Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Invasão da Ucrânia Pela Rússia ─ Da Vitória na Secretaria ao Terreno

Terça-feira, 22.02.22

Num conflito tendo à primeira vista e segundo a esmagadora dos média (pelo menos ocidentais) a Ucrânia ─ quase 44 milhões de habitantes (35º em população) numa área de 603 mil Km² (45º em área) ─ e a Rússia ─ quase 146 milhões de habitantes (9º em população) numa área de 17 milhões de Km² (1º em área) ─

“Putin orders Russian military to Donbass Republics as peacekeepers.”

(21.02.2022/rt.com)

62140b4c20302756a7656f83.jpg

From right, Russian President Vladimir Putin, Heads of the Donetsk and Lugansk People’s Republics, Denis Pushilin and Leonid Pasechnik sign decree to recognise Ukrainian regions as independent entities, in Moscow, Russia

Mas na realidade tendo atrás de si e como potenciais portadores de instrumentos incendiários (proporcionando o detonar de uma guerra) podendo fazer o depósito de combustível explodir (a Ucrânia), para além da de todo o Mundo Ocidental liderado pelos EUA e pela NATO, bem lá ao fundo a observar aparecendo (como aliada da Rússia) a China,

─ Ou seja e pondo de lado o menos desenvolvido e mais pobre Hemisfério Sul, num conflito envolvendo o hemisfério mais desenvolvido e mais rido da Terra, de um lado tendo o Hemisfério Norte Ocidental, liderado pelos EUA (e Europa) e do outro o Hemisfério Norte Oriental liderados pela China (e Rússia) ─

Depois de quase dois meses de constante pressão do lado norte-americano sobre o lado russo e servindo-se do pretexto (havendo eleições intermédias este ano nos EUA) pelos mesmos estrategicamente ressuscitado do conflito instalado na Ucrânia (tendo os EUA que se preocupar unicamente com a China, ocupando a Rússia),

Com os russos a não aguentarem mais, as para eles constantes e sucessivas provocações ─ ainda por cima baseadas em notícias falsas (nunca se confirmando, como as previsões de invasão) ─ com a NATO cada vez mais em cima das suas fronteiras ─ entrando já no interior do seu antigo território ─

“Putin recognizes separatist regions of Ukraine, triggering US sanctions.”

(21.02.2022/eu.usatoday.com)

Screenshot 2022-02-21 at 23-57-38 26c1f072-b6e7-46

Biden imposes sanctions

as Putin recognizes separatist regions Donetsk, Luhansk

as independent from Ukraine

E finalmente face à continuação das críticas por ainda não terem desmobilizado as suas próprias tropas, não as retirando do terreno e deixando os próprios russos incrédulos dado esse território ser russo, ao assistirem ao recrudescimento brutal das violações dos acordos nestes últimos dias com os bombardeamentos das províncias rebeldes por Kiev,

Decidindo apoiar as duas províncias rebeldes reconhecendo-as como estados independentes:

Essa sendo a declaração de Vladimiro Putin proferida neste início de noite de segunda-feira 21 de fevereiro e necessitando ainda de retificação, em parte passando a batata-quente para o outro lado, mas sabendo-se da estratégia desse outro lado e de como tudo é previamente preparado e cumprido (desde que generosamente pago), seja de que forma for, através do diálogo, mas sendo necessário e mais eficaz do conflito,

─ Tudo podendo ter sido antecipadamente preparado, sendo este reconhecimento apenas mais uma rasteira colocada propositadamente no caminho pelos EUA (mas quem é que se importa com a Ucrânia, nos EUA nem sabendo o que isso é e sabendo-o não conhecendo a sua localização no globo terrestre), caindo agora nele e como “um patinho” a Rússia (mas o que poderia ela fazer, abandonar a sua grande comunidade russa?)

“Ukraine latest: Scholz warns Putin against recognizing rebels.”

(21.02.2022/dw.com)

60847025_303.jpg

Germany has urged Russia not to recognize

the separatist regions in eastern Ukraine as independent.

Meanwhile, Russia claimed it killed five Ukrainian "saboteurs."

Podendo levar a uma solução (o que todos pretendem), a um novo impasse (o que alguns pretendem) ou então e mantendo-se a direção a uma nova guerra (fora os vendedores de armas e mercenários, sendo poucos os que a pretendem): para esta última (estranhamente ainda com adeptos na Europa, o palco de Guerra) bastando empurrar o povo servindo-se dos Média e esperar as ordens dos interessados, estando do lado do tradicionalmente vencedor.

De momento e ainda não se passando de um conjunto de afirmações, do lado russo (com as palavras de Putin) e não só (com as imediatas reações de ataque à Rússia por parte da GB), preparando-se desde já (pelas forças Ocidentais) a implementação de medidas de resposta aos russos com os EUA a tomarem a iniciativa de prepará-las e impô-las agora com “A Mãe de Todas As Sanções”, atingindo não só a Rússia como os rebeldes.

A partir do evoluir desta noite com o EUA e Joe Biden a pronunciarem-se (e já como se viu com a GB já em histeria), com a crise económica interna no seu pensamento e sob o olhar atento dos seus Militares (podendo ajudar os políticos e estes os civis, arranjando-se uma guerra reativando-se a Indústria), tudo sendo possível, mas em princípio com o Ocidente a ficar-se com as suas mega sansões e o oriente com a sua ideia e objetivo concretizado.

Da Europa acho que mesmo ninguém tendo mais nada a acrescentar (nem valendo sequer a pena falar) só mesmo os nossos líderes políticos (tentando manter direitos adquiridos), dada a sua passividade irresponsável (aqui criminosa) vista em contraposição com a sua total subserviência aos EUA (estes defendendo naturalmente os seus interesses), “deles” só se esperando o desprezo do costume por nós, o povo só servindo para uma vez por outra, escolher (um “deles”).

(título/legenda/imagem: rt.com ─ eu.usatoday.com ─ dw.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:05