Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Histórias do Cinturão ─ Klotho & Lina

Terça-feira, 13.04.21

“Esperando que o mais brevemente possível, olhando para KLOTHO e para LINA,

os veja de uma outra forma, os veja de um outro lugar.”

 

Localizados numa estreita faixa do nosso Sistema Solar (entre as órbitas de Marte e de Júpiter) distando entre 329/479 milhões de Km do Sol ─ faixa essa preenchida ao longo de todas as suas dimensões por uma multidão de 1/2 milhões de asteroides (cabendo lá todos sem se tocarem, a uma distância média igual a menos de 1 milhão de Km, cerca de 2X a distância Terra/Lua) ─ eis que depois de atentas observações levadas a cabo pelo satélite da NASA NEOWISE, é descoberta uma frota de objetos (ordenadas e movimentando-se em paralelo) como que se dirigindo para uma determinada coordenada (ainda no Cinturão de Asteroides) e sendo na sua dianteira comandados, por outros objetos (semelhantes) apresentando-se igualmente em formação:

 

PIA23589.jpg

Klotho e Lina

 

Como se vê na imagem fornecida pela NASA, vendo-se pequenos pontos amarelos indicando a posição e a formação desses objetos (as duas referências de comando), acompanhados ainda por outros (de menores dimensões) mais atrás (e lateralmente) como técnica e estratégia de apoio. Até que podendo ser como notícia a NASA (em tom de brincadeira) uma frota de naves de guerra KLINGON (preparando-se para nos atacar e à Terra) mas por acaso (para o bem/para o mal) não o sendo: tratando-se de KLOTHO e de LINA dois ASTEROIDES residindo no Cinturão entre Marte/Júpiter, um (Klotho) com mais de 80Km (de dimensão) e demorando 1.596 dias para dar a volta ao Sol e o outro (Lina) com 60Km e demorando mais de 2.000 (dias). Uma região do nosso Sistema pejado de “pequemos-calhaus”, talvez em tempos bem remotos espaço de um outro planeta (entretanto ido, desaparecido, restando os “calhaus).

 

WISE_artist_concept_PIA17254_crop.jpg

Neowise

 

Relevando ainda nesta história ─ em que em alternativa e como livre-opção (usando a nossa fértil imaginação e mergulhando nos recantos mais profundos, se possível insondáveis, da nossa mente) poderíamos estar sob a ameaça de uma invasão EXTRATERRESTRE (porque não, se não for hoje, podendo ser amanhã) ─ o papel do Gigante-Gasoso Júpiter (só sendo superado pelo Astro-Rei, a estrela de referência do sistema, o Sol) com a sua poderosa força gravitacional não só mantendo os asteroides juntos (no cinturão) como nos protegendo de “outros” (asteroides como cometas, solares ou extrassolares).

 

E se algum dia algo nos atingisse fosse um asteroide, um cometa ou um artefacto alienígena, o mais certo seria mesmo estarmos muito bem encaminhados para assistir ao vivo e presencialmente ao Dia do Juízo Final ou Fim-do-Mundo (não havendo mais e com “algo mais”, a Alma-Eletromagnética à nossa espera ─ e ao fundo estando Tesla).

 

(imagem e ilustração: photojournal.jpl.nasa.gov e universetoday.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:20