Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

14
Fev 21

Operadoras vão poder limitar ou bloquear serviços

como Netflix ou Youtube na televisão.

(jornaleconomico.sapo.pt/14.01.2021)

 

streaming-televisao-tv.jpg

Interrompendo os fluxos de informação (silenciando uns)

e abrindo as portas à censura (depois da TV, a INTERNET)

e aos líderes autoritários (em vez de investir, nada fazendo)

 

Falando-se da INTERNET como uma das mais importantes vias de comunicação, divulgação e transporte e conhecendo-se a sua enorme força e penetração elevando-a  a um dos atuais protagonistas do PODER ─ atuando de “uma boa ou má forma ou nem sequer isso” ─ depois da entrada em cena do LOGARITMO (levando a censura a muitas plataformas) e da decisão unilateral do TWITTER (expulsando TRUMP e criando um precedente), nunca se podendo deixar prevalecer a opinião mesmo que aparentemente “bem intencionada” ─ como o será o caso do FACEBOOK denunciando um bloqueio de acesso à INTERNET pelas autoridades de Myanmar (onde decorre mais um golpe de estado) ─ de que meras empresas privadas a partir do momento em que são concessionadas (apenas para prestar um serviço) possam de prestadoras (do mercado) transformar-se de seguida em decisoras (das leis) ─ mesmo que oficialmente (e não legalmente) delegadas: como será o caso em Portugal do regresso de uma ameaça já divulgada no ano passado (aquando do início da Pandemia), delegando poderes às operadoras (MEO, NOS, VODAFONE, ETC.) para limitar ou bloquear serviços (definidos por algo/alguém como não essenciais) de modo a evitar quebras de segurança e de integridade (das suas redes) ─ cortando-se na TV (logo na INTERNET) agora que se está em teletrabalho e que se arrancou com as aulas à distância (mais tarde podendo ser pior). E assim em vez de se renovar ─ sem uma justificação credível, sendo deplorável ─ limita-se (informando-se as operadoras que em vez de investirem, devem antes optar pela censura). E assim podendo penalizar conteúdos fornecidos (nada menores, pelo contrário, até pela Pandemia que atravessamos, transportando “cultura, diversificação & companhia”) como o YOUTUBE e a NETFLIX, podendo-se mais facilmente (e depois da entrada do vírus) “lançar a loucura em casa”. Entrando em vigor amanhã dia 15 de fevereiro (dizem que para já na “televisão”, mas amanhã sendo noutro lado).

 

Dr._Oliveira_Salazar_-_Ilustração_Portugueza_(06

Politicamente,

só existe aquilo que o público sabe que existe.

(António de Oliveira Salazar)

 

[“Censura é a desaprovação e consequente remoção da circulação pública de informação, visando à proteção dos interesses de um estado, organização ou indivíduo. Ela consiste em toda e qualquer tentativa de suprimir a circulação de informações, opiniões ou expressões artísticas. A Censura em Portugal foi um dos elementos condicionantes da cultura nacional, ao longo de quase toda a sua história.” (wikipedia.org)]

 

Deste modo e levando em frente a sua intenção (do governo) ─ natural e felizmente (agora que não há dinheiro) aceite pelos prestadores de serviço (as operadoras) ─ em vez de se investir (pelos vistos dando muito trabalho) continuando-se sistematicamente a remediar (com medidas censórias/agressivas): pelo que não se investindo no sistema e nas (respetivas) redes, continuaremos a ver professores e alunos a terem que ir para o monte (o sítio mais alto) para apanharem sinal e poderem trabalhar. O que será de um país deixando morrer os mais velhos (os adultos) e permitindo a destruição dos mais novos (os jovens)?

 

(imagens: DR/jornaleconomico.sapo.pt e wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:24

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO