Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

01
Set 19

[Ou o Objeto (Calhau) ou o Sujeito (Sr. ou Sra.) que se segue.]

 

“Apesar de, de um momento para o outro poder surgir no Espaço um Objeto deslocando-se na nossa direção (da TERRA) – provavelmente de menor dimensão (em caso de impacto, com efeitos menos intensos, locais) ou então inicialmente “escondido” oriundo de trás do Sol (aqui podendo ser uma “surpresa”, com consequências desconhecidas) – sendo certo que só daqui a 166 anos (segundo os últimos dados da NASA) o problema se poderá colocar: com o asteroide FD 2009 (se não for antes APOPHIS, BENNU ou outro “Calhau” qualquer).”

 

99942_Apophis_shape.png

Asteroide 99942 APOPHIS

(modelo DAMIT – Database of Asteroid Models from Inversion Techniques)

 

Numa notícia publicada a 29 de Agosto de 2019 (em pplware.sapo.pt/ciência) e tal como todas as notícias não políticas, sendo por sistema (ou por “hábito e déficit cultural”) ignorada pelos nossos especialistas da Comunicação Social (se antes muitos deles tendo sido simples leigos/práticos/contadores de histórias, hoje sendo todos reconhecidos como eruditos/teóricos/certificadores deste quotidiano) – e fundamentalmente originada por “deficiência cultural e de memória – a informação e o esclarecimento por parte da NASA (mais uma vez) certamente para nossa tranquilidade e equilíbrio (mental, face a tudo o que se passa no interior do nosso Ecossistema Terrestre) de que “nenhum Asteroide registado irá colidir com a Terra no próximo século.

 

Sendo por um lado uma declaração tranquilizante, mas por outro lado sendo de natureza artificial (por incompleta na análise da realidade apresentada, não sendo esta compatível com a limitação a “registado”) − como se tivesse sido projetada e injetada, por um dardo (mental e extremamente intrusivo) lançado por Algo (em nome coletivo) ou por Alguém (em nome individual) – impondo uma certeza mas apenas para o previsível, para o visível e para o atualmente (física e mentalmente)  viável: e daí a introdução na frase (e no conteúdo temático) da palavra “registado (referindo-se aos asteroides) provocando-nos de imediato (colocando-nos em sobressalto) o aparecimento de “um nó cada vez mais apertado na garganta − à medida da absorção e melhor compreensão da notícia.

 

800px-BennuAsteroid.jpg

Asteroide 101955 BENNU

(OSIRIS-REx)

 

Deixando-nos parcialmente tranquilizados pelo menos (segundo a notícia) para os próximos 166 anos (até 2175) − mas ressalvando entre os passando pelas proximidades da Terra (e nem sequer mencionando os outros, aparecendo sem aviso, para já só pequeninos e geralmente sem impacto) um já há muito conhecido e extremamente falado (não só entre a Comunidade Astronómica como entre os Teóricos da Conspiração) não só pela sua dimensão (310/340m) como pela sua passagem no futuro a pouca distância de nós (além da proximidade das datas mais sensíveis, uma marcada para 2029 a outra para 2036): a de 2029 passando entre 30.000Km (segundo o artigo)/500.000Km (segundo o “ssd.jpl.nasa.gov”) da Terra. De uma forma ou de outra a uma distância menor ou sensivelmente parecida com a distância Terra/Lua (pouco mais de 380 mil Km), mas certamente e confirmando-se a 1ª distância referida no artigo (podendo passar por uma “fenda de ressonância gravitacional” e mudar a sua trajetória) − para além da contribuição da sua dimensão (massa/densidade/velocidade/ângulo de deslocação referente à Terra) – até podendo num caso extremo impactar.

 

The_VLT_images_the_very_faint_Near-Earth_Object_20

Asteroide 2009 FD

(ESO/VLT)

 

E sucedendo tal Evento podendo o mesmo ser ao Nível da Extinção (de muitas das espécies terrestres − se não de todas − o Homem sendo o primeiro incluído): segundo [pplware.sapo.pt/express.co.uk], com a NASA mantendo-se sempre preparada para um possível evento com o asteroide APOPHIS ou “DEUS do CAOS (dada a possibilidade de alguma alteração na sua trajetória, aumentando o risco de colisão com o nosso planeta), prevenindo-se desde já com dois outros, o asteroide FD 2009 (em 2185) e o asteroide BENNU (abrangendo o período 2175/2195): o primeiro (e segundo o mesmo artigo) com uma probabilidade de impacto de 1/714 e o segundo com uma probabilidade de impacto de 1/1700 (e já sob observação da sonda OSIRIS-Rex – “A missão consiste em estudar e coletar amostras do asteroide 101955 Bennu”/wikipedia.org). Numa altura em que a Terra se debate com múltiplos problemas internos sejam eles Naturais (seguindo a Evolução da Natureza, do Ecossistema Terrestre) ou em alternativa Artificiais (introduzindo como parâmetro adicional, a ação direta e/ou indireta do Homem) − não se preocupando com o resto (em “Partir e Proteger-se”) e aparentemente só pensando em matar, destruir-se (selecionando-nos para tal “por raças”).

 

“Pelo que se o Impacto não for de origem externa (simplesmente funcional ou de origem alienígena) − um impacto de um Calhau ou então uma Invasão − sendo-o se não natural, de origem artificial e interna (um Evento sismo-vulcânico ou de intervenção direta do Homem). De qualquer forma (ou feitio), um péssimo cenário (de se ver): seja TRUMP seja APOPHIS (os primeiros pretendentes) para o título IMPACTANTE. Mas ficando-se sempre ensanduichado (entre dois e podendo ser grandes Calhaus).”

 

(texto: apoiado em “NASA afirma que nenhum asteroide registado vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos”/pplware.sapo.pt/ciência – imagens: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:33

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO