Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Fev 21

Observando o nosso holograma e de acordo com os seus parâmetros (Espaço/Tempo), partilhando simultaneamente (no presente) projeções futuras e passadas. Como os comboios-bala (no Japão) numa abertura precoce de um cenário de SCI-FI (futuro) ou os bonecos-assustadores (na GB) levando-nos de regresso a cenários de Magia e de Terror (passado). Vivendo-se neste mundo como se habitássemos em mundos-paralelos, faltando apenas entender os nossos mecanismos cerebrais ─ entendendo aí a ALMA e as suas ligações ao eletromagnetismo (uma sendo a do Homem, a outra a do Universo) e nesse ponto cronológico (prosseguindo a contagem) saltando-se para um outro nível (superior, evolutivo, revolucionário).

 

snapshot.jpg

 

Comboio-Bala

 

snapshot2.jpg

 

Na primeira projeção (Comboio-Bala) com o norte-americano/britânico Rob Beschizza (editor do site Boing Boing) ao comparar a rede ferroviária inglesa (bem conhecida pelo mesmo) com a sua correspondente japonesa (através de vários registos de imagens), a sentir-se como se partilhasse ao mesmo tempo dois mundos (distintos) num mesmo espaço (a Terra), numa parte desse holograma (em paralelo) num determinado ponto desse movimento e no outro, num ponto diferente mas podendo ser coincidente (por sobreposição, mas com caminhos diferenciados): um sendo o passado (ultrapassado/decadente, britânico) e o outro o futuro (para muitos ainda sendo ficção, japonês). Adiantando para esta diferenciação três fatores como competência, planeamento e liberdade.

 

1_CRR_BEM_050221_dolls01.jpg

 

Bonecos-Assustadores

 

3_CRR_BEM_050221_dolls02.jpg

 

Já na segunda projeção (Bonecos-Assustadores) com o norte-americano David Pescovitz (coeditor do site Boing Boing) descobrindo (através de uma notícia) na velha e misteriosa ilha (britânica) mais um lugar isolado e assustador (dos muitos espalhados por lá e estando de acordo com os gostos atuais dos britânicos tendo preferência por filmes de fantástico/terror), focando o tema da utilização de bonecos na criação e perpetuação de cenários de terror: numa floresta da Grã-Bretanha (localizada em Staffordshire) com um caminhante durante o seu passeio a descobrir um “altar de bonecos assustadores” ─ pregados ou dependurados em árvores ─ no centro estando colocada uma bandeja e algumas velas. Podendo ter este encontro (e como consequência) aspetos positivos/negativos.

 

(dados: Rob Beschizza/David Pescovitz/boingboing.net ─ imagens: boingboing.net)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:49

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO