Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

04
Jan 15

À procura da terra a todos os homens prometida – antes de nos esclarecerem (e já depois do jogo se ter iniciado) que existiam homens e homens, uns iguais outros diferentes

 

emigracao-1a70.jpg

Fugindo do Egipto
(atravessando o Mediterrâneo em direcção à ilha de Malta)

 

Entre as dezassete melhores fotos do ano de 2014 (Expresso/31.12.2014), sem dúvida a imagem que melhor retrata o mundo em que hoje vivemos. O que todos nós ainda não compreendemos é que aquele “barco sem as mínimas condições de segurança”, representa a estrutura que irá suportar o nosso trajecto rumo ao futuro, aqui utilizado por todos nós em busca duma “quimera”, já há muito ultrapassada e esquecida.

 

Se olharmos com mais atenção para esta imagem e esquecermos todos os constrangimentos socialmente impostos aos nossos órgãos dos sentidos, mais cedo ou mais tarde iremos reconhecer nesta imagem alguém que nos seja familiar: até que um dia e não acreditando no que estivermos a ver, nos descobriremos a nós próprios. E se só “este ano, o sonho levou mais de 200 mil pessoas a arriscarem tudo para tentarem entrar em território europeu, tendo a viagem custado a vida a mais de 3000”, poderemos com uma simples operação ficar a saber que também nós já vamos no mesmo barco.

 

Exemplos da selvajaria democrática e legal perpetrada pelos políticos eleitos, sobre aqueles que aparentemente os elegeram para os representarem e defenderem

 

baraa-al-halabi-c256.jpg

Inferno no Mar, Inferno em Terra
(cidade de Aleppo na Síria)

 

E se ainda não há muito tempo eram os superiores senhores da nobreza que impulsionados pelas imagens de tesouros e riquezas se deixavam levar pelos fascínios de aventuras propostas pelas suas estáticas realezas (contando já com uma grande e crescente percentagem de trabalho escravo e colorido) – deslocando-se em elaboradas CARAVELAS – actualmente vivemos novos tempos em que desaparecidas as bases de sustentação das estruturas essenciais à manutenção mínima de qualquer tipo de organização social, são os senhores inferiores (como subprodutos dos senhores da nobreza) que impulsionados pelas imagens de ganhos imediatos e indiscriminados (sejam objectos ou sujeitos, com tudo igual a mercadoria) de tudo e com todos fazem negócio, com o balanço final agora a fazer-se entre contabilizando-se o número de vivos e de mortos – deslocando-se em frágeis BARCOS DE BORRACHA.

 

“Um homem transporta nos braços uma criança ferida num ataque à bomba no distrito de Kallaseh, norte da cidade de Aleppo, Síria, dia 3 de junho de 2014. Cerca de 2000 civis, incluindo mais de 500 crianças, foram mortas em ataques aéreos do regime, em áreas controladas por rebeldes.” (imagem anterior)

 

Com a chegada da crise às suas fronteiras, a Bruxa Má assentou arraial sobre as ruínas dos povos de leste, oferecendo o fruto vermelho do pecado à ingénua virgem ocidental

 

anatoly-maltsev-afp-0f3d.jpg

Um Anti-Cristo ocidental
(num mundo cheio de sombras e onde apenas visualizamos máscaras)

 

E não poderia terminar este momento de escrita sem mencionar o nome de uma das principais figuras públicas mundiais do ano de 2014 (segundo uma grande percentagem do público alvo, das grandes empresas de media e de marketing globais) – criada com a intenção de disfarçar e ofuscar o crescente poder económico chinês e não tanto com o objectivo por alguns pensado (e talvez desejado) de destruir a Rússia: o presidente russo (a ocidente o ditador) Vladimir Putin.

 

Acusado de apoiar o presidente sírio (a ocidente o ditador) Bashar al-Assad no genocídio do seu povo (esquecendo-se que numa guerra existem sempre e no mínimo duas partes), de anexar ilegalmente e em desafio às directivas impostas pela NATO a sua antiga província da Crimeia, alguns anos atrás oferecida à Ucrânia (se calhar com o compromisso de aí manterem a sua única base militar de entrada no mar Mediterrâneo tentando equilibrar o poderio da NATO) e até de estar implicado no abate do avião das linhas aéreas da Malásia sobre a zona leste da Ucrânia (a parte controlada pelos rebeldes) matando deliberadamente todos os seus tripulantes e passageiros.

 

E assim se cria um novo bode expiatório, um novo Judas, um novo Lobo Mau, um novo Diabo, um novo Bin Laden, enfim, um novo culpado para todas as coisas de mau que também nós ajudamos a criar. A culpa é dele, já me livrei dela.

 

“Durante um comício de protesto contra as acções militares russas na Crimeia, em São Petersburgo, na Rússia, um activista utiliza uma máscara com a cara do Presidente russo Putin enquanto mostra uma maçã vermelha, numa analogia com a bruxa má do conto infantil Branca de Neve, como símbolo de um presente envenenado.” (imagem anterior)

 

E aí o predador agradece e para comemorar (afinal de contas está de novo em estado de graça) ainda come mais outra presa. Dêem-me muito tempo de vida e mesmo muita paciência. Por favor!

 

(texto em itálico e imagens – Expresso)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:22

Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO