Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Jul 15

Athens fire
Greek capital smothered in smoke as mountainside blaze threatens homes

 

“A huge wildfire has broken out near Athens, spreading over mountainsides overlooking the Greek capital and blanketing it in thick smoke. The blaze was moving fast this morning, fanned by strong winds and devouring parts of hillsides popular with walkers and tourists. At least 45 firefighters with 18 engines, a water-dropping plane and two helicopters were battling the blaze, along with volunteers, the fire department said in a statement.” (Lizzie Dearden/17 de Julho)

 

Athens-fire3.jpg

Atenas

 

Condenada por toda a Europa Civilizada a viver num moderno (e pelos vistos modelar) campo de concentração (minimamente) organizado, destruída por sucessivos governos oriundos dos mais diversos quadrantes políticos apenas interessados em manter os bancos vivos e a circulação interna de dinheiro (para eles também) e finalmente enganada por um partido que há seis meses atrás a jurou defender e num relâmpago transformou um NÃO num SIM traindo a vontade expressa pela maioria do seu povo (permitindo a invasão dos novos panzers alemães), a GRÉCIA como país integrante dos EUE (Estados Unidos da Europa) é simplesmente abandonada e entregue ao ostracismo social, apenas por estarem falidos e pelos seus cidadãos serem uma cambada de malandros. Será essa uma razão (que seja eticamente válida), ou uma condenação (previamente preparada)?

 

Enquanto que a Alemanha vai desde já avisando o Governo Grego actualmente no poder de que está por sua própria iniciativa e benefício a fazer um inventário de todo o Património da Grécia (de modo a totalizar para já 50 mil milhões de euros – certamente que cobrará o serviço), não se incomodando minimamente com as condições básicas e humanitárias de vida da generalidade desse povo, os políticos desse país sob ataque e perigo extremo de invasão (os gregos), vão por um lado justificando a actual situação do seu país como mais uma inevitabilidade (a mesma treta da direita) esquecendo por outro lado (o mais importante para a manutenção da soberania) a sua vergonhosa capitulação (e colaboracionismo, no consentimento da ocupação do seu território por parte dos invasores).

 

(texto inglês/imagem – independent.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:55

Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9



28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO