Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Jul 15

WOLFGANG já quis Disparar mas a arma Encravou!
(outros dizem não ser da arma, mas que alguém se atravessou)

 

monkey-gun.jpg

Não sendo essa a versão segundo diz o macaco
(os outros tóxicos é que ainda não o deixaram)

 

Certamente que os norte-americanos, os chineses, os russos, os indianos, os brasileiros e todas as raças existentes à superfície deste planeta (excepto os europeus), continuam a olhar estupefactos para os últimos acontecimentos ainda e sempre em desenvolvimento no Continente Europeu: passados 70 anos sobre o fim da II Guerra Mundial (patrocinada pela Alemanha e que levou ao genocídio dos europeus e à terraplanagem do seu país) e perdoada pelo mundo todas as atrocidades cometidas pelos seus líderes políticos e militares (entre eles pela Grécia, que disse NÃO aos NAZIS na altura sob o comando do carismático ADOLFO HITLER), eis que o mesmo país que devia ter estampado no seu rosto a máscara da VERGONHA pelos milhões de cidadãos inocentes por si conscientemente executados, vem agora ameaçar uma das suas antigas vítimas (ainda por cima não ressarcidas dos seus actos criminosos) encostando-a de novo â parede e ameaçando-o de fuzilamento.

 

E a opção proposta pelos predadores (Alemanha) às suas vítimas (Grécia), é clara e inequívoca: a Bolsa (o Património) ou a Vida (os Cidadãos)! Tal como há mais de 76 anos (a II Guerra Mundial começou oficialmente em 1939) a Alemanha tenta de novo (à sua vontade e sem qualquer tipo de controlo) exercer o seu poder sobre toda a Europa (agora colonizando-a económica e financeiramente), tendo como seus maiores apoiantes e parceiros de oportunidade (ou seja oportunistas, mas aqui com um adjectivo a ser utilizado sem intenções pejorativas, mas estritamente comerciais) nesta estratégia suicida (para a EUROPA), os EUA (como maior potência militar mundial e sede do Banco Mundial – do qual depende o BCE), a Grã-Bretanha (que se julga uma Ilha e é um entreposto dos EUA), a Finlândia (na defesa dos parcialmente seus telemóveis) e de todos os restantes covardes (os políticos de todos os quadrantes) que estando contra a hegemonia e soberba alemã, têm no entanto medo de serem os próximos a perder os seus privilégios. E aqui poderemos mencionar países como Portugal, Espanha e França, que tal como a Itália (o único estado soberano que ainda não quis dobrar a espinha, estando deliberadamente contra a incompreensível intransigência da Alemanha, apenas por este país se julgar o dono do BCE), vislumbram desde já a forte possibilidade de num futuro agora cada vez mais próximo, serem os próximos a porem a sua cabeça no cepo montado por MERKEL (e idealizado por WOLFGAND).

 

Mas tal como sucedido no século passado e nunca querendo compreender e aprender com a farta experiência dos políticos norte-americanos (que só pensam em si e na preservação dos seus territórios de expressão de poder e de soberania global), na Europa tudo se passa como se nada de extraordinário se passasse, sistematicamente adiando para amanhã aquilo que se poderia fazer hoje. Com o Continente Europeu a assumir definitivamente a sua posição estática de Estátua e assemelhando-se a uma apetitosa por rica velhinha, apenas interessada no crescimento (ou manutenção) dos seus rendimentos (Percebem? Sem nada fazer!) e num resto de vida tranquila.

 

Quanto a Portugal as nossas musas germânicas MERKEL e WOLFGANG podem estar tranquilas: o nosso Governo já nos transformou em criados e mesmo sem formação, temos fama de sermos simpáticos e de por nada nos oferecermos.

 

120374_600.jpg

A Grécia e o seu problema com as mulheres
(Merkel pelo BCE e Lagarde pelo FMI)

 

Última Hora:

 

“EUROGRUPO exige que GRÉCIA aprove austeridade até 4ª feira”
(rr.sapo.pt)

 

Na prática o EUROGRUPO alarga até à próxima quarta-feira o prazo agora tornado definitivo de recebimento em Bruxelas da notícia oriunda da Atenas de que o GOVERNO grego e a GRÉCIA já se SUICIDARAM.

 

Por outro lado também se soube que dos 28 membros da União Europeia 9 são a favor da saída da Grécia (com a Alemanha e a Finlândia a liderarem o movimento), 4 são contra (entre eles a França e a Espanha) e outros 5 ainda não sabem o que fazer (incluindo neste grupo Portugal). Dos outros 9 para já nada se sabe e a Grécia claro que é contra.

 

(imagens – WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:11

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9



28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO