Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Mai 19

[Sendo óbvio que se nalguns pontos da crosta terrestre a mesma se afunda, noutras uma nova crosta terrestre emergirá: consequência dos sismos, das erupções, da deslocação das placas tectónicas, renovando a pele da Terra e mantendo-a Dinâmica e Viva. Mudando-se o cenário envolvente, mas mantendo-se a base do mesmo. Se ontem encoberto (debaixo de areia, debaixo do mar, debaixo de gelo, sob a superfície) hoje à vista de todos (como verificamos logo aqui ao lado de Albufeira, indo até Loulé não para visitar as Pedreiras, mas as suas Minas subterrâneas e extensas de Sal-Gema) − e Vice-Versa − confirmando que se antes era Algo hoje será Algo Diferente (com o local das minas antes inundada debaixo de água, depois bem seca e acima dela).]

 

i-5495e9a975bd0d46dc1857767474d400-flod60c.jpg

Aquecimento Global & Alterações Climáticas

[With 44% of the world population (3 billion people/2012) living within 150km of the ocean, by the end of the century, we may see close to 1 billion environmental refugees due to sea level rise − people whose home are underwater and have nowhere to go. The most populated area in the world that will be affected by this the most is South East Asia, specifically China and India. Just over 1/3 of the world’s population lives in these two nations with most living in cities only a few miles from the ocean. (Worn Trails/worntrails.blogspot.com/2012)]

 

Quando em vez de nos preocuparmos (o Homem) com as Alterações Climáticas que todos nós temos observado (e registado em Memória) no nosso percurso coletivo de Vida (Social e Cultural) (1º) compreendendo-nos desde logo como um dos muitos elementos (privilegiados) integrados num Ecossistema fechado (para nossa proteção e segurança) e definido como de sobrevivência e de evolução (o desejo de qualquer organismo ou espécie – organizada, inteligente dita dominante ou não − desejando persistir, adaptar-se, transformar-se, movimentar-se e livrar-se da extinção) e simultaneamente (2º) aceitando o Ecossistema Terrestre – apesar de fechado não isolado e como tal, variável no decurso da sua transformação/evolução, registada em toda a extensão da sua  Zona Habitável (Espaço) e ao longo da execução dessa aplicação (Tempo) – de uma forma um pouco estranha e muito facilmente deixamo-nos distrair e afastar do nosso objetivo original (desistindo até da Esperança), tão condicionados/manipulados estamos pelo quotidiano monótono (por repetitivo e sem saída) e de miséria (para a maioria das 7,5 biliões de almas vivendo neste “Calhau Único” nem dando para sobreviver) que nos rodeia e nos penetra (coercivamente possui e violenta). E em vez de nos alertarmos com problemas como o das Alterações Climáticas (no fundo da responsabilidade de eruditos) podendo num futuro próximo (a curto-prazo) acelerar ainda mais o Degelo (já registado) nos polos − contribuindo para a subida generalizada do nível da Água-dos-Oceanos – não ligando a mais este fenómeno potencialmente com consequências desastrosas (desresponsabilizando-nos por motivo de ausência e atirando o a resolução do problema para as novas gerações), acabando as águas daí resultantes por inundar as regiões mais baixas e mais próximas do litoral terrestre (zonas costeiras de todos os continentes/ilhas) podendo levar (segundo os cientistas) a uma Migração-Fuga-Maciça de cerca de 1/4 a 1/3 da população terrestre: um número brutal compreendido entre uns 2,0/2,5 biliões de pessoas!

 

Entretendo-nos como é hábito e costume em pretensas discussões teóricas e completamente inúteis − mas deliberadas, conscientes e com uma certa intenção, que não as pensadas por nós (levadas a cabo não por especialistas, mas por fazedores-de-opinião certificados e bem remunerados) − nem sequer tendo “conduto” (uma via mínima de comunicação não estática e unidirecional), jamais se dirigindo ao Problema (como eles dizem ao “Pecado Original”) mas como contrapartida e para nos surpreender (calar, deixando-nos atónitos, como que “drogados”) oferendo-nos do melhor: A Sociedade do Espetáculo, do Amigo Americano e (autodenominando-se Excecionais) em Contacto (direto) com Deus (trocado nesses Templos/do Império pós-romano, por Dólares e por Armas, como se fossem Anjinhos/Santinhos). Explorando indefinidamente e “enquanto o produto durar” (produzindo mais-valia) toda uma gama de Coisas que poderíamos encontrar facilmente numa grande área comercial (como um supermercado ou um shopping) – não chegando as pálas (o animal poderá sempre virar a cabeça) reforçando o apetrecho limitador acelerando a produção subliminar (de modo ao animal não se opor para sua segurança à sua condução obrigatória) − de modo a assim e “reforçando a dose” (como se faz a um “dependurado” desejando que se “enforque”) nos subjugar um-a-um, nos despojar de Identidade e nos despromover como Sujeitos (de Cultura e de Memória), tornando-nos adoradores de Objetos (como na Religião adorando Santos de madeira) e como consequência (dessa escolha) subprodutos do próprio Objeto.

 

schultz-spectacle-title.jpg

A Sociedade do Espetáculo & Guy Debord

[The first stage of the economy’s domination of social life brought about an evident degradation of being into having − human fulfillment was no longer equated with what one was, but with what one possessed. The present stage, in which social life has become completely dominated by the accumulated productions of the economy, is bringing about a general shift from having to appearing − all “having” must now derive its immediate prestige and its ultimate purpose from appearances. At the same time all individual reality has become social, in the sense that it is shaped by social forces and is directly dependent on them. Individual reality is allowed to appear only if it is not actually real. (Guy Debord/A Sociedade do Espetáculo/goodreads.com)]

 

E assim passando o tempo (dada a nossa curta-duração, não sabendo lidar com a Morte, para muitos um parâmetro abstrato) neste espaço por alguma virtude (certamente de uma Entidade) destinado à produção para lá da Excelência − ou não fosse o mesmo ÚNICO, organizado, vivo e inteligente – deixando-nos arrastar por histórias sem sumo e caraterísticas (debruçando-se sobre as máscaras e não sobre as pessoas) dos períodos de Decadência. Como será o exemplo (do mais idiota ao menos, apenas por mais perigoso e/ou mais divertido) de alguns dos seguintes episódios da atual temporada (2018/19) antecedendo TRUMP 2020 – enquanto (e sendo algo de real por percecionado/sentido) sob os nossos pés muitos dos territórios se afundam (em sentido contrário e para manter o equilíbrio geológico/topográfico com outros erguendo-se), engolidos pelo deserto (areias), submergidos pelas águas (oceanos) ou mesmo afundando-se sobre si próprio (devido ao derretimento do permafrost“O Permafrost ou Pergelissolo é o tipo de solo encontrado na região do Ártico: é constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados.”/wikipedia.org). Senão vejamos estas Parangonas, sendo-as não pelo seu tamanho, ou tema, mas sim (se souberes traduzir verás) pela sua nulidade (dado o perigo de habituação só 2 doses mínimas da substância) − ou talvez pelo seu substrato (que eu não vejo, talvez por ser tão “profundo”):

 

13039482-6988149-image-a-2_1556868506938.jpg

Internacional − Política & Animais − Os Russos

De um lado com uma Baleia Beluga ao serviço da Armada Russa (sediada no porto naval de Murmansk) e “muito provavelmente” numa missão de espionagem a um Aliado Ocidental e Europeu  como a Noruega – num empreendimento agressivo dirigido e encomendado por Vladimir Putin a partir do interior do seu bunker no Kremlin – a desertar (segundo os ingleses), optando então por se transformar numa Atração Turística local e assim trocando a Vida Militar pela vida Artística (apenas o Cenário do Espetáculo, não sendo protagonista/como antes apenas Instrumento/como sempre)

 

A Nível Internacional e Irracional (mesmo não parecendo, tanto a nível do Homem como a nível do Outro Animal) com o recente (apesar de recorrente no contexto) caso da Baleia Peluga,

 

Russians Likely Used This Beluga Whale As a Spy

(Laura Gegell/livescience.com)

 

(Uma baleia detetada no passado dia 26 de Abril de 2019 nas proximidades da localidade piscatória de Inga (Atlântico, Mar da Noruega, norte da Noruega), com uns arreios colocados na cidade de Murmansk (Atlântico, Mar de Berents, noroeste da Rússia) − um porto naval utilizado pela Armada Vermelha (de Putin) − “muito provavelmente” oriunda de alguma instalação naval russa e utilizada para fins exclusivamente militares.)

 

Envolvendo animais inocentes por irracionais, obrigados a integrarem-se nos “Jogos de Guerra” dos “Humanos” − o animal dito “Inteligente/Racional” e não o sendo, sendo-o “Russo” – só possível vindo do Leste e deixando os (agora) Protetores dos Animais (desde que não Irracionais, esses que se safem) chocados, transtornados e prontos para a Guerra: tendo agora de enfrentar hordas de Animais Marinhos, telecomandados a partir do Kremlin pelo terrorista PUTIN (ou não colocassem os EUA na sua Lista de Inimigos – agora acima da Al-Qaeda e do Estado Islâmico no fundo seus produtos/aliados − a Rússia ainda Soviética além de bem armada, também produtora de petróleo).

 

nova-gente-2019-05-01-9bdb2a.jpg

lux-2019-05-02-482d96.jpgtv-guia-2019-05-03-28dae7.jpg

Nacional − TV & Sociedade − Os Portugueses

Do outro lado com Marcelo e com Cáudio (e já agora com Goucha) − fazendo parte dele/integrando-o – inseridos num cozinhado alargado (na totalidade da palavra a muitos mais “colaboradores”) dominando no presente todos os canais de TV (e Imprensa) a que a generalidade dos portugueses tem acesso, mostrando-nos um Mundo que não o nosso (nem provavelmente deles por Virtual) num cenário iluminado como uma árvore da Natal, rodeado de presentes bem embrulhados em papel bonito (para não se ver o “nada”  que vem lá dentro) e como se fossem para nós (mantendo-nos atentos e como que hipnotizados) distribuindo (como recompensa ao animal bem comportado, condicionado) e de uma forma ou de outra prometendo (nem que seja a continuação do “Programa” no dia seguinte)

 

A Nível Nacional e Racional (mas deixando-nos confusos, por supérfluo e irrelevante, próprio mais de macacos) com um caso de duplo impacto (duas é sempre bom, porque não existem 2 sem 3, aumentando-se as temporadas) – estando no presente na Moda, envolvendo dinheiro e sexo (alternando o hétero apenas para servir clientelas) e sendo difundido ininterruptamente em Médias de referência (só sendo confrontado, mas maioritariamente sendo homens, com o Mundo à parte da Bola) – um envolvendo o situacionista e acomodado (e Presidente) Marcelo (seguindo o rumo político/agora adaptado do seu Padrinho) e o outro um elemento (juntemos-lhe depois sum outro) destacado da socialite e empolgado promotor do novo lobby televisivo de nome Cláudio Ramos (mas nunca esquecendo o Guru Goucha),

 

Ana Zanatti e o namoro com Marcelo

Apaixonei-me pela sensibilidade dele

(revista Gente)

 

Quando uma pessoa se apaixona, vive a Paixão

Apresentador namora com o ator Diogo Faria há 2 anos

(revista Lux)

 

Goucha e Maria Farras e Loucuras

(revista TV Guia)

 

(Um Presidente e dois Apresentadores cada um à sua maneira e feitio pertencendo ao Novo Enquadramento Oficial, um oriundo da área do Entretenimento/Espetáculo/Política e mais tarde orientando-se por gosto e por opção para os Média − e a partir daí sendo absorvido pela Sociedade/TV/Espetáculo (transformando-se numa Estrela da Socialite) e num intervalo, sendo Presidente (a sua última ambição) − os outros dois partindo diretamente dos palcos proporcionando-lhes logo de entrada o Mundo do Espetáculo e sabendo partilhar os benefícios do mesmo, demonstrando capacidade para persistir e ocupar na Sociedade do Espetáculo o seu próprio lugar – até pela sua diferença quanto aos restantes (maioritariamente afirmando-se hétero) e capacidade profissional (vendo-se pelas audiências) para os suplantar. Com fácil e rápido acesso aos Média sendo todos poderosos.)

 

costaconsiderainjustaeinsustentvelcontagemdetodoot

António Costa − Preciosa Participação − SociedadedoEspetáculo.PT

Sendo o mais recente protagonista do último episódio da série A Sociedade do Espetáculo, nesta última temporada e depois de noutras temporadas anteriores (e com motivos muito mais prementes e dramáticos, mortais) nunca o ter feito e nem sequer o ter pensado, nos ter ameaçado (como o Bobo-da-Corte) de se demitir (ninguém o levando/a sua chantagem a sério), abandonar o país “à sua sorte” (ou azar) e deixar cair por terra a sua Engrenagem − esmagando-nos mais um pouco debaixo dela ou tendo efeito (como parece ser o caso) ganhando eleições e atirando (aproveitando a ocasião, a tal que faz o ladrão) alguns parceiros borda-fora

 

Envolvendo-os não só a eles (os três) – não se perdendo muito tempo (já que como eles dizem “tempo é dinheiro”) a indicar toda esta horda de comentadores (TV/Jornais) estrategicamente colocados (pelas Instituições de Poder público ou privadas) e para tal bem remunerados (de modo a cumprirem a função/obrigação a eles atribuída), desde (começando de um dos lados das Classes) ex-visionários e revolucionários antissistema como Sousa Tavares  (mais tarde integrando-se no dito Sistema/corruto/opressor, renegando David Crockett e metamorfoseando-se em fazedor-de-opinião ou como diríamos no passado em “fala-barato”) e chegando (no outro extremo classista) a apresentadores por nós mentalmente associados a indivíduos como nós e oriundos do seio do mesmo povo, retratado (não se querendo saber por quem) como sendo o nosso” tal como por exemplo Cristina Ferreira − mas a todos aqueles a quem os mesmos se dirigem, sem pensarem e sem darem resposta (como se tivessem alienados ou já mortos) aceitando a intrusão, o contágio, a infeção, por parte do que de pior, mais deprimente e doentio tem esta Sociedade do Mais Puro Espetáculo: fazendo-nos auto e-motivar (e tremer-arrepiar-chorar) “como antes reveláramos e viramos com a morte do ditador Salazar” revelando a nossa máscara (atual), deixando-nos enredar e sendo levados direitinhos (obedientes) e pela mão (pelo cenário pré-montado), trocando no final e de novo a vida por uma outra máscara e continuando o seu caminho como se não mais existisse futuro (Esperança). Num Cocktail mais cedo do que tarde, Explosivo/Desintegrador (que o digam os EUA e o seu Caos interior/interno) não sendo concluída a Lobotomia (geral) ou a tomada do poder Cibernética (pelos Robots).

 

E no cumprimento da sua função (entreter-nos) talvez com o mais válido (e merecedor do que quer) a ser o último dos dois (Presidente Vs. Apresentadores), ainda-por-cima dispondo e logo diariamente de uma Passadeira Vermelha (no referido programa, entre os presentes habituais e como o mesmo tantas vezes sugere, “A mais inteligente das Mulheres”).

 

(imagens: worntrails.blogspot.com – celebyouth.org – EPA/dailymail.co.uk – Gente/Lux/TV Guia/vercapas.com – ptjornal.com/yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:58

Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
16

21
23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO