)

12

(0)

50

26

Eleições Intermédias – Sondagens

(e Previsões de resultados)

 

Pelo que fazendo FÉ nas últimas sondagens oriundas dos EUA (aqui consultando realclearpolitics.com) tudo se podendo manter na mesma – Presidência, Senado, Representantes e Governadores com maioria REP (controlando tudo mas com uma margem menor) – ou então modificar-se mas apenas um pouquinho – com os DEM a conquistarem a Câmara dos Representantes (obtendo a maioria) e a poderem fazer a vida ainda mais negra ao Presidente Donald Trump (e aos REP). Na madrugada de 6 para 7 (de Novembro) – e como um Episódio na sua 2ª Temporada – se verá se ganha TRUMP ou os CLINTON (e os norte-americanos e o mundo que se lixem).

 

(imagem/legenda: Doug Mills/The New York Times e madan.org.il)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:04

01
Nov 18

[Sondagens a 1 de Novembro de 2018/Quinta-feira.]

 

Eleições

Intermédias

Senadores

(100)

Representantes

(435)

Governadores

(50)

Republicanos

50

198

26

Democratas

44

204

24

(Indecisos)

(6)

(33)

(0)

(Maiorias: Senadores/51 – Representantes/218 – Governadores/26)

 

Com as Eleições Intermédias Norte-Americanas marcadas para o dia 6 de Novembro de 2018 (próxima terça-feira) e para além de se saber antecipadamente da manutenção de DONALD TRUMP (neste 1º mandato) como PRESIDENTE dos EUA (um REPUBLICANO)

 

– Após essa data de escolha Eleitoral –

 

Nas Eleições para o SENADO, nas Eleições para a Câmara dos REPRESENTANTES e na Eleição dos GOVERNADORES, tudo parece ainda (até ao último minuto) verdadeiramente estar em jogo:

 

Antes de 6 de Novembro com os REPUBLICANOS em maioria nas três Eleições

 

– Senadores, Representantes e Governadores –

 

us-capitol-building-400x565.jpg

The Democrats Might Lose the US Midterm Elections

(Uwe Bott/01.11.2018/theglobalist.com)

 

E após a mesma data com as últimas sondagens a apontarem para a manutenção da Maioria REPUBLICANA no SENADO e GOVERNADORES

(mesmo que mais reduzida)

E invertendo a situação, com os DEMOCRATAS a atingirem-na

(a sua Maioria)

Mas nos REPRESENTANTES

(expressando-se numa ligeira diferença entre os DEM em maioria e os REP).

 

Halloween_se.jpg

When Donald Trump goes low, the Democrats go lower

(Freddy Gray/27.10.2018/spectator.co.uk)

 

E em função destas Eleições Tripartidas (SENADO/REPRESENTANTES/GOVERNADORES) dependendo o cenário político norte-americano (já feio) durante os próximos dois anos (até às próximas Presidenciais e podendo ficar muito pior):

 

No cenário mais provável com os Republicanos a obterem a maioria no Senado e (no nº de) Governadores

 

E com os Democratas a revirarem a Câmara (de Representantes) ficando a deter a maioria

 

– E nesse caso certamente com a Guerra a continuar, a situação a agravar e o Mundo a abanar.

(numa espetáculo circense travado entre dois Mortos-Vivos – HILLARY/TRUMP)

 

(dados/sondagens: realclearpolitics.com – imagens/legendas: as indicadas

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:57

28
Out 18

Presidenciais Brasil

(2ª volta – 28 Outubro – sondagem)

 

oba8.jpg

Brasil

28 Outubro 2018

 

BOLSONARO: 54%

(candidato apoiado pelo PSL)

HADDAD: 46%

(candidato apoiado pelo PT)

 

A cada hora que passa com o avanço do candidato BOLSONARO sobre o candidato HADDAD a esfumar-se rapidamente – nos últimos dias da campanha da 2ª volta das Presidenciais brasileiras com a vantagem do candidato da DIREITA a descer de 19% para 8% sobre o candidato da ESQUERDA – torna-se no entanto evidente que dada a inversão tardia da intervenção dos Políticos e dos Média (nacionais e internacionais) no seu apoio aos candidatos (deixando de uma forma negligente e imprudente Bolsonaro avançar, como se o cenário não se proporcionasse ao aparecimento de extremistas) se não acontecer um enorme Cataclismo Eleitoral ou algo de verdadeiramente Insólito dentro de poucas horas o BRASIL terá um Presidente populista, de direita, defensor da ditadura militar e apoiante da tortura: JAIR BOLSONARO nascido no estado de São Paulo há 63 anos.

 

Eleições Intermédias EUA

(Senado – Representantes - Governadores)

 

xl-2018-midterm-elections-1.jpg

EUA

6 Novembro 2018

 

Internédias

S

R

G

Republicanos

50

199

26

Democratas

44

205

24

(Indecisos)

(6)

(31)

(0)

(Total)

(100)

(435)

(50)

(Maioria)

(51)

(218)

(26)

(S: Senado R: Representantes G: Governadores)

 

Relativamente às Eleições Intermédias que irão decorrer a 6 de Novembro nos EUA – elegendo Senadores, recompondo a Câmara dos Representantes e escolhendo novos Governadores – mantendo-se a previsão de manutenção da maioria dos Republicanos no Senado, alteração da maioria na Câmara dos Representantes passando para os Democratas (mas com um nº de representantes DEM e REP muito próximos) e finalmente maioria de Governadores Republicanos (apesar de uma clara quebra REP desde as últimas eleições com os DEM quase a equilibrarem). E deste emaranhado se concluindo – sabendo-se o que se passa atualmente na sociedade norte-americana (em geral), entre os seus diversos níveis de poder (de política interna e externa) e apoiando-nos em situações semelhantes, anteriores e de sentido partidário contrário – que nada de bom aí virá senão o endurecimento da luta entre TRUMP e os seus Inimigos: ou seja em Nova Temporada a continuação do conflito (pessoal) TRUMP/CLINTON com todos os outros 300 milhões (apenas) a assistirem.

 

(imagens: thefolha.com.br – nitty-grittynews.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:40

22
Out 18

Vote count begins

After chaotic Afghan elections.

(washingtonpost.com/publicado em 22.10.2018)

 

Vamos varrer do mapa esses bandidos vermelhos.

Uma limpeza nunca vista na história desse País.

(Jair Bolsonaro/publicado em 22.10.2018)

 

Over 7K-strong, migrant caravan pushes on.

Still far from US.

(apnews.com/publicado em 22.10.2018)

 

cartoon-us.jpeg

 

Na sequência das Eleições Legislativas e Regionais no Afeganistão (último fim-de-semana) e das Presidenciais no Brasil (próximo fim-de-semana/28 Outubro), realizam-se na primeira semana de Novembro as Eleições Intermédias Norte-Americanas (dentro de aproximadamente quinze dias/6 Novembro). No caso das Eleições brasileiras tratando-se da 2ª volta das Eleições Presidenciais – com BOLSONARO (o TRUMP BRASILEIRO) e HADDAD (o Vilão representando o PT) – e no caso das Intermédias nos EUA de eleições para a Câmara dos Representantes, para o Senado e Governadores – confrontando REPUBLICANOS e DEMOCRATAS.

 

Candidato

P (%)

Jair Bolsonaro

59

Fernando Haddad

41

Sondagens/Brasil

Consultora Fitch Solutions

(P: Presidente)

 

Sobre as Eleições no Afeganistão – um país com cerca do triplo da nossa população e 7X a dimensão de Portugal – não se sabendo ainda os resultados e provavelmente pouco importando (para os afegãos e para o Mundo), com o estado de Guerra Civil há anos aí instalado envolvendo de um lado os EUA (atacando o país alegadamente albergando Bin Laden) e do outro os TALIBÃ (força tendo governado o Afeganistão de 1996/2001 antes de derrubados pelos norte-americanos). E dos 8 milhões registados (cidadãos com direito de votar) tendo votado 4.4 milhões (55%) – sábado e domingo (20/21 Outubro) apesar dos ataques terroristas (Al-Qaeda e Estado Islâmico/financiados pela coligação de interesses EUA/Arábia Saudita) provocando perto de 50 vítimas mortais (esmagadoramente civis).

 

_103729262_bbc_fake_foto01.jpg

Mais montagens:

Na quarta (26 de Setembro)

O boato mais difundido é contra a imprensa

Com capas falsas de revistas brasileiras

 

Já nas eleições Presidenciais a decorrerem no Brasil, com a certeza absoluta prestes a estar confirmada (vejam as suas poderosas Igrejas e o seu apoio incondicional), com a eleição do candidato dito da EXTREMA-DIREITA assim como da REAÇÃO – o candidato do PSL JAIR BOLSONARO; e com o outro candidato personificando Lula e dito de ESQUERDA (mas jamais sendo ele, perdido o original) apoiado pelo PT E de nome FERNANDO HADDAD a não ter a mínima hipótese – personificando em si a CORRUPÇÃO (dito o maior mal do Brasil) – ficando a grande distância e levando uma grande tareia (para já a uns 20% talvez no final a uns 30%). Não esquecendo as FAKE NEWS (maioritariamente/mas não só oriundas de Bolsonaro) como ferramenta importantíssima nas eleições no Brasil.

 

Partido

S (nº)

R (nº)

G (nº)

Republicano

50

199

23

Democrata

44

205

19

(Indecisos)

(6)

(31)

(8)

(Total)

(100)

(435)

(50)

(Maioria)

(51)

(218)

( 26)

Sondagens/EUA

RealClearPolittics

(S: Senado R: Representantes G: Governadores)

 

Finalmente com as últimas eleições a realizarem-se neste período de tempo de cerca de quinze dias – as Intermédias Norte-Americanas a serem certamente as mais importantes, levadas a cabo a meio do mandato do 45ºPresidente dos EUA (Donald Trump) e com os Republicanos a dominarem (tendo nelas a maioria) as duas câmaras (para além da Presidência): os Representantes e o Senado. Segundo as últimas previsões com Republicanos e Democratas dividindo entre si (aproximadamente) o número se Governadores, com os Democratas a obterem a maioria nos Representantes (por pouco mas sendo antes de maioria Republicana) e os Republicanos a maioria no Senado (mantendo-se aqui o estado anterior).

 

elecciones-usa-2016.jpg

2018 Midterm Elections

Elections Reloaded

Of

2016 USA Presidential Elections

 

Respeitando-se assim o cenário – confirmando-se as sondagens atuais de vitória Democrata nos Representantes e Republicana no Senado – podendo-se adivinhar a continuação de um panorama político conturbado (senão mesmo cada vez mais violento) pelo menos no interior dos EUA; exteriormente restando-nos apenas rezar ao Menino Jesus, esperando que Trump não se decida (com o poderoso Complexo Industrial Militar a ser um dos poucos que o apoia) a atacar (direta/indiretamente, económica/ou noutras áreas) a Rússia e a China: nesse dia que DEUS nos valha (mesmo na ponta da Península Ibérica).

 

(imagens: watchingamerica.com – bbc.com (e legenda) – ticbeat.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:43

15
Out 18

A 5 de Novembro e de novo a mesma história:

TRUMP ou CLINTON?

 

trump-clinton-map-comp.jpg

Duplo Impacto sobre os EUA

 

Com a realização no próximo dia 6 de Novembro (precisamente a meio do mandato do 45º Presidente dos EUA o Republicano Donald Trump eleito a 6 de Novembro de 2016) das Eleições Intermedias de 2018 – para a Câmara dos Representantes (todos os 435 lugares) e para o Senado (35 dos seus 100 lugares) para além de alguns Governadores (30/40) e outros cargos estaduais – todos os que se interessam pelo que se passa nos EUA (a nível de Poder) ainda mais quando o mesmo (a maior Potência Global) atravessa um dos seus piores períodos de Confrontação Política Interna – alimentada pelos Média e transformada em Guerra Civil (no mínimo) Comunicacional – aguardam com algum tipo de expetativa (ou não tivesse já ocorrido uma surpresa dois anos antes) os resultados desse ato eleitoral.

 

Ficando-se aí a saber se o cenário político e partidário norte-americano (atual) ainda se mantem – com os Republicanos a dominarem o Senado, os Representantes e a deterem a Presidência (ou seja a controlarem tudo) – ou se pelo contrário os Democratas surpreendem (ainda com os Clinton por detrás) chamando a si a maioria nas duas câmaras e a partir daí partindo para um renovado e eficaz ataque (esperando-se que Demolidor) ao seu Inimigo Público nº 1: Donald Trump. Isolando-o (TRUMP) e ao seu partido (REP) e relançando outro (CLINTON) para a sua 3ª tentativa (um feito pré presidencial).

 

maxresdefault.jpg

Os protagonistas das eleições intermédias

 

E de momento (sondagens de 12 de Outubro) com os Republicanos com uma ligeira vantagem no Senado (REP/50% e DEM/44% com maioria a 51%), com os Democratas com uma ligeira vantagem nos Representantes (DEM/205 lugares e REP/201 lugares, maioria com 218 lugares) e com os Republicanos com uma ligeira vantagem nas corridas para Governador (REP/23 e DEM/19); não significando que tais sondagens se confirmem dentro de aproximadamente três semanas (a 6 de Novembro) – com o cenário final a poder ser completamente diferente (mas no final e como sempre, tudo se encaixando de novo) – mas restando desde já a certeza que o período de forte convulsão política se manterá mesmo após as Eleições Intermédias de Novembro.

 

Coincidindo com o início (temporal e antecipado) do Tour Clinton (Bill Clinton & Hillary Clinton) talvez como lançamento (espacial e alargado) da recandidatura (dita/não confirmada a terceira/decisiva de Hillary). E dependendo a sua apresentação – e logicamente Estreia & Revelação (a 3ª de Hillary) – dos resultados de 6 de Novembro (naturalmente com duas versões para o que der e vier). E Donald Trump que se cuide.

 

(imagens: metro.co.uk/Getty – JurogalayDailymotion/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:41

10
Out 18

“No dia 28 de Outubro de 2018

O BRASIL virará convictamente à DIREITA.

Faltando saber se como todos ESPERAM (agora ainda ACREDITAM)

Se com algum tipo de SORTE (já que também acreditam no azar).”

 

Com JAIR BOLSONARO (46.03% – mais de 49 milhões de votos) e FERNANDO HADDAD (29.28% – mais de 31 milhões de votos) a decidirem no próximo dia 28 de Outubro (2ª volta das eleições presidenciais brasileiras) qual deles será o próximo Presidente do Brasil, dada a percentagem obtida (na 1ª volta), a fidelidade dos seus votantes (maioritariamente conservadores), as possíveis alianças futuras (com outros candidatos já afastados da corrida) e a sua campanha em crescendo (inclusive nos Média), o candidato dito da Extrema-Direita e apoiado pelo PSL/Partido Social Liberal JAIR BOLSONARO, é sem sombra de dúvida o grande favorito.

 

E mesmo com a aliança confirmada com outras forças de esquerda (e até do centro) tornando-se muito provavelmente numa missão impossível a remontada do candidato apoiado pelo PT/Partido dos Trabalhadores FERNANDO HADDAD, essencialmente devido à colagem do mesmo ao trio (agora para muitos diabólico) PT/Lula/Dilma (nunca esquecendo Temer) e ao grande volume do caudal de votantes (sempre em crescendo) entusiasmados com a chegada do Messias o Donald Trump Brasileiro.

 

grafico.jpg

 

Composição do Senado (81)

Composição da Câmara de Deputados (513)

(depois e antes das Eleições Brasileiras de Outubro de 2018)

 

grafico2.jpg

 

No que diz respeito às eleições para Senadores (81 lugares em disputa) e para Deputados (513 lugares em disputa),

 

No novo Senado com o MDB (partido de Temer) a manter a maioria relativa (12 senadores) – e no entanto perdendo 6 senadores (o grande derrotado) – com o PSDB (partido de Alckmin) a ser segundo (perdendo 4 senadores), com o PT (apoiando Haddad nasw presidenciais) a ser sexto (anteriormente 3ª força política, agora perdendo 3 senadores) e em contraponto (pela positiva) com o PSL (do fenómeno Bolsonaro) a estrear-se e a eleger 4 senadores. Sem dúvida que virando à direita;

 

E dirigindo agora a nossa atenção para a nova Câmara de Deputados e sua futura constituição (num total de 513 deputados) confirmando-se a viragem do eleitorado à direita mais vinda do centro (com a maior deslocação a ocorrer do centro para a direita) do que propriamente (e como seria de esperar) da esquerda: com a representação de esquerda praticamente a manter-se (nos 137/138 deputados), com o centro a perder mais de 60 deputados (passando de 137 para 75) e com a direita (inesperadamente e tal e qual um Vampiro) a apoderar-se desses lugares (passando de 238 a 301 deputados). Ou seja a maioria mesmo que relativa.

 

1536894194696.jpg

15391828455bbe10fd48897_1539182845_3x2_lg.jpg

Bolsonaro e Sanders

(segundo Sanders com Bolsonaro a integrar-se num novo eixo de poder autoritário, incluindo políticos como Trump/EUA, Putin/Rússia, Duterte/Filipinas e Erdogan/Turquia)

 

Já agora e complementarmente (já que aqui se falou do 45º Presidente norte-americano o republicano Donald Trump) deixando aqui e agora a opinião emitida ainda ontem (terça-feira dia 9 de outubro) pelo Democrata e ex-candidato (presidencial contra Hillary Clinton/nas Primárias Democratas) o nova-iorquino BERNIE SANDERS – logicamente sobre Bolsonaro (o Trump da América do sul):

 

“Bolsonaro tem um longo histórico de ataques contra emigrantes, minorias, mulheres e a população LGBT. Bolsonaro, que disse adorar Donald Trump, exaltou a ditadura militar brasileira e afirmou, entre outras coisas, que, para lidar com o crime, a polícia deveria ser utilizada a atirar em mais criminosos.”

(Júlia Zaremba/folha.uol.com.br/10.10.2018)

 

(imagens: exame.abril.com.br e José Luis Magana/AP/ folha.uol.com.br)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:01

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO