Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A Lua Sobrenatural

Domingo, 20.07.14

Enquanto no nosso planeta nos vamos liquidando (exponencialmente) devido a questões basicamente irrelevantes e sem conteúdo estrutural, o nosso único satélite artificial aparece-nos agora como o último refúgio contra a nossa previsível extinção: destruído o ventre materno recorremos à barriga (de aluguer) alienígena.

 

A Lua

 

A Lua poderá assim ser o nosso novo e primeiro destino cósmico de emigração: antecipando-se à já programada colonização do planeta Marte o nosso satélite poderá receber no seu seio e numa primeira e importante leva de seres humanos (pioneiros da colonização exterior), centenas ou mesmo milhares de indivíduos procurando um lar para os proteger e um ambiente para sobreviver.

 

Até agora os cientistas já detectaram mais de duas centenas de locais candidatos a receber estes pioneiros, potencialmente considerados como zonas exteriores capazes de protegerem estes contingentes de nómadas espaciais, assegurando-lhes condições satisfatórias (entre outras) de temperatura e de radiação.

 

Sobrenatural

 

Estando a Lua coberta de imensas crateras resultantes do impacto sobre a sua superfície dos mais diversos objectos vindos do seu espaço (envolvente) exterior, algumas dessas mesmas crateras terão – até pela força do destino – alguma missão determinante a desempenhar: essencialmente como suporte de vida fundamental (e de apoio) à actividade humana desenvolvida à sua superfície.

 

Esses buracos sobrenaturais proporcionarão aos seus novos residentes a necessária protecção contra o efeito nocivo das radiações, dos impactos exteriores e das variações extremas de temperatura: buracos esses muito provavelmente originados pela circulação subterrânea de lava no subsolo da Lua aquando da sua formação.

 

(imagens – AFP/NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:45


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.