Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

21
Mai 18

[Fantásticos Norte-Americano Vs. Russos (& Chineses)]

 

I

 

53222d24b099ff9d72e9169dd46a08f0.jpg

Axis of Evil

The phrase axis of evil was first used by U.S. President George W. Bush in his State of the Union address on January 29, 2002, and often repeated throughout his presidency, to describe foreign governments that, during his administration, sponsored terrorism and sought weapons of mass destruction. The notion of such an axis was used to pinpoint these common enemies of the United States and rally the American populace in support of the War on Terror

(wikipedia.org)

 

Sabendo-se como Cultura & Memória podem ser rapidamente readaptadas e transformadas,

 

- Conforme os interesses e objetivos Ideológicos a alcançar (aparentemente condicionados de forma a proporcionarem um usufruto controlado e aplicado por etapas ao Homem);

 

- E de acordo com as regras inscritas no Manual de Instrução da Máquina Divina (assim definida por a servirmos e dela dependermos) fazendo funcionar essa mesma Estrutura;

 

Convém aqui recordar ao falarmos da CRIMEIA que esta região do Globo Terrestre,

 

- Desde a Antiguidade (e até ao século XV) invadida e colonizada por vários povos oriundos das mais variadas origens (como entre muitos outros, gregos, romanos e otomanos a norte e cimérios, hunos e mongóis a sul);

 

- E entre os séculos XV/XVIII unindo-se (com outros territórios vizinhos) constituindo um Estado Tártaro (Canato da Crimeia);

 

A partir do fim do séc. XVIII acabou anexada ao Império Russo (em 1783) tornando-se mais tarde (1917) numa região autónoma da futura URSS.

 

Para finalmente (em 1954) por ordem do então Presidente da antiga URSS Nikita Khrushchev,

 

‒ Num gesto de amizade e de modo a reforçar as relações Rússia/Ucrânia ‒

 

Dar-lhe autonomia e entrega-la (como Republica Autónoma) à agora Independente Ucrânia.

 

Depois da passagem do Presidente ucraniano Viktor Yanukovich,

 

‒ Apoiado pelos russos, abrindo as portas ao Ocidente, coorganizando o Europeu de Futebol (de 2012) e fugindo após a Revolução Ucraniana (financiada por esse mesmo ocidente) derrubando-o com um Golpe de Estado

 

Sendo este país o que hoje todos bem conhecemos, bem retratado na imagem dos seus grandes (e novos) estádios completamente arrasados (obliterados como muitas estruturas básicas),

 

E nos criminosos em que assenta toda a base da sua classe política que ideologicamente (ideologia de extrema-direita) e de uma forma prepotente o controlam (com a total complacência da Europa e do Ocidente, aceitando reescrever a sua História para a melhoria da História apresentada por outros).

 

II

 

Ukraine should blow up Putin's Crimea bridge

(Tom Rogan/washingtonexaminer.com/15.05.2018)

 

5afed479dda4c8097e8b459c.jpg

Segundo o colunista norte-americano Tom Rogan um bom objetivo para ser bombardeado

A nova ponte unindo a Rússia à Crimeia

De modo a reacender a Guerra Civil na Ucrânia espalhando-a então à Europa

(e assim substituindo um possível falhanço ‒ optando-se pela Paz ‒  nos casos norte-coreanos e iranianos)

 

Numa resposta à recente abertura de uma ponte rodoviária (com cerca de 18Km de extensão) ligando a Península de Krasnodar (Confederação Russa) à Península da Crimeia (Ex Ucrânia e atualmente anexada à Confederação Russa),

 

‒ Localizada sobre a fronteira marítima entre o Mar Negro (a sul) e o Mar de Azov (a norte)

 

Um colunista norte-americano já anteriormente famoso por em contextos semelhantes (Guerra do Iraque) se ter deixado levar por oportunas provas falsas (família das FAKE NEWS),

 

‒ Apresentadas antes como agora pelo mesmo tipo de protagonistas (sob tutela dos EUA)

 

Tentando aproveitar o período de indefinição política (geográfica e estratégica) por que passa os EUA (Donald Trump e os seus estrategas militares) entre uma possível Intervenção Militar no Irão ou em alternativa na Coreia do Norte (tentando ultrapassar o duplo impacto provocado pelo pesadelo da intervenção russa na Síria e a intervenção saudita no Iémen),

 

Introduz no possível trajeto desta Máquina de Guerra uma pequena Nuance (de momento atravessando um período de aparente hibernação),

 

5afb4249dda4c86b618b45db.jpg

Russian President Vladimir Putin opened the Kerch Strait Bridge connecting Crimea, Ukraine, with mainland Russia on Tuesday. Putin did so by in a typical show of bravado by leading a column of transport vehicles across the bridge. Ukraine should now destroy elements of the bridge.

(Tom Rogan/washingtonexaminer.com/15.05.2018)

 

Para além da representante dos Negócios Estrangeiros da EU e do representante do Irão com três representantes da Europa (e do Conselho Permanente de Segurança da ONU) tentando salvar o Acordo Nuclear Iraniano depois dos norte-americanos lhes terem unilateralmente retirado o tapete desrespeitando o compromisso assumido e ainda ameaçando suplementarmente ainda com mais sansões ‒ ao Irão e se necessário à Europa

 

- Seja para que o tema da Guerra Civil na Ucrânia volte à ribalta (dada a presença dos russos na Crimeia e do lado de lá fronteira),

 

 - Ou para que o mesmo se projete desde já e antecipando o que aí vem (A invasão Russa),

 

Como uma alternativa (Plano C) a um possível recuo (em A/Coreia do Norte e em B/Irão):

 

Demonstrando a quem ainda tinha dúvidas o respeito que os norte-americanos têm pelos seus Aliados Europeus, falhando a Ásia (Coreia do Norte) e o Médio-Oriente (Irão) ainda lhes restando a Europa (Ucrânia).

 

E neste contexto propondo a destruição desta nova ponte unindo dois territórios anteriormente já ligados (e integrando a ex-URSS),

 

‒ Partilhando elementos de ambos os lados, constituindo famílias e comunidades unidas (na defesa da sua terra ancestral e na concretização dos seus objetivos comuns)

 

Considerando a inauguração da ponte do ditador, vermelho e invasor Vladimir Putin como mais um atentado à Democracia Europeia ao Mundo e obviamente aos EUA: não permitindo à Rússia o reconhecimento desta apropriação ilegal mesmo que provocando mais Guerra e ainda mais mortes (na EUROPA).

 

Bombing the bridge would thus be a very personal rebuke to Putin's ambitions and his propaganda narrative.

(Tom Rogan/washingtonexaminer.com/15.05.2018)

 

(imagens: HERITAGE ‒ SPUTNIK ‒ REUTERS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:04

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO