Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Marte vista pela ExoMars ‒ Cratera Korolev

Sexta-feira, 04.05.18

Inseridos num ponto perdido por comprimido no Infinito, inacreditavelmente ainda não nos convencemos que terão forçosamente que existir pontos comuns de ligação entre os vários elementos constituindo este conjunto: com o Sistema Solar a ter uma Estrutura e História conjunta obviamente interligada e inevitavelmente intersetando-se. Como se o Sistema Solar fosse um Organismo Vivo e a Terra uma das suas partes.

 

I

S/ EXOMARS

 

mars_globes_wet_dry.jpg

Terra e Marte

Uma ilustração de como seriam os dois planetas enquanto jovens (evoluindo no mesmo Espaço mas afastados no Tempo), com Marte a poder ter tido água e ter sido dotado de uma débil atmosfera ‒ mas hoje apresentando-se como um corpo seco, frio e (aparentemente) morto

 

Enquanto no terceiro Planeta (a Terra) mais distante do seu Sistema (Solar) e tendo como referência a sua estrela central (o Sol), a sua espécie dominante (o Homem) habitando um território-domicílio de Excecionais (os EUA) e controlando em seu benefício a EVOLUÇÃO da mesma (espécie superior por inteligente replicando facilmente e sendo capaz de se organizar entre dois pilares básicos e civilizacionais como a Ordem e o Caos),

 

Traduzindo-se o seu significado (de evolução) como aplicando-se à restante espécie (e aos seus 7,5 biliões de indivíduos, para o espaço terrestre disponível considerados já excedentários) e à flora e fauna dita irracional (e como tal complementar), cobrindo e preenchendo o resto deste fabuloso e inexplicável Ecossistema (por facilmente domesticados e integrados na lucrativa e inevitável cadeia de produção ultraliberal, destinada prioritariamente à transformação de matéria-prima, integrando-a e comercializando-a no mercado) único, infinito e de acesso restrito

 

Se entretém,

 

‒ Para consumo interno (dos norte-americanos ditos como destinatários e usufrutuários do Sonho Americano e dos seus colaboradores descritos e tolerados como aliados e habitando um Pesadelo Climatizado) e prevalência do aparentemente referido e certificado como o mais forte ‒

 

A impor o Uso da Violência e da Força como estratégia de dominação e de desenvolvimento (optando pela Prepotência e pelas Armas, em vez de escolher a Tolerância e o Diálogo) e a utilização da Moeda (o Dólar) e da sua capacidade extremamente intrusiva (bastando umas quantas impressoras e um molde certificado) como substituto da Memória e da Cultura (num passo decisivo para a subalternização do Sujeito ao poder cada vez mais avassalador e de mercado do Objeto),

 

No interior do nosso Ecossistema (Terrestre) impondo o Ódio, a Guerra e a Morte como combustível da Máquina e como Ideologia Básica da Estrutura (de dominação central),

 

‒ Como o comprova a capacidade dos Excecionais em destruírem um número incontável de vezes o planeta Terra, ao contrário de todos os restantes (não excecionais) mesmo eliminando X Terras nunca atingindo as X+1 Terras dos Norte-Americanos ‒

 

E no seu exterior (Extraterrestre) para além de todo o equipamento militar e secreto colocado já em órbita (como anteriormente sonhado por outras Administrações com a construção de um Escudo Atómico ao estilo da Guerra das Estrelas), começando desde já a equipar os seus satélites (ditos maioritariamente civis) com armas para destruírem os dos outros, deixando desde logo bem claro quem será o Protagonista (literalmente e em termos absolutos tendo os Direitos Exclusivos da Conquista do Espaço),

 

No resto do conjunto Infinito do qual fazemos parte (Terra, Sistema Solar, Via Láctea, Universo) e ao qual feliz e inevitavelmente estaremos sempre ligados,

 

O Espaço-Tempo continua a Transformar-se (sem limites existenciais introduzidos pela ignorância primitiva do Homem, colocado sem possibilidade de recurso perante o nascimento e a morte) apesar da contribuição contraproducente do Homem e da sua incessante tentativa suicidária:

 

Como seja a promovida global e impunemente pelos Norte-Americanos (uma prerrogativa dos Deuses sejam eles quem forem) mantendo-se no entanto a porta aberta (do Espaço) pelo menos enquanto não descobrirmos pelo menos um, senão alguns ou mesmo muitos, seres vivos e Marcianos (obviamente vivendo em Marte, pois outros já cá poderão estar).

 

Nesse caso extremo existindo sempre a possibilidade de que para nossa proteção Donald Trump possa finalmente carregar no botão, bombardeando Marte e a oposição (os alienígenas vindos do Outro Lado do Muro ao estilo mexicano).

 

II

C/ EXOMARS

 

ESA_ExoMars_Korolev_crater_mtp000_stp004_bs015_RPB

Marte

Cratera Korolev

(15 Abril 2018)

 

No passado dia 26 de Abril de 2018 com o satélite orbitador da Agência Espacial Europeia (ESA) EXOMARS (contando com a colaboração da Agência Espacial russa ROSCOSMOS fornecendo o veículo/lançamento)

 

‒ Circulando em volta do planeta Marte para estudar a existência de gases atmosféricos (maioritariamente CO₂) podendo ajudar a esclarecer a atividade geológica e biológica no planeta

 

A ser recolocado numa órbita praticamente circular a cerca de 400Km da superfície marciana enviando-nos esta nova imagem (a anterior) do Planeta Vermelho e da cratera (de impacto) Korolev.

 

Com os responsáveis pela missão ExoMars (lançada em Março de 2016 e entrando em órbita de Marte em Outubro 7 meses depois) apresentando-nos uma área com cerca de 40Km (de extensão) localizada na cratera de impacto KOROLEV e situada a latitudes elevadas no Hemisfério Norte marciano: com o material brilhante (branco) aí visível sendo gelo.

 

“The ExoMars programme is a joint endeavour between ESA and Roscosmos. The Trace Gas Orbiter is the first of two missions in the programme: the next is scheduled for launch in 2020 and will comprise a rover and a surface science platform.”

(esa.int)

 

E num futuro próximo (já em 2020) com uma nova missão da EXOMARS lançada por um foguetão PROTON russo a atingir de novo a superfície de Marte (numa viagem de nove meses), lá colocando um novo orbitador e um novo ROVER (com o anterior ExoMars 1/Schiaparelli a ter-se despenhado no solo)

 

‒ Veículo motorizado circulando na superfície do planeta e entre outras atividades, fazendo perfurações e recolhendo material (visível/e em profundidade/ultrapassando os 2 metros)

 

Capaz de analisar, armazenar e mais tarde (a grande novidade) devolver: talvez passadas umas 3 missões da missão ExoMars (e segundo os seus responsáveis) com a sonda a ser agora equipada com um veículo espacial de ascensão (da superfície marciana) ‒ na 2ª missão ‒ para posteriormente ser recolhida em orbita e transportada para a Terra ‒ na 3ª missão.

 

“Previous Mars missions revealed ancient streambeds and the right chemistry that could have supported microbial life on the Red Planet,” said Thomas, “a sample would provide a critical leap forward in our understanding of Mars’s potential to harbour life.”

(esa.in)

 

Talvez se confirmando a presença de Água e de Vida no vizinho planeta Marte (num passado já bastante remoto, numa história paralela mas não coincidente de cerca de 4,5 biliões de anos) e assim se compreendendo melhor a Evolução do Sistema (Planetário e Solar) e o passado e o Futuro da Terra: compreendendo o que realmente aconteceu no planeta (Vermelho).

 

(imagens: nasa.gov e esa.int)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:02


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.