Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

18
Dez 16

Existirá algum tipo de ligação entre o Mundo Mineral e o Mundo Animal?

E não terá sido o primeiro a surgir sob a forma de Calhau?

 

Tal como eles dizem (NASA) uma imagem de um Mundo Alienígena (nosso vizinho) “apresentando-nos a sua particular variação de cores” (em torno do Monte SHARP), que neste caso se traduzem na apresentação de um planeta seco e desértico (por vezes parecendo calcinado) onde nem sequer existem qualquer tipo (organismo mesmo que primitivo) de vestígios de vida. Numa caraterização de um corpo celeste através da análise da sua paleta de cores, que na TERRA poderá significar algo (relacionado com o presente) mas que em Marte (por outro lado) em princípio nada nos oferecerá a não ser um planeta morto (relacionando-se com o seu passado). Num impacto visual estritamente geológico (ligado ao Mundo Vivo Mineral), mas que em nada o associa a uma possível existência de vida (ligado ao Mundo Vivo Biológico) por mais primitiva que fosse (há biliões de anos atrás).

 

PIA21256.jpg

MARTE – CURIOSITY ROVER – PIA 21256

(SOL 1516 – 10.11.2016)

 

Uma imagem obtida a partir das câmaras instaladas a bordo do veículo motorizado CURIOSITY (com a presença por esta altura de ventos mais fortes ajudando a limpar as suas lentes), mostrando-nos um cenário colorido rodeando a base do Monte Sharp – como resultado da diferente composição geológica de cada uma dessas áreas – sendo uma delas (dessas rochas aí presentes) correspondente à presença de HEMATITE (com a sua cor púrpura caraterística). E registada a 10 de Novembro deste ano (SOL 1516) numa cratera de impacto localizado no equador marciano (GALE – latitude 4.6⁰S) com cerca de 150Km de diâmetro. Apresentando-nos um mosaico variado de cenários geológicos (construindo este cenário de Marte), à 1ªvista familiares aqui com um tom agressivo – com um Homem lá colocado finando-se em poucos segundos (provavelmente e no máximo em torno de um minuto, o tempo que conseguimos suster a nossa respiração).

 

Praticamente sem atmosfera (0.13% de oxigénio), gelado (com temperaturas entre +27⁰C no seu equador ao meio-dia e mínimas na ordem dos -128⁰C à noite) e com uma gravidade baixa (1/3 X Terra), num mundo dos mais parecidos com o nosso (pelo menos de longe e fazendo-nos recordar algo), mas no entanto deserto e sem sinal de movimentos (a não ser as suas tempestades semelhantes às nossas de areia). E que leva Chris Webster (JPL/NASA) um dos responsáveis pela missão CURIOSITY ao planeta Marte, a afirmar sobre a nossa probabilidade de sobrevivermos ao seu extremamente adverso (e mortal) ambiente o seguinte (por exemplo estando exposto, sem equipamento de proteção e como se estivesse na Terra):

 

“The most serious immediate impact would be from the low atmospheric pressure that is nearly a vacuum compared to Earth and within minutes the skin and organs would rupture, outgas and produce a quick painful death. If not killed by the low-pressure atmosphere, there are many other environmental factors that make Mars inhospitable to humans without protection. Any humans on Mars would have to contend with the lack of oxygen (only 0.1% compared to Earth’s 20%), the very cold surface temperatures, the ubiquitous and irritating dust, the intense UV radiation, surface chemicals and oxidants — and all this before they started looking for food and water!”

 

(alguns dados e imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:36

Dezembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO