Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Abr 19

[Eleições Presidenciais a 31 de Março (1ª volta) e 2ª volta a 21 de Abril (sendo necessária). E sendo-o na realidade, entre um oligarca (milionário, não exilado, envolvido em negócios ilegais e temporariamente esterilizado) e o representante de um outro oligarca (milionário, exilado, envolvido em negócios ilegais e perseguido no presente pela Justiça oficial).]

 

Kiev, Ukraine

(News)

 

maidan-fractures_large_large.png

1

Since the start of the Maidan protests six months ago,

Ukraine has been at the centre of a crisis

which has exposed and deepened the fault-lines

− geopolitical, historical, linguistic, cultural −

that traverse the country.

(Ukraine’s Fractures/Volodymyr Ishchenko/01.07.2014)

 

“Early results Monday in Ukraine's presidential election showed a comedian with no political experience maintaining his strong lead against the incumbent in the first round, setting the stage for a presidential runoff in three weeks. With over 70 percent of the polling stations counted, Volodymyr Zelenskiy had 30 percent support in Sunday's vote, while President Petro Poroshenko was a distant second with just over 16 percent.”

(cbsnews.com)

 

Um país literalmente dividido (certamente sem o consentimento do seu povo)

em duas partes incontactáveis (e nelas se mantendo enclausurado e dividido).

E desta forma sem solução (salvação) à vista, seja armada ou desarmada.

 

Euromaidan_01.JPG

2

Demonstração Pró-EU na Ucrânia

Kiev 27.11.2013

(mais próximos da fronteira Ocidental)

 

2014-03-09._Протесты_в_Донецке_022

3

Demonstração Pró-russa na Ucrânia

Donetsk 08.03.2014

(mais próximos da fronteira com a Rússia)

 

Concluída a 1ª volta das eleições presidenciais na Ucrânia marcada para 31 de Março (passado domingo) – com mais de 90 candidatos a apresentarem documentos, pouco mais de 40 a serem registados, pouco menos de 40 a poderem concorrer (39) e finalmente com pouco mais de uma mão cheia deles a poderem vencê-las – confirmam-se os resultados para os quais as sondagens previamente apontavam (relativas a 25 de Março) indicando corretamente quais os 5 candidatos mais votados e a sua correta ordenação (como se verifica na tabela seguinte):

 

Resultados da 1ª volta das Eleições Presidenciais na Ucrânia

(31 de Março de 2019)

 

Candidato

Partido

(apoio)

Ideologia/Posição Política

Sondagem

%

Resultado

%

Volodymyr Zelensky

Servant of the People

Populista /Pró-Europeu/Todas ideologias

28/29

30.41

Petro Poroshenko

Independent

(PPBS)

Nacionalistas-Cristãos/Pró-Europeus/Direita

18/19

16.03

Yulia Tymoshenko

Fatherland

Populista/Pró-Europeu/Direita

14/15

13.24

Yuriy Boyko

Independente

(OB)

Liberais/Eurocéticos/Centro-Direita

9/10

11.55

Anatoliy Hrytsenko

Civil Position

Conservadores/Liberais/Pró-Europeu

8/9

7.03

(os 5 candidatos mais votados/num total de 39)

 

Владимир_Зеленский_(2018).jpg

4

Zelensky

30% na 1ª volta das Presidenciais de 2019 na Ucrânia

(vencedor da 1ª volta e candidato/favorito na 2ª)

 

Não tendo nenhum dos candidatos mais votados obtido mais de 50% dos votos (condição para ser eleito logo à 1ª volta) tendo-se de realizar uma 2ª volta Presidencial marcada para o próximo dia 21 de Abril (do passado domingo a 3 semanas) tendo como únicos candidatos os dois mais votados na 1ª volta (realizada ontem): VOLODYMYR ZELENSKY (perto dos 30%) e PETRO POROSHENKO (perto dos 16%). Eliminando desde logo da corrida Yulia Tymoshenko, um dos candidatos afirmando-se favorito (uma mulher) e reclamando desde já de manipulação eleitoral (a favor de Poroshenko com o poder instalado recuperando-o para a 2ª volta).

 

Sendo assim no próximo dia 21 de Abril com dois candidatos lutando entre si de modo a garantirem para os próximos anos (2019 − ????) a presidência da Ucrânia, de um dos lados tendo o atual Presidente POROSHENKO com toda a sua máquina estatal/eleitoral a apoiá-lo, além de ser de todos os candidatos o que mais fundos de apoio (privados) recebeu estimados em mais de $15 milhões (com Tymoshenko em 2º/$12 milhões e Zelensky em 3º/$4 milhões) − o candidato do mais completo status quo (e da total indiferença) face ao que se passa no extremo leste da sua pátria – e do outro lado (fazendo-nos recordar o ocorrido noutras circunstancias e recentemente na Itália, com a vitória do partido fundado por Beppe Grillo/o Palhaço − o Movimento 5 Estrelas − hoje a maior força italiana e liderando o Governo) apelando o voto ao eleitorado mais jovem e simultaneamente dizendo-se (lhes) antissistema (sendo pouco mais de 12 anos mais novo que Poroshenko), tendo o oponente ao atual presidente o conhecido Comediante ZELENSKY: o mesmo que no seu programa de TV (ucraniana) Servo do Povo − e como seu principal personagem se colocou na posição de Presidente (personificando o seu atual adversário) interpretando-o/introduzindo-o à sua Comédia.

 

800px-Official_portrait_of_Petro_Poroshenko.jpg

5

Poroshenko

16% na 1ª volta das Presidenciais de 2019 na Ucrânia

(2º na 1ª volta e candidato/ainda Presidente na 2ª)

 

E no meio deste conflito (global e não regional por incluir duas grandes potencias como a Rússia e os EUA) que envolveu a Ucrânia, levando-a do atraso e da pobreza (então reinante) a um reerguer bem prometedor e de relativo sucesso (veja-se a organização em conjunto com a Polónia do EURO 2012/prova em que Portugal foi eliminado nas meias-finais pela Espanha/que se sagraria Campeã nos penaltis) mas inexplicavelmente (para a generalidade do seu Povo) e no fim deste percurso à Guerra Civil e à destruição quase total do lar de mais de 45 milhões de habitantes – com o futuro da Ucrânia a não se perspetivar melhor do que o é no presente, ou não fosse o Povo (algum dele pois ainda existe o leste) ter de escolher entre um tipo de aspeto sério, milionário e já com um grande historial (e experiência) de fácil convivência com a corrupção (oriunda sob a forma de ajuda e como forma de financiamento sobretudo do Ocidente) e um outro (que poderia ser a cópia-anti cópia-complemento-réplica do anterior) de aspeto mais jovem e divertido, com o sangue de Comediante no corpo e declarando-se antissistema, mas no fundo apresentando um discurso (ideias) vago − “Se não tem promessa, não tem deceção” (Zelensky) – e com o ”Rabo-de-Fora”.

 

“Com Zelensky

(o candidato a Presidente da Ucrânia em 2019 e o Protegido/presa)

a afirmar não ser uma marioneta de Kolomoisky

(o milionário e oligarca ligado a negócios ilícitos e além do mais o Protetor/predador)

 

Ou não fosse o Comediante e muito simplesmente a face da mesma moeda (do poder oficial/ucraniano), assumindo-se como anticorrupção, mas sofrendo igualmente de um (o seu) pequeno problema: tendo por trás de si outro indivíduo como Poroshenko (outro oligarca/milionário), que por acaso lhe abriu as portas da TV (e da sua grande popularidade) reforçando-lhe o seu apoio nas vésperas deste ultimo ato eleitoral − chamado Igor Kolomoisky no presente exilado e perseguido pela Justiça (outro que tal) talvez por corrupção (e outros negócios ilícitos).

 

(legendas e imagens: a partir de commons.com.ua [1] e wikipedia.org [2/3/4/5])

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:43

Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

15
16

21
25



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO