Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

31
Dez 16

A Obsessão Número Um

Da esmagadora maioria dos órgãos de comunicação social norte-americana (pró-Democratas)

Resume-se neste preciso momento a tudo o que possa ser considerado como notícia

Mas que inclua impreterível e simultaneamente duas palavras:

TWITTER e TRUMP.

 

PUPPET PRAISES PUTIN:

‘VERY SMART’

(huffingtonpost.com)

 

5866c04b1500002f00e9dbeb.jpeg

Donald Trump no The Huffington Post

 

Numa versão inconcebível de como vi sempre o diário online norte-americano The Huffington Post (e apesar de conhecer a sua tendência pró-Democrata):

 

Habituado a ler com confiança dos seus variados artigos desde a política até à ciência (passando por Portugal);

 

Sendo muito mais próximo de ideias Democratas de muitos dos seus dirigentes (como Bernie Sanders) do que das dos Republicanos (não acredito em milionários antissistema);

 

E tendo acreditado desde o início das minhas consultas na sua honestidade intelectual (até pela sua criadora Arianna Huffington), custa muito a acreditar que um órgão informativo como este nascido da união de um conjunto de blogues (aparentemente livres e independentes, abertos e alternativos e jamais dogmáticos e intolerantes),

 

Se tenha deixado enredar e afundar de tal modo profundamente na campanha de um mero candidato ainda-por-cima já gasto e ultrapassado (que como se viu também contribuiu para a derrota em toda a linha do parido Democrata tanto na Câmara dos Representantes como no Senado).

 

DJT_Headshot_V2.jpg

Donald J. Trump ‏@realDonaldTrump

Great move on delay (by V. Putin) - I always knew he was very smart!

Donald Trump no Twitter

 

E que mesmo após a derrota deste e da vitória do seu adversário Republicano ainda se pretenda suicidar por uma causa sem causa.

 

Não se percebendo se a estratégia pretensamente utilizada pelos russos com Putin intercedendo por Trump e dando-lhe a Presidência, não terá sido uma medida preventiva (e de como se verá um ensaio) por parte dos Democratas para possível aplicação futura dependendo do que aí vinha e do candidato vencedor: primeiro acusava-se Putin de tentar colocar Trump como Presidente (o seu Boneco) e caso isso falha-se (na altura algo de inacreditável por parte do cognominado Palhaço) acusava-se Trump de em estilo de agradecimento o elogiar.

 

E se tudo falhasse ainda existia a forte e enraizada tradição norte-americana já ensaiada com outros Presidentes – é certo que umas vezes com sucesso (John F. Kennedy) mas também outras vezes não: a sua morte prematura.

 

(imagem: huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:46

Dezembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO