Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

08
Fev 21

Num novo e consecutivo dia (pelo menos alguns, mas importante fator de esperança) em que Portugal relativamente à Pandemia Covid-19 (agora numa nova vaga) continua para já clara e para nossa grande alegria a apresentar números notoriamente decrescentes ─ esta segunda-feira 8 de fevereiro registando +2.505 novos casos de contágio (ontem +3.508) e +196 óbitos (ontem +204)

 

d392ca8be7cb4ff1aa06d715e48601ec.jpg

Atingido o pico máximo de internamentos/vítimas mortais,

c/ os hospitais portugueses após ultrapassarem várias vezes o seu limite

a extravasarem de doentes, sendo colocados em ambulâncias.

 

Podendo-se ainda ter como objetivo real (não como sonho ou miragem), apesar do trágico momento já vivido nesta nova fase da pandemia (evolutiva e no presente numa 2ª/3ª vaga) ─ de bom exemplo mundial numa 1ª fase (no nº total de contágios/infeções) passando a péssimo exemplo mundial numa 2ª fase (disparando brutalmente o nº de infeções/nº de óbitos por dia e passando Portugal a um dos piores rankings Covid-19/nº diário infeções/óbitos ao longo de 7/14 dias) ─ chegar mais rapidamente do que se pensa ao momento do nosso Desconfinamento.

 

E com tal evolução podendo-se salvar ainda este país do caos (economia/emprego), estejam os portugueses mobilizados tal como na grande maioria (ao contrário dos políticos e apesar de todos os sacrifícios/sofrimento) se tem invariavelmente apresentado.

 

Desde que se cumpram certas regras (fáceis de interiorizar, até porque básicas/simples/eficazes e além do mais observáveis) e se ouçam os especialistas/epidemiologistas (não agregados ao poder na sua acensão/especialização), antecipando obrigatoriamente as opiniões, posteriormente repetidas e decretadas pelos nossos políticos (governantes). Como:

 

Nunca se esquecer das três regras básicas para o encerramento das cadeias de transmissão e para a interrupção dos contágios (por invisíveis e pequeníssimas gotículas) ─ uso de máscara, distanciamento social (e controlo de movimentos) e desinfeção das mãos ─ encarando o confinamento como uma necessidade (para estabilizar e recuperar o doente) e jamais desconfinando (estritamente por motivos económicos) antes do tempo (já que os mortos não produzem); como é, depois do desprezo pelos lares (abandonados os mais idosos à sua sorte, à morte), a insistência criminosa em manter as escolas abertas (ajudando a contagiar e atingir os menos idosos) e fechando-as, abri-las o mais rapidamente possível ─ quando como toda a gente sabe o encerramento das escolas não só contribuiu para o início da inflexão da curva (antes subindo, agora descendo) como para a consciencialização de todos os portugueses que o caso era mesmo grave.

 

Screenshot_2021-02-08 342_DGS_boletim_20210207 pdf

Ainda hoje com a maior taxa de mortalidade

a registar-se na região de Lisboa e Vale do Tejo (49%),

com o Alentejo & o Algarve a registarem respetivamente, 6% e 5%.

 

Aliviar restrições?

 

Segundo Carlos Antunes nunca se podendo pensar nisso estando-se ainda acima dos 2.000 contágios diários (ainda hoje acima, mas parecendo estar-se de vez no tão desejado bom a caminho) e por outro lado com Pedro Simas (falando em maior cautela) a ser mais restritivo apontando para os 700/1.400 casos/dia.

 

E tomando como boa (eu, um leigo) a opinião de dois especialistas (epidemiologistas) ─ como são Pedro Simas e Carlos Antunes ─ para desconfinar tendo de ter em conta, a média de casos diários, os valores de Rt e o nº total de testes feitos; assim como a disponibilidade de camas (nos hospitais) para internamentos (esperando-se não ultrapassar os 3.000, hoje ainda acima de 6.000) e cuidados intensivos (esperando não ultrapassar as 300, hoje ainda nos 865) de modo a suportar “a curva”.

 

E depois de uma subida abrupta (no nº de contágios e de mortes) podendo acontecer o contrário, mas agora na descida.

 

(imagens: Duarte Sa/Reuters/yahoo.com ─ covid19.min-saude.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:25

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO