Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

15
Fev 20

Um dia, sem aviso e tal como com o Euromilhões,

podendo-se ser contemplado!

 

yHZ5eKgqXTJ5erXoUqYv8c-1440-80.jpg

Chelyabinsk

(15 fevereiro 2013)

 

Faz hoje 7 anos que um míssil oriundo do Espaço exterior à Terra explodiu na sua atmosfera, com uma força superior à de uma bomba nuclear e chegando com o seu brilho intenso a ofuscar momentaneamente o Sol.

 

E impactando com a Terra (pequenos fragmentos) no entanto sem consequências.

 

No dia 15 de fevereiro de 2013 explodindo sobre a cidade russa de Chelyabinsk e provocando uma violenta onda de choque, danificando milhares de edifícios (janelas, telhados, etc.) e originando entre a população cerca de 1.500 feridos (devido à projeção dos mais diversos objetos).

 

5FmdSb7BYXcNmPEtP4AZNg-650-80.jpg

Fragmentos do meteoro

(recolhidos no Lago Chebarkul)

 

E com esse míssil a ser na realidade um meteoro (com 20m de diâmetro) direcionado para a Terra e sem que ninguém o tenha detetado antes, apenas o sendo, aquando da sua explosão. O que seria (connosco) se não se tivesse passado tudo assim?

 

[Nalguns sites alternativos e/ou adeptos das Teorias da Conspiração com o impacto do meteoro de Chelyabinsk a (felizmente pelas consequências dramáticas) só não ter um maior impacto – depois da explosão na atmosfera desfazendo-se em pequenos fragmentos, originando unicamente e de relevante uma onda de choque – devido à intervenção dos militares russos, intercetando-o com um míssil e destruindo-o ainda pleno ar: e desse modo evitando um impacto direto sobre o solo desse objeto − originando uma grande cratera numa região habitada − com cerca de 20 metros de diâmetro.]

 

(de notícia, parcialmente/e imagens: space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:11

Fevereiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


23


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO