Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



“Não Temer o Vírus” e “Vacinar, Vacinar, Vacinar”

Domingo, 18.07.21

[Sendo necessário, em ritmo militar.]

No final deste domingo 17 de julho de 2021, 2º ano Covid-19 (a caminho do 17º mês) e 1ª ano de vacinação (a caminho do 7º mês), das quase 10,5 milhões de doses administradas, com perto de 4,2 milhões estando já completamente vacinados (40%) e com perto de 6,3 milhões tendo tomado 1 de 2 doses (60%). Obra de um militar (de 60 anos), quando muitos civis com a mesma idade (ou mais novos), já estão reformados (ou prontos para se transferirem, feito o seu estágio no setor público, para o seu verdadeiro mundo a iniciativa privada).

Imagem2.jpg

Infetados

1 de Janeiro 2021 a 15 de Julho de 2021

 

Determinando a razão entre o Nº de Infetados e o Nº de Óbitos ao longo deste ano de 2021 (durante 196 dias/28 semanas/14 períodos), em três pontos distintos dos respetivos gráficos ─ ponto inicial, ponto de pico máximo e ponto final ─ chegando-se à conclusão de que se no ponto inicial o Nº de Infetados era 70X o Nº de Óbitos (no ponto de pico máximo 51X), já no seu ponto final o Nº de Infetados era 453X o Nº de Óbitos: sendo pois muito menor as consequências mortais, mesmo com um nº muito superior de Infetados (com Covid-19).

Algo fácil de constatar observando-se e comparando-se os dois gráficos (aqui representados), muito semelhantes na sua evolução (no mesmo período de tempo e atravessando a vaga anterior) exceção feita à sua “fase final” com a curva de “Infetados” a ser bem mais expressiva do que a ligeiríssima curva de “Óbitos”.

Imagem3.jpg

Óbitos

1 de Janeiro de 2021 a 15 de Julho de 2021

 

Podendo-se desde já destacar dois fatores podendo ter contribuído maioritariamente para a diminuição desta correspondência ─ diminuindo muitas vezes mais, o nº de mortes ─ apesar de mais contagioso sendo esta variante do vírus muito menos “mortal” (talvez mais graças a Nossa Sra. de Fátima, nunca à civil M. Temido de A. S.) e com a campanha de vacinação em curso sendo uma arma fundamental (podendo tornar-se num êxito, graças à liderança de um militar. H. G. e Melo) para diminuir drasticamente as vítimas desta luta prevendo-se prolongada.

Tentando-se agora adivinhar o que se seguirá a esta “vaga de Verão”, quando a vaga que antes mais se temia, seria aquela a surgir depois do Verão (fim do 3º trimestre/início do 4º trimestre de 2021): por essa altura e mantendo-se o ritmo (do “militar”), com 100% da população portuguesa completamente vacinada.

(dados: dgs.pt imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:09