Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A Galáxia Cluster Abell SO295

Terça-feira, 25.05.21

Sabendo que a estrutura que suporta um “Aglomerado de Galáxias” (GALAXY CLUSTERS) poderá conter no seu interior centenas ou milhares delas (mantidas unidas entre si e formando um conjunto, por ação da força da gravidade), uma imagem de um desses grandes aglomerados (juntando estrelas de massas solares semelhantes e variando entre 10↑14 e 10↑15) numa imagem creditada à ESA/NASA/HUBBLE.

hst_abells0295.jpg

Aglomerado de Galáxias

GALAXY CLUSTER ABELL SO295

(só a Via Láctea/a nossa galáxia, possuindo centenas de biliões de estrelas)

 

Tratando-se do Aglomerado de Galáxias ABELL SO295 contendo dúzias/centenas de galáxias, um conjunto “pesado” e maciço (de um nº incontável de estrelas e de outros objetos) e de uma dimensão para nós Humanos (durando nem 100 anos e não tendo nem os 400.000Km de distância no Espaço), para já definida/entendida como incompreensível.

Uma imagem do Espaço exterior (ao nosso Mundo, o Ecossistema Terrestre) sendo para aqui chamada e nem sendo visível a olho nu (sem auxílio extra, que nos retire desta nossa limitação visual), não pelas suas caraterísticas particulares ou especial beleza (nem sequer estando por perto, para se poder usufruir presencialmente) mas por pela sua dimensão, mesmo só sendo visível recorrendo a instrumentos óticos especializados (estando tão longe), nos “colocar no nosso lugar” ─ tão pequenos que nós somos e tão mal nos tratamos.

(imagem: ESA/Hubble & NASA, F. Pacaud, D. Coe/syfy.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:40


1 comentário

De demolidor89 a 25.05.2021 às 15:23

Podemos imaginar agora a quantidade de buracos negros ou um superburaco negro a engolir os sistemas estelares à sua volta. Essa nossa pequenez e insignificância obriga-nos a ser humildes perante o Criador do Universo. E se o nosso universo for uma molécula de algo GRANDIOSO que escapa a nossa compreensão? Einstein ficou desiludido quando verificou que a Teoria da Relatividade não batia certo com a Teoria do Átomo Primevo (Bigbang) do padre Georges-Henri Édouard Lemaître nem com a Teoria da Mecânica Quântica (ou da incerteza ).

Comentar post